Pular para o conteúdo principal

Postagens mais visitadas deste blog

O abc da mãe e suas qualidades.

As mães e suas qualidades no seu abc. As mães quantas qualidades elas possuem, desenvolvem e as colocam em prática, diariamente, vinte e quatro horas; durante uma vida inteira em prol dos seus filhos. Entretanto, dificilmente os filhos percebem e reconhece está árdua luta das mães e são gratos a elas.  Observem neste singelo texto, quanto as progenitoras fazem para seus filhos.
Estes dons surgem desde quando ela engravida pela primeira vez dão à luz seus filhos (as). Elas no cotidiano colocam em prática através de sua consciência maternal todas suas qualidades de mães para a proteção, provisão e educação dos filhos. O mais estranho e ingrato é que poucos filhos reconhecem a importância da sua mãe enquanto estão juntos. Muitos somente irão reconhecer e se lamentarem a sua real importância quando elas morrem.

Você já rotulou alguém de burro?

É uma atitude preconceituosa para ferir o sentimento de outrem e ruim para o convívio social. Quando alguém utiliza este vocábulo burro para qualificar outrem, somente vem comprovar como muitas pessoas tem uma mentalidade maldosa, preconceituosa e intolerante em relação aos seus semelhantes. É inaceitável como é usado no Brasil o termo “burro” entre as pessoas. Muitos usam de maneira intencional para ofender covardemente os seus semelhantes.  Alguns humanos a utilizam de maneira maldosa, preconceituosa e ofensiva. Isso vem ocorrendo desde o início da colonização até os dias atuais.

Candeeiro ou lamparina antiga, mas muito usado no Brasil.

O candeeiro fez parte da vida do povo nos tempos remotos e na atualidade. Candeeiro é a lamparina, artefato antiquíssimo composta sobre duas partes simples. A sua base é feita de lata comum. Um desenho simplório num formato de uma pirâmide. No topo desta pirâmide usa-se pavio de fabricado de algodão. Ele é umedecido com querosene, que é colocado na parte de baixo, como podemos observar tem uma forma redonda, mas como base piramidal.
Este utensílio domestica há muitos anos foram usados no país inteiro até chegar às primeiras transmissões de energia elétrica nas capitais e aos poucos foram se disseminado para o restante do país. 

A dor da alma é uma dor invisível.

A DOR DA ALMA.

A imagem diz a seguinte frase: a dor mais dolorida é a dor invisível da alma.


A dor da alma não se vê cicatriz.
Somente a sente, quem a traz na alma.
Carrega nas entranhas da psique.
Não sabe o motivo da dor;
Nem dar sinal de curar.
A dor da alma é assim, invisível!
Não se sabe de onde vem,
Nem o tempo de sarar!

Existe a dor provocada...
E a dor não instigada.
A dor que some -se sem ver.
Há também a dor eterna do ser!
Está a dor estranha;
É a dor da alma.
Aparece sem se perceber;
É a aquela que não se entende.
Não se vê nada, só dói e dói sem cessar.


Não, sabe do seu por quê;
Sua origem;
Somente doí, dói e dói, interruptamente.
Uma dor sem medida.
Sem motivo;
Uma dor sem fim;
Sem tempo para terminar.
Esta é a dor da alma!

Ela machuca o cerne humano.
A essência humana permanece dolorida.
Agitada, angustiada e solitária.
Faz sangrar o coração;
Sem derramar nada...
Mas dói, dói, dói e dói sem fim!

A dor invisível age assim:
Eu não vejo.
Tu vês.
Ele não vê.
Nós não vemos.
Vós não vedes.
Eles não veem.
Ninguém ver.
Somente eu a sinto!

Quem sente a dor da alma.
Somente pode avaliar como ela dói;
Como ela faz abrasar sem haver fogo,
Ela faz cortar as entranhas do ser sem navalhas.
Como faz sangrar e espraiar dor em todo o corpo.
Sem derramar uma gota de sangue!

A dor da alma faz lacrimejar;
Faz chorar;
Nas escondidas;
A luz do dia, na escuridão da noite;
E na escuridão do ente.
Faz os olhos inchar de tanto chorar;
Faz criar olheiras invisíveis, aos olhos de outrem.
Faz gritar sem alguém ouvir;
O moribundo sofre a dor estranha, silenciosamente!

A dor da alma faz o mortal gemer.
Gemer de dor sem fim; faz gerar
Ser amargo, persona non grata!
A dor invisível só a sente;
Quem está no êxtase da dor.

Quem sofre de dor estranha; sabe
Simplesmente que;
Dói, dói, dói e tão-só dói sem parar.

Não há remédio que cure.
Químico, homeopático, ortomolecular e etc.
Espécie nenhuma, faz aliviar a dor;
Dor inexplicável, e intensa da alma.


A melhor medicação é aquela:
Da compreensão;
Do saber ouvir;
Do forte abraço, do amigo, da amiga, dos vizinhos e etc.
E principalmente de um grande amor verdadeiro.
Aquele amor presente na alegria e na dor.
Este amor faz sarar qual quer tipo de dor visível e invisível.
Só e somente o amor é capaz de curar todas as dores.
De todos os mortais humanos,
Que vivem nas amarguras existências das dores intensas!


Comentários

  1. Respostas
    1. Muito obrigado! Muinha amiga querida,beijos em seu coração.

      Excluir
  2. Que grandeza de escrito de escrito poético!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito brigado pelas lindas palavras de incentivo para que eu possa me atrever entrar no mundo da literatura e aventurar escrever alguns versos poéticos. Volte sempre ao nosso blog analiseagora.

      Excluir
  3. Que grandeza de escrito poético!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite! seja bem-vinda ao blog analiseagora . Estou feliz pelo belíssimo elogio. Volte sempre ao blog e tenha uma noite feliz,abraços.

      Excluir

Postar um comentário

Por gentileza deixe seu comentário é muito importante para nosso trabalho.