Pular para o conteúdo principal

Postagem recente.

Conheça a lenda do prefeito fujão

  A lenda que se alastra entre a terra e o mar O  barco do Zé das Marés,  navegando no Oceano Atlântico e sem norte. Nas noites escuras e chuvosas do litoral norte-grandense, os bares de bebidas ecoam piadas, brincadeiras e histórias. Entre o tilintar dos copos e o aroma de petiscos do mar, uma lenda se espalha como fumaça dos rastilhos de pólvoras: a saga do Prefeito Fujão. Não se trata de uma brincadeira ou uma mentira, mas sim uma realidade que desafia a lógica e a política. O homem em questão era o Zé das Marés, um candidato improvável. Nas eleições de 2020, ele não tinha chances reais de vencer. A sua campanha foi modesta, e quase esquecida entre os discursos inflamados dos adversários. No entanto, ocorreu um evento inesperado: Zé foi o vencedor. A população, cansada das promessas estúpidas, votou nele como forma de protesto. No entanto, o prefeito José das Marés não demonstrou aptidão para a função de prefeito. Ele era um ex-subprefeito de uma pequena cidade da região, conhecido

A fúria do ciclone extratropical no Sul do Brasil.

 

A força e a fúria da natureza sobre o homem.


A foto mostra os estragos  do ciclone no Município de Caraá - RS ,
A enchente do ciclone no Município de Caraá - RS/Créditos: Mauricio Tornetto.


Ninguém pode avaliar o poder de destruição da natureza sobre o homem. Os gaúchos e catarinenses sofrem com a força do ciclone extratropical destruidor no Sul do Brasil. A faixa Leste e nordeste do Estado do Rio Grande do Sul, que compreende o Litoral Norte, Serra gaúcha, Porto Alegre, as regiões dos vales dos rios Caí, Sinos, Paranhana, Gravataí e região metropolitana, sofreram a fúria da natureza, no modelo de ciclone destruidor.

O que ocorreu na semana passada, foi essa demonstração de força, destruidora da natureza, sob o formato do ciclone extratropical. Este fenômeno que se formou no Oceano Atlântico em direção ao continente, com rajadas de ventos superiores a 102 km/h e fortes dilúvios torrenciais equivalentes a 30 dias de chuvas sequenciadas. Causaram muitos, medos, pavores, danos, sofrimentos para toda a população do Estado do Rio Grande do Sul.

No entanto, este volumoso índice pluviométrico foi medido, em milímetros de precipitações de 200 a 400 mm de chuva, medições pelas estações meteorológicas oficiais do Brasil.

A força da natureza é realmente algo impressionante e sobretudo, apavorante para quem habita nas regiões atingidas e principalmente para quem está no olho do ciclone.


É imprescindível atender os alertas da meteorologia.

 

Os alertas meteorológicos já são por si só, amedrontadores. Contudo, no momento do evento meteorológico o pânico recai sobre as pessoas porque não se sabe se saíram vivos ou não, o que vai acontecer com a fúria da natureza sobre as casas e principalmente com as populações indefesas. Tudo é realmente um tremendo momento de pavor e agonia interminável para todos. Resta neste instante, reconhecer que a pequenez humana diante das forças dos ventos e das chuvas torrenciais violentas e destruidoras de tudo estão agindo sobre todos os habitantes das regiões atingidas.

Contudo, numa situação dessa, não há o que fazer porque nestas horas de horrores, a não ser orar ao Senhor Nosso Deus Eterno e Vivo, que tem o controle de tudo e todos, para efetuar passar o mais rápido possível as horas de pavor. Pedi que Ele nos proteja da fúria dos fenômenos naturais. Que ao menos seja possível que todos saiam vivos, ainda que se percam todos os bens materiais. Permanecer vivo é importante para trabalhar e com dificuldade e muito tempo para readquirir o que foi destruído.


O ciclone do dia 16 é a cara do El Niño.


O que aconteceu no Rio Grande do Sul nos dias 16/06/23 foi apenas uma demonstração de como agirá o fenômeno El Niño, no Sul e Sudeste do Brasil por um longo período de ação violenta nestas regiões do país. No Sul do Brasil sofreu com a ação da la niña, que foi um longo período de seca em todos os estados das regiões sulinas e no Norte e nordeste grandes enchentes. No entanto, agora se inverte a la niña, vai permanecer no Norte e nordeste do Brasil e o efeito do fenômeno El Niño, nas regiões Sul e Sudeste.

Portanto, os governos estaduais e federal das duas Regiões precisam estar atentos às ações dos dois fenômenos meteorológicos que atormentaram a vida de todos os habitantes e das autoridades locais e federais.

Contudo, não há desculpas para ninguém afirmar que não sabe de nada porque os institutos meteorológicos, já estão emitindo comunicados sobre as possíveis mudanças no clima por conta desses dois fenômenos que estão atuando no Brasil. No entanto, é imprescindível que a população atenda os alertas e respeitem para encontrar refúgios, nas atuações do El Niño, que virão muitas chuvas, alagamentos e prejuízos, em geral, para todos. Os governos de todas as esferas administrativas precisam criar políticas públicas para atender a população nos futuros eventos catastróficos que possam acontecer neste período de atuação do El Niño nos estados sulinos e do sudeste brasileiro.


Consequências do ciclone extratropical no RS.


Visão da enchente causada pela ação do ciclone no RS.
A enchente causada pela ação do ciclone no RS. Foto: Felipe Serena/Divulgação.


