Pular para o conteúdo principal

Postagem recente.

Atenção! Preparem o bolso vazio, para pagar a luz.

Enquanto ninguém tem reajuste salarial, mas a energia encarece. A foto mostra o poste de transmissão de energia elétrica  O último índice médio de preços das tarifas da luz elétrica será de 7,32%. A antiga (antiga porque será privatizada em breve ) CEEE-D  abastece 1,716 milhão de unidades consumidoras. O setor Que se compreende as residências, comércio, área rural e iluminação pública, terá alta de 8,32. O setor industrial que está em rede de alta tensão terá aumento de 5,24%, Tudo sob  as bênçãos da (ANEEl) Agência Nacional de Energia Elétrica. É incrível! parece piada, mas é a realidade, antes fosse. A partir do  próximo domingo 22/20 os consumidores da CEEE pagarão mais caro a energia elétrica, será um reajuste de 7,32%. Porém enquanto isso ninguém tem reajuste salarial há muitos anos e especialmente agora, nesta crise econômica e turbinada com a força da pandemia da covid-19. 

Negócios antigos, falou se cumpria, hoje nem os contratos são honrados.


Antigamente o valor da palavra falada era respeitada.

A imagem de fundo azul e caracteres em amarelo dourado diz:as palavras faladas e escritas deveriam terem o mesmo valor de honra!
As palavras faladas e escritas deveriam terem o mesmo poder de honra!
Havia uma época em que o valor da palavra falada entre as pessoas era irrevogável. Atualmente nem os rígidos contratos são honrados plenamente. Semelhante ao valor da honra. Após concluir uma venda ou uma compra o combinado de boca era definitivo. Não existiam contratos registrados em cartórios na presença de testemunhas para validar qualquer negócio.

O que realmente prevalecia era a palavra dada ou falada. Na grande maioria das negociações o que entrava em cena, honrar a palavra combinada entre as partes é algo sério e irrevogável. Atualmente nem os rígidos contratos são honrados plenamente. Semelhante ao valor da honra. Após concluir uma venda ou uma compra o combinado de boca era definitivo. Não existiam contratos registrados em cartórios na presença de testemunhas para validar qualquer negócio. O que realmente prevalecia era a palavra dada ou falada. Na grande maioria das negociações o que entrava em cena, honrar a palavra combinada entre as partes.
Como tudo há exceções, muitos descumpriam com a palavra combinada, automaticamente uma das partes arcava com os prejuízos, e o calote.  Surgiu então à necessidade de os contratos serem redigidos por advogados, tudo conforme manda a lei. Para garantir os direitos, os deveres, proteger a todos.



Inclusive no Brasil foi elaborado o código do consumidor. Sancionada como a lei de nº 8.078 de 11 de setembro de 1990. É fundamental que todos os brasileiros leiam atentamente esta lei, para saber utilizar, no momento, de quaisquer negócios e que possam saber dos seus direitos e deveres para os colocar em prática nas eventuais divergências comerciais. Esta realidade onde o valor da palavra predominava era mais entre as pessoas humildes que honravam o que falavam, mantinham o respeito e a vergonha na cara. Infelizmente este sistema da palavra de honra, entre os grandes nunca deu certo não mais funcionará. Entre os poderosos jorra muito dinheiro. O dinheiro geralmente corrompe as pessoas sem caráter. Estes roubam um milhão como se rouba um centavo. Entretanto, para as pessoas honestas, os valores são os mesmos. Ela não cobrará nenhum valor por quer à consciência sofrerá igualmente. Não importa o valor o peso da dor é igual ou maior; tanto para um centavo quanto para um milhão de reais.  O desonesto, isso não o interfere em sua consciência. Tanto faz roubar um centavo ou poder roubar um milhão como se tudo fosse algo igual e natural. Agora imagine fazer algum tipo de negócio com um cidadão de uma estirpe dessas! É prejuízo anunciado urgente.

O valor da palavra perdeu-se no olho do furacão da desonestidade generalizada entre as pessoas. Hoje se você faz qualquer negócio seja de pequeno, médio ou de grande valor tudo deve ser conforme manda a lei. Tudo, necessária e obrigatoriamente devem ser documentadas em cartório, todas as páginas dos contratos rubricados, carimbados, e assinados pelas testemunhas presentes. É uma prevenção para um eventual litígio, para que se tenha provas documentais autenticadas para se fazer cumprir os contratos e aplicar as penalidades conforme as cláusulas lidas, concordadas e assinadas.

Atualmente o valor da palavra seja falada ou escrita não se cumpre mais.

