Pular para o conteúdo principal

Embargos de infringentes mais uma pérola da corrupção brasileira.


Neste mais novo capítulo da história do mensalão brasileiro surgiu mais uma pérola linguística durante a polêmica do famoso “embargos de infringentes” um recurso jurídico que poderá mudar o rumo da história dos condenados pelo o maior escândalo de corrupção da atualidade politica brasileira.
A imagem diz:embargos de infringentes uma pérola do mensalão do Brasil.  

Curiosidades linguísticas da corrupção brasileira o que vem a ser isto? Neste mais novo capítulo da história da corrupção e especificamente do mensalão brasileiro surgiu mais uma pérola linguística própria do campo jurídico. Porém, durante o julgamento veio a público os famosos embargos de infringentes. É um dos recursos jurídicos que poderá mudar o rumo da história dos condenados pelo o maior escândalo de corrupção da atualidade política brasileira. Este recurso poderá gerar mais um novo julgamento dependendo do resultado das próximas sessões de julgamento no STF.

Através da decisão histórica que vai desempatar este imbróglio a favor ou contra dos condenados brotarão divisões e discussões jurídicas, ideológicas e partidárias em nosso país.  Não irei entrar no mérito da questão, pois não sou desta área jurídica, logo não tenho autoridade para tamanha responsabilidade. Apenas quero fazer uma reflexão da complexidade do estilo linguístico.  

Vamos conhecer de onde vem à origem desta frase: embargos de infringentes. São dois termos juntos que veem do latim. 1. Embargo do latim: “imbarricare”, que significa: gerar obstáculos, impedir que algo aconteça proteger a pessoa de violência ou truculência de autoridades, etc. 2. Infringir do latim: “Infringere” que traduzindo significa: desrespeitar, transgredir, violar um regulamento ou uma lei aplicada a todos.

Diante de toda esta complexidade etimológica desta frase jurídica podemos entender que: embargos infringentes é simplesmente um recurso aceitável versus conciliações não universais articulados pelos tribunais nas ações que dirigem a reapreciar as ações impugnadas pela parte recorrente previsto na lei processual.
O mundo jurídico é constituído praticamente por uma linguagem totalmente formal e técnica. Absolutamente bem distante da linguagem informal da população brasileira que fala o mesmo idioma o português. Portanto a atividade judicial não permite que se utilize nos processos uma linguagem acessível ao povo, mas se reforça da importância de confeccionar um processo judicial repleto dos termos de origem do latim ou do grego para se tornar uma peça processual de estilo linguístico elegante.  Para os advogados e juristas esta comunicação é uma normalidade, mas para a população é uma grande dificuldade em entender e compreender a linguagem formal e estilos linguísticos técnicos próprios. Cria um grande distanciamento entre a população e a justiça devido esta grande incompatibilidade de comunicação. Somente os peritos em direito decifram e os compreendem os termos mais exóticos que os profissionais da área jurídica usam para explicarem algo simples ao povo usando vocábulos desconhecidos do cotidiano popular. Muitos desses termos são simplesmente incompreensíveis para os leigos.  No Brasil é assim que é constituído um processo judicial.  Talvez nos outros países se utilizem uma linguagem acessível ao público, ou seja, fato existe mesmo esta complexidade linguística formando uma linguagem uniforme em todo mundo.  

http://www.aanaliseagora.com/
O cofre  cheio de dinheiro da corrupção do mensalão brasileiro.  

Para esclarecer estas complexidades entram em cena os profissionais da área. Então surge à necessidade da contratação de advogados para fazer uma defesa de um processo judicial como manda a lei. Pois estes são habilitados em universidades no curso de direito que o profissionalize como autoridade competente. Capacitando os conhecedores dos emaranhados das leis e termos indecifráveis para qualquer leigo. Entretanto, este profissional tem o dever de ser perito para defender seus clientes nos casos, que aos olhos e na razão do leigo parecem serem injustos e, sobretudo incompreensíveis.

Portanto, esta realidade na compreensão da linguagem jurídica é história e a população só se dar conta quando, estar para ser enfrentada uma situação de processo na justiça. E na medida em que vão recebendo uma simples intimação está deve ser levada ao seu advogado; em primeiro lugar, por quer é uma leitura incompreensível em segundo lugar, por quer o seu advogado tem a obrigação de ler, decifrar e explicar o que significa cada termo alheio à compreensão do cliente.

