Pular para o conteúdo principal

A sexta feira santa foi necessária para existir vida eterna.

A vida eterna nasceu a partir da morte e ressurreição vitoriosa de Jesus.

A morte de Jesus na cruz foi a vitória da vida com sua Ressurreição.
A sexta-feira santa, foi necessária existir para ocorrer o último sacrifício, do projeto perfeito de salvação; de Deus misericordioso para com a humanidade. Isto é, para nos libertar definitivamente da morte eterna fruto do pecado. A morte de Jesus na cruz foi este ato de amor incondicional do Senhor por cada ser humano pecador. Jesus pagou um preço incomensurável em razão dos nossos pecados. Jesus que é Deus Eterno, se fez humano e viveu como todos os humanos, exceto no pecado, para derrotar a morte preço do pecado e através de sua ressurreição gloriosa, proporcionar gratuitamente a vida eterna em abundância, para todos que creem e aceitarem, Cristo como o único Salvador, o único caminho que   pode levar ao Pai; O Deus Eterno, Onisciente, Onipotente e Onipresente.

Deus completou o plano perfeito de salvação, entregando o Seu Filho a morte de cruz para quitar a dívida do pecado do homem.

O plano de salvação perfeitíssimo, do Pai se completou quando, Ele entregou o seu filho primogênito e unigênito a morte de cruz, para quitar e zerar a dívida do pecado de todos os homens pecadores. Foi a morte escandalosa a da cruz. Ele foi abandonado no monte Gólgota e lá mesmo sacrificado para que o mundo inteiro fosse salvo da morte eterna e amortizou o preço do pecado para todos os que creem nesta verdade divina. Através da morte de Jesus na cruz, o homem pecador que estava condenado à morte eterna, em função da sua iniquidade, foi libertado e ganhou a salvação.

Compreendam que na natureza também ocorre esse mesmo processo.
Existe esse binômio entre morte e vida. Para existir uma nova planta é imprescindível que a semente morra. O agricultor necessariamente deve enterrar para depois ter a alegria de observar aquela semente ser germinada, uma nova árvore que brotara muitos frutos. Assim ocorreu com Jesus e ocorrerá com todos os humanos. Para que todos tenham a vida eterna é necessário morrer com Cristo para ressuscitar com Cristo.

O verdadeiro e real sentido da cruz para todos nós pecadores atualmente.

Contudo, o sentido da cruz coberta de sangue do Filho de Deus Onisciente, naquele dia doloroso, é a vitória da vida sobre a morte. É a sua ressurreição esplendorosa de Jesus sobre a morte. Esta realidade salvífica do Filho de Deus Onipotente, justifica a dor da sua morte física e de todos que creem na misericórdia de Deus Onipresente; para com a humanidade pecadora. Por isso o próprio Cristo disse: Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho Unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. (João 3: 16).  O significado da sexta-feira santa se resume na vitória da vida sobre a morte, isto é, na ressurreição gloriosa de cristo o Nosso Único Salvador. Ele pagou um preço naquela cruz de madeira a vergonha da sociedade em razão do amor incondicional a cada pecador que o aceita como o seu Salvador.

Na época de Jesus a morte de cruz era a vergonha da sociedade.

No contexto histórico da época do Filho de Deus Onipotente.  A cruz era vista no começo como a algo vergonhoso e de horror incomensurável. No decorrer da história cristã se transformou em símbolo da vitória da graça de Deus Soberano sobre o pecado. Evidentemente, se pode comparar a uma espécie de divisor de águas na história da humanidade, Igreja e pessoal. Isto por que ela tanto originou em si, o ato sacrificial de Jesus para   inocentar o pecador perante Deus Onisciente, quanto, o peso de tornar o homem ainda mais culpável perante ao Próprio   Deus soberano e misericordioso, quando o homem; despreza o sacrifício salvífico de Jesus naquela pesada cruz.

A real mensagem da cruz está na vitória da vida, sobre a morte, através da ressurreição de Cristo.

A cruz foi necessária para consumar o plano perfeito de salvação de Deus.
É óbvio quando se refere a mensagem da cruz, é para pensar sobre a morte e ressurreição de Jesus, porque sem isso a cruz se tornaria nula, nem se poderia a venerar, mas ignorar simplesmente. Todavia, quando se entende o real sentido, aí sim se pode lembrar   do que aconteceu nela para nos salvar.  O fato do Filho de Deus Onipotente, ter sido imolado na cruz e ressuscitado, foi o ato realizado de extraordinária importância para o pecador, que entende e aceita essa ação salvadora do Senhor Deus Eterno e pai.
Todo o significado da mensagem que a cruz, quer comunicar ao homem pecador é a Salvação, que é graça do Deus Bondoso para o homem pecador.

