] Tempo implacável nas ações humanas. Pular para o conteúdo principal

Tempo implacável nas ações humanas.

Tempo o mestre controlador da vida em todos seus momentos.

A imagem diz:tempo soberano nas ações humanas.
O tempo tem distintas definições científicas, filosóficas e religiosas, cada qual procura elaborar uma significação acurada, transparente, precisa e objetiva, mas permanecem no campo das elucubrações ininteligíveis. O melhor mesmo é abandonar os conceitos e as grandes teorias refinadas, ir-se embora para a elaboração de uma definição a partir, do olhar; simplesmente do senso comum, mas concentrado no campo prático.
Procurar construir uma definição do tempo a partir da simplicidade pragmática. Então, se pode conceituar o momento como o grande mestre regulador da existência, algoz, juiz e divisor das ações dos homens em suas vidas habituais.
A melhor maneira de chegar a essa definição é observar o comportamento das pessoas em certos momentos da vida e principalmente em datas especiais marcantes nascimentos, noivados, casamentos, debutantes, aniversários, celebrações religiosas, culturais, festas de fim de ano e etc.
Observe a excitação das pessoas diante dos preparativos, antes de qual quer evento ou datas especiais dos acontecimentos da humanidade. Em seguida analise com serenidade a reação, do depois, de todos os acontecimentos previstos em seu ciclo certo.
Em datas marcantes a ansiedade envolve de tal forma as pessoas, que muitos chegam a provocar um verdadeiro abalo emocional inexplicável. Tudo isso antes da realização do evento previsto na época   planejada de qualquer fato. Um exemplo prático dessa realidade temporal são os festejos de fim de ano. Óbvio que durante o ano contém outras datas envolventes na vida das pessoas de maior ou menor intensidade.

As festas de fim de ano geralmente estressam muita gente.

Todavia, agora é fundamental enfatizar os festejos do fim de ano. Onde a maioria dos países festejam estas datas movidas pelas tradições. Outros países de acordo com seus princípios religiosos veem como datas comuns ou fazem suas celebrações e comemorações conforme seus costumes específicos.
Segundo a tradição cristã a maioria dos países vivem na obrigatoriedade de festejarem estas datas de fim de ano, como manda as regas tradicionais, para ser realmente, uma comemoração perfeita; caso contrário, se não foi realizado como deveria ser então, nasce um sentimento de frustração e de obrigação não cumprida, uma espécie de tempo perdido.

Todos tem que promover a sua festa melhor e mais glamorosa do que a do vizinho. Mesmo não existindo condições econômicas para uma competição de igualdade, ou melhor, nasce o sentimento de inveja. Quem tem condições financeiras de festejar na máxima ostentação invencível, brota e espalha o sentimento de superioridade e de poder.  



Todos esses sentimentos nascem nessa fase de comemoração, de celebração, de confraternização. Muitos nem mesmo tem consciência desse tempo. E o porquê se está celebrando tal acontecimento nesta data. Se todos fazem a festa, seria um absurdo ficar excluído. Então são levados, pela tradição a fazer algo que às vezes não se tem clareza da razão disso. Simplesmente fazem no embalo dos demais, fazem por fazer. Tudo isso, necessariamente deve ser nesse tempo, nessa data do calendário, não pode ser um segundo antes e nem depois. E neste alvoroço do momento há um envolvimento emocional muito grande entre as pessoas.

Muita gente entra até mesmo estresse e dependendo da situação pode avançar para um quadro mais severo. Mas como o tempo é o nosso companheiro às vezes bom, às vezes cruel e carrasco. No entanto, sendo um adequado divisor justo dos acontecimentos; é ele quem determina o antes e o depois de tudo. Antes é pura oscilação, ansiedade, expectativa para ver se tudo vai dar certo. Passado o momento da realização do ato. O velho amigo e algoz tempo, determina o fim de um período, e gera uma nova duração para avaliar os resultados da ação. Muitos alcançaram o contentamento outros à frustração e o desespero.

