Pular para o conteúdo principal

Postagens mais visitadas deste blog

Você já rotulou alguém de burro?

É uma atitude preconceituosa para ferir o sentimento de outrem e ruim para o convívio social. Quando alguém utiliza este vocábulo burro para qualificar outrem, somente vem comprovar como muitas pessoas tem uma mentalidade maldosa, preconceituosa e intolerante em relação aos seus semelhantes. É inaceitável como é usado no Brasil o termo “burro” entre as pessoas. Muitos usam de maneira intencional para ofender covardemente os seus semelhantes.  Alguns humanos a utilizam de maneira maldosa, preconceituosa e ofensiva. Isso vem ocorrendo desde o início da colonização até os dias atuais.

O abc da mãe e suas qualidades.

As mães e suas qualidades no seu abc. As mães quantas qualidades elas possuem, desenvolvem e as colocam em prática, diariamente, vinte e quatro horas; durante uma vida inteira em prol dos seus filhos. Entretanto, dificilmente os filhos percebem e reconhece está árdua luta das mães e são gratos a elas.  Observem neste singelo texto, quanto as progenitoras fazem para seus filhos.
Estes dons surgem desde quando ela engravida pela primeira vez dão à luz seus filhos (as). Elas no cotidiano colocam em prática através de sua consciência maternal todas suas qualidades de mães para a proteção, provisão e educação dos filhos. O mais estranho e ingrato é que poucos filhos reconhecem a importância da sua mãe enquanto estão juntos. Muitos somente irão reconhecer e se lamentarem a sua real importância quando elas morrem.

Candeeiro ou lamparina antiga, mas muito usado no Brasil.

O candeeiro fez parte da vida do povo nos tempos remotos e na atualidade. Candeeiro é a lamparina, artefato antiquíssimo composta sobre duas partes simples. A sua base é feita de lata comum. Um desenho simplório num formato de uma pirâmide. No topo desta pirâmide usa-se pavio de fabricado de algodão. Ele é umedecido com querosene, que é colocado na parte de baixo, como podemos observar tem uma forma redonda, mas como base piramidal.
Este utensílio domestica há muitos anos foram usados no país inteiro até chegar às primeiras transmissões de energia elétrica nas capitais e aos poucos foram se disseminado para o restante do país. 

Os trens é a solução no transporte coletivo.

O sistema ferroviário uma solução para transporte de passageiros no Brasil.

A foto mostra o trem de superfície moderno que substitui a maria fumaça do século passado.
Os novo trens de urbanos do Brasil.
O Brasil já conviveu décadas passadas em tempos áureos, do transporte ferroviário de passageiros. Através das saudosas e glamorosas as marias fumaças, eram as locomotivas do início do século vinte. Todas movidas a carvão e depois passaram por um processo de modernização. Começaram a utilizar o óleo dísel, que geravam vapor suficiente de grande potência energética extraordinária, capaz de puxar grandes vagões, lotados de passageiros que viajavam diariamente por todo o país. Muitas dessas viagens além de serem a trabalhos, outras eram de passeios e negócios diários.

Nessas viagens de trem nasciam belos romances.

Entre esses vai e vêm, muitos fatos aconteciam e certamente ocorriam, grandes histórias inesquecíveis de amores. Grandes romances que nasciam dentro de uma pureza respeitosa de um primeiro fitar de olhos, a partir daí que se transformavam em belíssimos casamentos duradouros.
Construíram grandes famílias que se transformaram em enormes gerações. Também os desencontros aconteceram e em muitas circunstâncias o fim de muitos relacionamentos e o recomeço de outros, coisas dos humanos apaixonados. 
São tantas histórias que nasceram nesse partir e chegar das marias-fumaças. Nesse Brasil riscado com os traçados das longas linhas férreas, que daria para escrever um grande livro repleto de muitas histórias fantásticas que ficaram na memória de muitas pessoas.

A história das ferrovias brasileiras.

A foto mostra uma antiga locomotiva de trem de passageiros que riscava o país de ponta a ponta.
Antiga locomotiva de trem de passageiros.
Esse romance ferroviário, tem seu início em 1828, época do governo imperial, ganhou grande impulso através do empreendedor nesse setor Irineu Evangelista de Souza, chegando seu auge no governo de Campos Salles. Nesse período aconteceu a grande expansão da malha ferroviária brasileira. Durante a década de cinquenta se iniciou o processo de estatização. Finalmente   na década de noventa, a privatização e praticamente o abandono desse meio de transporte de passageiros, quando foi efetivado em 10 de março de 1992.
Essas coisas que deram certo no Brasil foram desativadas, em nome do desenvolvimento econômico moderno, mas sem planejamento, ou melhor, sem sustentabilidade. Os governos foram criando cenários reais de grandes possibilidades para esquecerem o sistema férreo e implantarem sem controle o sistema de transportes rodoviário no Brasil.

As montadoras de automóveis geraram o fim dos trens de passageiros e construíram as rodovias.