Outras situações onde permanece bem claro que a população não compreende a linguagem jurídica são nestes famosos e históricos casos de corrupção nacional ou outros casos que abalam a sociedade devida sua repercussão através dos julgamentos ao vivo pelos meios de comunicações sociais. São nestas situações que vão surgindo os termos, as pérolas exóticas que somente os profissionais da área compreendem e a maioria da população permanece a não entender nada. A não ser que haja alguma curiosidade ou interesse em compreender o que se fala, se discute nos grandes embates entre os advogados em um julgamento nos tribunais da justiça brasileira, muito corre para as pesquisas.  Do contrário permanece o dito pelo não dito.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A queima de fogos na virada do ano.

Queimar fogos de artifícios na acolhida do novo ano é linda, mas causa graves acidentes.As explosões dos fogos coloridos de artifícios no último dia e minutos do ano que está para ser encerrado tem seu auge exatamente as 23:59, quando der início a contagem regressiva para a chegada do novo ano.  É uma tradição que marca o advento do novo ano; ela é colorida, bonita e perigosa ao mesmo tempo, quando manipulada por imperícia, provoca sérios acidentes.  Ao longo dos anos vem aumentando o índice de acidentes graves durante a queima de fogos, geralmente por pessoas que não seguem as regras de segurança indicadas pelos fabricantes.

Você já rotulou alguém de burro?

Esta atitude é preconceituosa, machuca o sentimento de outrem, pare com isso.
Quando alguém utiliza este vocábulo burro para qualificar outrem, somente vem comprovar como muitas pessoas tem uma mentalidade maldosa, preconceituosa e intolerante em relação aos seus semelhantes. É inaceitável como é usado no Brasil o termo “burro” entre as pessoas. Muitos usam de maneira intencional para ofender covardemente os seus semelhantes.  Alguns humanos a utilizam de maneira maldosa, preconceituosa e ofensiva. Isso vem ocorrendo desde o início da colonização até os dias atuais.  Esta expressão preconceituosa já feriu e continua ferindo o sentimento de muita gente. Atualmente o preconceito vem sendo praticado de maneira escancarada, e com muito mais força, do que em outras épocas. A hostilidade entre as pessoas sempre existiu de forma velada no país, mas agora está passando dos limites nas redes sociais. Provavelmente em certos momentos da vida, alguém já o chamou de “burro”, na pura intenção de ofe…

A mídia golpista é cínica e mentirosa.

A mídia golpista brasileira é muitíssima cínica, manipuladora e mentirosa. Ela faz esforço colossal para afirmar e convencer a população que a crise econômica terminou. A nação passa o maior sufoco para sobreviver em meio a uma crise econômica sem precedentes na história recente do Brasil. Os golpistas conseguiram jogar o país num buraco sem fundo e certamente o próximo governo irá levar muitos anos para sair desse precipício econômico gerado pelo golpe parlamentar de 2016. O desemprego assola em todo o país, mas a mídia sinistra usa de palavras chaves, com tom agressivo de convencimento descabido, quando faz reportagens sobre este tema. Geralmente usam de chavões mentirosos, quando afirma: terminou a criseeconômica, agora o país voltou a crescer e gerar empregos em grande escala em todos os setores produtivos da cadeia econômica nacional.  

O alcoolismo é uma enfermidade destruidora do ser humano.

Os alcoólatras não surgem da noite para o dia, mas a partir dos contínuos goles das bebidas alcoolizadas.  Os pacientes alcoólatras necessariamente precisam reconhecerem que o alcoolismo é uma doença. Porém, esse é o primeiro passo para todos os alcoolistas sofredores, iniciarem uma longa caminhada rumo a sanar esta enfermidade; que atormentam as suas vidas. Todos os seres humanos padecedores, através do uso compulsivo do álcool, não se geram da noite para o dia, mas começam a se desenvolverem a partir de um processo embrionário lento. E comumente muito cedo na vida, especialmente, as fases da adolescência e   juventude que atravessam a maioridade; até o fim da vida.

Sorte não existe o que existe é oportunidade e competência.

Todos devem saber construir a sua história com competência.A vida é uma permanente construção, saber administrar as oportunidades que surgem para fazer uma construção sólida é uma questão de competência e não de sorte. Nenhuma pessoa pode deixar que as coisas possam acontecer através da sorte; algo simplesmente ilusório e inexistente. Ninguém jamais poderá prever o futuro, mas com absoluta certeza precisa planejar com antecedência e perfeição os próximos dias, meses e anos. Fazer esta árdua tarefa sempre; enquanto permanecer respirando fôlego de vida neste mundo. Principalmente numa comunidade de gente submergida em status social avarenta e egoísta. Para viver dignamente nesta sociedade materialista, consumista e competitiva é imprescindível que cada pessoa, seja agente provedor de sua própria história, construtor de seu futuro.

