Ninguém está imune as catástrofes naturais

 CATÁSTROFES NATURAIS  DEIXA SUAS MARCAS PSICOLÓGICAS PARA SEMPRE.


foto do jornal NH


Tem situações na vida particular que são semelhantes à de muitas pessoas e por isso mesmo fica quase impossível não compartilhar. Lendo e ouvindo vários relatos de várias pessoas que foram vitimas desta tempestade que se abateu sobre o Estado do RS na semana que passou ou mais precisamente, nos últimos dias do mês de agosto de 2013.  Atingiu as regiões e as cidades dos vales banhadas pelos Rios dos Sinos, Cai, Gravataí, Paranhana, e taquari. Todos eles deixam um rastro de destruição e aproximadamente uma população de 17 mil desabrigados. Todas estas pessoas perderam tudo, as coisas que levaram anos para comprar e estão pagando prestações a perder de vista. Existem muitas casas a serem reconstruídas daqui para frente.  Além das sérias consequências psicológicas que surgirão e marcarão a vida desta população serão imprevisíveis e desesperadoras.

Apenas quem está vivendo ou já passou por uma situação real sabe de fato o que é perder todos os bens em minutos. Adquiridos a base de muitos esforços e permanecer no relento e desabrigado dependendo de solidariedade dos amigos e da sociedade. Contudo, todos devem agradecer a DEUS por terem saídos ilesos de uma situação de tempestade real. Ninguém neste mundo pode se considerar imune a qualquer momento ter de enfrentar situações semelhantes.

A partir de agora irei relatar uma situação real que aconteceu com minha família. Contudo, jamais com a intenção de fazer sensacionalismo longe disso, mas por ter vivido uma situação real e semelhante à de muitas pessoas da nossa região. Quem nunca passou por isto não sabe avaliar o tamanho da dor e do desespero que parece não ter fim.

 Previsão do tempo para o dia 19/02/2011


Segundo dados da Estação climatológica de Campo Bom-RS e INMET- RS, durante esta tarde do dia 19 de fevereiro de 2011. Aconteceram eventos climatológicos fortíssimo na cidade e demais região adjacentes: Rajadas de vento entre 62 e 74 km/h e fortes trovoadas de elevada precipitação acima do normal para um único período da tarde, foram medidos 26 mililitros, em uma hora de chuva severa.
Esta realidade aconteceu com minha família no dia 19 de fevereiro de 2011. As previsões meteorológicas para este dia para a região sul do Brasil, eram de tempo instável. Todos os indicadores meteorológicos confirmavam que naquela manhã seria de céu claro. Sinalizava trovoadas para o período da tarde e noite. Foi justamente o que ocorreu. Era um sábado, começou com um sol lindo e não demorou. O tempo começou a mudar, passou para um aumento brusco de temperatura forte e um abafamento insuportável, gerando pesadas nuvens de chuva naquela tarde de sábado. Por volta das 17 horas começou a chover forte e em torno das 18h30min desabou um muro sobre a nossa casa.

muro desmorona sobre mina casa em 19/02/2011,as fotos são do 23/02/11
A mesma quase ficou soterrada de lama, pedras, barro e água contaminada que descia do morro. No momento em que caiu o muro estava sozinho e na varanda da casa. Atentamente observava os clarões dos relâmpagos, ouvia estrondo dos trovões e olhava a chuva cair torrencial sem parar. Seguidamente ouço um estrondo marcante, era queda do muro sobre a nossa casa!  Ao voltar até a cozinha onde fica a divisa do imóvel separado pelo muro, o que havia era simplesmente era lama, água suja, pedaços de tijolos e pedras por toda a casa. Imediatamente liguei para os bombeiros orientaram-me a desligar a rede elétrica. Em seguida chegaram os bombeiros realizaram a vistoria na residência e deu à sentença, sua casa está interditada.  Existiam sérios riscos das outras casas dos vizinhos desabarem sobre a nossa.

A partir deste momento iniciava um grande drama que durou aproximadamente três meses. Imediatamente fomos acolhidos na casa da filha da minha esposa e passamos uma longa temporada na casa deles até tudo ser resolvido. Até hoje somos eternamente gratos a eles pela a acolhida. É impossível relatar todos os por menores desta situação por quer ficaria uma matéria extremamente extensa.

Porquanto, alguns fatos não dar para esquecer e nunca mais vão sair da minha memória. Entre eles, a solidariedade familiar e de vários amigos que nos ajudaram a limpar e lutar para reconstruir tudo. Agradecimentos eternos a todos. Não irei nominar amigos para não cometer injustiças. Fatos dramáticos acontecerem durante a busca para colocar em ordem as coisas. Neste intervalo da reconstrução, lembrei que pagava um seguro mensal associada à operadora de energia elétrica a AES-SUL que prometia a cobertura de um valor determinado em caso de sinistros naturais. Acionei na época o seguro e prontamente vieram os peritos da seguradora para fazer a perícia. 

Pedras que desbara sobre minha casa em 19/02/2011 

Depois de uns dias veio à conclusão da perícia, este tipo de sinistro não haveria cobertura, tal foi tanta a indignação que cancelei na hora o tal seguro ligado à operadora de energia elétrica. Isto que era descontado mensalmente na conta da luz. É bom as pessoas ficarem atentas a estes seguros que são puras falcatruas, fraudes mesmo, assumem os acordos e não cumprem. De tão exausto não procurei meus direitos na justiça. Reconheço que errei não ter buscado meus direitos. Recomendo que não façam isso corram atrás dos seus direitos como consumidores.

Esta situação levou muito tempo para ser resolvida até voltar habitar a nossa casa. Lembro que a garagem chegou a crescer uma vegetação rasteira, pois caíram paredes e entrou lama, barro e terra fértil que favoreceu o nascimento e crescimento de plantas. Depois de muito esforço de amigos e familiares conseguimos reconstruir e voltar ao “lar doce lar”, mas logo em seguida para completar o drama: ladroes entraram em nossa casa e levaram o que tinha salvado no dia do desmoronamento do muro sobre a casa. Até hoje permanece certo medo de que tudo pode acontecer outra vez e pensamos sempre que pode ser de grandes proporções.  Os fatores psicológicos não desaparecem de imediato. Muitas coisas permanecem bem ativas nos arquivos do cérebro: o som do estouro desabando, a casa alagada, os móveis encharcados, lama, pedras, paredes, caídas,corre,corre, sensação de abandono e desespero total. Ainda tenho pesadelos, insônia, e lembranças negativas. Por outro lado, já mais esquecerei a solidariedade, acolhida, as ajudas praticadas pelos amigos e os familiares.
 
logomarca do blog analiseagora.
Portanto, caro leitor do blog analiseagora afirmo como é dramático uma situação, provocada pela força da natureza.  Quem nunca viveu uma experiência concreta de enchentes, desmoronamentos de muro, sinistros naturais em gerais, sobre suas vidas.  Não faz mínima ideia da dimensão do drama, seus desdobramentos e reações como irritação, cansaço, frustrações e derrotas, etc.  
Eu entendo e compreendo perfeitamente o que estas pessoas estão passando e ainda irão passar devido a esta enchente que desabou sobre nossa região. Afirmo isto por experiência própria. A esperança que fica é que o tempo sana tudo, mesmo as piores dores e dificuldades que qualquer pessoa possa sofrer nesta vida. Permanecer vivo é o mais importante em qualquer circunstância. Também se aprende a ser melhor e tirar grandes lições, aprendizados nas dificuldades.   A vida é linda e continuar a viver é perfeito, para todos os dias, procurar ser uma pessoa melhor.