Pular para o conteúdo principal

Postagem recente.

Atenção! Preparem o bolso vazio, para pagar a luz.

Enquanto ninguém tem reajuste salarial, mas a energia encarece. A foto mostra o poste de transmissão de energia elétrica  O último índice médio de preços das tarifas da luz elétrica será de 7,32%. A antiga (antiga porque será privatizada em breve ) CEEE-D  abastece 1,716 milhão de unidades consumidoras. O setor Que se compreende as residências, comércio, área rural e iluminação pública, terá alta de 8,32. O setor industrial que está em rede de alta tensão terá aumento de 5,24%, Tudo sob  as bênçãos da (ANEEl) Agência Nacional de Energia Elétrica. É incrível! parece piada, mas é a realidade, antes fosse. A partir do  próximo domingo 22/20 os consumidores da CEEE pagarão mais caro a energia elétrica, será um reajuste de 7,32%. Porém enquanto isso ninguém tem reajuste salarial há muitos anos e especialmente agora, nesta crise econômica e turbinada com a força da pandemia da covid-19. 

O governo gaúcho humilha seus funcionários ao parcelar seus parcos salários.

Em nome da crise econômica o governo culpa   os servidores e parcela os ínfimos salários. 

A foto mostra uma cédula de R$  2 dois Reais o símbolo da humilhação dos servidores públicos gaúchos com seus salários parcelados.
A foto mostra a cédula de 2 Reais como símbolo de humilhação salarial.


O Estado do Rio Grande do Sul
sempre viveu em guerras históricas, sempre tendo como pano de fundo as finanças. A mais lembrada é a Revolução Farroupilha, conhecida como a guerra dos farrapos. Atualmente o estado continua em guerra com uma parcela da sociedade gaúcha.

O alvo principal é meramente o funcionalismo público. Entretanto, hoje os funcionários públicos iniciaram a semana paralisando todos os serviços do estado. Tudo por quer o governo do PMDB parcelou os salários de fome paga aos servidores públicos. 

Estes sobrevivem sem dinheiro mensalmente, somente com dívidas a quitar a longos prazos.  Porém trabalham arduamente para cumprir com seus deveres como servidores honestos dedicados à sociedade gaúcha. Dignos de exercer com profissionalismo suas tarefas recebidas. Não obstante o governo faz seus funcionários passarem vergonha, humilhação e vexame, por quer simplesmente não foi pago aos trabalhadores seus vencimentos que fazem jus receber integral todos os meses.

A paralisação unificada dos servidores públicos, mostra união e força.

Por isso, que o estado parou e certamente todas as categorias se unificarão para decretar uma greve geral por tempo indeterminado até que este governo do PMDB pare de massacrar seus funcionários em nome de uma cortina de fumaça, simplesmente pura pirotecnia denominada de crise econômica gaúcha. Na intenção de confundir e jogar a população contra os servidores. Uma estratégia bem comum dos governos gaúchos e se saírem como vítimas da crise para não honrem com seus compromissos para com seus funcionários.

Os funcionários públicos estes sim vivem literalmente como legítimos farrapos. Continuam a viverem há muitos anos em plena humilhação; recebendo salário miseráveis e de fome. Entretanto, os mandatários palacianos rotularam como os principais responsáveis pela recessão do Estado.

O governo não valoriza seus funcionários públicos.

Entretanto este governo desconhece a importância dos servidores para fazer movimentar a máquina estatal, ajudando na produção das riquezas e no desenvolvimento deste solo gaúcho.   O atual governo além de estão desrespeitando vários outros direitos dos trabalhadores do Estado. Agora impôs o parcelamento dos parcos salários destes batalhadores, humilhados pelo chefe do poder executivo. Ainda que cansados e explorados estes trabalhadores de fato são responsáveis pelo crescimento deste rico Estado do RS, não tem justificativas para o governador decretar esta medida autoritária contra os trabalhadores estaduais. Os farrapados contemporâneos são os funcionários públicos gaúchos. Estes foram eleitos como “os bodes expiatórios” para levarem a culpa da falência econômica gaúcha.

Para o governo a culpa, da crise econômica gaúcha é dos servidores.

