Pular para o conteúdo principal

Concessionária de energia elétrica deixa 90 mil usuários sem luz há muitos dias.

concessionárias de energia do Brasil não estão preparadas para   catástrofes da natureza.

Poste de transmissão de energia elétrica.
Mais um temporal violento que atingiu a população do vale dos sinos-RS, deixou por muito tempo suas marcas para a população como a falta de luz, água, telefone, internet fixa, medo e traumas.  Além disso, revelou outra realidade que não conhecíamos e imediatamente veio à tona.  A ineficiência e o despreparo da concessionária deste complexo sistema de energia elétrica. A companhia AES/SUL foi ineficiente em administrar com rapidez aos diversos problemas de falta de energia em toda a região atingida com essa violenta tempestade.
Até o momento já são noventa mil usuários sem energia e esse numero irá aumentar se não tomarem providencias urgentes, mas pelo desleixo e imprudência da concessionária   esse numero poderá aumentar e os trabalhos lentos poderá demorar dias até consertar tudo e restabelecer a energia aos consumidores.

A falta de água potável em situações de calamidades publicas causadas pela falta de energia.

A água potável um dos itens indispensáveis para fazer os demais setores funcionar, e nestes momentos de calamidades é fundamental e urgente para amenizar o sofrimento da população, atingida; mas com a falta de energia estes setores fracassaram. Nunca se pode também cometer a injustiça e não reconhecer os grandes esforços das empresas, do saneamento para resolver todos os transtornos da população.  Os seus méritos devem ser reconhecidos, além dos esforços, até se consumir todas as possibilidades até ao esgotamento; sem sucesso.

Todavia a demora em solucionar os problemas da falta de luz em uma época de calor extremo, deixa transparecer que a concessionária não estava bem equipada e sem planejamentos estratégicos eficazes, nem investimentos preventivos. E por isso mesmo ocorreu o caos que viveram a população; gerando um drama sem fim. Esta realidade cruel configurou negligência, ineficiência e pleno despreparo diante das situações de emergências e calamidades públicas provocadas por fenômenos naturais.  Sinal que apenas focaram ao longo desses anos, no lucro sem limites e esqueceram propositalmente em investimentos. O correto seria destinar uma ampla fatia dos lucros exorbitantes, na prevenção das catástrofes futuras; provocadas pela   natureza.

O temporal ocorrido em foi em janeiro de 2014, foi violento.

O que ocorreu no último dia 31 de janeiro de 2014 nesta região do vale dos sinos foi um temporal violento. Naquele momento a temperatura oscilava entre 37ºC e 38ºC, mais uma sensação térmica de quase 50ºC.

Conforme os especialistas em meteorologia, calcularam que tenham ocorrido ventos numa velocidade entre 120 a 150 km por hora, em apenas oito minutos dependendo da localidade, foram minutos de extremo pavor.
A MetSul/meteorologia descreve como “uma super célula de tempestade, que ocasionou uma espécie de micro explosão”.  Em algumas localidades foram menores ou de maiores intensidades, deixando rastros de destruições avassaladoras.  Muitos postes podres de madeira, para a de transmissão de energia elétrica, foram ao chão, também árvores caíram sobre as casas, carros, ruas, a BR 116 a mais movimentada do país parou. Em função de muitas árvores sobre as pistas nos dois sentidos. Muitas casas destelhadas, hospitais, escolas, igrejas e muitas lojas e outdoors de anúncios espalhados nas ruas e avenidas. Foram três dias de um apagão geral, depois continuou muitos lares durante semanas sem luz. E sem água potável e internet e num calor escaldante nos dígitos acima de 39ºC a 40ºC.

A concessionária de energia elétrica foi irresponsável e negligente com os clientes.

A imagem mostra poste de transmissão de energia elétrica. 
A concessionaria responsável para gerenciar a distribuição de energia elétrica, a AES-SUL se mostrou despreparada para resolver os problemas deste temporal brusco. O call-Center também é muito limitadíssimo, certamente deve haver poucos atendentes despreparados tecnicamente para o atendimento à população.  Imediatamente todos os telefones ficaram congestionados.  E colocaram a seguinte mensagem “senhores usuários as nossas posições de atendimento encontram-se todas ocupadas, por favor, ligue mais tarde” e esta gravação permaneceu nos momentos mais críticos e nenhum usurário podia falar com alguém da empresa. Nem mesmo o presidente do PROCON de Novo Hamburgo RS, afirmou em entrevista à imprensa, que a operadora AES-SUL, não atendia suas ligações. Imaginem o restante da população. Total falta de respeito aos consumidores que pagam suas faturas em dia.
Agora imaginem se fosse um evento metrológico de grandes proporções, por exemplo em um possível tornado, ciclone violento ou furacão. Como ficaria a população?  Principalmente nesta região onde habitam milhares pessoas.  Autêntico conglomerado humano por metro quadrado.  Uma área que faz parte da grande Porto Alegre, ou da região metropolitana, onde a densidade demográfica é grande, consequentemente os transtornos; evidentemente seriam maiores e imagináveis.

Os serviços prestados pela concessionária de energia são desleixados.

