Pular para o conteúdo principal

Junho é o mês mais animado do Brasil.

No Brasil os meses de fevereiro e junho são os mais festivos entre a população.

 

O gifs mostra uma legitima fogueira  do Nordeste do Brasil queimando para animar a população das festas juninas as mais animadas do país.
O gifs mostra a fogueira junina.

Os meses mais animados no Brasil com as festas populares e folclóricas são, sem dúvidas, os meses de fevereiro, com o Carnaval e de junho; com a grande festa junina. A festa junina é mais conhecida no nosso país como uma festa popular caipira, que acontece em todas as regiões brasileiras, de acordo com suas tradições.

Naturalmente o Brasil é uma nação festiva, tem o carnaval em fevereiro e as festas juninas no mês de junho. No entanto, tem seus destaques de animação com as festas de São João em todo o Nordeste. Lá as festanças são singulares e somente para constatar essa realidade de animação, é indispensável ir conferir de perto. Contudo, é fato o encantamento que faz com que as pessoas do mundo inteiro que participam uma vez, voltarão sempre. 

Todos os estados organizam as festas. No entanto, os paraibanos e os pernambucanos fazem de tudo para fazer as melhores festas e consequentemente atrair mais turistas e a geração de emprego e renda para todos que estão envolvidos na preparação de todos os festejos deste mês alegre do país.

A origem da festa junina que anima o país em junho.

 

A festa junina tem suas procedências na Europa, contudo, não se tem uma data precisa, da sua origem, neste ponto alguns historiadores apontam para a Idade Média, porém, existem sérias divergências em relação a essa discussão.

No entanto, essas comemorações juninas, apontam para as personagens bíblicas Maria e Isabel. Contudo, são algumas dessas histórias apócrifas, as quais afirmam que Maria pediu a Isabel que a avisasse no dia do nascimento do seu Filho João Batista. No entanto, para isso, o único meio de comunicação da época, era fazer uma grande fogueira, ao acender subiria a fumaça até que Maria visse e assim; saberia que o Filho de Isabel teria nascido. Certamente é através desse viés lendário, que as festas juninas são tão maravilhosas nas decorações, são animadas e repletas de simbologias como as fogueiras, danças, bandeiras coloridas e comidas típicas. Características tradicionais para celebrar o nascimento da vida de uma criança, é mais uma existência que vem ao mundo para a alegria de todos os humanos.

 

As festas caipiras têm certa direção para a religiosidade.

 

É interessante que no meio de todas essas festanças da roça, as quais são realizadas tem um ar de religiosidade promovida através do catolicismo e uniu o útil ao agradável. Isto é, a Igreja organizou homenagens para os santos e para os fiéis católicos e lembrou de incluir os dos meses de maio e junho. O casamenteiro, o canonizado Antônio e São João e São Pedro como padroeiros desta época para a população. Contudo, é o período da farta colheita na agricultura e principalmente do milho entre o fim do outono e início do inverno. Isso quando não há secas, mas se chove em abundância a alegria dos agricultores é certa e todos ficam felizes ao verem os campos verdes e os reservatórios de água cheios para serem utilizados durante o verão. Resta agora somente os sertanejos festejarem em grande estilo e looks (modas) apropriados.

 

Não obstante, atualmente as festas juninas são, sim, uma gigantesca festa regional do Brasil. Com certeza é um folclore junino que está mais voltado para as suas origens do paganismo do que para o cristianismo. No entanto, é a festa da roça; mas hoje é citadina.

A festa caipira mais animada do Brasil é a junina.
 

Contudo, é melhor deixar as polêmicas de fora e se concentrar para analisar a festa junina caipira e folclórica do Nordeste. Ela está enraizada na cultura nacional. Todos ficam alvoroçados na chegada dos meses de maio e junho porque as festanças vêm juntos. A mídia, em geral, dá uma ênfase espetacular aos eventos juninos os quais têm espaços garantidos no calendário das festas regionais e populares brasileiras. As escolas de todo o país fazem suas festas bem-humoradas com seus alunos, professores e pais.

A dança da quadrilha no arraiá.



No entanto, o auge de tudo ocorre mesmo na Região Nordeste. Nas festas típicas se destacam os personagens principais do alegado casamento caipira. Neste simbólico evento tem o padre todo vestido ao estilo do campo. Os noivos, as testemunhas, com seus trajes à moda caipira compõe a cerimônia casamenteira. Geralmente as mulheres trajam os seus belos vestidos, os quais são produzidos com um tecido especial para este evento notável, eles são coloridos e com flores nas estampas. As mulheres usam a maquiagem singular para representar fielmente a mulher da roça.

