Pular para o conteúdo principal

Fim do voto obrigatório e voto facultativo no Brasil, já!

http://www.analiseagora.com/
Fim do voto obrigatório e voto facultativo já!
O fim do voto obrigatório para facultativo talvez seja   um dos temas mais polêmicos da atualidade na política nacional. Esta questão envolve muitos aspectos entre eles a maturidade da nossa democracia. Há muitas discussões favoráveis e contra a permanecia da obrigatoriedade do ato de votar e da mesma forma existem uma avalanche de argumentos de juristas e cientistas políticos que defendem, sim o voto opcional para todos os eleitores.
Não quero entrar no mérito de cada posição sobre este assunto tão amplamente debatido entre os cientistas políticos. Apenas que expressar minha posição como cidadão leigo, mas eleitor e defensor do fim do voto forçoso.  Ora!  A nossa democracia é vista pela maioria dos cientistas políticos contrários ao voto voluntário porque é muito jovem e partindo desta tese não suportaria um passo grande para adotar o voto facultativo. Penso que nossa democracia já não é tão jovem assim, tem uma longa história de solavancos políticos. E suportaria um avanço de qualidade no item modo de votar, que deve ser sim, facultativa. Nestes últimos tempos a democracia brasileira já suportou e está suportando situações de riscos como este atual golpe camuflado de impeachment originado pelas elites reacionárias e promovido pela mídia golpista.

Pense bem! Comece a analisar o contexto atual da política nacional para perceber que este processo do voto facultativo já vem se instalando a passos largos de maneira natural pelo eleitor revoltado que anula, vota em branco ou simplesmente não comparecem as urnas para votar. Os índices de abstenções vêm aumentando eleição após eleição. É sintomático esta insatisfação, somente pelo fato do cidadão comparecer obrigatoriamente as urnas, de dois em dois anos para as eleições municipais e logo em seguida para as eleições gerias, é politicamente antipedagógico. O fator obrigação não rima com democracia e livre arbítrio. Quem convive diretamente com o povo percebe que o ato de votar compulsoriamente não educa pelo contrário deseduca politicamente. Em vez de aproximar o cidadão da política a distância cada vez mais. O voto imperativo é uma contradição presente na democracia brasileira, ainda que seja considera por alguns cientistas políticos como imatura e não consolidada não são argumentos cabais para justificarem a obrigatoriedade do sufrágio.

Se o ato de votar fosse facultativo como em muitos países do mundo teríamos sim, uma outra formatação das eleições.  Não excluiria ninguém desta vontade real de votar nas escolhas dos seus candidatos   emanado do povo. Certamente quem participasse do processo eleitoral participaria com critérios bem definidos e conscientes desta ação singular para a comunidade e o país. O voto imperativo percebo como ranço da ditadura ainda presente na democracia brasileira. Já está na hora de mudar este pensar atrasado e gerador de muitos males e vícios na política nacional.

Muitos defendem a tese de que o volto alternativo afastaria o povo do ato de votar e de todo o processo eleitoral e principalmente da política. Penso o contrário, o sufrágio forçoso é quem está afastando sim, ainda mais quem já está afastado da política e faz questão para não querer ouvir nada sobre a política como arte de governar. Creio com o passar do tempo, que a maioria que detesta a política e os políticos iniciaria um novo caminho de volta de maneira natural e aumentaria o interesse pela participação política de maneira qualificada e principalmente com ideologia definida. Por quer perceberia a necessidade de expressar sua vontade da participação de maneira consciente. Este processo até poderia levar algum tempo, porém, com uma nova pedagogia de reconquistar o cidadão através de uma nova pedagogia a ser trabalhada e mostrar para todos os cidadãos, que tudo que existe em nossa sociedade é movido e tem como pano de fundo a política. Este trabalho de conscientização seria mais intenso pelos partidos e todos os líderes políticos. Mostrar para a população que a política não se resume simplesmente ao ato de votar obrigatório. É   muito mais do que este mero e tedioso ato imperioso, a política participativa vai muito mais além do que tudo isso.