Portanto, no Brasil os serviços essências para a população funcionam dessa maneira desleixada. As concessionárias que assumiram o controle por meio da maldada privatização têm a responsabilidade de prestarem bons e eficazes serviços para a população. O que eles fazem   prestam um péssimo serviço e caríssimo e fazem descaso em absoluto aso clientes. Somente pensam nos lucros abusivos e absurdos. Porém, não se preparam o suficiente para atender o povo em dias de transtornos causados pela natureza.  Quem sofre com esta falta de despreparo da concessionária e permanece impotente sem saber como agir em circunstâncias inesperadas, é a população; que tem um prejuízo e irreparável e muitos correm até riscos de vida. Já aconteceram diversos casos de pessoas que morreram eletrocutadas e a culpa são da empresa que está aquém da prudência.

Cuidado ao andar pelas ruas para evitar acidentes com fios no chão eletrizados.

Técnicos remendando as linhas de transmissão de energia elétrica.
Preste atenção ao passar pelas ruas de sua cidade é só observar o estado deplorável de muitos postes que seguram o peso dos emaranhados de fios de transmissão de energia, telefone, TV a cabo e internet de todas as operadoras. Muitos caem pelo peso e o próprio descaso. É uma tremada vergonha e imprudência da operadora de energia que usam postes de madeira podres para um serviço tão importante para a população brasileira.

O governo brasileiro deveria fazer um decreto obrigando estas empresas substituir todos os postes de madeira por postes de concretos, evitaria a queda dos postes, dos transformadores, dos cabos da rede de transmissão da energia impedindo assim, a falta de luz facilmente e todos os transtornos ao povo.  E colocar a ANEEL (Agência nacional de energia elétrica) e as prefeituras para fiscalizarem e aplicarem pesadas multa a essa concessionária que lucra na base da usura e não investem em qualidade, melhorias e segurança para o povo brasileiro.

Mensalmente todos recebem a fatura da AES-SUL padrão FIFA, mas tem uma estrutura de distribuição de energia e atendimento aos usuários padrão zero em qualidade. Está péssima qualidade se observa em apenas num item importante, que são os postes podres de madeira. Repletos de verdadeiras gambiarras para abastecer os lares e todos os setores dependentes da energia elétrica. Os demais componentes que faz sustentar a transmissão da energia, os leigos nem percebemos suas lamentáveis condições. Tão-somente os técnicos devem saber o estado em que se encontram, por isso que qualquer chuvarada, não precisa ser intensa já há falta de luz por muito tempo e os prejuízos vêm em cascatas.  O mais agravante é que todos os responsáveis se isentam de suas responsabilidades e deixam a população no sofrimento durante vários dias. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O abc da mãe e suas qualidades.

As mães e suas qualidades no seu abc. As mães quantas qualidades elas possuem, desenvolvem e as colocam em prática, diariamente, vinte e quatro horas; durante uma vida inteira em prol dos seus filhos. Entretanto, dificilmente os filhos percebem e reconhece está árdua luta das mães e são gratos a elas.  Observem neste singelo texto, quanto as progenitoras fazem para seus filhos.
Estes dons surgem desde quando ela engravida pela primeira vez dão à luz seus filhos (as). Elas no cotidiano colocam em prática através de sua consciência maternal todas suas qualidades de mães para a proteção, provisão e educação dos filhos. O mais estranho e ingrato é que poucos filhos reconhecem a importância da sua mãe enquanto estão juntos. Muitos somente irão reconhecer e se lamentarem a sua real importância quando elas morrem.

Você já rotulou alguém de burro?

É uma atitude preconceituosa para ferir o sentimento de outrem e ruim para o convívio social.Quando alguém utiliza este vocábulo burro para qualificar outrem, somente vem comprovar como muitas pessoas tem uma mentalidade maldosa, preconceituosa e intolerante em relação aos seus semelhantes. É inaceitável como é usado no Brasil o termo “burro” entre as pessoas. Muitos usam de maneira intencional para ofender covardemente os seus semelhantes.  Alguns humanos a utilizam de maneira maldosa, preconceituosa e ofensiva. Isso vem ocorrendo desde o início da colonização até os dias atuais.

Indiferença é este sentimento negativo presente nas relações humanas.

Este sentimento ruim, a indiferença está presente na vida e setores sociais. A indiferença é um dos sentimentos humanos extremamente impresumível inerte em sua índole humana. Todavia, quando é despertada provoca indignação à pessoa alvejada. Este sentimento negativo pode estar infiltrado em inúmeras circunstancias da vida. O mais preocupante é a insensibilidade neste mundo individualista; mesmo diante de muitas amizades virtuais vazias e geladas de sentimentos. Podem-se perceber nas relações familiares em gerais e entre amigos. 
No plano social, há muitas situações onde as pessoas reagem plenamente indiferentes, em relação aos semelhantes nas situações de fragilidade e incapacidade. São característicos dos homens reagirem indiferentemente frente aos problemas de outrem. No âmbito governamental, o sentimento de indiferença é visível e constante por parte das autoridades que se comportam em total indiferença frente aos problemas sociais do povo. Também este sentimento é muito presente ent…