Pular para o conteúdo principal

Postagem recente.

Medo e o poder nas perspectivas filosófica e política de Maquiavel.

Buscar a Governança Ideal entre Medo e Liderança. Nicolau Maquiavel. Créditoda  foto: Wikipédia  Desde os tempos antigos, a filosofia e a política têm sido intrinsecamente ligadas na busca pelo entendimento da governança ideal. A natureza do poder e a influência das emoções humanas sobre ele são temas centrais que atravessam o pensamento político.  O medo, em particular, tem sido um tópico de grande interesse, por ser uma força motriz poderosa que pode moldar não apenas indivíduos, mas também sociedades inteiras.  Através da lente da filosofia política, podemos examinar como o medo é empregado pelos governantes e as implicações morais que acompanham seu uso. Inspirando-nos nas reflexões de Maquiavel, um dos mais notáveis pensadores políticos, exploraremos como o medo pode ser uma ferramenta de controle e o que isso revela sobre a natureza da autoridade e da obediência. O Medo e o Governante: Uma Análise Inspirada em Maquiavel Maquiavel, com sua visão astuta sobre a natureza do poder, v

O professor o mais nobre profissional e menos valorizado.

O professor forma todos os outros profissionais, mas é o menos valorizado.


A imagem de fundo azul e caracteres nas cores amarelas está inscrito: O professor forma todos os outros profissionais.
O professor forma todos os outros profissionais.


Todos os outros profissionais também são nobres e dignos de exercerem suas magníficas profissões. Entretanto, o mestre forma os demais profissionais de todas as áreas do conhecimento humano. Inclusive antes de ser professor passou pelo crivo de muitos professores. 


Leia mais: A analogia entre a maçã e o professor.


Todos os profissionais e suas profissões são dignos de respeito e valorização em todos os sentidos. Contudo, entre todos os outros profissionais e suas profissões existe uma desvalorização crescente em relação ao professor. Existe uma enorme diferença entre todos os profissionais, o professor nunca foi e jamais será valorizado em nosso país. Talvez em outros países o professor seja respeitado e valorizado, mas aqui no Brasil, este é o profissional mais desprezível aos olhos dos governantes.


Note como o governador negocia com seus professores.


Preste bem atenção! Entra e sai governo, mas a situação dos mestres é fato de decadência e excessivamente preocupante. Cada década em vez dos governos valorizarem este herói educador e construtor de uma sociedade pensante, eles os humilham. Os governantes de todas as esferas procuram eliminar o profissional e sua profissão a contas gotas, através do cansaço, da sobrecarga de trabalho, da violência, do desrespeito, e da desvalorização, concede uma remuneração ínfima que faz chegar o ridículo. Faz levar muitos a abandonarem a carreira profissional enquanto cedo, para não adoecerem pelo excesso de pressão no trabalho e sem pagamento digno que venha recompensar ao seu esforço e suas energias gastas.


Os governos em vez de somar, retiram os direitos dos educadores.


Eles começam a eliminar os direitos que foram conquistados há muitos anos à base de muitas lutas. Tudo em nome da contenção de despesas, que é uma tremenda falácia para envolver a sociedade contra os professores. 


Leia mais: Os professores têm seus direitos desrespeitados.


No entanto, desta forma estes governos vão tirando uma a uma, as conquistas históricas do magistério. Através dos projetos de leis fatídicas que mudam a favor do governo e prejudicam terrivelmente os educadores. Contudo, sendo assim, deixam os desprovidos de seus salários já medíocres, injustos e incapazes de promover também uma vida com qualidade equivalente à sua formação de educadores.


Pensem bem! Além dos trabalhadores da educação no Brasil, além de serem desrespeitados em seus direitos trabalhistas pelos governos municipais, estaduais e federais. Os educadores são desrespeitados em sala de aula pelos alunos onde já chegam a casos extremos. A violência nas escolas é um dos elementos atualmente presente e em expansão nas salas de aulas. Em muitos casos os próprios alunos ameaçam seus professores de todas as formas de violência que é uma coisa absurda.


A violência contra o professor é absurda.


É lamentável, entretanto, que existam muitos governadores que em vez de usarem o diálogo para negociar, utilizam rápida e covardemente a força policial para reprimir violentamente os docentes, que lutam pelos seus direitos e reajustes salariais. 


