Pular para o conteúdo principal

As alianças e pressões golpistas ocorreram nas eleições 2014.

Não esqueça que no Brasil o seu voto é livre e secreto.

A imagem nas cores do Brasil diz: Eleições 2014.
Eleições 2014.


Os partidos políticos fazem suas alianças estratégicas, faz parte do jogo democrático, todos são livres para votar como e em quem deseja.

Passou-se o primeiro turno, na expectativa de quem iria ficar frente a frente, na disputa os poderes executivos, nos estados e principalmente para o Poder Executivo Federal.

Após o resultado oficial do TSE os candidatos classificados para o segundo turno, não perderam tempo e iniciaram as conversações para a consumação das coligações interesseiras.

O que se nota não foi surpresa, os partidos se organizarem de maneira estratégica visando a derrotar uma concorrente obviamente vencedora.

Outros partidos de menores expressões ficaram de fora ou simplesmente liberaram seus filiados a votar como quiserem. Esta situação ocorreu nos estados onde vai haver nova eleição e, sobretudo na corrida para Presidente da República.

 

A democracia precisa prevalecer em meio a disputa pelo poder.

 

A imagem de fundo azul e caracteres em amarelo diz: VOTO.
A imagem diz: VOTO.

Sempre se deve insistir na mesma tecla de exaltar a democracia brasileira, todos podem se expressar livremente, mas com responsabilidade. Contudo, é assim que segue este ritual de liberdade na hora singular diante da urna para votar. É você sozinho mais a sua liberdade e consciência para votar.

Ninguém terá o poder para dizer em quem você votaria. Somos livres, não precisamos de palpite de nenhum dirigente de partido para determinar ou induzir em quem se deve votar.

Estas coligações existem ainda na democracia. Ainda são aqueles velhos penduricalhos que devem ser aperfeiçoados. Melhor deve ser retirado através da reforma política séria; algo longe de ser realizado.

A extrema-direita rapidamente se uniu.

 

Notaram bem como os partidos retrógrados são diferentes e não pensam iguais? A extrema-direita tem seus projetos políticos, que são verdadeiras incógnitas; ninguém sabe realmente o que trazem em seu bojo, para fazer recuar o desenvolvimento do Brasil. Todos correm os riscos de até abortarem a democracia brasileira, construída com muita luta, sangue e mortes, de muitas pessoas que deram suas vidas pela soberania popular. Todos sacrificaram suas vidas nos anos de chumbo, visando um país melhor e mais justo.

 Além disso, contam com um reforço muito estranho da mídia unida golpista brasileira. Ela tem a clara intenção de interferir nas decisões do povo, subestimando a inteligência da população, que não depende desta mídia mal-intencionada, para formar suas opiniões e deliberações. Aqui eles não somam, porque o povo tem uma percepção, veloz e não compactuam com estas armadilhas dessa gente.

Eles querem ver o nosso país retroceder, eles se uniram rapidamente, certamente em troca da repetição de cargos e favores. Um grande golpe midiático se formou em milésimos de segundos visando interferir na vontade do povo, os brasileiros devem estar atentos a esta situação perigosa para a democracia.

 

As diferenças de apoio entre as duas candidaturas.

 

Todos podem perceber que a outra candidatura está praticamente isolada concorrendo sozinha, mas com força total e a garra da militância que trabalha “sem medo de ser feliz”. Aqui há uma grande diferença, entre um concorrente e outro. Nesta se mostra a força de uma militância unida no Brasil inteiro, e não recebem dinheiro para fazer campanha. Fazem campanha por amor, tem orgulho de vestir camisa do partido, e especialmente dedicação ao Brasil. Ninguém tem vergonha de sair por todos os cantos; pelo contrário, tem alegria de fazer campanha seja nas ruas de casa em casa ou nas redes sociais. Todos dizendo um grande não a tudo que está aí sendo embrionado, na espera, do por vir perigoso do outro lado.

Existe um aventureiro perigoso nesta disputa presidencial.



