Pular para o conteúdo principal

Postagem recente.

O genocídio dos índios Yanomami.

  Os povos originários yanomami estão morrendo. A foto mostra o Presidente Lula reunido com os Yanomami   Na história recente do Brasil nunca houve tamanha crueldade com os povos originários e especificamente os índios da aldeia yanomami . As cenas são estarrecedoras e voaram ao mundo no instante em que alguém começou a postar nas redes sociais aquelas fotos inacreditáveis e desumanas que ocorrem propositalmente no desgoverno que se findou para sempre em 31 de dezembro de 2022.   No entanto, elas chegaram ao conhecimento do Presidente [Lula] e chefe da nação o qual é comprometido em defesa da vida de maneira genérica e especificamente dos brasileiros e dos povos indígenas, os originários do país, não perdeu tempo e foi ver de perto a situação do povo Yanomami. Ele se comoveu com o que viu. Imediatamente levou parte da equipe ministerial para resolver essa situação cruel e desumana a qual os povos originários se encontram. Será um trabalho de equipe durante muitos meses para res

A importância do silêncio para a vida.

O homem da atualidade é do barulho.


Na imagem de fundo azul  e vermelho está inscrito a palavra: Silêncio!
Silêncio! 

O silêncio é importante para a vida porque é na calmaria que você encontra consigo e no barulho o ser humano foge da sua realidade existencial. Para muitos quanto mais silêncio melhor e outros esconde seu ser na balbúrdia.


Atualmente não se vive uma vida de silêncio, entretanto, se habita numa sociedade movida a poluição sonora, de todos os tipos e imagináveis. É quase impossível listar todos os tipos de barulhos. Então, é prático falar de maneira genérica sobre silenciar por alguns instantes . 

Hoje existe muita gente que odeia o silêncio porque ele fala mais alto sobre a vida do que muitos aparelhos sonoros potentes. A população de modo geral desconhece a seriedade do silêncio para vida. 

Pense bem! Parcelas das pessoas desejam ter momentos silenciosos e não conseguem porque outros não permitem. Contudo, erroneamente imaginam que todos gostam de ouvir o que eles ouvem e ligam seus aparelhos musicais no último volume para prejudicar a vida dos vizinhos. Desrespeitam a política da boa vizinhança e a lei do silêncio gera grandes conflitos, em alguns casos se transforma em violência com fatalidades.


Hoje o ser humano trabalha e vive em casa no barulho.


Geralmente existem aquelas pessoas que além de passarem o dia na movimentação frenética das cidades, do trabalho, do trânsito e das festas em dias de feriados e fins de semana, elas complementam essa poluição sonora em suas casas.

No Brasil nas grandes cidades, onde tem os conjuntos habitacionais precários em uma dessas visitas aos amigos, observei muitas pessoas disputarem o volume do seu som musical e nem pergunta se o vizinho gosta ou não daquelas músicas desagradáveis; eles as colocam em competições.


Também já ouvi muitos relatos de pessoas que não conseguem dormir se não estiver ouvindo músicas do estilo “rock”, “funk” e sertanejo, não sou contra nenhum desses estilos musicais. Sempre respeito a todos que gostam e outros gêneros da atualidade que retratam o seu contexto social e psicológico em que vivem.


A cultura do barulho é realidade na sociedade moderna.


No entanto, a sociedade moderna sem perceber, criou naturalmente uma cultura barulhenta. Neste contexto histórico e social pouquíssimos indivíduos têm o hábito de cultivar o silêncio pessoal da essência do seu ser. Preste bem atenção ao seu redor que a maioria dos amigos moradores nas adjacências vivem em contínua agitação e tem uma dificuldade de descobrir a importância do silêncio para a vida. A própria modernidade cria mecanismos geradores de estardalhaços. Ninguém mais tira um momento para fazer quietude e pensar na vida.

Preferem a algazarra do que a paz como espécie de refúgio dos problemas os quais os cercam. Atualmente existem espalhafatos de todas as espécies, é uma boa atitude fugir de si e aquieta-se temporariamente na balbúrdia do cotidiano.


Para muitos seres humanos silenciar é apavorante.


O silêncio causa pavor a muitos seres humanos porque é agora que é desenrolado o filme real da vida. Muitos são temerosos a ver a realidade da vida interior, a ser revisitada de maneira lenta e, sobretudo, voraz. O silêncio grita mais alto do que os estardalhaços de sons esquisitos. No entanto, se não tem gritaria estridente e superficial não está bom o ambiente para muitas pessoas.

O barulho configura o refúgio dos problemas da vida, todavia, em tudo precisa ter seu limite, ainda que seja os mais altos sons em decibéis possíveis é necessário a lei do silêncio controlar.

Contudo, se há silêncio no ambiente de viver e principalmente na hora de dormir, mais silencioso for falará, esse clima de paz altíssimo cortará as entranhas do ser. Esquadrinhar a cada milésimo do tecido existencial, para mostrar o que está correto e o incorreto, para que seja preciso urgentemente, ser corrigido e para que a vida possa andar num rumo certo.


Muitos têm medo do silêncio porque temem a sua realidade existencial.


