Pular para o conteúdo principal

A internet está criando uma cultura do silencio entre as famílias.


http://www.analiseagora.com/
A tecnologia do wi fi conecta ao mundo e desconexa as relações familiares.  
As relações familiares estão sendo substituídas por um novo comportamento estranho e perigoso: o silêncio imposto pela internet. Quão intensamente foi adaptação por um longo período de abstinência sem internet. Não por vontade própria mas, por imposição dos problemas técnicos não resolvidos por incompetência da concessionária, que monopoliza os serviços de telefonia e internet fixa em nosso país.  Diante da longa espera naturalmente surgiram algumas características comportamentais próprias da eventualidade e contemporaneidade: ansiedade, irritabilidade, discussões entre concessionária, desconfortos e impaciência, por viver nos primeiros dias desconectado do mundo virtual. Tudo resultado da incapacidade desta concessionária em não restabelecer os serviços de conexões de telefone e internet. Uma necessidade gerada pela tecnologia que fisgou quase todos os humanos e quando permanecem fora do ciclo virtual parece que a vida não tem mais graça. Uma legitima necessidade leviana, pois fora desta teia virtual tem outros valores fundamentais sendo esquecidos e outras relações especiais destruídas despercebidamente.


Por outro lado, foi uma experiência importante, voltei a introspeção e notei quanto às relações familiares estão sendo substituídas por uma nova cultura estranha, repleta de comportamentos perigosos tais como: o silencio nos lares, a ausência das pessoas nos momentos dos convívios familiares e festivos; o egoísmo aumentando, a alegria desparecendo, mas, crescendo o emudecer dos componentes   familiares; determinado pelos atrativos das redes sociais. Que está se  ampliando em alta velocidade, diariamente e sem limites. Pois  são assustadoras, poucas pessoas percebem esta nova cultura digital detonadora de laços familiares e amigos reais.    

A única alternativa foi pensar e escrever sobre muitos assuntos e inclusive a própria internet. Esta temporada sobreveio um ponto positivo: pensar também sobre esta própria invenção que jogou quase todos os humanos em uma interminável teia de conectividade virtual. Nesta nova modalidade de relações de pessoas estranhas e muitas delas perigosas, que inicialmente apresentam como se fossem boazinhas, cuidado! Hoje em dia, poucos humanos, põem seus perfis verdadeiros, na ilimitada teia virtual de relações humanas. Há muitos perfis falsos os conhecidos “fakes”.  Muitas pessoas movidas pela curiosidade terminam entrando nesta grande teia de relações humanas virtuais. Acabam gostando e gerando uma nova teia e assim sucessivamente. Porém, quando há algum problema técnico que não pode se conectar a teia parece que vive fora da realidade e desatualizado. Não conseguindo se desvencilhar desta nova forma de relacionamento humano da atualidade.

A partir deste mote as relações humanas familiares, a reflexão direciona para as relações virtuais que é um tema amplo e merece uma profunda reflexão principalmente; nos estragos que causa no âmbito familiar. Uma realidade enraizada em todos os lares é uma nova maneira de se relacionar, comunicar, etc.. Muitas amizades são saudáveis, mas, há aquelas que são perigosas formas de amizades que podem gerar no meio familiar, grandes transtornos se não houver precauções ao entrar nesta grande teia virtual. Este momento que passei desconectado foi até positivo para pensar nesta nova forma de relações humanas e em especial familiar que está se solidificando a cada segundo nos lares. As famílias estão emudecendo, ninguém tem mais tempo para o dialogo.
Está se vinculando uma cultura comportamental perigosa nos lares brasileiros e mundiais: a falta de diálogo, o isolamento, frieza nas relações familiares. Os membros familiares estão se silenciando ninguém conversa, ou quando há alguma tentativa há interferência externa, corta a iniciativa e termina em brigas.

Este novo comportamento na sociedade contemporânea foi originado após o advento da internet que está plugando as famílias nas redes sociais, muitas delas sem limites. Em busca de novas relações estranhas, há ocorrências de estranhos perigosos que mantém diálogos e amizades intensamente ente pessoas da família, principalmente menores, em que os pais infelizmente se descuidam e permanecem sem conhecerem. Geralmente este tipo de aproximação leva a casos com finais: aborrecedores e desastrosos e trágicos.