Após as eleições o eleitor que realmente participa diretamente da política permanece sugerindo, debatendo políticas públicas juntamente com seu candidato para implementar na comunidade e além disso fazer cobranças na atuação do parlamentar nas casas legislativa e executivas do país onde atua o parlamentar.  Isso é possível somente quando o eleitor perceber que o ato de votar é uma ferramenta necessária para ajudar a transformar o seu meio. Agora enquanto o cidadão continuar pensando no ato de votar como obrigação e ainda receberá punição conforme a lei quando deixar de votar. Sempre verá a política como meio de enriquecer um pequeno grupo e uma forma de manter a corrupção, o eleitor vai cada a dia se distanciar da política nacional.
   
http://www.analiseagora.com/
O Brasil está na hora de mudar a formatação de votar.

Portanto, a discussão continua e levará muitos anos para convencer nossos parlamentares reacionários da importância e da necessidade de mudanças. Externar que está na hora de mudar o formato de votar. É a única maneira de apresentar para os nossos legisladores que o voto obrigatório é algo obsoleto e a nossa democracia exige renovação sem medo dos desdobramentos futuros. Imprescindível   mobilizar a sociedade através de uma ampla discussão a partir das pequenas comunidades organizadas como os sindicatos, escolas, associações de bairros, igrejas, etc. Fazer chegar esta discussão nas câmaras de vereadores, nas assembleias legislativas e até a Câmara Federal para transformar o ato de votar obrigatório em ato facultativo. Provar que esta nova modalidade vai configurar responsabilidade recíproca entre quem vota e quem é votado. 

Particularmente, defendo o fim do voto obrigatório e que seja igual aos outros países onde a democracia é plena, também o ato de votar é livre e não obrigatório. Certamente quando o ato de votar em nosso país for espontâneo teremos uma votação com consciência e com ideologia política definida. Enquanto isso não vier a ser consumado as eleições serão sempre como um fardo democrático e os resultados sempre serão péssimos como mostra a história recente do Brasil.
Esta situação somente vai mudar com uma ampla reforma política. Existem muitos projetos de reforma política que já estão mofados nas gavetas dos deputados federais e senadores. Eles ainda não votaram porque estes projetos, não são de interesses deles. As maiorias perceberam que não são favoráveis a eles e deixam no ostracismo. É por isso mesmo que somente através de uma grande pressão popular poderá desengavetar os projetos já existentes e elaborarem projetos de lei modernos de reforma política que incluam o voto facultativo definitivamente em nosso país.    

Postagens mais visitadas deste blog

A queima de fogos na virada do ano.

Queimar fogos de artifícios na acolhida do novo ano é linda, mas causa graves acidentes.As explosões dos fogos coloridos de artifícios no último dia e minutos do ano que está para ser encerrado tem seu auge exatamente as 23:59, quando der início a contagem regressiva para a chegada do novo ano.  É uma tradição que marca o advento do novo ano; ela é colorida, bonita e perigosa ao mesmo tempo, quando manipulada por imperícia, provoca sérios acidentes.  Ao longo dos anos vem aumentando o índice de acidentes graves durante a queima de fogos, geralmente por pessoas que não seguem as regras de segurança indicadas pelos fabricantes.

O alcoolismo é uma enfermidade destruidora do ser humano.

Os alcoólatras não surgem da noite para o dia, mas a partir dos contínuos goles das bebidas alcoolizadas.  Os pacientes alcoólatras necessariamente precisam reconhecerem que o alcoolismo é uma doença. Porém, esse é o primeiro passo para todos os alcoolistas sofredores, iniciarem uma longa caminhada rumo a sanar esta enfermidade; que atormentam as suas vidas. Todos os seres humanos padecedores, através do uso compulsivo do álcool, não se geram da noite para o dia, mas começam a se desenvolverem a partir de um processo embrionário lento. E comumente muito cedo na vida, especialmente, as fases da adolescência e   juventude que atravessam a maioridade; até o fim da vida.