Para muitos humanos, silenciar é uma realidade cruel e não a consegue exercer está prática sublime da serenidade. Porque tem medo de se ver e encarar a vida interior para poder decidir a viver na retidão? Portanto, este apelo do silêncio tem um alto preço a ser evitado por todos que tem uma vida errante! Então, é mais fácil partir para o caminho banal, simplório, isto é, permanecer e encobrir com a zaragata estridente determinada através do som de quaisquer músicas, que contém letras sem sentido, mas retrata igualmente a vida do jeito que ela é. São duas realidades que mostram duas faces diferentes das pessoas na era do barulho. Uma é a realidade do barulho que procura esconder de todas as maneiras os problemas reais da vida dos seres humanos a serem resolvidos. A outra realidade é o silêncio. O silêncio sim! Ele age como algoz dos humanos e revela o seu mais profundo interior, tudo o que na realidade a pessoa é. Além disso, o emudecer exige mudanças de comportamentos saudáveis.

A pessoa que tem o hábito de fazer silêncio não é leviano, como homem barulhento, mas é implacável e ponderado, cobra fundamentalmente uma total renovação e principalmente uma decisão para abandonar definitivamente o erro e procurar trilhar um novo caminho de paz para a vida.

A partir da serenidade, fazer o exercício de calar algumas horas habitualmente para ouvir atentamente e obedecer a sua voz, para extrair grandes possibilidades de ter uma realidade melhor nesta sociedade desregrada e violenta. O silêncio tem este papel capital para oportunizar a todos a reflexão e quando se faz a meditação é para pensar na vida que está a viver e neste constante silenciar, é que ocorre as profundas mudanças da existência para melhor apreciar ser feliz.


Muitas pessoas têm medo do silêncio.


Portanto, não tenham medo do silêncio! Ele pode ser o grande aliado para abrir importantes oportunidades de transformações da vida. Fujam do barulho ele pode ser a grande possibilidade de aumentar e gerar novos problemas para sua existência. A agitação é maquiadora para fazer parecer que tudo está bem, está na paz, mas infelizmente não está. São simplesmente fachadas superficiais de paz. Enquanto, as pessoas que têm uma vida mergulhada em enormes barulhos forçam a provocar assombrosas gargalhadas com o alvoroço de qualquer espécie, alguns até procuram superar os mais altos dos estrépitos. Todavia, certamente existem dores e hemorragias na essência humana que provocam vazios sem explicações e sem fim.


Silenciar não significa, que não se tem problemas com a vida.


Não vamos ser ingênuos todos os seres humanos, silenciosos ou não, possuem problemas múltiplos. Agora quem habita no barulho e incomoda até mesmo a outrem não consegue encarar a vida e sair do fundo do poço dos problemas existenciais. Quem vive no hábito de silenciar têm mais probabilidade de encontrar saídas para seus problemas e ver a vida com naturalidade e em vez de gerar mais adversidades, procura solucioná-las! Todavia, a quietude suscita condições favoráveis para encontrar saídas para os problemas existentes da vida. Aqui reside a importância do silêncio para vida, numa sociedade submergida na poluição sonora sem fim. Em meio a esta bolha barulhenta todos devem construir dia após dia, seu oásis de paz real fundamentada na tranquilidade pessoal e interior. 👍

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O abc da mãe, para expressar, as suas qualidades.

As mães possuem suas qualidades no abc da vida.   A imagem diz o  abc da mãe  As mães, quantas qualidades elas possuem, desenvolvem e as colocam em prática, diariamente, vinte e quatro horas; durante uma vida inteira em prol dos seus filhos. Entretanto, dificilmente os filhos percebem e reconhecem esta árdua luta das mães e são gratos a elas. Observem neste singelo texto, quanto as progenitoras fazem para seus filhos.   Estes dons surgem desde quando ela engravida pela primeira vez dando à luz seus filhos (as). Elas no cotidiano colocam em prática através de sua consciência maternal todas suas qualidades de mães para a proteção, provisão e educação dos filhos. O mais estranho e ingrato é que poucos filhos reconhecem a importância da sua mãe enquanto estão juntos. Muitos somente irão reconhecer e lamentar a sua real importância quando elas morrem. Os filhos deveriam observar e valorizar as qualidades da mãe.   Neste simples abc da mãe, todos os filhos deveriam sempre obser

Você já rotulou alguém de burro?

Essa atitude é preconceituosa, ela  ferirá o sentimento de outrem e ruim para o convívio social. A expressão Burro comprova o preconceito  entre as pessoas.  Quando alguém utiliza este vocábulo burro para qualificar outrem, somente vem comprovar como muitas pessoas têm uma mentalidade maldosa, preconceituosa e intolerante em relação aos seus semelhantes. É inaceitável como é usado no Brasil o termo “burro” entre as pessoas. Muitos usam de maneira intencional para ofender covardemente os seus semelhantes. Alguns humanos a utilizam de maneira maldosa, preconceituosa e ofensiva. Isso vem ocorrendo desde o início da colonização até os dias atuais.

Candeeiro ou lamparina antiga, mas muito usado no Brasil.

O candeeiro fez parte da vida do povo nos tempos remotos e na atualidade.   Sem luz se usa o candeeiro. Candeeiro é a lamparina, artefato antiquíssimo, composta por duas partes simples. A sua base é feita de lata comum. Pode-se observar que é um desenho simplório, num formato de uma pirâmide. No topo desta pirâmide usa-se pavio de fabricado de algodão. Ele é umedecido com querosene, que é colocado na parte de baixo, como podemos observar tem uma forma redonda, mas como base piramidal.