Pular para o conteúdo principal

Postagem recente.

A felicidade é efêmera no materialismo.

A ostentação transforma o homem carente de valores éticos e morais. O homem moderno é rico, vive na ostentação promovida com o materialismo, mas é pobre em valores éticos e morais e nunca o dinheiro poderá comprar. Nesta correria diária e frenética da vida moderna para buscar a sobrevivência, é imprescindível e interessante fazer algumas vezes momentos de paradas e iniciar uma reflexão para perceber o quanto o homem faz opção, mais pelo ter do que do ser. Atualmente existe uma pretensão fortíssima para a opulência materialista, que traz e promove uma espécie de felicidade efêmera. Consequentemente nascem necessidades insaciáveis para adquirir mais e mais coisas instigadas pelo consumismo sem limites. Fundamental também verificar que ao mesmo tempo o homem moderno é extremamente carente quanto aos valores morais e éticos, os subjetivos, são duradouros como paz, amor, felicidade, saúde e segurança, coisas que de modo nenhum; o dinheiro comprará.

O esplendor da marcha nupcial.

Os momentos de esplendores dos matrimônios são gerados através da marcha nupcial.

A imagem traz os símbolos musicais e   diz:a música no blog analiseagora.
A marcha nupcial é esplendorosa como música clássica e vem sempre a promover momentos triunfantes nos matrimônios de muitas gerações.
Todos sabem que a entrada da noiva é sem dúvida a chave glamorosa para todo o desdobramento do provir dos acontecimentos desse fato, singular e marcante para a noiva. É o momento culminante e esplendoroso de uma cerimônia matrimonial. Aqui se aflora todas as emoções dos noivos e dos convidados.
A curiosidade explode em cada pessoa presente para observar a chegada e o desfile triunfal da noiva sobre o tapete vermelho em direção ao altar. Todos os familiares, amigos e convidados esperam uma estrondosa e brilhante impressão positiva ou até mesmo negativa que a noiva pode causar por isso se explica o nervosismo geral do público.
Esta emoção impactante onde todos os olhos e holofotes estão voltados para a personagem principal, a futura casada que está com nervosismo em estado de efervescência.  E pelo fato que todos querem notar os mínimos detalhes do vestido, maquiagem, penteados e o buquê que traz em suas mãos que tem uma simbologia de propagação do casamento.  Este alvoroço inicial não haveria sentido se não houvesse um tema musical especial para conduzir a nubente para o altar profundamente emocionado ao som da marcha nupcial de Félix Mendelssohn.

A emoção da entrada da noiva para a cerimonia matrimonial somente é possível ao som da marcha nupcial.

Se não houvesse a música para emocionar a entrada da noiva este início cerimonial não teria sentido, pareceria ou se igualaria a um cinema mudo.  O ritual do casamento ganhou emoção quando foi introduzida esta peça musical conhecida como marcha nupcial de Felix Mendelssohn Bartholdy, graças ao bom gosto da Princesa Real inglesa; para seu matrimonio com o Príncipe da Prússia, Frederico III no dia 25 de janeiro de 1858. Desde aquela época se espalhou pelo mundo inteiro, certamente ainda é a mais popular e mais executada também nos casamentos brasileiros principalmente de âmbito católico. Outras denominações religiosas começam a substituir por outras músicas ou hinos que trazem uma mensagem específica de seus credos religiosos.

A trajetória histórica desconhecida da famosa marcha nupcial.

Geralmente tudo que temos e apreciamos em relação à música clássica tem uma história por trás dos bastidores que poucas pessoas sabem. Precisamente a marcha nupcial tem uma trajetória histórica interessante e desconhecida por uma grande parcela da população que a utilizam num momento muitíssimo especial da vida como o do casamento.
Entretanto, pelo fato de não saberem a história real desta música composta por Félix Mendelssohn para a peça teatral do genial William Shakespeare, “Sonho de uma Noite de Verão”, em 1842. Muita gente faz uma confusão incrível e imaginam uma coisa, mas historicamente é outra totalmente diferente.

Ela falta de conhecimento da história da música muitas pessoas confundem este belo musical até como sendo sacra. Simplesmente e somente pelo fato de ser executada em quase todas as cerimônias religiosas do casamento do mundo. Muitos fantasiam ser um clássico romântico; todavia, a própria peça em si mesma, pinta um quadro amoroso de forma cômica e trágica, além de trazer um panorama extremamente na ironia sobre o verdadeiro amor.

Quem já viu está maravilhosa peça de William Shakespeare onde “Lohengrin” uma ópera em que o noivo assassina cinco convidados do próprio matrimônio e, pouco depois, repudia a esposa, ela morre de depressão severa. Meditando no próprio som da peça, preste bem atenção que aparece no conjunto da obra que também é conhecida como suíte uma marcha de aspecto melancólico; que mostra muito claramente o quanto, William Shakespeare.

