Pular para o conteúdo principal

As obras de arte são patrimônios da humanidade.

As obras de arte são expressões sublimes do homem.
 

A foto mostra o quadro de arte o Abaporu de Tarsila do Amaral.
Abaporu é uma pintura a óleo da artista brasileira Tarsila do Amaral. 


O mundo das artes é esplendoroso e abrange praticamente umas das imensidões de produções do que há de mais nobre que habita no íntimo do ser de cada homem. Todo artista expressa esta sensibilidade estética, em suas produções, cada um desenvolve este talento que está adormecido em seu cerne expondo em obras únicas que jamais podem ser trasladadas.

Este despertar acontece em um milésimo de segundos de inspiração do autêntico artista, neste instante começa a nascer uma criação que poderá entrar para a galeria universal das artes.

A origem do vocábulo, arte vem do latim.

 

O termo arte vem do latim (a = produção, habilidade, artista) + a expressão, grego (tékne = criação, poética) traduzindo para uma linguagem popular: destreza é o princípio criativo ou aptidão humana de concepção estética inigualável.

As obras de arte deveriam ser proibidas, alguém as tê-las como patrimônio, exclusivas.

 

Contudo, as obras de artes nunca poderiam ser acervos exclusivos do homem egoísta e capitalista, mas deveriam ser patrimônio público da humanidade, porque elas contam no tempo e espaço a trajetória histórica e social das nações. A partir desse princípio todas elas deveriam estar a serviço do interesse público e não de algumas pessoas que as guardam em seus cofres particulares para olharem e massagear seus egos, doentio.

A dificuldade de conceituar a arte.


A foto mostra o quadro do Cubismo: A temática não foi necessariamente a mulher e nem a nudez.
A foto mostra o quadro do Cubismo.

Neste sentido se pode perceber a grande dificuldade de se conceituar a palavra arte. Ela acarreta a si mesma, um infinito leque de possibilidades de criações artísticas, que abrange várias atividades humanas e estéticas que geram a cultura universal. A arte como umdos ramos de estudo da filosofia, se transforma em um amplo campo de estudos e investigações, que cientificamente testificam a autenticidade dos criadores e suas obras artísticas. Tudo isto, para que todos possam conhecer e compreender o trabalho do homem artístico, criador e escritor em suas obras, a história do seu tempo. Este elegante trabalho do belo, no futuro serve para outras gerações pertinentes à estética, conseguirem desvendar e compreender os fatos históricos de um período determinado.

A arte é volúvel e acompanha os acontecimentos históricos de quaisquer nação e época, porque tudo é criado de formas enigmáticas, nas produções artísticas e fidedignas. Não obstante, o próprio termo arte em si mesma possui em sua raiz, uma complexidade para se criar uma última definição, mas venha atender em plenitude um conceito amplo, que não seja estático em definitivo. Contudo, seja aberto para que as gerações possam usufruir, ampliar e atualizar.

O entendimento a partir do olhar da Filosofia.


A compreensão que geralmente se tem da arte do ponto de vista filosófico é que ela se refere a todos os trabalhos humanos têm como referência a estética. Evidentemente, é fundamental ter em mente a consciência, de que a arte envolve um conjunto de ações humanas concretas, pelas quais são expressas de forma artística dentro de um contexto histórico e social, na qual, cada obra contém sua identificação singular. Entre as amplas e diversas áreas de atividades dos seres humanos podem aludir tais como cinema, a música, a pintura, o teatro, a escrita e tantas ofícios, artísticas que o homem produz dentro do seu tempo histórico e lugar. Uma genuína expressão de sua sensibilidade estética estabelecendo uma sintonia na comunicação do artista para que os outros humanos possam contemplar e apreciar as produções artísticas.

 

As obras de arte não deveriam ser particulares, mas públicas.

 

A foto mostra o quadro de arte a Moraliza de Leonardo Vinci. Mona Lisa é um óleo sobre madeira pintado pelo renascentista italiano Leonardo da Vinci entre os anos 1503 e 1506.
A foto mostra o quadro de arte a Moraliza de Leonardo Vinci. 


