Pular para o conteúdo principal

Postagem recente.

Conheça a lenda do prefeito fujão

  A lenda que se alastra entre a terra e o mar O  barco do Zé das Marés,  navegando no Oceano Atlântico e sem norte. Nas noites escuras e chuvosas do litoral norte-grandense, os bares de bebidas ecoam piadas, brincadeiras e histórias. Entre o tilintar dos copos e o aroma de petiscos do mar, uma lenda se espalha como fumaça dos rastilhos de pólvoras: a saga do Prefeito Fujão. Não se trata de uma brincadeira ou uma mentira, mas sim uma realidade que desafia a lógica e a política. O homem em questão era o Zé das Marés, um candidato improvável. Nas eleições de 2020, ele não tinha chances reais de vencer. A sua campanha foi modesta, e quase esquecida entre os discursos inflamados dos adversários. No entanto, ocorreu um evento inesperado: Zé foi o vencedor. A população, cansada das promessas estúpidas, votou nele como forma de protesto. No entanto, o prefeito José das Marés não demonstrou aptidão para a função de prefeito. Ele era um ex-subprefeito de uma pequena cidade da região, conhecido

Berimbau: O Coração Pulsante da Capoeira e da Cultura Afro-Brasileira

 

Berimbau: Mais que um Instrumento, um Símbolo de Resistência


O berimbau é um instrumento musical de origem africana, que tem um papel fundamental na cultura afro-brasileira. Ele é utilizado principalmente na capoeira, uma arte marcial afro-brasileira que combina luta, música e dança.
O berimbau é um instrumento musical de origem africana, que tem um papel fundamental na cultura afro-brasileira. 


O berimbau, mais do que um instrumento musical, é um símbolo vibrante da cultura afro-brasileira. Sua sonoridade única e ancestral ecoa através dos tempos, contando histórias de resistência, liberdade e criatividade. Aprofundamos nosso conhecimento sobre este instrumento fascinante, explorando suas origens africanas, sua profunda ligação com a capoeira, sua influência em outros gêneros musicais, sua importância cultural e social, e os detalhes técnicos que o tornam tão especial.


Origens Africanas e Adaptação Brasileira:


O berimbau tem suas raízes em instrumentos musicais tradicionais da África, como o hungo angolano [1]. Trazido ao Brasil pelos escravos africanos, o berimbau foi adaptado às condições locais, utilizando materiais disponíveis na natureza como bambu, cipó e cabaça [2]. Essa adaptação demonstra a resiliência e a criatividade do povo afro-brasileiro, que ressignificou um instrumento de sua cultura ancestral em um novo contexto.


O Ritmo da Capoeira:


O berimbau é a alma da capoeira, ditando o ritmo e a energia das rodas [3]. Seus toques distintos, como Angola, Benguela e São Bento Grande, guiam os movimentos dos capoeiristas, criando uma atmosfera vibrante e contagiante. O berimbau não apenas acompanha a capoeira, mas também influencia seu ritmo e estilo, tornando-se um elemento fundamental dessa arte marcial afro-brasileira.


Influência na Música Brasileira:


A sonoridade singular do berimbau transcende os limites da capoeira, influenciando diversos gêneros musicais brasileiros como o samba, o choro, o rock e a MPB. Artistas renomados como Baden Powell, Vinícius de Moraes, Gilberto Gil e Caetano Veloso incorporaram o berimbau em suas composições, valorizando sua identidade afro-brasileira e enriquecendo a música nacional [4].


Símbolo de Liberdade e Resistência:


O berimbau representa a luta e a resistência do povo afro-brasileiro contra a opressão e a escravidão. Durante o período colonial, era proibido aos escravos tocar o berimbau e praticar capoeira. Apesar da repressão, eles mantiveram vivas suas tradições e expressões culturais, utilizando o berimbau como um símbolo de liberdade e identidade [5].


Comunicação Através do Som:

O berimbau vai além da música, funcionando como um instrumento de comunicação. Seus diferentes toques transmitem mensagens e sentimentos, criando uma linguagem única e ancestral. Cada toque possui um nome e um significado específico, variando conforme a região e a tradição [6].