Quando ocorreu este forte vendaval em nossa região do vale dos sinos-RS, no último dia 31/01/14, fazendo muitos estragos e por longos dias sofridos deixando as famílias sem: luz, água e também internet, um fato me chamou a atenção; mesmo no sofrimento de um calor acima dos 40ºC
formação de tornado no RS foto da Metsul 
   

Preste bem atenção se hoje existe aquele dialogo caloroso e familiar entre a grande maioria dos lares brasileiros e mundiais!  Atualmente todos os membros de uma família, geralmente têm em suas mãos a um ou mais dispositivos ligados e conectados , quase interruptamente na web,  aos seus amigos das redes sociais ou fazendo negócios e trabalhos on-line. Enquanto isso, as saudáveis relações familiares tendem a caminhar para degradação a passos largos.  As brincadeiras, os abraços, as conversas, as orações; estão sendo substituídos pelos dispositivos que conectam e criam um novo e assustador jeito de relações familiares: egoísta e silencioso. Os responsáveis e provedores familiares perdem o controle e nem sabe com que seus filhos menores estão se comunicando! Muita atenção pais verifiquem sempre as amizades dos seus filhos. Eles são os vossos tesouros e merecem todos os cuidados e atenção especial.

Quando ocorreu este forte vendaval em nossa região do vale dos sinos-RS, no último dia 31/01/14, fazendo muitos estragos e por longos dias sofridos deixando as famílias sem: luz, água e também internet, um fato me chamou a atenção; mesmo no sofrimento de um calor acima dos 40ºC. Sobre a luz de vela ou candeeiros, as famílias se reuniram em volta a luz de vela para conversar, se ajudarem mutuamente e relembrar fatos, falar sobre o vendaval e a fata de luz e água, contar piadas e darem boas e longas risadas.

Andei pelo bairro observando os técnicos da concessionária e distribuidora de energia elétrica; trabalhando para restabelecer a luz. E no breu da noite, observei de longe muitas famílias, nas varandas ao redor da luz de velas e candeeiros; relatando a velocidade dos ventos e seus os estragos, por toda a parte. Outros, conversando, se ajudando, rindo, se abraçando em uma descontração total.  Uns chamando pelo nome de seus familiares, e amigos. Muitos vizinhos que antes balbuciavam meras palavras de saudações no cotidiano, nesta ocasião estavam juntos para compartilharem os mesmos sofrimentos e por em prática gestos de solidariedade. Coisas raras nos tempos de hoje. Muito difícil de acontecer quando se tem luz e os aparelhos plugados na internet, tendo o mundo nas mãos, diante das telas de todos os tamanhos.  Mas, acabando com as relações familiares.

Devemos ter muito cuidado para não entrar no jogo ilusório do mundo virtual. A nossa família em primeiro lugar, não podemos ser escravos da internet, devemos aprender a usar esta ferramenta a nosso favor e não contra a nós. Devemos limitar o nosso tempo para navegar, e tirar o tempo maior necessário para a família. A família é o que temos de mais sublime e importante em nossa vida. Dependo do tipo de convivência  familiar seja equilibrada ou desequilibrada terão reflexos futuros para a sociedade.

Portanto, a própria natureza em sua sabedoria pedagógica e disciplinadora nos ensinam a redescobrir os valores fundamentais; para reestruturar os laços familiares e de amizades rompidos ou mergulhados na indiferença. Utilizando metodologias às vezes cruéis, e dolorosas que nos estimula e nos obriga a reflexão, voltando aos tempos primitivos. Usando a luz de vela ou candeeiro para proporcionar rencontros familiares e reatar os laços amorosos que estão sendo sucumbidos através dos poderes da internet.  Em poucas décadas de existência e interferência da web nos lares brasileiros e mundiais. Já tem provocado ruínas imagináveis nas relações familiares com poderes superiores aos dos maiores furacões já existentes no Planeta Terra.

Atenção! Cuide bem do que você tem de mais valioso em sua vida, a sua família. Feche a porta e não permita que o vendaval chamado internet: destrua a quem os amam e zela por você; afeto incondicional, certamente você estará seguro e feliz. Não troque a internet pela sua família, sua família é superior a qualquer ilusão virtual. Use as redes sociais na prudência, e, sobretudo controle seu tempo precioso para outras coisas como ler um bom livro, praticar esportes e dar atenção sem limites a quem os prover e os amam em qualquer circunstancias, a sua família!

Postagens mais visitadas deste blog

A queima de fogos na virada do ano.

