Pular para o conteúdo principal

Postagem recente.

A felicidade é efêmera no materialismo.

A ostentação transforma o homem carente de valores éticos e morais. O homem moderno é rico, vive na ostentação promovida com o materialismo, mas é pobre em valores éticos e morais e nunca o dinheiro poderá comprar. Nesta correria diária e frenética da vida moderna para buscar a sobrevivência, é imprescindível e interessante fazer algumas vezes momentos de paradas e iniciar uma reflexão para perceber o quanto o homem faz opção, mais pelo ter do que do ser. Atualmente existe uma pretensão fortíssima para a opulência materialista, que traz e promove uma espécie de felicidade efêmera. Consequentemente nascem necessidades insaciáveis para adquirir mais e mais coisas instigadas pelo consumismo sem limites. Fundamental também verificar que ao mesmo tempo o homem moderno é extremamente carente quanto aos valores morais e éticos, os subjetivos, são duradouros como paz, amor, felicidade, saúde e segurança, coisas que de modo nenhum; o dinheiro comprará.

O blog analiseagora abre o espaço cultural para a valsa.

http://www.analiseagora.com/
Neste espaço cultural se conhece a história dos gêneros musicais. 
Nesta matéria irei escrever sobre a valsa um gênero musical antiquíssimo, mas   muito usado em momentos especiais das nossas vidas. Este estilo clássico tem uma longa história que vem passando de geração para geração desde o século XV até a nossa atualidade. A sua leveza no ritmo dos compassos da construção dos tons e sobretudo o seu glamour no jeito dançante nobre e animado tem marcado presença permanente na história da música arte. Esta elegante música tem sua origem da Europa, mais precisamente na Alemanha e Áustria e depois se espalhou definitivamente para mundo. Até que chegar em terras brasileiras primeiramente no RJ e depois para o restante do país. 
Chegou em nosso pais  junto a bagagem cultural da família real portuguesa em 1808. Certamente este atuante ritmo das nobres cortes do outro lado do mundo, fazia muito sucesso   e grande alegria nas festas da corte portuguesa. Contudo, repentinamente ocorreu uma pausa para uma nova dança, mas como num compasso mágico, viajou para uma nova terra e se transformou o som predileto da corte tupiniquim.

Entretanto a valsa até este período histórico brasileiro já tinha um amplo desempenho nas cortes europeias e foi difundida pelos grandes compositores da música clássica universal. Os primeiros a desenvolverem este estilo foram os Strauss e suas mais famosas valsas conhecidas como vienenses e em sequência histórica os principais clássicos como Chopin e tantos outros. Os clássicos foram os grandes responsáveis para a perpetuação destas composições até os nossos dias. Atualmente em nossa sociedade a valsa somente é executada em festas de ritos de passagens como nas glamorosas festas das debutantes e também nos casamentos. Tem muitos bailes que em certo momento se abre espaço para a valsa e muitos casais dançam orgulhosa e apaixonadamente, pois se lembram do dia do casamento etc. Muitas composições modernas são produzidas com os compassos da valsa original e desta forma continua atuante em grandes momentos da vida festiva da população. Ainda que muitos desconhecem a história da valsa ela continua viva e atuante na sociedade brasileira e mundial.


Então, vamos ouvir algumas valsas para aguçar o estilo de dançar. Sempre o blog analiseagora abrirá este espaço cultural dedicado à música de todos os estilos e gêneros. Para atender os pedidos dos leitores que amam a cultura da música que agrada todos os gostos.


VALSA DO IMPERADOR
 







GRANDE VALSA BRILHANTE (CHOPIM)






Judith Jáuregui Valsa da dor de Heitor Villa Lobos


Postagens mais visitadas deste blog

O abc da mãe e suas qualidades.

As mães e suas qualidades no seu abc. As mães quantas qualidades elas possuem, desenvolvem e as colocam em prática, diariamente, vinte e quatro horas; durante uma vida inteira em prol dos seus filhos. Entretanto, dificilmente os filhos percebem e reconhece está árdua luta das mães e são gratos a elas.  Observem neste singelo texto, quanto as progenitoras fazem para seus filhos.
Estes dons surgem desde quando ela engravida pela primeira vez dão à luz seus filhos (as). Elas no cotidiano colocam em prática através de sua consciência maternal todas suas qualidades de mães para a proteção, provisão e educação dos filhos. O mais estranho e ingrato é que poucos filhos reconhecem a importância da sua mãe enquanto estão juntos. Muitos somente irão reconhecer e se lamentarem a sua real importância quando elas morrem.

Você já rotulou alguém de burro?

É uma atitude preconceituosa para ferir o sentimento de outrem e ruim para o convívio social.Quando alguém utiliza este vocábulo burro para qualificar outrem, somente vem comprovar como muitas pessoas tem uma mentalidade maldosa, preconceituosa e intolerante em relação aos seus semelhantes. É inaceitável como é usado no Brasil o termo “burro” entre as pessoas. Muitos usam de maneira intencional para ofender covardemente os seus semelhantes.  Alguns humanos a utilizam de maneira maldosa, preconceituosa e ofensiva. Isso vem ocorrendo desde o início da colonização até os dias atuais.

Candeeiro ou lamparina antiga, mas muito usado no Brasil.

O candeeiro fez parte da vida do povo nos tempos remotos e na atualidade. Candeeiro é a lamparina, artefato antiquíssimo composta sobre duas partes simples. A sua base é feita de lata comum. Um desenho simplório num formato de uma pirâmide. No topo desta pirâmide usa-se pavio de fabricado de algodão. Ele é umedecido com querosene, que é colocado na parte de baixo, como podemos observar tem uma forma redonda, mas como base piramidal.

Este utensílio domestica há muitos anos foram usados no país inteiro até chegar às primeiras transmissões de energia elétrica nas capitais e aos poucos foram se disseminado para o restante do país.