Dominando a Arte do Berimbau:

Para tocar o berimbau com maestria, é preciso conhecer seus sete componentes principais: arco, fio de aço, cabaça, baqueta, dobrão, caxixi e pedra. Cada componente contribui para a produção do som e exige técnica e precisão do tocador [7].


Assim sendo, o berimbau é mais do que um instrumento musical. É um símbolo da cultura afro-brasileira, um guardião da história e da resistência, e uma fonte de inspiração musical. Através do berimbau, podemos conectar-nos com a ancestralidade africana e celebrar a riqueza cultural do Brasil.




_______

Referências:

[1] SILVA, Vagner Gonçalves da. O Berimbau: História, Técnica e Toques. Editora Pallas, Rio de Janeiro, 2012.

[2] GILROY, Paul. O Atlântico Negro: Modernidade e Tradição na Música Popular. Editora 34, São Paulo, 2001.

[3] CUNHA, Euclides da. Os Sertões. Editora Francisco Alves, Rio de Janeiro, 1902. p. 545–548.

[4] TINHORÃO, José Ramos. Música Popular Brasileira: Do Romantismo ao Samba. Editora 34, São Paulo, 1998. p. 120–125.

[5] REIS, João José. Rebelião Escrava no Brasil: A História do Quilombo dos Palmares. Editora Companhia das Letras, São Paulo, 2003. p. 140–145.

[6] BASTOS, Rafael. O Berimbau e Seus Toques. Editora Bagaço, Salvador, 2008.

[7] MOURA, Clóvis. Dicionário da Música Popular Brasileira. Editora Zahar, Rio de Janeiro, 1



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O abc da mãe, para expressar, as suas qualidades.

As mães possuem suas qualidades no abc da vida.   A imagem diz o  abc da mãe  As mães, quantas qualidades elas possuem, desenvolvem e as colocam em prática, diariamente, vinte e quatro horas; durante uma vida inteira em prol dos seus filhos. Entretanto, dificilmente os filhos percebem e reconhecem esta árdua luta das mães e são gratos a elas. Observem neste singelo texto, quanto as progenitoras fazem para seus filhos.   Estes dons surgem desde quando ela engravida pela primeira vez dando à luz seus filhos (as). Elas no cotidiano colocam em prática através de sua consciência maternal todas suas qualidades de mães para a proteção, provisão e educação dos filhos. O mais estranho e ingrato é que poucos filhos reconhecem a importância da sua mãe enquanto estão juntos. Muitos somente irão reconhecer e lamentar a sua real importância quando elas morrem. Os filhos deveriam observar e valorizar as qualidades da mãe.   Neste simples abc da mãe, todos os filhos deveriam sempre obser

Você já rotulou alguém de burro?

Essa atitude é preconceituosa, ela  ferirá o sentimento de outrem e ruim para o convívio social. A expressão Burro comprova o preconceito  entre as pessoas.  Quando alguém utiliza este vocábulo burro para qualificar outrem, somente vem comprovar como muitas pessoas têm uma mentalidade maldosa, preconceituosa e intolerante em relação aos seus semelhantes. É inaceitável como é usado no Brasil o termo “burro” entre as pessoas. Muitos usam de maneira intencional para ofender covardemente os seus semelhantes. Alguns humanos a utilizam de maneira maldosa, preconceituosa e ofensiva. Isso vem ocorrendo desde o início da colonização até os dias atuais.

Candeeiro ou lamparina antiga, mas muito usado no Brasil.

O candeeiro fez parte da vida do povo nos tempos remotos e na atualidade.   Sem luz se usa o candeeiro. Candeeiro é a lamparina, artefato antiquíssimo, composta por duas partes simples. A sua base é feita de lata comum. Pode-se observar que é um desenho simplório, num formato de uma pirâmide. No topo desta pirâmide usa-se pavio de fabricado de algodão. Ele é umedecido com querosene, que é colocado na parte de baixo, como podemos observar tem uma forma redonda, mas como base piramidal.