Pular para o conteúdo principal

A imprensa de antes combatia a ditadura, hoje parte da mídia vergonhosamente é golpista.

PESSOAS QUE IMPLORAM A VOLTA DA DITADURA, ESTÃO BRINCANDO COM FOGO VIOLENTO.O MAIS GRAVE, A MÍDIA GOLPISTA ESTA POR TRAZ DESSA INSANIDADE.

a ditadura já banhou o Brasil de sangue de inocentes


Esse grupo de pessoas mergulhados na inconformidade pela derrota das eleições 2014. Sãos os legítimos brasileiros sem noção. Nota-se evidentemente que estão sendo manipulados pela elite retrógrada que nasceram em berço de ouro e não conhece o que é sofrer. Ao lado dos políticos   da extrema direita da nossa sociedade querem a violência institucionalizada. Infelizmente eles   estão sendo forçados a pedirem a retomada dos militares ao poder. Estão brincando com fogo violento e perigosíssimo, não fazem ideia o que é viver em um regime criminoso como uma ditadura militar.

Excepcionalmente não sabem realmente do que estão pensando e exigindo. Estas pessoas definitivamente deixaram de participar das aulas de história do Brasil. São pessoas totalmente alienadas, insanas, que não sabe a crueldade dos algozes da última ditadura militar onde o país foi banhado em sangue dos milhares de inocentes. Que lutaram bravamente pela volta da democracia. Esta gente alucinada definitivamente não sabem o preço que custou ter o retorno da nossa democracia. Por isso, ficam dizendo asneira e suplicando pela ditadura militar ao poder. 

O país ainda não superou o trauma da violência pela qual muitos brasileiros foram vítimas. Estes insanos já estão sedentos por mais um período de brutalidade. O que estas pessoas têm nas suas cabeças? Cérebro enferrujados?  Ou elas não sabem que ainda existe muita gente desaparecida, até hoje não se sabe o paradeiro dos restos mortais.
As poucas pessoas que desejam serem governados por uma junta militar estão brincando com fogo. Elas nunca tiveram um familiar sequestrado, torturado, assassinado e o corpo consumido. Nunca tiveram seus lares invadidos pela polícia das forças armadas e ver seus familiares levados para nunca voltar. E quando alguém conseguiu voltar, chegou mutilado, e outras sequelas físicas e psicológicas irreversíveis. Resultados dos hores das torturas promovidas com todo o requinte de crueldade pelos algozes da ditadura.

Nunca viram a Constituição Federal ser rasgada junto   aos   direitos e garantias fundamentais da cidadania.  Será que esse pessoal não sabe que foi imposto os Atos institucionais que eram decretos assassinos que eliminava oficialmente o direito de ir e vir, a liberdade de expressão, o direito de pensar e expressar o descontentamento em grupo contra a violência institucionalizada pelos militares. O direito de fazer qualquer manifestação que configurasse conspiração aos militares todo eram estupidamente presos, torturados  até a morte violenta. Tudo isso ocorria nos porões da sangrenta ditadura militar brasileira. Enquanto isso se festeja obrigatoriamente nas ruas o tricampeonato mundial do Brasil em 1970. Entretanto as perseguições, torturas e mortes aconteciam em todos os cantos do país sem que alguém pudesse fazer absolutamente nada.

Estas pessoas desconhecem que no período militar o chamado anos de chumbo. Ocorreram as grandes corrupções derivadas das construções das obras faraônicas superfaturadas. O Brasil entrou num processo de endividamento sem precedentes da História.  E tudo era varrido para debaixo do tapete dos militares que estavam no poder. Se algum jornalista ousasse a denunciar alguma podridão dos governos militares. A sede do jornal ou revista era invadida lacrada e todos os jornalistas presos. Os redatores e autores de qualquer denúncia eram barbaramente assassinados.

o jornalista foi assassinado pelos militares

O exemplo que se tornou símbolo da resistência contra a violência dos anos de chumbo. Foi a brutal morte do jornalista Vladimir Herzog, em 25 de outubro de 1975. Ele representa todos os jornalistas que foram presos, torturados e assassinados durante o período de 1964 a 1985. Naquela época muitos setores da imprensa lutaram contra a assassina ditadura militar. Lamentavelmente, hoje a imprensa brasileira em geral é golpista, uma vergonha nacional e para o mundo. Muitos jornalistas descaradamente instigam a população querer o retorno da ditadura. Quando em suas matérias e reportagens grifam o impeachment da atual presidente reeleita pela vontade majoritária dos brasileiros.


Hoje a grande mídia nacional nos envergonha e prejudica a nação quando prestam o desserviço à democracia. No período de chumbo parte da imprensa era confiável, motivo de orgulho, heróis da resistência. Hoje a grande mídia é cínica, mercenária da democracia. Muitos jornalistas não honram o juramento que fizeram no dia de sua formatura e se vendem pelas “trinta moedas” da traição a profissão e a sociedade.  Ele jura assim:


JURAMENTO JORNALISMO

“Juro / exercer a função de jornalista / assumindo
o compromisso / com a verdade e a informação. /
Atuarei dentro dos princípios universais/ de
Justiça e democracia, / garantindo principalmente
/ o direito do cidadão à informação. /
Buscarei o aprimoramento / das relações
humanas e sociais, / através da crítica e análise
da sociedade, / visando um futuro/ mais digno e
mais justo/ para todos os cidadãos brasileiros. /Assim eu juro.”


Portanto, estamos vivendo um momento de pleno abismo entre permanecer livres na democracia ou cair nas garras dos militares impondo uma assassina ditadura. Tem gente do povo que talvez ingenuamente ou influenciados pelo partido direitista que perdeu a eleição presidencial. O mais grave são a grande massa da mídia que antes era combativa a ditadura e agora se transforam em golpistas letrados.
A única solução que resta é a população ir para as ruas mostrarem suas caras e protestarem contra qual quer foco de resistência a democracia. Está na hora não se pode esperar de braços cruzados pelo pior. Deixar que a mídia golpista possa incentivar muitos brasileiros a tomarem uma decisão insana lutar pela volta da ditadura.


                                                  Cálice - Chico Buarque/YouTube