Queria passar para o público alguns dos dramas humanos.  É uma marcha que traduz um sentimento mais de tristeza do que de alegria para uma ocasião da vida onde a alegria deve sobrepor a tristeza sobre todos os aspectos. Ainda bem que as pessoas conseguem subtrair desta marcha nupcial mais um clima festivo e romântico do que a tristeza que é a mensagem que o autor quer transmitir para o público que assiste um sonho de uma noite de verão seja em forma de teatro, musical, Ballet ou filme.  É o gênero Shakespeariano sendo traduzido em arte em diversos pontos de vista. 

O blog analiseagora tem a honra de apresentar a emocionante peça clássica a marcha nupcial.

O violino acompanha a música clássica a Marcha Nupcial.
Portanto, neste espaço cultural a música no blog. Hoje o blog analiseagora tem a alegria de apresentar aos seus leitores, amigos e amigas, seguidores e seguidoras um pouco da história desta obra grandiosa de Felix Mendelssohn Bartholdy, muitíssima executada nos casamentos e que muitos de nós não conhecemos sua história, percebemos agora quanto é antiga, além de ter sido composta para outra finalidade para a peça teatral de Shakespeare, se popularizou nos laços matrimoniais de muita gente. 
O gênio da música clássica Félix Mendelssohn o ilustre alguém anterior a nós se empenhou para pensar, escrever, compor a partitura para que hoje pudéssemos usar na maior comodidade principalmente no esplendido momento do casamento, inesquecível na vida de duas pessoas que se amam.  A marcha nupcial uma música marcante na hora da celebração do matrimônio. Parece que se numa ocasião marcante como este não ter a marcha nupcial a cerimonia ficou faltando algo.
Então, vamos ouvir e apreciar esta obra clássica que vem se eternizando de geração para geração é a música arte fazendo sua função, escrevendo a própria história da humanidade. A música como arte não morre permanecendo sempre viva e conquistando muitos apreciadores por todos os cantos do Planeta terra. Nesta postagem através do YouTube, ouviremos e assistiremos dois vídeos: Marcha Nupcial de Félix Mendelssohn e o Ballet Sonho de uma noite de verão - Sala de Milão. 


 Marcha Nupcial, F. Mendelssohn 



 Ballet Sonho de uma noite de verão - Scalla de Milão


Comentários

  1. Respostas
    1. Muito obrigado pela visita ao nosso blog volte sempre!
      É, de fato a marcha nupcial é uma das grandes obras da música clássica, já foi e continua a ser tocada nas cerimonias dos casamentos de todas as gerações. É um dos itens indispensáveis neste momento tão importante na vida de um casal que se unem. A a marcha nupcial de Félix Mendelssohn inicia com todo o esplendor a abertura da cerimonia que marcará para sempre a história do casal e dos familiares e convidados.

      Excluir

Postar um comentário

Por gentileza deixe seu comentário é muito importante para nosso trabalho.

Postagens mais visitadas deste blog

O abc da mãe e suas qualidades.

As mães e suas qualidades no seu abc. As mães quantas qualidades elas possuem, desenvolvem e as colocam em prática, diariamente, vinte e quatro horas; durante uma vida inteira em prol dos seus filhos. Entretanto, dificilmente os filhos percebem e reconhece está árdua luta das mães e são gratos a elas.  Observem neste singelo texto, quanto as progenitoras fazem para seus filhos.
Estes dons surgem desde quando ela engravida pela primeira vez dão à luz seus filhos (as). Elas no cotidiano colocam em prática através de sua consciência maternal todas suas qualidades de mães para a proteção, provisão e educação dos filhos. O mais estranho e ingrato é que poucos filhos reconhecem a importância da sua mãe enquanto estão juntos. Muitos somente irão reconhecer e se lamentarem a sua real importância quando elas morrem.

Você já rotulou alguém de burro?

É uma atitude preconceituosa para ferir o sentimento de outrem e ruim para o convívio social.Quando alguém utiliza este vocábulo burro para qualificar outrem, somente vem comprovar como muitas pessoas tem uma mentalidade maldosa, preconceituosa e intolerante em relação aos seus semelhantes. É inaceitável como é usado no Brasil o termo “burro” entre as pessoas. Muitos usam de maneira intencional para ofender covardemente os seus semelhantes.  Alguns humanos a utilizam de maneira maldosa, preconceituosa e ofensiva. Isso vem ocorrendo desde o início da colonização até os dias atuais.

Candeeiro ou lamparina antiga, mas muito usado no Brasil.

O candeeiro fez parte da vida do povo nos tempos remotos e na atualidade. Candeeiro é a lamparina, artefato antiquíssimo composta sobre duas partes simples. A sua base é feita de lata comum. Um desenho simplório num formato de uma pirâmide. No topo desta pirâmide usa-se pavio de fabricado de algodão. Ele é umedecido com querosene, que é colocado na parte de baixo, como podemos observar tem uma forma redonda, mas como base piramidal.

Este utensílio domestica há muitos anos foram usados no país inteiro até chegar às primeiras transmissões de energia elétrica nas capitais e aos poucos foram se disseminado para o restante do país.