O ciclone passou, entretanto, as consequências continuarão entre todas as pessoas dos municípios atingidos. É muita tristeza e sentimentos, para as pessoas que tiveram seus entes queridos mortos, a dor e a saudade será para sempre. Que Deus possa confortar os corações dos familiares enlutados através dessa tragédia provocada pelo ciclone extratropical do último dia 16 de junho de 2023! Até agora chegaram 14 mortos e alguns desaparecidos. É muito triste!

Até agora existem 41 municípios atingidos, com registro de 4.713 pessoas desabrigadas e 697 desalojadas e muitas famílias sem luz, “internet” e água potável. Alguns pontos dos rios começam a baixar o nível da enchente lentamente, mas, já atingiram níveis iguais às enchentes de 2015 e 2016.


Os danos materiais são difíceis de serem reconstruídos.

Contudo, os danos materiais levarão muitos anos a serem reconstruídos porque atualmente reformar ou iniciar uma moradia somente com recursos próprios no Brasil, é algo somente para os ricos. O material de construção, em geral, é um horror caro. É desaconselhável para todos os cidadãos contraírem empréstimos bancários e nas financeiras com estes juros escorchantes do Banco Central de 13,75% é para ir à falência total.

No entanto, é fundamental, que os governos das três esferas do Brasil se unam e pensem numa forma de ajudar os atingidos a refazerem as suas moradias em tempo célere porque agora é o período do frio. Contudo, todos os atingidos pela ação do ciclone, não podem permanecer ao relento ou em abrigos por tempo indeterminado, todos tem crianças e são pessoas idosas que necessitam de apoio total do poder público.


LEIA MAIS: O El Niño, menino bipolar, doOceano Pacífico, acorda surtado.



O frio nesta época do inverno é um fator de risco para a saúde de todos em razão das doenças respiratórias e da hipotermia que pode ser fatal. O inverno apenas irá iniciar sob a batuta do El Niño, o destruidor. Este fenômeno, El Niño, se comporta como um adolescente sem noção da vida. Isto, ele esbanja a sua revolta meteorológica sobre toda a população que nem ao menos os conhece a sua origem e suas rebeldias. Tanto as revoltas do El Niño, quanto da La Niña, são preocupantes para todo o Brasil.


O governo federal precisa disponibilizar, verbas para socorrer a população.

Portanto, o governo federal, estadual e municipal precisa disponibilizar verbas para socorrer a população brasileira desses dois fenômenos o El Niño e a La Niña que atuarão com extrema gravidade sobre o país.

Os alertas já foram emitidos através das estações meteorológicas oficiais do Brasil. Todavia, cabe a toda a equipe de governo permanecerem atentas, para socorrer nos momentos em que estes dois adolescentes revoltados da meteorologia, poderão a voltar a atacar o País de maneira e horas imprevisíveis. Entretanto, cabe então, o setor do governo agir com celeridade para atender a população o mais rápido possível.


O ministro que ocupa esta pasta não pode se utilizar de imprudências diante dos fenômenos naturais e catastróficos. Entretanto, agir com perícia e sobretudo, acompanhar a evolução desses dois fenômenos e suas travessuras no Sul do Brasil e no Norte e Nordeste que sofrerão a ação da rebeldia da La Niña que poderá ser fortes secas e assim, prejudicar o setor agrícola.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O abc da mãe, para expressar, as suas qualidades.

As mães possuem suas qualidades no abc da vida.   A imagem diz o  abc da mãe  As mães, quantas qualidades elas possuem, desenvolvem e as colocam em prática, diariamente, vinte e quatro horas; durante uma vida inteira em prol dos seus filhos. Entretanto, dificilmente os filhos percebem e reconhecem esta árdua luta das mães e são gratos a elas. Observem neste singelo texto, quanto as progenitoras fazem para seus filhos.   Estes dons surgem desde quando ela engravida pela primeira vez dando à luz seus filhos (as). Elas no cotidiano colocam em prática através de sua consciência maternal todas suas qualidades de mães para a proteção, provisão e educação dos filhos. O mais estranho e ingrato é que poucos filhos reconhecem a importância da sua mãe enquanto estão juntos. Muitos somente irão reconhecer e lamentar a sua real importância quando elas morrem. Os filhos deveriam observar e valorizar as qualidades da mãe.   Neste simples abc da mãe, todos os filhos deveriam sempre obser

Você já rotulou alguém de burro?

Essa atitude é preconceituosa, ela  ferirá o sentimento de outrem e ruim para o convívio social. A expressão Burro comprova o preconceito  entre as pessoas.  Quando alguém utiliza este vocábulo burro para qualificar outrem, somente vem comprovar como muitas pessoas têm uma mentalidade maldosa, preconceituosa e intolerante em relação aos seus semelhantes. É inaceitável como é usado no Brasil o termo “burro” entre as pessoas. Muitos usam de maneira intencional para ofender covardemente os seus semelhantes. Alguns humanos a utilizam de maneira maldosa, preconceituosa e ofensiva. Isso vem ocorrendo desde o início da colonização até os dias atuais.

Candeeiro ou lamparina antiga, mas muito usado no Brasil.

O candeeiro fez parte da vida do povo nos tempos remotos e na atualidade.   Sem luz se usa o candeeiro. Candeeiro é a lamparina, artefato antiquíssimo, composta por duas partes simples. A sua base é feita de lata comum. Pode-se observar que é um desenho simplório, num formato de uma pirâmide. No topo desta pirâmide usa-se pavio de fabricado de algodão. Ele é umedecido com querosene, que é colocado na parte de baixo, como podemos observar tem uma forma redonda, mas como base piramidal.