A imagem diz: precatórios simplesmente sonhos.
Precatórios simplesmente sonhos!
Portanto, atualmente caiu por terra o valor da palavra falada em transações comerciais.  Convivemos na desconfiança de tudo e de todos. Ora! Os péssimos modelos de desonestidade vêm de quem deveria ser honesto, mas são os primeiros a darem maus exemplos, os políticos de todas as esferas governamentais brasileira. Quantos contratos são rompidos em todos os setores da sociedade? Quantas brigas judiciais existem por descumprimento de contratos de compras e vendas? Os tribunais estão abarrotados de processos aguardando solucionar problemas nas áreas de negócios onde ocorreu rompimento de uma das partes. Geralmente as grandes empresas são as campeãs dos descumprimentos dos contratos entre seus clientes. Exemplo: as concessionárias de telefonia, internet, energia, comércio em geral, as imobiliárias, construtoras, bancos e financeiras de cartões de créditos. Uma vergonha nacional.
No setor público existem milhões de processos dos servidores contra os governos municipais, estaduais e federais. Simplesmente deixaram de cumprirem com pagamentos dos precatórios e salários parcelados; neste setor existe uma injustiça vergonhosa. Pense bem, quando o cidadão tem uma dívida para qualquer esfera pública, a justiça manda uma intimação para quitar o débito dentro de um prazo máximo de 15 dias. O inverso da situação o público não tem prazo para quitar o débito com o cidadão. Os casos clássicos de injustiças dessa natureza são os precatórios, óbvio além de outros.

Muitos servidores chegam a falecer sem receber dos governos essa dívida. Eles não se preocupam em quitar a dívida com o servidor que tem direito a receber precatórios.   Infelizmente podemos chegar à conclusão que poucos honram o que disse. Isto é nem a palavra falada e nem a escrita em rígidos contratos são deveras cumpridas. Todavia muito cuidado no momento de selar qualquer negócio. Porque existem, muitas pessoas desonestas e golpistas no comércio e nos setores das administrações públicas. Quem podem lesar quaisquer cidadãos, que ainda confiam na boa fé, no momento de selar uma compra ou venda e poderá está a entrar num grande golpe e ir à falência. Todos os cuidados são poucos. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O abc da mãe e suas qualidades.

As mães e suas qualidades no seu abc. O abc da mãe e seus significado s As mães quantas qualidades elas possuem, desenvolvem e as colocam em prática, diariamente, vinte e quatro horas; durante uma vida inteira em prol dos seus filhos. Entretanto, dificilmente os filhos percebem e reconhece está árdua luta das mães e são gratos a elas.  Observem neste singelo texto, quanto as progenitoras fazem para seus filhos. Estes dons surgem desde quando ela engravida pela primeira vez dão à luz seus filhos (as). Elas no cotidiano colocam em prática através de sua consciência maternal todas suas qualidades de mães para a proteção, provisão e educação dos filhos. O mais estranho e ingrato é que poucos filhos reconhecem a importância da sua mãe enquanto estão juntos. Muitos somente irão reconhecer e se lamentaram a sua real importância quando elas morrem. Os filhos deveriam observar e valorizar as qualidades da mãe. Neste simples abc da mãe todos os filhos deveriam sempre observar as qualidade

Você já rotulou alguém de burro?

É uma atitude preconceituosa para ferir o sentimento de outrem e ruim para o convívio social. A expressão burro comprava o preconceito entre as pessoas.  Quando alguém utiliza este vocábulo burro para qualificar outrem, somente vem comprovar como muitas pessoas têm uma mentalidade maldosa, preconceituosa e intolerante em relação aos seus semelhantes. É inaceitável como é usado no Brasil o termo “burro” entre as pessoas. Muitos usam de maneira intencional para ofender covardemente os seus semelhantes.  Alguns humanos a utilizam de maneira maldosa, preconceituosa e ofensiva. Isso vem ocorrendo desde o início da colonização até os dias atuais.

Candeeiro ou lamparina antiga, mas muito usado no Brasil.

O candeeiro fez parte da vida do povo nos tempos remotos e na atualidade. Sem luz se usa o candeeiro. Candeeiro é a lamparina , artefato antiquíssimo composta sobre duas partes simples. A sua base é feita de lata comum. Um desenho simplório num formato de uma pirâmide. No topo desta pirâmide usa-se pavio de fabricado de algodão. Ele é umedecido com querosene, que é colocado na parte de baixo, como podemos observar tem uma forma redonda, mas como base piramidal. Este utensílio domestica há muitos anos foram usados no país inteiro até chegar às primeiras transmissões de energia elétrica nas capitais e aos poucos foram se disseminado para o restante do país.