Pular para o conteúdo principal

Postagem recente.

Os golpistas terão que aceitar os resultados das eleições de 2022.

Após a anúncio do candidato eleito, os golpistas foram para as rodovias.   Golpistas! Depois ao anúncio do candidato eleito, os golpistas foram para as rodovias.   Neste meu tempo existencial nunca vi eleições presidenciais contestadas, a não aceitação dos resultados das urnas no Brasil. Sempre presenciei o reconhecimento da derrota e os cumprimentos ao eleito e sobretudo, a normalidade democrática, em 2022 é exceção. Ainda nem havia terminado o fim da apuração das eleições presidenciais de 2022, os golpistas bloquearam as rodovias brasileiras. Tudo foi orquestrado porque a extrema-direita já previa a derrota.  Eles foram fazer protestos caricatos, criminosos e antidemocráticos contra os resultados das eleições presidenciais do segundo turno, eles não aceitam a vitória legitimada do Lula por mais de 60 milhões de votos. A esquerda foi derrotada em 2018 e a normalidade democrática continuou.   Em 2018 a esquerda foi derrotada e ninguém mandou fechar as rodovias do Bra

A fragilidade da vida humana.

A fragilidade da vida, será o foco desta matéria em debate.
 

A imagem de fundo azul e caracteres em branco diz: a vida humana é frágil.
Na imagem está inscrito: a vida humana é frágil.


Tem detalhes mínimos e sérios na vida diária, como as enfermidades as quais para muitas pessoas, podem ser insignificantes e certamente para muitos entes fazem sentido, cuidados especiais e preciosos permanentes e assim se nota quão fraca é a existência humana.

 

Por mais que se tenham pesquisado importantíssimas descobertas para ajudar a entender e curar males da vida, ainda estão engatinhando e a cada momento somos surpreendidos perante as doenças que são desafiadoras ao conhecimento humano. Portanto, nas áreas das ciências da medicina, as quais investigam a existência, a qual garantidamente trilham na busca da compreensão e valorização de viver melhor. Visto que, há muitos trabalhos a serem realizados neste campo.

 

Os cientistas trabalham aguerridamente para encontrar a erradicação daquelas doenças que há muitos anos os desafiam e os deixam no vácuo, uma luta permanente está acontecendo. Sempre no intuito de descobertas inéditas que venham a ser imprescindíveis numa abordagem nas buscas incansáveis para obter uma resposta aos desafios das doenças desconhecidas e letais. No entanto, os cientistas sempre vêm aprimorando as investigações a partir da realidade e experiências vividas ocular e diariamente, com o objetivo de encontrar soluções que pareçam impossíveis. Eles vão a campo para buscar soluções, ou cura para aquelas doenças até então, incuráveis.

 

A fragilidade humana que talvez nem seja alvo de estudo da medicina ou outras ciências humanas, contudo, como tais, somos meros mortais, mas elegeremos este aspecto da vida como objeto importante e de profunda reflexão mesmo sem uma resposta, uma vez que, ninguém escapa dessa realidade existencial é a finitude.

 

A vida humana é forte, mas se percebe quão frágil é, semelhante e mais preciosa do que o cristal.

 

 

Intuitivamente a vida, é imbatível, mas, ao mesmo tempo, é exaurida semelhante à fragilidade de um cristal. No entanto, a pretensão deste texto não é construir uma definição sobre a vida porque já existem inúmeras. Contudo, é apenas construir uma reflexão sobre o sentimento que envolve nosso ser, a fragilidade existencial.

Ao analisar a história das atividades entre os grandes pensadores e cientistas para formularem uma significação persuasiva e harmônica sobre a vida, se percebe que todos distanciam a passos largos de um consenso entre si e suas mais divergentes ideias sobre o conceito de existência.

Sabemos que existem renomados tratados repletos de teses científicas magníficas sobre a vida. Contudo, por mais que se tenham amplas mortes nas aspirações de construírem definições claras e objetivas desta palavra vida; seja no âmbito religioso, científico, e em todas as áreas do conhecimento humano, parece muito distante devido ao pensar diferente de todos, em função de suas convicções ideológicas bem definidas.