O homem caipira, nesta época do ano é muito bem representado como personagens especiais, eles vestem suas camisas e calças compradas nas lojas que revendem das fábricas o típico tecido de xadrez. Nunca poderá se esquecer do maravilhoso chapéu produzido de palhas. Eles são símbolos especiais da roça. Hoje, geralmente tem fábricas especializadas na produção de chapéus de palhas de palmeira, babaçu, palha de trigo, de feno e atualmente de polipropileno, tudo para representar fielmente o homem do campo.

A maquiagem do homem para o momento do casamento é a base preta para dar a impressão que está sujo do trabalho pesado da roça. Muitos pintam os dentes de carvão para mostrar que estão banguelos e precisam de tratamentos.

No conjunto dos trajes tanto femininos, quanto masculinos, os personagens caipiras ficam maravilhosamente bem para o casamento caipira e principalmente para dançar a quadrilha, trajados como manda a tradição junina.

A farta gastronomia e ritmos musicais são únicos nos festejos juninos.

 

A foto mostra uma mesa com uma farta variedade de pratos a base de milho para matar a fome das pessoas que vão dançar no arraiá ou em nas casas das famílias.
 A gastronomia das festas juninas do Brasil.

A gastronomia farta é a base de milho, como pamonha, canjica, bolo, pipoca, cuscuz, depois, as bebidas, como: quentão, vinho, cachaça, milho cozido e assado na brasa da fogueira, pé-de-moleque, rapadura de amendoim. No Sul do Brasil, tem é o pinhão (sementes de araucária cozida), arroz-doce, nega maluca e o caldo de mocotó.

As festas dos meses de maio e junho são inigualáveis na alegria de observar o povo feliz e dançar com muita ginga do ritmo dos sanfoneiros. No entanto, dificilmente alguém poderá ficar parado sem se movimentar porque a alegria contagia a todos e todas as faixas etárias. Se vai para o arraiá, todos dançam e com muita disposição do mais moço ao idoso, todos movimentam o corpo ao som das músicas dançantes.

No entanto, segundo a história as tradições das festas juninas como a animada (quadrilha é uma dança) que possui uma alegoria linda. Elas são bem produzidas ano após ano, se preserva as raízes da roça e esse arrasta-pé tem suas origens aproximadamente no Século XIX. Todos os participantes sempre voltam a participar porque tem seu ritmo dançante animado e sempre obedece ao condutor da quadrilha folclórica no salão e pavilhões das festas juninas. Realmente o Nordeste é riquíssimo em sons e ritmos que se espraiam em todas as localidades e as grandes cidades das festas juninas do Brasil na região nordestina. Pode-se citar uma lista de danças que fazem a população dançar durante estes meses de animações. Entre tantos ritmos, os mais dançantes são o forró, o baião, o xaxado e o xote típico nordestino. Quaisquer tipos de dança fazem bem para a saúde porque mantém o corpo em movimento e certamente no fim dessas festas o físico estará em plena forma, é uma excelente tática para botar a correr da vida o sedentarismo ao ir dançar no arraiá do Nordeste do Brasil. Nunca esquecer do sanfoneiro e mestre da música regional, Luiz Gonzaga que é considerado a referência das músicas antigas ou de raiz e agora aprimoradas com novos ritmos que juntos fazem a alegria da população daquela região do forró junino.

 

Além da música, as festas juninas têm outros elementos importantes que compõem o conjunto do folclore nacional brasileiro.

O autêntico nordestino da roça, não deixa de produzir sua fogueira no mês de junho como se fosse uma espécie de ritual regional. Geralmente na roça ninguém pode deixar de fazer a sua para cumprir a tradição que valoriza os santos deste mês. Atualmente esse costume vem terminando porque falta lenha e depois quem mora na cidade há rede de transmissão de energia elétrica, que é desaconselhável fazer qualquer tipo de fogueira para evitar acidentes. No entanto, essa tradição ainda é forte na zona rural que existem condições para fazer a tradicional fogueira sem perigo e nas fazendas há lenha suficiente para construir de todos os tamanhos e gostos.

Antigamente se colocavam três varas bem na frente da casa, onde se pregava três bandeiras pequenas, para identificar e simbolizar os santos católicos a serem homenageados nesta época do ano, no Nordeste por ordens dos coronéis, abalizados pelas bênçãos eclesiásticas da região.