Você já rotulou alguém de burro?

Esta atitude é preconceituosa, machuca o sentimento de outrem, pare com isso.
Quando alguém utiliza este vocábulo burro para qualificar outrem, somente vem comprovar como muitas pessoas tem uma mentalidade maldosa, preconceituosa e intolerante em relação aos seus semelhantes. É inaceitável como é usado no Brasil o termo “burro” entre as pessoas. Muitos usam de maneira intencional para ofender covardemente os seus semelhantes.  Alguns humanos a utilizam de maneira maldosa, preconceituosa e ofensiva. Isso vem ocorrendo desde o início da colonização até os dias atuais.  Esta expressão preconceituosa já feriu e continua ferindo o sentimento de muita gente. Atualmente o preconceito vem sendo praticado de maneira escancarada, e com muito mais força, do que em outras épocas. A hostilidade entre as pessoas sempre existiu de forma velada no país, mas agora está passando dos limites nas redes sociais. Provavelmente em certos momentos da vida, alguém já o chamou de “burro”, na pura intenção de ofe…

Sorte não existe o que existe é oportunidade e competência.

Todos devem saber construir a sua história com competência.A vida é uma permanente construção, saber administrar as oportunidades que surgem para fazer uma construção sólida é uma questão de competência e não de sorte. Nenhuma pessoa pode deixar que as coisas possam acontecer através da sorte; algo simplesmente ilusório e inexistente. Ninguém jamais poderá prever o futuro, mas com absoluta certeza precisa planejar com antecedência e perfeição os próximos dias, meses e anos. Fazer esta árdua tarefa sempre; enquanto permanecer respirando fôlego de vida neste mundo. Principalmente numa comunidade de gente submergida em status social avarenta e egoísta. Para viver dignamente nesta sociedade materialista, consumista e competitiva é imprescindível que cada pessoa, seja agente provedor de sua própria história, construtor de seu futuro.

A família Barros no Brasil e no mundo.

APELO DESAFIADOR.
Após vários apelos de familiares, amigos, descendentes da Família Barros que pediram para pesquisar e escrever um artigo sobre as nossas raízes. Agora tomei coragem e assumi esta responsabilidade de fazer este trabalho. Uma missão desafiadora e ao mesmo tempo, muito interessante conhecer as nossas raízes. Em psicologia podemos entender esta busca do homem por sua identidade familiar. Faz parte do ser humano acalentar esta curiosidade de saber onde somos e de onde viemos e que estirpes saíram. Uma tarefa dificílima, mas aos poucos fui construindo esta trajetória histórica. Quero adiantar que é um trabalho de análise histórica genérica e não uma genealogia de uma única família específica. Por isso, considero incompleto este singelo trabalho, devido à grandiosidade desta família espalhada pelo o Brasil e o mundo, mas que pode ser aperfeiçoado através da colaboração dos leitores.

O homem e seus vícios que os conduzem a humilhação.

Todos os homens carregam em sua essência o peso da desobediência com o Criador. O homem carrega em sua essência a natureza pecaminosa herdada desde a criação dos primeiros humanos Adão e Eva. Eles foram gerados, a imagem semelhança de Deus perfeitíssimo, mas infelizmente pecaram. Porém se travou na história humana uma luta feroz e constante contra o pecado. Através do pecado a história da humanidade mudou e desde aquela época até hoje, todos sofrem com as consequências da desobediência dos primeiros homens para com Seu Criador. Os humanos adquiriram vários vícios que os oprimem e os deixam em situações de humilhações e escravidões diante da família, amigos e a sociedade.   Tem muitos casos sem volta, outros, no entanto existem soluções quando os próprios viciados se conscientizarem dos seus estados doentios, mas   de livre e espontânea vontade procuram ajuda.

