Pular para o conteúdo principal

Postagens

Postagem recente.

Iluminando Mentes é uma jornada da Alegoria da Caverna à Educação Moderna.

  Da Caverna à Luz: transformando a Educação de forma, compaixão e criatividade. A cena criada por IA da alegoria da Caverna de Plantão. A Alegoria da Caverna de Platão, narrada em A República*, é uma metáfora filosófica atemporal que explora o caráter da realidade, do conhecimento e da educação. Nesta história, os prisioneiros acorrentados desde o nascimento só têm acesso às sombras projetadas na parede de uma caverna, acreditando serem a realidade. Ao se libertar, um prisioneiro experimenta a luz do sol e a diversidade da realidade, retornando à caverna para compartilhar suas descobertas com os outros. A educação moderna, sob diversos aspectos, se assemelha à caverna platônica. Muitas vezes, os estudantes estão confinados em um espaço limitado, recebendo informações sem contexto ou aplicação prática, como se estivessem presos a uma parede. A abordagem superficial limita o desenvolvimento do pensamento crítico e da compreensão mais aprofundada do mundo, perpetuando a ignorância e a al
Postagens recentes

Medo e o poder nas perspectivas filosófica e política de Maquiavel.

Buscar a Governança Ideal entre Medo e Liderança. Nicolau Maquiavel. Créditoda  foto: Wikipédia  Desde os tempos antigos, a filosofia e a política têm sido intrinsecamente ligadas na busca pelo entendimento da governança ideal. A natureza do poder e a influência das emoções humanas sobre ele são temas centrais que atravessam o pensamento político.  O medo, em particular, tem sido um tópico de grande interesse, por ser uma força motriz poderosa que pode moldar não apenas indivíduos, mas também sociedades inteiras.  Através da lente da filosofia política, podemos examinar como o medo é empregado pelos governantes e as implicações morais que acompanham seu uso. Inspirando-nos nas reflexões de Maquiavel, um dos mais notáveis pensadores políticos, exploraremos como o medo pode ser uma ferramenta de controle e o que isso revela sobre a natureza da autoridade e da obediência. O Medo e o Governante: Uma Análise Inspirada em Maquiavel Maquiavel, com sua visão astuta sobre a natureza do poder, v

Porto Alegre: Cidade em Festa, Alma em Redenção.

O Crepúsculo do Guaíba. O Guaíba, em fúria, o véu cinzento rasgou. Sobre a cidade adormecida, sua fúria desabou. O Centro Histórico, em angústia, se afogou. Mercado dos Amores, suas paixões, silenciou. Na rodoviária, sonhos se dispersaram. No aeroporto, voos foram cancelados, amores a voar! Metrô submerso, trabalhadores inquietos! Progressos obstruídos, esperanças em xeque. O Guaíba, em fúria, a cidade dominou. Em suas águas turvas, a alegria afundou. O Sol, indiferente, recusou-se a brilhar. Nuvens de chumbo, lágrimas a derramar. Os rios, em fúria, rugiram sem parar. E o desespero, a todos, veio tomar. Lares inundados, memórias à derivar. Famílias desabrigadas, sem rumo, sem vida. Um destino cruel, um presente amargo. A dor da perda, um corte no coração sargo. Quem habita agora o lar que outrora era nosso? O estranho inquieto, um futuro incerto. Um presente úmido, de cheiro de mofo e azedo. O lembrete constante do mal que foi feito. Mas Porto Alegre, erguendo a cabeça, ergue a voz. Do

Enchentes no Rio Grande do Sul: Desvendando as Raízes Gaúchas da Tragédia

1. As marcas das enchentes no Rio Grande do Sul. As trágicas enchentes que atingiram o Rio Grande do Sul em maio de 2024 deixaram profundas marcas na alma gaúcha. Mais do que um desastre natural, este evento expôs as fragilidades do estado e a necessidade urgente de ações robustas para a recuperação e, acima de tudo, para a construção de um futuro mais resiliente à adversidade climática. Para compreender a magnitude da tragédia e traçar um caminho para a reconstrução, é fundamental analisar as complexas raízes que deram origem às enchentes, considerando a perspectiva única do Rio Grande do Sul. b) Décadas de Negligência Ambiental: Uma Ferida Histórica na Alma Gaúcha O Rio Grande do Sul, conhecido por sua rica biodiversidade e paisagens exuberantes, carrega consigo a ferida de décadas de negligência ambiental.  O desmatamento desenfreado, a ocupação irregular do solo e a falta de políticas públicas eficazes para a proteção ambiental minaram a resiliência natural do estado, tornando-o ma