 

Devido ao desmatamento e o êxodo rural, o inchaço da população nas grandes cidades e devido à própria segurança, essa tradição vem caindo no esquecimento do imaginário popular.

No entanto, é importante lembrar para a população, habitantes das cidades, as quais recebem grandes números de turistas, que somente o poder municipal, são os responsáveis para produzir as fogueiras colossais. Elas são sempre construídas com todas as normas de segurança para evitar acidentes para com as pessoas e os visitantes. Neste período festivo, a Região Nordeste recebe turistas das demais regiões do Brasil e do mundo.

Os fogos de artifícios e os balões perigosos colorem as noites de junho.

 

O gifs mostra uma legitima fogueira das festas juninas na Região Nordeste do Brasil.
A fogueira  junina típica do Nordeste.

Outro elemento que faz as noites juninas mais coloridas, mais perigosas são os famosos e perigosos balões. São montados grandes grupos de balonistas, para construírem os maiores e coloridos balões para disputarem com outras equipes concorrentes, os campeões do perigo; são aqueles que constroem as enormes esferas e fazem subir o máximo. No entanto, é importante ressaltar que essa brincadeira ou entretenimento é perigosíssima. Muitos acidentes já ocorreram e poderão acontecer se essa atividade não for eliminada em definitivo pelas prefeituras municipais desta região alegre e feliz. Não permita que um balão estrague a alegria das festas juninas do Nordeste. É fundamental ser rigoroso com os teimosos que precisam ser responsabilizados pelos seus atos os quais são proibidos.

 

Muitos têm a infeliz ideia de insistir em soltar balões, atividade proibida e perigosa.


Nessa época havia muita queima de fogos de artifícios, hoje usam umas formosas pirotecnias produzidas e controladas por computadores.

Infelizmente nesta época do ano os hospitais recebem muitas pessoas feridas gravemente porque não sabem manusear os fogos de artifícios. Muitos estão bêbados e para se exibirem, vão estourar fogos e os famosos busca-pés e são nestas condições inconsequentes que ocorrem muitos acidentes gravíssimos. Há aqueles tipos de acidentes de grandes proporções que morrem pessoas porque estocam ilegalmente estes produtos perigosos em locais impróprios e ilegais. Aqueles que pensam em lucrar, muitas vezes têm grandes prejuízos porque infringem as leis de segurança pessoal e coletiva.

Contudo, é necessária e permanente, fiscalizações rigorosas através dos órgãos de segurança de cada município para evitar acidentes graves e fatais.

 

Conheça algumas brincadeiras juninas.

 

Essas brincadeiras são muitas e são recheadas de certa ingenuidade caipira, mas fazem a alegria do povo.

Exemplos: pular fogueiras sem ser atingido pelo fogo, geralmente os homens fazem para impressionar as mulheres.

O famoso pau-de-sebo é feito com uma viga de madeira. Ela tem aproximadamente nove a dez metros, toda ela é engraxada com sebo (gordura bovina) que dificulta a subida de todos os corajosos até o fim. Será o campeão, aquele quem conseguir chegar ao topo da viga. Ele ganha um prêmio e é reconhecido como o herói da brincadeira, geralmente é o ganhador é o rapaz de coragem, este gera a cobiça entre as moças, porque demonstrou sua bravura.

Existe uma saudável brincadeira entre os jovens nordestinos, entre eles, fazem uma espécie de presságios para descobrir (adivinhar) quem há possibilidades de namorar alguém. Evidentemente, se essa brincadeira se transformar em realidade o casamento dos nubentes, ocorrerá entre os meses de maio (mês das noivas) e junho, do ano seguinte, o das grandes festas do mundo no Brasil. Certamente o casal fará uma grande festança como os novos casais diante da fogueira.

O rapaz que andar descalços nas brasas da fogueira sem se queimar demonstra coragem e marca território e ganha popularidade entre as mulheres.

 

Os brasileiros adaptaram com excelência a tradição europeia nas festas juninas.

 

O gifs mostra uma legitima fogueira das festas juninas na Região Nordeste do Brasil.
Fogueira típica do Nordeste.


Portanto, as festas juninas no Brasil são bem divertidas devido aos traços culturais dos outros povos do continente europeu. Todavia, os brasileiros do seu jeito (caipira junino) souberam introduzir ao seu gosto todas essas brincadeiras caipiras originadas do outro lado do Oceano Atlântico.