Natal focalizado no consumismo e distante do real sentido cristão.

O período natalino é especial para a reflexão e descobrir o verdadeiro sentido cristão.
O natal momento de reflexão ou simplesmente de consumoimpulsivo? O nascimento de Jesus é o maior mistério teológico da humanidade! Deus Soberano se fez humano e gerou-se no ventre de uma mulher Maria. Tudo para em breve nascer, derramar seu sangue santo em uma bruta cruz, morrer e ressuscitar gloriosamente, para salvar a humanidade da morte eterna; provocada através do pecado. Neste mistério está o legitimo sentido do natal para a humanidade cristã. E não no consumo descontrolado da sociedade contemporânea na época natalina. Mais uma vez o natal chegou sobre os sons das badaladas dos sinos do papai Noel. Anunciando mais uma celebração cristã que vem se perdendo seu legitimo sentido para o comércio e o consumo impetuoso todos os anos numa acelerada intensidade.

A família Barros no Brasil e no mundo.

APELO DESAFIADOR.
Após vários apelos de familiares, amigos, descendentes da Família Barros que pediram para pesquisar e escrever um artigo sobre as nossas raízes. Agora tomei coragem e assumi esta responsabilidade de fazer este trabalho. Uma missão desafiadora e ao mesmo tempo, muito interessante conhecer as nossas raízes. Em psicologia podemos entender esta busca do homem por sua identidade familiar. Faz parte do ser humano acalentar esta curiosidade de saber onde somos e de onde viemos e que estirpes saíram. Uma tarefa dificílima, mas aos poucos fui construindo esta trajetória histórica. Quero adiantar que é um trabalho de análise histórica genérica e não uma genealogia de uma única família específica. Por isso, considero incompleto este singelo trabalho, devido à grandiosidade desta família espalhada pelo o Brasil e o mundo, mas que pode ser aperfeiçoado através da colaboração dos leitores.

Favicon do blog analiseagora.

Todo blog necessita de uma identificação na web para melhor o público encontrar com facilidade. Esta é a favicon do blog analiseagora. Podem perceber que o título do mesmo, contém quatro letras repetidas [a] então resolvi personalizar como ícone do blog. Essa letra está na fonte Georgia na cor branca com o fundo azul escuro. Como o blog ainda está na sua fase inicial tudo é realizado às pressas e também de maneira simples, mas certamente o blog será reconhecido com muita facilidade pelos leitores quando realizarem suas buscas na internet.
Ainda que seja simples, mas foi criado com muito esmero e carinho a partir do meu conhecimento em design. Posso garantir ao meu público que me esforçarei para a curto prazo, criar uma outra favicon. Tudo terá novo visual, e seguramente deverá ser equivalente ou superior a altura do padrão de qualidade do blog analiseagora. Tudo para agradar a todos aqueles que aqui chegarem, e possam despertar seu interesse de permanecer por muito tempo pesquisando n…

O homem e seus vícios que os conduzem a humilhação.

Todos os homens carregam em sua essência o peso da desobediência com o Criador. O homem carrega em sua essência a natureza pecaminosa herdada desde a criação dos primeiros humanos Adão e Eva. Eles foram gerados, a imagem semelhança de Deus perfeitíssimo, mas infelizmente pecaram. Porém se travou na história humana uma luta feroz e constante contra o pecado. Através do pecado a história da humanidade mudou e desde aquela época até hoje, todos sofrem com as consequências da desobediência dos primeiros homens para com Seu Criador. Os humanos adquiriram vários vícios que os oprimem e os deixam em situações de humilhações e escravidões diante da família, amigos e a sociedade.   Tem muitos casos sem volta, outros, no entanto existem soluções quando os próprios viciados se conscientizarem dos seus estados doentios, mas   de livre e espontânea vontade procuram ajuda.

O abc da mãe e suas qualidades.

As mães e suas qualidades no seu abc. As mães quantas qualidades elas possuem, desenvolvem e as colocam em prática, diariamente, vinte e quatro horas; durante uma vida inteira em prol dos seus filhos. Entretanto, dificilmente os filhos percebem e reconhece está árdua luta das mães e são gratos a elas.  Observem neste singelo texto, quanto as progenitoras fazem para seus filhos.
Estes dons surgem desde quando ela engravida pela primeira vez dão à luz seus filhos (as). Elas no cotidiano colocam em prática através de sua consciência maternal todas suas qualidades de mães para a proteção, provisão e educação dos filhos. O mais estranho e ingrato é que poucos filhos reconhecem a importância da sua mãe enquanto estão juntos. Muitos somente irão reconhecer e se lamentarem a sua real importância quando elas morrem.