Toda a crise econômica do Estado do RS, segundo o governo é culpa dos funcionários públicos. Será que é mesmo? Não é mais uma maneira de castigar a quem já vem sendo castigado há muitos anos, ganhando migalhas salariais do Estado? Além do mais o governo joga os funcionários contra a sociedade. Ou está querendo implantar a terceirização dos serviços públicos? O governo esquece-se dos grandes sonegadores gaúchos e massacra o funcionalismo público. Até agora o governo não sinalizou nenhum interesse de pagar o piso do magistério. Mais uma lei que é desrespeitada pelo governo do estado e ninguém faz absolutamente nada para forçar pagar aos professores este piso salarial; desrespeitados por todos os governos que passaram pelo Palácio Piratini desde a sua criação como lei.

Os servidores não têm paz para trabalhar porque não recebem salários dignos.

Deste modo, ninguém, consegue trabalhar sem receber os ínfimos salários nos dias certos. Todos precisam comer honrar suas dívidas com os bancos e o comércio na data exata. Quem vai arcar com os juros cobrados por cada dia de atraso de um boleto bancário, operadoras de cartões de créditos, água, luz, telefone, e tantas outras coisas que se compra no comercio em várias prestações! É claro que o governador e sua equipe não vão pagar os juros das dívidas dos funcionários em atraso. Todos têm que se virar e pagar suas contas. Alguém consegue trabalhar com fome? Óbvio que não!

Todavia a única alternativa é paralisar todos os serviços e cobrar do chefe do executivo gaúcho, que pague seus funcionários em dia. Ele e seus secretários são ricos e tem como viver sem depender dos míseros salários que ele paga aos seus funcionários. Os valores que eles ganham em um mês a maioria dos funcionários levam um ano ou mais, para receber próximo do valor que cada membro do executivo estadual recebe. Então todos na rua e parados para não passar fome e tantas humilhações como já vem passando.

 

Discurso da Presidente do CPERS/Sindicato.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O abc da mãe e suas qualidades.

As mães e suas qualidades no seu abc. O abc da mãe e seus significado s As mães quantas qualidades elas possuem, desenvolvem e as colocam em prática, diariamente, vinte e quatro horas; durante uma vida inteira em prol dos seus filhos. Entretanto, dificilmente os filhos percebem e reconhece está árdua luta das mães e são gratos a elas.  Observem neste singelo texto, quanto as progenitoras fazem para seus filhos. Estes dons surgem desde quando ela engravida pela primeira vez dão à luz seus filhos (as). Elas no cotidiano colocam em prática através de sua consciência maternal todas suas qualidades de mães para a proteção, provisão e educação dos filhos. O mais estranho e ingrato é que poucos filhos reconhecem a importância da sua mãe enquanto estão juntos. Muitos somente irão reconhecer e se lamentaram a sua real importância quando elas morrem. Os filhos deveriam observar e valorizar as qualidades da mãe. Neste simples abc da mãe todos os filhos deveriam sempre observar as qualidade

Você já rotulou alguém de burro?

É uma atitude preconceituosa para ferir o sentimento de outrem e ruim para o convívio social. A expressão burro comprava o preconceito entre as pessoas.  Quando alguém utiliza este vocábulo burro para qualificar outrem, somente vem comprovar como muitas pessoas têm uma mentalidade maldosa, preconceituosa e intolerante em relação aos seus semelhantes. É inaceitável como é usado no Brasil o termo “burro” entre as pessoas. Muitos usam de maneira intencional para ofender covardemente os seus semelhantes.  Alguns humanos a utilizam de maneira maldosa, preconceituosa e ofensiva. Isso vem ocorrendo desde o início da colonização até os dias atuais.

Candeeiro ou lamparina antiga, mas muito usado no Brasil.

O candeeiro fez parte da vida do povo nos tempos remotos e na atualidade. Sem luz se usa o candeeiro. Candeeiro é a lamparina , artefato antiquíssimo composta sobre duas partes simples. A sua base é feita de lata comum. Um desenho simplório num formato de uma pirâmide. No topo desta pirâmide usa-se pavio de fabricado de algodão. Ele é umedecido com querosene, que é colocado na parte de baixo, como podemos observar tem uma forma redonda, mas como base piramidal. Este utensílio domestica há muitos anos foram usados no país inteiro até chegar às primeiras transmissões de energia elétrica nas capitais e aos poucos foram se disseminado para o restante do país.