Tão-somente através da cruz de Cristo, todos foram livres da escravidão do juízo do pecado. A partir de então, ninguém   mais é escravo, porém, muitos preferem viverem escravizados e no erro até a morte. Todavia, através da cruz o império do pecado sobre a vida foi destruído. Agora em função do livre arbítrio todos   podem escolher, decidir da melhor forma possível como viver.

Como a cruz significa Salvação, todavia também é a garantia de que a culpa fora perdoada e que existiu mediação a favor do pecador perante Deus, e mais ainda de que essa intervenção foi plenamente eficiente e aceita e em razão dela todos os que creem; recebem a vida eterna.
A cruz também significa orientação. Tudo o que se possui, é e vem a ser em glória junto a Deus, é a partir de Jesus crucificado; mas ressurreto ao terceiro dia.

A cruz não é um símbolo qualquer, mas a ação de Deus sobre o pecado e principalmente a salvação do pecador para a vida eterna.

Portanto, a cruz não é um mero símbolo religioso, amuleto a carregar, para anular influências malignas, mas é sobretudo a ação de Deus quebrando o julgo do pecado na vida do homem, justiça e redenção. Ela também não serve para ser objeto de decoração para o pescoço, mas é para estar guardada nos corações dos humanos como símbolo de sacrifício e de salvação.

Aquele dia de dor era imperioso existir para que a vida eterna pudesse brotar definitivamente através da Ressurreição de Jesus. Aqui se encontra o verdadeiro sentido daquele dia. Morrer para ressuscitar gloriosamente para a vida eterna. Óbvio que exclusivamente esta ação de Deus tão-somente terá sentido para quem crer, aceitar e proclamar esta verdade divina. Eu creio e respeito àqueles que não creem e exijo que me respeitem a minha fé. Quão intensamente, também respeitos às crenças de outrem. Jamais discutirei uma vírgula sequer, com alguém que pense contrário à minha fé. Entrego simplesmente ao meu Deus o nosso justo juiz; que é a própria a sabedoria em Si mesmo. Certamente saberá julgar a todos em plena justiça. Sou indigno e imperfeito para censurar alguém. 🌎


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O abc da mãe e suas qualidades.

As mães e suas qualidades no seu abc. As mães quantas qualidades elas possuem, desenvolvem e as colocam em prática, diariamente, vinte e quatro horas; durante uma vida inteira em prol dos seus filhos. Entretanto, dificilmente os filhos percebem e reconhece está árdua luta das mães e são gratos a elas.  Observem neste singelo texto, quanto as progenitoras fazem para seus filhos.
Estes dons surgem desde quando ela engravida pela primeira vez dão à luz seus filhos (as). Elas no cotidiano colocam em prática através de sua consciência maternal todas suas qualidades de mães para a proteção, provisão e educação dos filhos. O mais estranho e ingrato é que poucos filhos reconhecem a importância da sua mãe enquanto estão juntos. Muitos somente irão reconhecer e se lamentarem a sua real importância quando elas morrem.

Você já rotulou alguém de burro?

Atitude preconceituosa, feri o sentimento de outrem, é ruim para o convívio social.Quando alguém utiliza este vocábulo burro para qualificar outrem, somente vem comprovar como muitas pessoas tem uma mentalidade maldosa, preconceituosa e intolerante em relação aos seus semelhantes. É inaceitável como é usado no Brasil o termo “burro” entre as pessoas. Muitos usam de maneira intencional para ofender covardemente os seus semelhantes.  Alguns humanos a utilizam de maneira maldosa, preconceituosa e ofensiva. Isso vem ocorrendo desde o início da colonização até os dias atuais.

A quinta sinfonia de Beethoven.

Beethoven e a quinta sinfonia.Beethoven compôs suas obras musicais eruditas na liberdade quebrando velhos paradigmas. O grande gênio da música clássica erudita Ludwig van Beethoven alemão nascido na cidade de Bonn em 1770 e faleceu em 1827 aos 56 em Viena. Um dos grandes compositores do estilo musical erudito, onde no conjunto de sua obra impera a liberdade, ele escrevia suas composições, suas obras quebrando velhos paradigmas da música clássica abrindo novos horizontes para a música erudita.