Portanto, a arte humana é esta e perfeitas, e grandiosas expressões da verdadeira essência dos homens em suas magníficas criações. Quando uma produção humana é qualificada de bela, receberá o conceito universal de arte. Todavia, a arte é esta expressão sublime do ser humano e não pode se desvanecer no tempo. Ela transcende e se perpetua nas eras de geração para geração. Esta produção deixa de ser uma propriedade particular do artista; evade ao controle do criador ultrapassando os limites de origem; vai além de suas meras adjacências, tomam contextos universais e chegam a ser patrimônio da humanidade.

Os legítimos símbolos da humanidade se identificar são artes.

 


Transforma-se em reais ícones culturais da humanidade e de valores incomensuráveis. Contudo, as obras de artes não poderiam ser de um único dono, para satisfazer seu ego e aumentar o patrimônio financeiro, mas todas deveriam pertencer à coletividade mundial. A obra de arte trancada em inacessíveis cofres fortes para proteger as coleções particulares; perdem sua essência e função majestosa, que é de ensinar e reconstruir a história dos povos e sua cultura. As obras de artes devem ser protegidas sim pelo poder público de cada nação para que elas sejam patrimônios coletivos, nos museus apropriados, onde todas as pessoas possam ter acesso e admirá-las. Aqui sim, elas exercem a nobre missão pública de transmitirem para a humanidade o seu legado histórico e cultural para todos. 👍

Comentários

  1. Obras de arte retratam uma época da vida em sociedade .
    Relatam uma história do mundo em uma imagem .
    Excelente publicação

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As obras de arte é história da humanidade escrita sob a sensibilidade de carda artista. Eles gravam nas telas aspectos fundamentais de todas as épocas e que geralmente os historiadores em seus manuais e tratados não conseguem escrever. Mas os artistas vão além das letras e nas pinturas revelam o que passou desapercebido pelos mestres da história.

      Excluir

Postar um comentário

Por gentileza deixe seu comentário é muito importante para nosso trabalho.

Postagens mais visitadas deste blog

O abc da mãe, para expressar, as suas qualidades.

As mães possuem suas qualidades no abc da vida.   A imagem diz o  abc da mãe  As mães, quantas qualidades elas possuem, desenvolvem e as colocam em prática, diariamente, vinte e quatro horas; durante uma vida inteira em prol dos seus filhos. Entretanto, dificilmente os filhos percebem e reconhecem esta árdua luta das mães e são gratos a elas. Observem neste singelo texto, quanto as progenitoras fazem para seus filhos.   Estes dons surgem desde quando ela engravida pela primeira vez dando à luz seus filhos (as). Elas no cotidiano colocam em prática através de sua consciência maternal todas suas qualidades de mães para a proteção, provisão e educação dos filhos. O mais estranho e ingrato é que poucos filhos reconhecem a importância da sua mãe enquanto estão juntos. Muitos somente irão reconhecer e lamentar a sua real importância quando elas morrem. Os filhos deveriam observar e valorizar as qualidades da mãe.   Neste simples abc da mãe, todos os filhos deveriam sempre obser

Você já rotulou alguém de burro?

Essa atitude é preconceituosa, ela  ferirá o sentimento de outrem e ruim para o convívio social. A expressão Burro comprova o preconceito  entre as pessoas.  Quando alguém utiliza este vocábulo burro para qualificar outrem, somente vem comprovar como muitas pessoas têm uma mentalidade maldosa, preconceituosa e intolerante em relação aos seus semelhantes. É inaceitável como é usado no Brasil o termo “burro” entre as pessoas. Muitos usam de maneira intencional para ofender covardemente os seus semelhantes. Alguns humanos a utilizam de maneira maldosa, preconceituosa e ofensiva. Isso vem ocorrendo desde o início da colonização até os dias atuais.

Candeeiro ou lamparina antiga, mas muito usado no Brasil.

O candeeiro fez parte da vida do povo nos tempos remotos e na atualidade. Sem luz se usa o candeeiro. Candeeiro é a lamparina , artefato antiquíssimo composta sobre duas partes simples. A sua base é feita de lata comum. Um desenho simplório num formato de uma pirâmide. No topo desta pirâmide usa-se pavio de fabricado de algodão. Ele é umedecido com querosene, que é colocado na parte de baixo, como podemos observar tem uma forma redonda, mas como base piramidal. Este utensílio domestica há muitos anos foram usados no país inteiro até chegar às primeiras transmissões de energia elétrica nas capitais e aos poucos foram se disseminado para o restante do país.