Todavia, as gerações a seu tempo adaptam-se aos seus estilos presentes, da era digital, mas sempre conservam as principais características do (pessoal) da roça que tipificam a identidade do principal folclore junino do Brasil na Região Nordeste.

A nação brasileira tem o folclore riquíssimo do mundo. Todavia, são nestes meses de maio e junho que a população aproveita este momento certo para mostrar a criatividade sob todos os aspectos a serviço da alegria que está no imaginário popular e assim, poder animar os brasileiros e outros povos do mundo.

 

A economia nos setores turísticos e hotelarias crescem.

 

Nesta época as redes hoteleiras das principais cidades e capitais do nordeste do Brasil permanecem em lotação máxima de turistas vindos do país e do Mundo.

Há duas cidades da região, Caruaru e Campina Grande, essas duas disputam as capitais das festas juninas do Nordeste. A concorrência é grande e se mostra isso nos melhores hotéis e pousadas que ficam lotadas de turistas, vindos de todas as partes do mundo para se divertirem e apreciarem as maravilhas das culinárias, diversões, e as belas paisagens dos principais pontos turísticos.

Outro ponto característico é a hospitalidade do povo nordestino; é gente maravilhosa e feliz. É simplesmente amável ir lá nesta época do ano.

Comentários

  1. Dentre todas festas brasileiras ,as juninas estão entre as mais tipicas.
    Apesar de comemorarem os dias dos santos ,nunca vi igual no leste europeu .
    senti muita falta destas festas e dos quitutes .
    Excelente artigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu moro no Sul do Brasil aqui as festas juninas são totalmente diferentes das festas da Região Nordeste do Brasil. No Sul praticamente são as escolas que fazem essas comemorações juninas com os alunos, além disso quase nada ocorre de especial. Todavia, em período de férias já tive a oportunidade de participar dessas festas juninas ao vivo e a cores e de fato são muitíssimas divertidas. Músicas e culinárias típicas da região. Certamente se tudo ocorrer bem visitarei nas próximas férias de junho para curtir essa belíssima festa regional.

      Excluir

Postar um comentário

Por gentileza deixe seu comentário é muito importante para nosso trabalho.

Postagens mais visitadas deste blog

O abc da mãe, para expressar, as suas qualidades.

As mães possuem suas qualidades no abc da vida.   A imagem diz o  abc da mãe  As mães, quantas qualidades elas possuem, desenvolvem e as colocam em prática, diariamente, vinte e quatro horas; durante uma vida inteira em prol dos seus filhos. Entretanto, dificilmente os filhos percebem e reconhecem esta árdua luta das mães e são gratos a elas. Observem neste singelo texto, quanto as progenitoras fazem para seus filhos.   Estes dons surgem desde quando ela engravida pela primeira vez dando à luz seus filhos (as). Elas no cotidiano colocam em prática através de sua consciência maternal todas suas qualidades de mães para a proteção, provisão e educação dos filhos. O mais estranho e ingrato é que poucos filhos reconhecem a importância da sua mãe enquanto estão juntos. Muitos somente irão reconhecer e lamentar a sua real importância quando elas morrem. Os filhos deveriam observar e valorizar as qualidades da mãe.   Neste simples abc da mãe, todos os filhos deveriam sempre obser

Você já rotulou alguém de burro?

Essa atitude é preconceituosa, ela  ferirá o sentimento de outrem e ruim para o convívio social. A expressão Burro comprova o preconceito  entre as pessoas.  Quando alguém utiliza este vocábulo burro para qualificar outrem, somente vem comprovar como muitas pessoas têm uma mentalidade maldosa, preconceituosa e intolerante em relação aos seus semelhantes. É inaceitável como é usado no Brasil o termo “burro” entre as pessoas. Muitos usam de maneira intencional para ofender covardemente os seus semelhantes. Alguns humanos a utilizam de maneira maldosa, preconceituosa e ofensiva. Isso vem ocorrendo desde o início da colonização até os dias atuais.

Candeeiro ou lamparina antiga, mas muito usado no Brasil.

O candeeiro fez parte da vida do povo nos tempos remotos e na atualidade.   Sem luz se usa o candeeiro. Candeeiro é a lamparina, artefato antiquíssimo, composta por duas partes simples. A sua base é feita de lata comum. Pode-se observar que é um desenho simplório, num formato de uma pirâmide. No topo desta pirâmide usa-se pavio de fabricado de algodão. Ele é umedecido com querosene, que é colocado na parte de baixo, como podemos observar tem uma forma redonda, mas como base piramidal.