Queimar fogos de artifícios na acolhida do novo ano é linda, mas causa graves acidentes.As explosões dos fogos coloridos de artifícios no último dia e minutos do ano que está para ser encerrado tem seu auge exatamente as 23:59, quando der início a contagem regressiva para a chegada do novo ano.  É uma tradição que marca o advento do novo ano; ela é colorida, bonita e perigosa ao mesmo tempo, quando manipulada por imperícia, provoca sérios acidentes.  Ao longo dos anos vem aumentando o índice de acidentes graves durante a queima de fogos, geralmente por pessoas que não seguem as regras de segurança indicadas pelos fabricantes.

Você já rotulou alguém de burro?

Esta atitude é preconceituosa, machuca o sentimento de outrem, pare com isso.
Quando alguém utiliza este vocábulo burro para qualificar outrem, somente vem comprovar como muitas pessoas tem uma mentalidade maldosa, preconceituosa e intolerante em relação aos seus semelhantes. É inaceitável como é usado no Brasil o termo “burro” entre as pessoas. Muitos usam de maneira intencional para ofender covardemente os seus semelhantes.  Alguns humanos a utilizam de maneira maldosa, preconceituosa e ofensiva. Isso vem ocorrendo desde o início da colonização até os dias atuais.  Esta expressão preconceituosa já feriu e continua ferindo o sentimento de muita gente. Atualmente o preconceito vem sendo praticado de maneira escancarada, e com muito mais força, do que em outras épocas. A hostilidade entre as pessoas sempre existiu de forma velada no país, mas agora está passando dos limites nas redes sociais. Provavelmente em certos momentos da vida, alguém já o chamou de “burro”, na pura intenção de ofe…

O alcoolismo é uma enfermidade destruidora do ser humano.

Os alcoólatras não surgem da noite para o dia, mas a partir dos contínuos goles das bebidas alcoolizadas.  Os pacientes alcoólatras necessariamente precisam reconhecerem que o alcoolismo é uma doença. Porém, esse é o primeiro passo para todos os alcoolistas sofredores, iniciarem uma longa caminhada rumo a sanar esta enfermidade; que atormentam as suas vidas. Todos os seres humanos padecedores, através do uso compulsivo do álcool, não se geram da noite para o dia, mas começam a se desenvolverem a partir de um processo embrionário lento. E comumente muito cedo na vida, especialmente, as fases da adolescência e   juventude que atravessam a maioridade; até o fim da vida.

Sorte não existe o que existe é oportunidade e competência.

Todos devem saber construir a sua história com competência.A vida é uma permanente construção, saber administrar as oportunidades que surgem para fazer uma construção sólida é uma questão de competência e não de sorte. Nenhuma pessoa pode deixar que as coisas possam acontecer através da sorte; algo simplesmente ilusório e inexistente. Ninguém jamais poderá prever o futuro, mas com absoluta certeza precisa planejar com antecedência e perfeição os próximos dias, meses e anos. Fazer esta árdua tarefa sempre; enquanto permanecer respirando fôlego de vida neste mundo. Principalmente numa comunidade de gente submergida em status social avarenta e egoísta. Para viver dignamente nesta sociedade materialista, consumista e competitiva é imprescindível que cada pessoa, seja agente provedor de sua própria história, construtor de seu futuro.

A família Barros no Brasil e no mundo.

APELO DESAFIADOR.
Após vários apelos de familiares, amigos, descendentes da Família Barros que pediram para pesquisar e escrever um artigo sobre as nossas raízes. Agora tomei coragem e assumi esta responsabilidade de fazer este trabalho. Uma missão desafiadora e ao mesmo tempo, muito interessante conhecer as nossas raízes. Em psicologia podemos entender esta busca do homem por sua identidade familiar. Faz parte do ser humano acalentar esta curiosidade de saber onde somos e de onde viemos e que estirpes saíram. Uma tarefa dificílima, mas aos poucos fui construindo esta trajetória histórica. Quero adiantar que é um trabalho de análise histórica genérica e não uma genealogia de uma única família específica. Por isso, considero incompleto este singelo trabalho, devido à grandiosidade desta família espalhada pelo o Brasil e o mundo, mas que pode ser aperfeiçoado através da colaboração dos leitores.

O homem e seus vícios que os conduzem a humilhação.