Repensar o que foi feito principalmente os erros para não os repeti-los outra vez.

A imagem diz: tempo.
Portanto, como é bom um dia após o outro, o que era antes pura ansiedade, agora é simplesmente quietação, serenidade para avaliar e repensar o dia anterior. O que foi falho e o que deu certo. O que deveria ter sido feito e o que não poderia ser realizado.  O quanto poderia ter gasto em   desperdícios e o quanto não deveria de ter esbanjado das finanças. Nasce então, grandioso e amargo arrependimento sem volta.

O fiasco do porre com os amigos e agora a vergonha do pileque   e a reputação social. A gafe cometida, por desatenção da noite, mas   se houvesse mais zelo poderia ter evitado e não teria ocorrido tal gafe. Atualmente é pura ressaca de tudo que passou, mas advém um longo período para passar a ressaca. O que aconteceu, aconteceu, não vale a lamentação, como muita gente diz [o tempo cura e concerta tudo], essa expressão tem uma meia verdade, por quer o tempo só pode amenizar os acontecimentos, porém jamais poderá concertar o qualquer fato. 

O que foi realizado, está consumado e a única coisa que se pode fazer é tão somente, não mais repetir os mesmos erros da vida, não olhar para o passado, mas concentrasse no presente e principalmente fixar-se no futuro, procurar fazer sempre o melhor e ser feliz na etapa certa. Todos aprendem com os erros e aprimoram os acertos nesta existência física e terrena.
Assim é o ser humano ele vive numa contínua luta para ser feliz, de todas as formas dentro de um tempo; mas o tempo é esse perfeito mestre às vezes cruel, às vezes amigo, faz o homem aprender ao longo da vida andar sob as ordens e ensinamentos do próprio tempo.




Postagens mais visitadas deste blog

O abc da mãe e suas qualidades.

As mães e suas qualidades no seu abc. As mães quantas qualidades elas possuem, desenvolvem e as colocam em prática, diariamente, vinte e quatro horas; durante uma vida inteira em prol dos seus filhos. Entretanto, dificilmente os filhos percebem e reconhece está árdua luta das mães e são gratos a elas.  Observem neste singelo texto, quanto as progenitoras fazem para seus filhos.
Estes dons surgem desde quando ela engravida pela primeira vez dão à luz seus filhos (as). Elas no cotidiano colocam em prática através de sua consciência maternal todas suas qualidades de mães para a proteção, provisão e educação dos filhos. O mais estranho e ingrato é que poucos filhos reconhecem a importância da sua mãe enquanto estão juntos. Muitos somente irão reconhecer e se lamentarem a sua real importância quando elas morrem.

Você já rotulou alguém de burro?

Atitude preconceituosa, feri o sentimento de outrem, é ruim para o convívio social.Quando alguém utiliza este vocábulo burro para qualificar outrem, somente vem comprovar como muitas pessoas tem uma mentalidade maldosa, preconceituosa e intolerante em relação aos seus semelhantes. É inaceitável como é usado no Brasil o termo “burro” entre as pessoas. Muitos usam de maneira intencional para ofender covardemente os seus semelhantes.  Alguns humanos a utilizam de maneira maldosa, preconceituosa e ofensiva. Isso vem ocorrendo desde o início da colonização até os dias atuais.

A quinta sinfonia de Beethoven.

Beethoven e a quinta sinfonia.Beethoven compôs suas obras musicais eruditas na liberdade quebrando velhos paradigmas. O grande gênio da música clássica erudita Ludwig van Beethoven alemão nascido na cidade de Bonn em 1770 e faleceu em 1827 aos 56 em Viena. Um dos grandes compositores do estilo musical erudito, onde no conjunto de sua obra impera a liberdade, ele escrevia suas composições, suas obras quebrando velhos paradigmas da música clássica abrindo novos horizontes para a música erudita.