Leia mais: A educação foi manchada de sangue na pátria educadora.


Contudo, no país são comuns policiais nas manifestações dos docentes baterem covardemente nos professores, a mando dos seus chefes. Somente porque reivindicam melhores salários e condições de trabalho dignas nas escolas. Há muitos exemplos destas situações repudiáveis. Geralmente isso acontece quando os mestres entram em greve como o último recurso legal e extremo para reivindicarem melhores salários. Entretanto, os governadores respondem com violência brutal. A educação nunca será bem-vista pelos governos, pois existe o professor que ensina a pensar e ser cidadão correto.


O professor ensina os alunos a pensarem, os governos se tornam inimigos da educação.

Portanto, estes relatos mostram que o profissional que educa e forma todos os outros profissionais não são respeitados e nem valorizados em nosso país. É uma vergonha nacional. Mais uma vez estas atitudes somente vêm a comprovar que a educação nunca foi e nunca será valorizada no Brasil.

Contudo, essa triste realidade iniciou desde os tempos coloniais e vem se aprofundando na atualidade de maneira desordenada pelos gestores do sistema educacional.

No entanto, pode-se analisar cuidadosamente a história e constatar que os governos brasileiros preferem sempre uma população que não pense! O professor ensina o aluno desde as séries iniciais até a universidade a pensar e ser cidadão que reivindica seus direitos.


Leia mais: Educação a vedete dos políticos.


Todavia, professor e educação para governos nunca será nada bom para eles, é algo que atrapalha suas administrações tortas. O professor que ensina o aluno a pensar é considerado elemento pensante e perigoso para estes entes que estão no poder com outros objetivos contrários à sociedade.

Todavia o professor nunca será visto com bons olhos para quem está no poder, se simplesmente dependesse deles eliminaria o Ministério da Educação e somente permaneceria com o do Trabalho.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Candeeiro ou lamparina antiga, mas muito usado no Brasil.

O candeeiro fez parte da vida do povo nos tempos remotos e na atualidade.   Sem luz se usa o candeeiro. Candeeiro é a lamparina, artefato antiquíssimo, composta por duas partes simples. A sua base é feita de lata comum. Pode-se observar que é um desenho simplório, num formato de uma pirâmide. No topo desta pirâmide usa-se pavio de fabricado de algodão. Ele é umedecido com querosene, que é colocado na parte de baixo, como podemos observar tem uma forma redonda, mas como base piramidal.

O abc da mãe, para expressar, as suas qualidades.

As mães possuem suas qualidades no abc da vida.   A imagem diz o  abc da mãe  As mães, quantas qualidades elas possuem, desenvolvem e as colocam em prática, diariamente, vinte e quatro horas; durante uma vida inteira em prol dos seus filhos. Entretanto, dificilmente os filhos percebem e reconhecem esta árdua luta das mães e são gratos a elas. Observem neste singelo texto, quanto as progenitoras fazem para seus filhos.   Estes dons surgem desde quando ela engravida pela primeira vez dando à luz seus filhos (as). Elas no cotidiano colocam em prática através de sua consciência maternal todas suas qualidades de mães para a proteção, provisão e educação dos filhos. O mais estranho e ingrato é que poucos filhos reconhecem a importância da sua mãe enquanto estão juntos. Muitos somente irão reconhecer e lamentar a sua real importância quando elas morrem. Os filhos deveriam observar e valorizar as qualidades da mãe.   Neste simples abc da mãe, todos os filhos deveriam sempre obser

Você já rotulou alguém de burro?

Essa atitude é preconceituosa, ela  ferirá o sentimento de outrem e ruim para o convívio social. A expressão Burro comprova o preconceito  entre as pessoas.  Quando alguém utiliza este vocábulo burro para qualificar outrem, somente vem comprovar como muitas pessoas têm uma mentalidade maldosa, preconceituosa e intolerante em relação aos seus semelhantes. É inaceitável como é usado no Brasil o termo “burro” entre as pessoas. Muitos usam de maneira intencional para ofender covardemente os seus semelhantes. Alguns humanos a utilizam de maneira maldosa, preconceituosa e ofensiva. Isso vem ocorrendo desde o início da colonização até os dias atuais.