Pular para o conteúdo principal

O CPERS/sindicato disse não para a CUT.

O CPERS/Sindicato se desfiliou da CUT e segue suas lutas e história. 

 

A imagem de fundo vermelho e caracteres em branco está inscrito: Não!
O  CPERS/Sindicato disse não a CUT.


Em assembleia geral dos professores realizada dia 27/03/2014 no Gigantinho em Porto Alegre. Foi colocado um ponto final na relação sindical entre o Cpers e a CUT. O Placar da votação mostrou aperto e divisão da categoria, mas ficaram assim definidos os seguintes números. Foram 1.588 professores e funcionários de escolas votaram a favor da desfiliação e 1.129 votaram contra.

A maioria decidiu pela desfiliação alegando que a Central Única dos Trabalhadores nunca lutou a aguerrida pelos interesses dos professores era mais uma espécie de canal onde se dava espaço para o atrelamento do sindicato aos governos e partidos políticos afins. Isso com o dinheiro dos professores e funcionários de escolas filiados ao Cpers. Imutável e mensalmente repassava uma quantia enorme de R$ 130 mil reais (valores de hoje) mensais para a CUT. Praticamente sem retorno sindical, para dar um forte apoio nas grandes lutas dos trabalhadores em educação do RS. Atualmente o Cpers/sindicato conta com aproximadamente 81 mil sócios. O maior sindicato de classe dos trabalhadores em educação da América Latina.  A saída da não enfraqueceu o movimento pelo contrário vai desobstruir muitos empecilhos ideológicos que emperrava a união da categoria. Desde 21 de abril de 1945 o Cpers andou unido e junto aos seus filiados até o momento que as diretorias, respaldadas em assembleias gerais, incluíram outras entidades. Deu início o início da desunião e o enfraquecimento da entidade representativa dos trabalhadores em educação.   

 

O CPERS/Sindicato sempre estivera em conflitos.

 

 

A história confirma uma relação conturbada entre o Centro dos Professores do Estado do Rio Grande do Sul e às vezes a Central Única dos Trabalhadores. Desde o início ao fim, sempre houve um namoro conflituoso. O princípio dessa relação foi lá pela década de oitenta.  Muitos debates foram realizados com a comunidade escolar na base do sindicato. Sobre a filiação do CPERS/Sindicato a CUT e geralmente os resultados nunca foram amistosos. Sempre os debates eram intensos quanto à possibilidade de filiação da entidade à CUT. Mesmo assim, durante o Congresso Estadual realizado em janeiro de 1996. Essa discussão voltou forte e foi aprovada em assembleia geral no durante o mês de maio do corrente ano. 

 

Terminou a parceria sindical, de muito anos e lutas e discórdias, entre a categoria do magistério.

 

Portanto, esse casamento sindical entre o CPERS/Sindicato   e a CUT foi finalizado nesta assembleia histórica, da entidade representativa do magistério gaúcho quando a categoria disse não para a CUT. Termina aqui um ciclo de grandes embates internos, em relação à atuação inexpressiva da CUT nos momentos cruciais de greves e negociações da categoria junto ao governo do Estado. Uma grande maioria afirma que as intervenções da CUT, diante dos movimentos dos Cpers/sindicato eram ineficazes e atrapalhavam os avanços nas negociações com o governo. Outra parte da categoria pensa o contrário e afirma que vai ocorrer mais enfraquecimento do Cpers.

Todavia, é necessário olhar que o nosso sindicato tem uma história de lutas gloriosas desde sua fundação para com a categoria.  Os sócios desta nobre entidade irão resgatar esse legado de lutas e conquistas para fortalecer ainda mais, este sindicato que começou a se livrar de atrelamentos e deve pensar em cortar outros que emperram a união dos trabalhadores em educação.

Antes de tudo o Cpers/sindicato é uma entidade representativa de todos os trabalhadores em educação e não um nicho de partidos políticos seja lá qual for.

Observe que todos os governos que chegaram ao poder no palácio Piratini com o apoio do sindicato. Simplesmente depois de eleitos traíram os professores e funcionários da escola.

A categoria do magistério gaúcho não esquece são estes fatos que enfraqueceram a categoria. Tanto a CUT quantos os partidos e suas correntes são os joios que devem ser limpos do Cpers. E daqui para frente criar uma entidade que de fato represente a categoria como historicamente representou e defendeu honrosamente com muitas conquistas.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O abc da mãe, para expressar, as suas qualidades.

As mães possuem suas qualidades no abc da vida.   A imagem diz o  abc da mãe  As mães, quantas qualidades elas possuem, desenvolvem e as colocam em prática, diariamente, vinte e quatro horas; durante uma vida inteira em prol dos seus filhos. Entretanto, dificilmente os filhos percebem e reconhecem esta árdua luta das mães e são gratos a elas. Observem neste singelo texto, quanto as progenitoras fazem para seus filhos.   Estes dons surgem desde quando ela engravida pela primeira vez dando à luz seus filhos (as). Elas no cotidiano colocam em prática através de sua consciência maternal todas suas qualidades de mães para a proteção, provisão e educação dos filhos. O mais estranho e ingrato é que poucos filhos reconhecem a importância da sua mãe enquanto estão juntos. Muitos somente irão reconhecer e lamentar a sua real importância quando elas morrem. Os filhos deveriam observar e valorizar as qualidades da mãe.   Neste simples abc da mãe, todos os filhos deveriam sempre obser

Você já rotulou alguém de burro?

Essa atitude é preconceituosa, ela  ferirá o sentimento de outrem e ruim para o convívio social. A expressão Burro comprova o preconceito  entre as pessoas.  Quando alguém utiliza este vocábulo burro para qualificar outrem, somente vem comprovar como muitas pessoas têm uma mentalidade maldosa, preconceituosa e intolerante em relação aos seus semelhantes. É inaceitável como é usado no Brasil o termo “burro” entre as pessoas. Muitos usam de maneira intencional para ofender covardemente os seus semelhantes. Alguns humanos a utilizam de maneira maldosa, preconceituosa e ofensiva. Isso vem ocorrendo desde o início da colonização até os dias atuais.

Candeeiro ou lamparina antiga, mas muito usado no Brasil.

O candeeiro fez parte da vida do povo nos tempos remotos e na atualidade.   Sem luz se usa o candeeiro. Candeeiro é a lamparina, artefato antiquíssimo, composta por duas partes simples. A sua base é feita de lata comum. Pode-se observar que é um desenho simplório, num formato de uma pirâmide. No topo desta pirâmide usa-se pavio de fabricado de algodão. Ele é umedecido com querosene, que é colocado na parte de baixo, como podemos observar tem uma forma redonda, mas como base piramidal.