Pular para o conteúdo principal

O homem tem uma natureza violenta adormecida.

A natureza violenta do homem é latente, ao despertar é perigosa.
 

A foto mostra um atraque russo aos predios da Ucrânia.
A foto mostra um atraque russo aos predios da Ucrânia./Créditos para o portal/g1.


A guerra entre a Rússia e Ucrânia mostra como o homem nunca deixou e nem deixará de ser violento uns para com os outros. A violência acompanha a existência de maneira latente, oculta, mas ao despertar, se transforma em perigo para a sociedade e o mundo.  O ser humano do ponto de vista mental e da “psyché”, é composto de todas as qualidades essenciais para viver em paz ou em conflito com a sociedade. Contudo, somente há paz, quando o atributo humano (violência), está em estado latente. Esta característica é perigosa, contudo, ela permanece em estado de repouso em todos os entes humanos. 

Contudo, somente existirá paz em casa, na sociedade, no país e no mundo se este fato estiver dormindo. No entanto, esse atributo ruim, esteja sob a compostura do subconsciente, através do Id, o Ego e o Superego; é possível, que existirá o fim do conflito humano, e haverá paz no mundo. Não obstante, o homem em si, carrega em sua natureza existencial, a violência a qual está silenciada, velada, contudo, poderá explodir a qualquer momento. É por isso que essa fúria é muito perigosa, entre todos os seres humanos.

 

No entanto, alguns entes, através de várias motivações, fazem acordar do seu íntimo a sua fera truculenta. Este comportamento selvagem, e, sem limites, o qual através de vários atos poderão levar à morte centenas e milhares de outros seres humanos, neste instante, está sim, desencadeado a barbárie dos tempos modernos da era digital que mata pessoas como nos jogos “online” e sem nenhum sentimento de humanidade. Geralmente, as vítimas desse comportamento violento, são capacitadas com essa característica, mas está adormecida ou controlada, através do instinto bom, o da paz.

 

A história está cheia de homens violentos.

 

A história tem nos mostrado vários exemplos destes seres humanos violentos, os quais despertaram sua fúria para conquistar domínios que não os pertenciam. Eles causaram muitas mortes, sofrimentos e dores para toda a humanidade. Atualmente estes seres repugnantes são considerados como lixo da história e o melhor mesmo é nem lembrar os nomes deles porque são abomináveis para os demais seres humanos de bem.

Eles causaram tantas mortes, dores e sofrimentos que os nomes deles devem ser esquecidos para sempre. Todavia, existem outras formas de pensar que defendem que se relembre os nomes do lixão histórico, para que as gerações seguintes, quais são os homens maus da história. É importante, que permaneçam em alerta, porque não se sabe que entre os entes podem sim, surgir pessoas com sede de poder e de sangue, são capazes de tudo para satisfazer o seu ego violento.

Hoje o homem continua a ser a eliminar o homem.

 

Atualmente a frase “Lupus est homo homini lupus” é atualíssima, é uma expressão latina que significa “o homem é o lobo do próprio homem”. Foi criada por Plauto (254-184 a.C.) em sua obra Asinaria, mais tarde sendo popularizada por Thomas Hobbes, filósofo inglês do século XVII, na sua obra Do Cidadão. (Fonte: Wikipédia).

Contudo, em nome do poder político e econômico eles se auto consideram no direito, de invadir outras nações, para dominar e espoliar as riquezas estratégicas, para seu domínio econômico e geopolítico.

Estes homens violentos, são tão insensatos, que são capazes de promoverem guerras superiores ao seu grau de egoísmo e violência impregnada em sua natureza humana ruim e de má índole.

Estes seres de truculência inimaginável e faminta para alcançar o poder e a fama, não tem sentimentos de brandura em seu cerne humano. Não obstante, borbulha em seu íntimo lavas, de ódio, de ganância, de arrogância e fome de poder. Estas larvas são semelhantes ao poder arrasador dos vulcões. Eles querem e mostra para o mundo o que poderá fazer e com essa ou aquela nação, a qual arrumou pretextos banais para ordenar a invasão.

O sujeito faz tudo, sem nenhum remorso, manda matar com suas armas letais os inocentes, comete genocídios dessa ou daquela nação, a qual escolheu para ser seu alvo, através de interesses geoeconômicos e políticos. Ele faz expulsar as pessoas de suas casas, assassina as crianças que estão nas creches e escolas, enfermos que estão acamados em hospitais, trabalhadores que lutam diariamente para o provimento da família e os idosos que produziram as riquezas da nação invadida.

O ser violento pode destruir a vida e história de outras nações.

 

Este ente violento e ditador destrói a história daquela ou dessa nação livre e democrática, ao aniquilar seus bens materiais e imateriais de uma sociedade.

Ele destrói os bens materiais, que são patrimônios nacionais e da humanidade como os museus, as obras de artes, as bibliotecas, os teatros e a arquitetura milenar das construções das cidades invadidas, através da força e da selvajaria. A violência é tão grande, que não se pode mais assemelhar a crueldade dos bárbaros das eras mais remotas da história. A letalidade das armas utilizadas nos tempos modernos, quando se diz que o homem está civilizado, em plena era digital, é simplesmente estarrecedora.