Todos os homens carregam em sua essência o peso da desobediência com o Criador. O homem carrega em sua essência a natureza pecaminosa herdada desde a criação dos primeiros humanos Adão e Eva. Eles foram gerados, a imagem semelhança de Deus perfeitíssimo, mas infelizmente pecaram. Porém se travou na história humana uma luta feroz e constante contra o pecado. Através do pecado a história da humanidade mudou e desde aquela época até hoje, todos sofrem com as consequências da desobediência dos primeiros homens para com Seu Criador. Os humanos adquiriram vários vícios que os oprimem e os deixam em situações de humilhações e escravidões diante da família, amigos e a sociedade.   Tem muitos casos sem volta, outros, no entanto existem soluções quando os próprios viciados se conscientizarem dos seus estados doentios, mas   de livre e espontânea vontade procuram ajuda.

Favicon do blog analiseagora.

Todo blog necessita de uma identificação na web para melhor o público encontrar com facilidade. Esta é a favicon do blog analiseagora. Podem perceber que o título do mesmo, contém quatro letras repetidas [a] então resolvi personalizar como ícone do blog. Essa letra está na fonte Georgia na cor branca com o fundo azul escuro. Como o blog ainda está na sua fase inicial tudo é realizado às pressas e também de maneira simples, mas certamente o blog será reconhecido com muita facilidade pelos leitores quando realizarem suas buscas na internet.
Ainda que seja simples, mas foi criado com muito esmero e carinho a partir do meu conhecimento em design. Posso garantir ao meu público que me esforçarei para a curto prazo, criar uma outra favicon. Tudo terá novo visual, e seguramente deverá ser equivalente ou superior a altura do padrão de qualidade do blog analiseagora. Tudo para agradar a todos aqueles que aqui chegarem, e possam despertar seu interesse de permanecer por muito tempo pesquisando n…

O chorinho é a música arte refinada e popular do Brasil.

Chorinho a música arte e popular do Brasil.A música é uma das alas da arte mais refinada que traduz fielmente a cultura, os costumes, os sentimentos e principalmente a história de todos os povos. Ela dispõe de uma lâmina afiadíssima para romper barreiras intransponíveis de outras culturas e interagir com facilidade junto as outras nacionalidades.  Alguns gêneros musicais que nascem em uma determinada nação, em época definida, se espalham por toda a parte contagiando a todos de uma forma unanime, sem precedentes de gerações para gerações, isso sim; é de fato arte em forma de música. A música que nasceu   e se constitui em expressão cultural de certos povos, não morre no tempo e no espaço por que tem conteúdo artístico e é imortal. Contudo, a música arte, representa a vida das pessoas. Ela em todos os momentos se rejuvenesce diariamente.

Natal focalizado no consumismo e distante do real sentido cristão.

O período natalino é especial para a reflexão e descobrir o verdadeiro sentido cristão.
O natal momento de reflexão ou simplesmente de consumoimpulsivo? O nascimento de Jesus é o maior mistério teológico da humanidade! Deus Soberano se fez humano e gerou-se no ventre de uma mulher Maria. Tudo para em breve nascer, derramar seu sangue santo em uma bruta cruz, morrer e ressuscitar gloriosamente, para salvar a humanidade da morte eterna; provocada através do pecado. Neste mistério está o legitimo sentido do natal para a humanidade cristã. E não no consumo descontrolado da sociedade contemporânea na época natalina. Mais uma vez o natal chegou sobre os sons das badaladas dos sinos do papai Noel. Anunciando mais uma celebração cristã que vem se perdendo seu legitimo sentido para o comércio e o consumo impetuoso todos os anos numa acelerada intensidade.

Finalmente 2018! E agora?

O ano recém chegou, mas é necessário traçar metas e planejamentos. Após tantas crises econômicas, financeiras, e morais do país. Além dos aumentos de preços em tudo finalmente chegou o novo ano. Foram muitas as badalações, euforias, estresses e ansiedade do ano que se findou, a festa e a decepção da mega sena da virada para quem sonhou e errou. Aqueles que acertaram os números das probabilidades maravilha e quem não acertou tem que continuar a sonhar durante o ano até chegar a próxima mega da virada do fim do ano. Porém, finalmente chegou mais um ano novo o de 2018. Agora é o momento de todos organizarem seus objetivos a serem desenvolvidos no decorrer desse novo clico do calendário que guiará todos os negócios das pessoas e toda a engrenagem do funcionamento da sociedade, durante esses 365 dias. Muitos acontecimentos sejam eles bons ou ruins estão por vir durante esse novo ciclo e marcará para sempre a história da humanidade.