Favicon do blog analiseagora.

Todo blog necessita de uma identificação na web para melhor o público encontrar com facilidade. Esta é a favicon do blog analiseagora. Podem perceber que o título do mesmo, contém quatro letras repetidas [a] então resolvi personalizar como ícone do blog. Essa letra está na fonte Georgia na cor branca com o fundo azul escuro. Como o blog ainda está na sua fase inicial tudo é realizado às pressas e também de maneira simples, mas certamente o blog será reconhecido com muita facilidade pelos leitores quando realizarem suas buscas na internet.
Ainda que seja simples, mas foi criado com muito esmero e carinho a partir do meu conhecimento em design. Posso garantir ao meu público que me esforçarei para a curto prazo, criar uma outra favicon. Tudo terá novo visual, e seguramente deverá ser equivalente ou superior a altura do padrão de qualidade do blog analiseagora. Tudo para agradar a todos aqueles que aqui chegarem, e possam despertar seu interesse de permanecer por muito tempo pesquisando n…

Finalmente 2018! E agora?

O ano recém chegou, mas é necessário traçar metas e planejamentos. Após tantas crises econômicas, financeiras, e morais do país. Além dos aumentos de preços em tudo finalmente chegou o novo ano. Foram muitas as badalações, euforias, estresses e ansiedade do ano que se findou, a festa e a decepção da mega sena da virada para quem sonhou e errou. Aqueles que acertaram os números das probabilidades maravilha e quem não acertou tem que continuar a sonhar durante o ano até chegar a próxima mega da virada do fim do ano. Porém, finalmente chegou mais um ano novo o de 2018. Agora é o momento de todos organizarem seus objetivos a serem desenvolvidos no decorrer desse novo clico do calendário que guiará todos os negócios das pessoas e toda a engrenagem do funcionamento da sociedade, durante esses 365 dias. Muitos acontecimentos sejam eles bons ou ruins estão por vir durante esse novo ciclo e marcará para sempre a história da humanidade. 

O chorinho é a música arte refinada e popular do Brasil.

Chorinho a música arte e popular do Brasil.A música é uma das alas da arte mais refinada que traduz fielmente a cultura, os costumes, os sentimentos e principalmente a história de todos os povos. Ela dispõe de uma lâmina afiadíssima para romper barreiras intransponíveis de outras culturas e interagir com facilidade junto as outras nacionalidades.  Alguns gêneros musicais que nascem em uma determinada nação, em época definida, se espalham por toda a parte contagiando a todos de uma forma unanime, sem precedentes de gerações para gerações, isso sim; é de fato arte em forma de música. A música que nasceu   e se constitui em expressão cultural de certos povos, não morre no tempo e no espaço por que tem conteúdo artístico e é imortal. Contudo, a música arte, representa a vida das pessoas. Ela em todos os momentos se rejuvenesce diariamente.

A retrospectiva de 2017, a mais pessimista dos últimos tempos.

O que recordar desse ano de 2017, que está chegando ao fim? Para os apoiadores do golpe parlamentar de 2016, como todos os partidos de direita, a elite retrógrada e a mídia golpista, simplesmente procuram reafirmar que foi um ano positivo de recuperação da economia e principalmente de extermínio da corrupção nacional. Para as vítimas do golpe parlamentar mais torpe da história recente do país; foi um dos anos, mais péssimos da vida de todos os brasileiros. As consequências dessa insanidade dos políticos, representantes da direita brasileira; foi e continuará sendo avassaladora para todos. As decorrências continuarão a persistir durante muitos anos para todos os brasileiros e em especial; para os mais pobres. O ano fecha com um saldo negativo de desemprego que atinge uma taxa de 12,4% em todo o país. Isso em números reais, equivale a treze milhões trezentos e vinte e seis mil (13.326) é o total de trabalhadores brasileiros desempregados.