Preservação do Meio Ambiente: Nossa Responsabilidade Coletiva

  A preservação dos recursos naturais O meio ambiente é um tema urgente e relevante atualmente. A preservação dos recursos naturais, a conservação da biodiversidade e a mitigação das mudanças climáticas são desafios que afetam a todos nós. Neste artigo, exploraremos a importância do meio ambiente e como podemos contribuir para sua proteção. Por que o Meio Ambiente Importa? 1. Biodiversidade: A variedade de vida na Terra é essencial para o equilíbrio dos ecossistemas. Cada espécie desempenha um papel único na manutenção da saúde do planeta. 2. Recursos Naturais: Água, ar limpo, solo fértil e minerais são recursos essenciais para nossa sobrevivência. A degradação desses recursos afeta nossa qualidade de vida. 3. Saúde Humana A: poluição do ar e da água, bem como a destruição de habitats naturais, têm impactos diretos na saúde das pessoas. Ações para a Preservação Ambiental 1.Redução do Desmatamento: O desmatamento é uma das principais ameaças à biodiversidade.  2.Apoie iniciativas de ref

Venha conhecer a lenda do espeto defumado.

O Brasil é rico em lendas  que enriquecem o imaginário popular. O autentico Churrasco gaúcho. A matéria apresenta a lenda antiga dos povos originários, a lenda do espeto defumado, que permaneceu oculta por 400 anos e, com o advento da internet, foi revelada através da interceptação de um e-mail de um indígena.  O Brasil e o Estado Gaúcho são ricos em lendas populares. Além das fábulas, o Rio Grande do Sul tem os magníficos contos gauchescos do escritor João Simões Lopes Neto¹ . Todos eles são extraordinários e enriquecem a cultura popular dos gaúchos. A lenda do espeto defumado é antiga, mas, até pouco tempo, era desconhecida pelos rio-grandenses; ela apareceu repentinamente com o advento da “internet”. Desde o momento em que as pessoas começaram a se comunicar virtualmente através das trocas de correio eletrônico, umas com as outras. Esta lenda foi interceptada por meio da espionagem dos Estados Unidos. Recentemente, estava em uma rodada de chimarrão e, entre as conversas, surgiram as

Postagens mais visitadas deste blog

Candeeiro ou lamparina antiga, mas muito usado no Brasil.

O candeeiro fez parte da vida do povo nos tempos remotos e na atualidade.   Sem luz se usa o candeeiro. Candeeiro é a lamparina, artefato antiquíssimo, composta por duas partes simples. A sua base é feita de lata comum. Pode-se observar que é um desenho simplório, num formato de uma pirâmide. No topo desta pirâmide usa-se pavio de fabricado de algodão. Ele é umedecido com querosene, que é colocado na parte de baixo, como podemos observar tem uma forma redonda, mas como base piramidal.

O abc da mãe, para expressar, as suas qualidades.

As mães possuem suas qualidades no abc da vida.   A imagem diz o  abc da mãe  As mães, quantas qualidades elas possuem, desenvolvem e as colocam em prática, diariamente, vinte e quatro horas; durante uma vida inteira em prol dos seus filhos. Entretanto, dificilmente os filhos percebem e reconhecem esta árdua luta das mães e são gratos a elas. Observem neste singelo texto, quanto as progenitoras fazem para seus filhos.   Estes dons surgem desde quando ela engravida pela primeira vez dando à luz seus filhos (as). Elas no cotidiano colocam em prática através de sua consciência maternal todas suas qualidades de mães para a proteção, provisão e educação dos filhos. O mais estranho e ingrato é que poucos filhos reconhecem a importância da sua mãe enquanto estão juntos. Muitos somente irão reconhecer e lamentar a sua real importância quando elas morrem. Os filhos deveriam observar e valorizar as qualidades da mãe.   Neste simples abc da mãe, todos os filhos deveriam sempre obser

Você já rotulou alguém de burro?

Essa atitude é preconceituosa, ela  ferirá o sentimento de outrem e ruim para o convívio social. A expressão Burro comprova o preconceito  entre as pessoas.  Quando alguém utiliza este vocábulo burro para qualificar outrem, somente vem comprovar como muitas pessoas têm uma mentalidade maldosa, preconceituosa e intolerante em relação aos seus semelhantes. É inaceitável como é usado no Brasil o termo “burro” entre as pessoas. Muitos usam de maneira intencional para ofender covardemente os seus semelhantes. Alguns humanos a utilizam de maneira maldosa, preconceituosa e ofensiva. Isso vem ocorrendo desde o início da colonização até os dias atuais.