É adequado que haja uma admirável literatura universal, na tentativa de elucidar o que é a vida, diante de inúmeros conceitos diversificados, e enfoques singulares, mas a impressão é que ainda estamos aquém de uma definição comum e perfeita. Há um longo caminho a percorrer garimpando matéria-prima para minuciosas e pacienciosas pesquisas dentro de todos os parâmetros científicos e frenéticos para procurar desvendar e entender alguns mistérios da vida.

Diante da complexidade que é composta a maravilhosa vida, apenas estarei a apreender simplesmente em um único detalhe, que me faz atrair a atenção, como leigo e mero observador. Continuamente me faz deixar em momentos de introspecção, quando retorno às rotineiras revisões médicas. Geralmente, nos deparamos com situações dos nossos semelhantes humanos, que revelam a fragilidade da vida. São aqueles momentos últimos, no qual se vê as pessoas a definharem, é a sua finitude corpórea. Cenas naturais e normais das mais variadas causas que circunstanciam o estado de saúde. Estas realidades sempre me deixam impressionado, reflexivo e questionador, sobre a fragilidade da vida.

Olhar como a vida é frágil basta ir às consultas ou visitar os enfermos nos hospitais.

A imagem de fundo verde oliva e no meio fundo vermelho e no cento um círculo em verde oliva, está escrita a palavra vida.
Na imagem está inscrito: a palavra vida!

Os melhores lugares para perceber esta fragilidade humana in loco, é sem sombras de dúvidas ao irmos a uma ou várias vezes aos hospitais de preferência da rede pública. Seja para visitar os enfermos, ou ir à obrigação das consultas mensais os semestrais, nas tentativas de procurar as curas para as nossas enfermidades; é lá que se percebe o quão a vida é frágil.

Estes locais são lotados todos os dias por semelhantes humanos em busca dos mesmos recursos oferecidos através da inovação na área da medicina para curar as diversas doenças. Aí percebemos a fragilidade da vida, situações nas quais são muitas vezes mais difíceis do que as nossas imaginam ser. Portanto, é lá que se descobre que a minha patologia ainda é melhor que as de muitos outros pacientes. No entanto, nos deparamos com a presença de muitas pessoas, até mais frágeis do que nós. Há uma espécie de projeção de que somos mais fortes, estamos melhores diante das fragilidades da saúde do outro. 

A vida é semelhante a esta engrenagem, mas de células perfeitas que tudo funciona de maneira sincronizada para que tudo funcione de maneira perfeitíssima. Qualquer desajuste existe, não mais funciona corretamente e o nosso organismo é invadido por agressores bacterianos que se não forem corrigidos a tempo poderá, infelizmente, gerar enfermidades e ir ao óbito.   



Se houver possibilidades de observar as mais diversas alas de um hospital terá a grande oportunidade de ver in loco, a pequenez humana estampada em cada semblante de dor e sofrimento, mas sempre existe uma faísca de esperança para curar as mais complexas enfermidades. Quando estamos sadios parece que somos invencíveis, uma rocha, mas no momento nos tornamos moribundos por qualquer moléstia aí sim! Sentiremos a fragilidade humana na pele. Temos a impressão de que somos o ser mais frágil do que todos os outros seres insignificantes do mundo. De invencíveis que pensamos ser, caímos do pedestal da empáfia, e tudo desmorona por terra. Se constituirmos arrogantes, logo bate em nossa consciência um sentimento de simplicidade e temos a certeza de que somos uma vida fundamentada na fragilidade.

Uma bactéria desconhecida e sem controle pode ser mais forte do que o homem que se acha o poderoso, dono do mundo, adotando o rompante de ser melhor que seu semelhante. A fragilidade da vida é algo existencial e real presente em todos os humanos. O bom mesmo é que não damos importância para isto em nosso cotidiano. Todavia, nem é bom para ninguém e principalmente para a nossa mente cultivar algo deste gênero existencial.