 

Neste ritmo avassalador nem os bens imateriais da sociedade agredida escapam, o invasor é tão grosseiro que procura destruir tudo de um país agredido. Nem mesmo os tesouros impalpáveis como a cultura, a música, a culinária, as lendas, festas e rituais religiosos de uma nação e impõe a seus bens intocáveis estúpidos que são alheios ao jeito de ser de um povo. É algo que está ocorrendo no mundo e jamais a comunidade internacional aceitará essa estupidez desse ser com alto grau violento e demolidor de uma nação.

Infelizmente o país invasor liderado por único sanguinário tem como objetivo aniquilar completamente a nação invadida, de maneira violenta e estúpida, ações como essa da Rússia sobre a Ucrânia. Esta invasão precisa ser abominada por todo o mundo e assim, evitar que esse comportamento violento de um só selvagem Vladimir Putin, não sirva de modelo, para selvagens de outros países, não repetirem os mesmos atos condenáveis pelas organizações internacionais.

 

Os atos de violência de único homem põem o mundo em alerta.
 

Atualmente, a ação violenta, de um homem só, Vladimir Putin, é transmitida ao vivo. Este é um ser incomum, ele rasga todos os tratados, alianças e convenções de paz, seladas entre as nações e parte para a guerra.

No campo de batalha, não há regras, tudo é desrespeitado. A ordem é invadir, bombardear, prender, torturar, saquear e principalmente matar os civis inocentes que estiverem na área que este sanguinário só delimitou, como de conflito.

 

Nem os jornalistas que arriscam suas vidas para mostrar ao mundo, a carnificina da nação invadida neste caso a Ucrânia e divulgar para as nações, todos os bens públicos, privados e muitos tesouros que são patrimônios da humanidade, os quais todos juntos formam o conjunto da história viva deste país. Tudo é destruído em segundos. Tudo isso, é o resultado do despertar da violência, deste homem que se acha o dono do mundo, todavia, será mais um a ser depositado na lata de lixo tóxico da história.

O que fazer para frear a fúria destruidora deste sanguinário?
 

Certamente, a comunidade internacional, contrária a essa invasão Russa aos Ucranianos, precisam agir veementemente contra esse comportamento violento de Vladimir Putin a Ucrânia e evitar que ele seja o novo genocida nazista da Segunda Guerra Mundial.

Todos os países precisam se unirpara cercar o poderio russo, através de todas as sanções econômicas e de cooperações científicas e outras para enfraquecer este invasor e fazer cessar-fogo contra a Ucrânia imediatamente.

Não dar brecha para que se instale mais a Terceira Guerra Mundial, que seria um desastre total para todos os habitantes do Planeta Terra. Em razão das ogivas nucleares espalhadas nomundo, os laboratórios de controle biológico nos países em guerra,  poderiam desencadear mais uma pandemia, com efeitos fatais, para todos os habitantes do (Planeta) Terra.

Todos os esforços diplomáticos das grandes potências mundiais são importantes para manter a paz mundial a terminar com essa guerra triste entre a Rússia e a Ucrânia.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O abc da mãe, para expressar, as suas qualidades.

As mães possuem suas qualidades no abc da vida.   A imagem diz o  abc da mãe  As mães, quantas qualidades elas possuem, desenvolvem e as colocam em prática, diariamente, vinte e quatro horas; durante uma vida inteira em prol dos seus filhos. Entretanto, dificilmente os filhos percebem e reconhecem esta árdua luta das mães e são gratos a elas. Observem neste singelo texto, quanto as progenitoras fazem para seus filhos.   Estes dons surgem desde quando ela engravida pela primeira vez dando à luz seus filhos (as). Elas no cotidiano colocam em prática através de sua consciência maternal todas suas qualidades de mães para a proteção, provisão e educação dos filhos. O mais estranho e ingrato é que poucos filhos reconhecem a importância da sua mãe enquanto estão juntos. Muitos somente irão reconhecer e lamentar a sua real importância quando elas morrem. Os filhos deveriam observar e valorizar as qualidades da mãe.   Neste simples abc da mãe, todos os filhos deveriam sempre obser

Você já rotulou alguém de burro?

Essa atitude é preconceituosa, ela  ferirá o sentimento de outrem e ruim para o convívio social. A expressão Burro comprova o preconceito  entre as pessoas.  Quando alguém utiliza este vocábulo burro para qualificar outrem, somente vem comprovar como muitas pessoas têm uma mentalidade maldosa, preconceituosa e intolerante em relação aos seus semelhantes. É inaceitável como é usado no Brasil o termo “burro” entre as pessoas. Muitos usam de maneira intencional para ofender covardemente os seus semelhantes. Alguns humanos a utilizam de maneira maldosa, preconceituosa e ofensiva. Isso vem ocorrendo desde o início da colonização até os dias atuais.

Candeeiro ou lamparina antiga, mas muito usado no Brasil.

O candeeiro fez parte da vida do povo nos tempos remotos e na atualidade.   Sem luz se usa o candeeiro. Candeeiro é a lamparina, artefato antiquíssimo, composta por duas partes simples. A sua base é feita de lata comum. Pode-se observar que é um desenho simplório, num formato de uma pirâmide. No topo desta pirâmide usa-se pavio de fabricado de algodão. Ele é umedecido com querosene, que é colocado na parte de baixo, como podemos observar tem uma forma redonda, mas como base piramidal.