A imagem nas cores do Brasil diz: eleições gerais 2014.
A população já percebeu que existe nesta concorrência um aventureiro querendo brincar de presidente da República. Na história recente da democracia deste país, surgiu um “salvador da pátria” na mesma formatação, apoiado pela grande imprensa. Naquele período conseguiram manipular e instigar o povo a votar, como estão querendo fazer hoje. Este aventureiro vem se apresentando um, o velho discurso da moralidade, mas esta casca moralista é imposta, colocada pela mídia manipuladora. Refresquem a memória; o fim deste governo do último administrador aventureiro foi um impedimento, um dos primeiros da história do nosso país contemporâneo.

 

A sorte eleitoral foi lançada, que vença o melhor.

Portanto, a sorte está lançada entre duas propostas e a população brasileira tem que se sentir livre, sem pressão para votar neste ou naquele candidato. Não devemos explicações nenhuma a chefe de partido. As alianças estão feitas, mas ainda assim os eleitores não estão presos a nenhuma destes acordos e muito menos às pressões da mídia poderosa brasileira, que tentam promover um golpe em nossa democracia.

Devemos estar atentos a qualquer manipulação da mídia para desviar o foco das eleições, transformado em golpe como já aconteceu recentemente no Brasil.

Esta mesma situação de denuncismo aconteceu, quando a mídia poderosa criou factoides mentirosos no período eleitoral para golpear o candidato que o povo queria. Todavia, a imprensa golpista não gostava e praticamente induziu a maioria dos eleitores a votarem num aventureiro. Ele quase quebrou o país, somente não foi possível, através do impeachment, mais recente e conhecido atualmente dos brasileiros.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O abc da mãe, para expressar, as suas qualidades.

As mães possuem suas qualidades no abc da vida.   A imagem diz o  abc da mãe  As mães, quantas qualidades elas possuem, desenvolvem e as colocam em prática, diariamente, vinte e quatro horas; durante uma vida inteira em prol dos seus filhos. Entretanto, dificilmente os filhos percebem e reconhecem esta árdua luta das mães e são gratos a elas. Observem neste singelo texto, quanto as progenitoras fazem para seus filhos.   Estes dons surgem desde quando ela engravida pela primeira vez dando à luz seus filhos (as). Elas no cotidiano colocam em prática através de sua consciência maternal todas suas qualidades de mães para a proteção, provisão e educação dos filhos. O mais estranho e ingrato é que poucos filhos reconhecem a importância da sua mãe enquanto estão juntos. Muitos somente irão reconhecer e lamentar a sua real importância quando elas morrem. Os filhos deveriam observar e valorizar as qualidades da mãe.   Neste simples abc da mãe, todos os filhos deveriam sempre obser

Você já rotulou alguém de burro?

Essa atitude é preconceituosa, ela  ferirá o sentimento de outrem e ruim para o convívio social. A expressão Burro comprova o preconceito  entre as pessoas.  Quando alguém utiliza este vocábulo burro para qualificar outrem, somente vem comprovar como muitas pessoas têm uma mentalidade maldosa, preconceituosa e intolerante em relação aos seus semelhantes. É inaceitável como é usado no Brasil o termo “burro” entre as pessoas. Muitos usam de maneira intencional para ofender covardemente os seus semelhantes. Alguns humanos a utilizam de maneira maldosa, preconceituosa e ofensiva. Isso vem ocorrendo desde o início da colonização até os dias atuais.

Candeeiro ou lamparina antiga, mas muito usado no Brasil.

O candeeiro fez parte da vida do povo nos tempos remotos e na atualidade. Sem luz se usa o candeeiro. Candeeiro é a lamparina , artefato antiquíssimo composta sobre duas partes simples. A sua base é feita de lata comum. Um desenho simplório num formato de uma pirâmide. No topo desta pirâmide usa-se pavio de fabricado de algodão. Ele é umedecido com querosene, que é colocado na parte de baixo, como podemos observar tem uma forma redonda, mas como base piramidal. Este utensílio domestica há muitos anos foram usados no país inteiro até chegar às primeiras transmissões de energia elétrica nas capitais e aos poucos foram se disseminado para o restante do país.