A vida é maravilhosa e frágil, mas todos precisamos viver com alegria e qualidade até o fim.

 

Portanto, a vida é maravilhosa, complexa e repleta de fragilidade por isso, o agradável mesmo é sim, apreciar a existência, de uma maneira sempre saudável, excluir definitivamente tudo que é considerado danoso à saúde, e incluir tudo o que avaliamos ser bom para a ter qualidade no viver. Por quanto, só assim, poderemos viver melhor e com qualidade de vida.

A vida é para ser vivida na alegria, na harmonia e na simplicidade. À vista disso, o sentimento arrogante e orgulhoso tende não nos permitir a gerar em nossa essência a sensação de humildade para produzir em nosso ser a emoção da felicidade. Somos fortes, mas nunca nos vamos deixar ser enganados pela astúcia da prepotência e lembrar que temos uma vida perseguida permanente através da inerente fragilidade humana.

Comentários

  1. "À vista disso, o sentimento arrogante e orgulhoso tende não nos permitir a gerar em nossa essência a sensação de humildade para produzir em nosso ser a emoção da felicidade". (Fonte:https://www.analiseagora.com/2013/04/a-fragilidade-da-vida-humana_27.html )

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O arrogante não vai longe! Quanto mais alto estiver a queda será maior e nem perceberá nada!!

      Excluir

Postar um comentário

Por gentileza deixe seu comentário é muito importante para nosso trabalho.

Postagens mais visitadas deste blog

O abc da mãe, para expressar, as suas qualidades.

As mães possuem suas qualidades no abc da vida.   A imagem diz o  abc da mãe  As mães, quantas qualidades elas possuem, desenvolvem e as colocam em prática, diariamente, vinte e quatro horas; durante uma vida inteira em prol dos seus filhos. Entretanto, dificilmente os filhos percebem e reconhecem esta árdua luta das mães e são gratos a elas. Observem neste singelo texto, quanto as progenitoras fazem para seus filhos.   Estes dons surgem desde quando ela engravida pela primeira vez dando à luz seus filhos (as). Elas no cotidiano colocam em prática através de sua consciência maternal todas suas qualidades de mães para a proteção, provisão e educação dos filhos. O mais estranho e ingrato é que poucos filhos reconhecem a importância da sua mãe enquanto estão juntos. Muitos somente irão reconhecer e lamentar a sua real importância quando elas morrem. Os filhos deveriam observar e valorizar as qualidades da mãe.   Neste simples abc da mãe, todos os filhos deveriam sempre obser

Você já rotulou alguém de burro?

Essa atitude é preconceituosa, ela  ferirá o sentimento de outrem e ruim para o convívio social. A expressão Burro comprova o preconceito  entre as pessoas.  Quando alguém utiliza este vocábulo burro para qualificar outrem, somente vem comprovar como muitas pessoas têm uma mentalidade maldosa, preconceituosa e intolerante em relação aos seus semelhantes. É inaceitável como é usado no Brasil o termo “burro” entre as pessoas. Muitos usam de maneira intencional para ofender covardemente os seus semelhantes. Alguns humanos a utilizam de maneira maldosa, preconceituosa e ofensiva. Isso vem ocorrendo desde o início da colonização até os dias atuais.

Candeeiro ou lamparina antiga, mas muito usado no Brasil.

O candeeiro fez parte da vida do povo nos tempos remotos e na atualidade.   Sem luz se usa o candeeiro. Candeeiro é a lamparina, artefato antiquíssimo, composta por duas partes simples. A sua base é feita de lata comum. Pode-se observar que é um desenho simplório, num formato de uma pirâmide. No topo desta pirâmide usa-se pavio de fabricado de algodão. Ele é umedecido com querosene, que é colocado na parte de baixo, como podemos observar tem uma forma redonda, mas como base piramidal.