Atendendo os apelos das grandes montadoras de automóveis, que estavam chegando no país, o paraíso, de mão-de-obra barata e isenções fiscais de toda a natureza. Gerando nesse processo do progresso; grandes redes de corrupções que varriam para debaixo dos tapetes, dos governos antes de 1964. E dos governos do regime militar. Acatando a fúria desastrosa da ditadura militar para implantar o progresso a qualquer custo e inconsequentemente para a nação brasileira. O que aconteceu? Implantaram um sistema viário terrestre de transportes de passageiros construindo grandes malhas rodoviárias cortando o país de norte a sul e leste a oeste, com as colossais rodovias. Construíram a desnecessária rodovia dentro da Amazônia brasileira, a malfadada transamazônica e nem pensaram nos desastres ambientais para aquela riquíssima região. Hoje é uma verdadeira trilha cheia de armadilhas.

Em seguida entupiram as rodovias do Brasil inteiro de caminhões pesados, carros de passeio, ônibus abarrotados de passageiros e de turistas etc. Os problemas não demoraram muito para surgirem e as rodovias ficaram intransitáveis, devido às más conservações, os famosos tapa buracos, remendo daqui remendo dali e a saga continuam até hoje. Causando incalculáveis prejuízos para a população de todos os tipos.

Os prejuízos com as rodovias brasileiras.

Prejuízos gigantescos de diversas espécies em setores fundamentais e estratégicos da sociedade e da área econômica, saúde e ambientais e tantas outras. Geraram sérios problemas em todas as áreas da sociedade, mas pretendo analisar a situação da área do transporte de passageiros que é uma vergonha nacional. A questão da mobilidade urbana no país está muito longe de ser resolvida definitivamente.

Mesmo esperando a Copa do Mundo, algumas melhorias serão feitas nas cidades sedes. Entretanto, no restante desse país continental, tudo continuará da mesma forma, o caos aumentará. Á não ser que a população comece a gritar por dignidade e exigir melhorias nos transportes de passageiros. Uma das soluções viáveis seria robustos investimentos para trazer de volta os trens de passageiros modernos para todo o país. Porque o sistema viário está falido e a população paga uma passagem muito cara em todos os meios de transportes de passageiros. O sistema de pedágio nas rodovias desse país é simplesmente escandaloso e muitíssimo caro. Todos pagam o preço altíssimo para as concessionárias manterem serviço de qualidade e mesmo assim, não se percebe esse serviço de qualidade total.

As chamadas praças de pedágios têm um claro objetivo enriquecer velozmente as concessionárias, através da grande pescaria oficializada a rigorosos contratos entre elas e o governo. Eles utilizam o dinheiro dos usuários destas rodovias para bancar a ganância dos empresários das praças de pedágios. Os usuários pagam obrigatoriamente e constroem na sua mente uma meiga ingênua ideia, de que terão uma rodovia como se fosse um tapete. O que se tem são rodovias em péssimas condições de tráfego, muitos buracos, mato crescendo que prejudicam a visibilidade, sinalizações se colocam em risco a vida de muitas pessoas.

Falta vontade política do governo para reativar no Brasil os trens de passageiros.

O gif mostra uma antiga maria fumaça que levava e trazia passageiros em todo o país.
O gifs de uma antiga maria fumaça no Brasil.
Portanto, se o governo brasileiro quiser mudar esta realidade, na área da mobilidade do transporte coletivo, deve criar políticas públicas, que tenham uma função social específica para modernizar e implantar os trens urbanos em todo o país. Não apenas nas capitais e cidades de grande porte. Deve pensar seriamente numa política dos transportes urbanos de uma forma abrangente. Criar traçados que risque esse Brasil em todos os pontos promovendo uma integração ampla com os já existentes trens de passageiros. 
É questão de prioridade política para o governo que pretende gerar condições humanas para o povo andar num transporte de qualidade. Isso alavancaria a economia do país rapidamente. Imaginem uma realidade dessa seria importantíssima para todos.
O Brasil se tornaria em um grande canteiro de obras e consequentemente o número de empregos diretos e indiretos seriam grandiosos e gerariam grandes progressos na economia brasileira. Quantas empresas em comum se instalariam em função destas obras.  Seria alinhar nos trilhos a economia do país apenas neste setor. 
A qualidade de vida da população ganharia salto extraordinário. Certamente muitas histórias de vidas nasceriam nos vagões por todo o país, nesse vai e vem da população em busca de seus sonhos dentro de um meio de transporte de qualidade digno da nossa época rasgando os caminhos do desenvolvimento econômico sem desgastes da população. 

A carnificina que é registrada nas perigosas rodovias todos os dias e feriados deixariam de existir ou reduziria drasticamente. As pessoas aproveitariam saudavelmente e com mais intensidade a vida do que agora. Os benefícios econômicos e sociais do transporte de trens para passageiros iriam aparecendo ao longo do tempo, através de um competente gerenciamento. Tudo depende simplesmente de coragem e vontade política em querer mudar esta realidade cruel no transporte coletivo de passageiros do Brasil, dinheiro tem, mas falta projetos e vontade política de querer transformar esta situação que ninguém suporta mais.   

Comentários