Pular para o conteúdo principal

O valor da vida




Mãos valorizando a vidaHoje todos vivem  atual período mercantilizado repleto de todas as perversidades do lucro avarento e  moderno. Nem a vida passa ilesa deste contexto absurdo que muitos querem impor sobre algo tão sublime que está acima de qualquer valor imaginável. Tudo que se há de incomensurável valor neste mundo,não se compara a existência do ente. A vida se sobrepõe a tudo e  nada jamais poderá substituir o valor da existência humana. Mas infelizmente habitamos em um planeta onde vivem seres gananciosos, tudo pode ser fonte de lucro mesmo sendo uma forma de desrespeito ao outro, por isso tudo é medido, pesado, rotulado, classificado pelo seu valor.
Partindo desta lógica mesquinha de negócio muitos querem criar uma espécie de importância (moeda) para algo maravilhoso e peculiar em relação à vida.  Vivemos numa sociedade egoísta. A solidariedade cedeu espaço para o egoísmo. Eu posso, eu quero,custe o que custar, tenho que ter, não posso ficar sem isso, sou obrigado a ter isso, não importa o preço, o sacrifício, mas tenho quer.O outro tem também tenho que ter, não posso ser menos, por não possuir algo de última geração, mesmo sendo pura futilidade.O mercado consumista produz necessidades para obrigar as pessoas sem um auto-controle de consumo, entrar em um caminho de deleites banais. Muitos são capazes de pisar no pescoço do outro para chegar ao poder. Faz qualquer permutação escandalosa para  saborear o poder, em muitos casos estas práticas são indigestas. A partir desse sentimento do “ter e do poder” a sociedade dar início,  uma forma inconsciente colocando valor para vida.
Horrorosamente e degradante para o ser humano, pois tudo é analisado do ponto de vista do ter e não do ser. Para muitos a pessoa vale o que tem. Quem não possui grandes fortunas não tem poder e posição social nenhuma. É descartado do meio dos poderosos, é um lixo humano ambulante. Sua voz não tem eco. Sua dor, seu choro, seu sofrimento por tudo, não é levado em consideração por quem deveria dar atenção. Até seus direitos são estupidamente desrespeitados e fica por isso mesmo. Há ambientes da nossa sociedade  se um pobre vai chegando  para olhar algum produto dependendo do seu “vestir”, os próprios vendedores são treinados a atender de uma forma “padronizada” de acordo com seu rotulo social.  
Portanto, para muitos o valor da vida é ajuizada de acordo com as riquezas que uma pessoa tem e consequentemente o seu poder de influência sobre os demais. Alguém tendo poucos bens matérias é avaliado segundo seus bens. Se um ser humano não tem nada, pelo principio selvagem de que tudo é classificado pelo quer possui em valor, excepcionalmente hoje, quem não tem nada, também não vale nada.  É o ser humano vai entrando e andando em um caminho para a barbárie, muito perigoso que leva a deterioração do “o humano”. O que é valor humano se barganha por bens, poder e status passageiros. Está na hora de dar um basta nisto. Resgatar o sentido da vida, porque ela é linda, única, muito mais gratificante e importante para o homem ser feliz, para a vida ter sentido, para o semelhante respeitar o outro com seriedade. Esta na hora de pensar seriamente, que o "ser" será sempre melhor o que o "ter". O ser liberta, o ter escraviza, o ser é sadio, o ter é doentio. Temos que urgentemente libertar as pessoas das amordaças do egoísmo, consumismos, banais, fugaz, da sede pelo poder e começar a valorizar a vida através da singeleza do ser contra a fúria do ter. Ser mais simples e não deixar que a corrida hipocondríaca, por ter tudo a qualquer preço não leva paz, mas pelo contrario levará uma guerra interior sem fim, chegando à exaustão de si mesmo por coisas, status. A luta pelo poder pode levar a bancarrota da paz interior. A vida não tem preço, as coisas, poder e status, sim, estas têm preços e não devem escravizar o homem. Jamais poderemos ser derrotados pelo egoísmo, mas devemos lutar a cada segundo para conquistar a vitoria pela solidariedade, não é fácil, mas é uma eterna luta “do ser contra o ter”. E a vida necessita está acima de qualquer outro interesse neste mundo. Se não for assim tudo perde seu sentido não valeria a pena lutar por um mundo melhor. Portanto, devemos ser sérios em relação à vida defendê-la com todas as nossas forças e devemos respeitá-la, porque a vida é única e deve está sempre em primeiro lugar.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O abc da mãe e suas qualidades.

As mães e suas qualidades no seu abc. As mães quantas qualidades elas possuem, desenvolvem e as colocam em prática, diariamente, vinte e quatro horas; durante uma vida inteira em prol dos seus filhos. Entretanto, dificilmente os filhos percebem e reconhece está árdua luta das mães e são gratos a elas.  Observem neste singelo texto, quanto as progenitoras fazem para seus filhos.
Estes dons surgem desde quando ela engravida pela primeira vez dão à luz seus filhos (as). Elas no cotidiano colocam em prática através de sua consciência maternal todas suas qualidades de mães para a proteção, provisão e educação dos filhos. O mais estranho e ingrato é que poucos filhos reconhecem a importância da sua mãe enquanto estão juntos. Muitos somente irão reconhecer e se lamentarem a sua real importância quando elas morrem.

A quinta sinfonia de Beethoven.

Beethoven e a quinta sinfonia.Beethoven compôs suas obras musicais eruditas na liberdade quebrando velhos paradigmas. O grande gênio da música clássica erudita Ludwig van Beethoven alemão nascido na cidade de Bonn em 1770 e faleceu em 1827 aos 56 em Viena. Um dos grandes compositores do estilo musical erudito, onde no conjunto de sua obra impera a liberdade, ele escrevia suas composições, suas obras quebrando velhos paradigmas da música clássica abrindo novos horizontes para a música erudita.

Você já rotulou alguém de burro?

Esta atitude é preconceituosa, machuca o sentimento de outrem, pare com isso.
Quando alguém utiliza este vocábulo burro para qualificar outrem, somente vem comprovar como muitas pessoas tem uma mentalidade maldosa, preconceituosa e intolerante em relação aos seus semelhantes. É inaceitável como é usado no Brasil o termo “burro” entre as pessoas. Muitos usam de maneira intencional para ofender covardemente os seus semelhantes.  Alguns humanos a utilizam de maneira maldosa, preconceituosa e ofensiva. Isso vem ocorrendo desde o início da colonização até os dias atuais.  Esta expressão preconceituosa já feriu e continua ferindo o sentimento de muita gente. Atualmente o preconceito vem sendo praticado de maneira escancarada, e com muito mais força, do que em outras épocas. A hostilidade entre as pessoas sempre existiu de forma velada no país, mas agora está passando dos limites nas redes sociais. Provavelmente em certos momentos da vida, alguém já o chamou de “burro”, na pura intenção de ofe…