Pular para o conteúdo principal

Quando a ganância vem ofuscar a razão.

A ganância pode rápido ofuscar a razão do homem insensato.

Quando a razão é ofuscada pela ganância do ter, o homem caminha para autodestruição do ser.

A ganância um dos sentimentos inatos dos homens carregados de muitas perversidades próprias de sua natureza pecaminosa e insaciável para querer tudo que os sentidos percebem. Averiguada, desde o início da humanidade até os dias de hoje, tem causado muitas dores e sofrimentos ao ganancioso e a sociedade. Na atualidade surge com mais intensidade e métodos extremamente nefandos para conseguir os desejos materiais impossíveis, muito dinheiro e poder sem limites. O brilho das moedas recebidas de maneira fraudulenta vem ofuscar a razão deixando a entorpecida para qualquer tentativa de chamar a reflexão, a sanidade humana, fundamentada nos valores éticos e morais.
Retrocedendo, as origens históricas da humanidade podemos identificar inúmeros atos gananciosos; praticados por homens detentores dos monopólios e cargos poderosos no mundo inteiro, mas mesmo assim, insatisfeitos com o que possuem.

Quando se perde a razão o homem ganancioso faz de tudo para obter o que não lhe pertence.

Todavia, o humano ganancioso faz de tudo para acalentar seu ego insaciável e desesperado, para querer mais e mais, e nesta corrida frenética para cobiçar sempre o mais, não se importando quais os meios a utilizar para chegar a consumar os atos egoístas da ganância sem limites. Neste momento provocam crimes execráveis até aos seus mais íntimos, e a sociedade de modo geral direta e indiretamente.
Geralmente quando se perde a razão e a noção da ética se faz o uso selvagem e sangrento promovido pela cobiça, para pretender ser o dono do mundo, ou seja, daquilo que não lhe pertence e multiplicar a qualquer custo seu patrimônio mesmo que, muitas pessoas sejam prejudicadas, mas o fundamental é o seu bem-estar mesmo sendo desonesto. O importante é se sentir o poderoso, o dono de tudo. Permanecer no topo dos mais ricos e poderosos do mundo, massageando seu ego impaciente pelo poder regado ao materialismo sem fim, não interessando quais fórmulas para se chegar a este poder com sintomas patológicos indecifráveis, é a missão abominável do homem ganancioso. Nem que para isto, possa usar seus métodos vergonhosos e prejudiciais a milhões de outras criaturas humanas.

O dinheiro pode ofuscar a razão do homem ganancioso.

Este sentimento negativo da ganancia humana, continuamente fez, faz e fará grandes estragos na vida das pessoas. O homem ganancioso, constantemente maquinará fórmulas torpes, para fazer render em curtíssimo prazo seu patrimônio, em detrimento aos seus semelhantes. Estes males são de proporções imagináveis em diversas situações que venham prejudicar a vida de muita gente. O sujeito ganancioso produz cegueira a sua razão. Começando pela ofuscação do brilho das moedas desonestas: fruto do lucro abusivo, atolado na corrupção abjeta e exacerbada a qualquer preço. Ele tem consciência dos seus erros, mas nunca o ganancioso fará uma atividade que não seja suspeita de corrupção, através de seu aval consciente. O ganancioso mesmo prevendo as consequências de seus atos insanos, ainda assim, vai até o fim com seus planos para atingir seus objetivos inconsequentes.

Exemplos práticos de corrupções gerada pela ganância.

Um caso atual que ilustra bem esta reflexão sobre a ganância é a fraude do leite  no Estado do Rio Grande do Sul, Brasil. Pense bem! Hoje o Estado tem uma produção leiteira de oito milhões de litros por dia, mas a indústria de laticínios tem uma capacidade de processar 16 milhões de litros de leite por dia. Aqui entra a ação do elemento ganancioso. A qualquer custo e por expedientes nocivos para fazer multiplicar a quantidade do leite e seus milhões de reais vindos de qualquer jeito, colocando o processamento do leite em risco, ele faz de tudo para alcançar a meta da indústria. Ele não pensa nas consequências diversas que vai causar a saúde do consumidor que paga um preço exorbitante por um litro de leite. O ser humano ganancioso só interessa o montante de seu lucro produzido por estratégias contraproducentes e nocivas à saúde humana.

Outro caso atualíssimo são as fraudes nos frigoríficos do Brasil que estavam comercializando carne contaminada para o mundo. Os órgãos de fiscalização e combate ao crime batizaram de operação carne fraca. Tudo isso é corrupção gerada pela ganancia humana que não pode ver dinheiro em sua frente que planeja roubar sem consultar a razão. Todos se tornam insanos para adquirir moedas e mais moedas de maneira criminosa.

Estes são apenas alguns exemplos mais recentes, mas existem inúmeros casos de pessoas que tem na mente este comportamento ganancioso perigoso que fazem de tudo para se obter o que está além do seu poder aquisitivo. Colocando em risco milhões de pessoas inocentes que não tem nada a haver com a estupidez desses gananciosos que aspiram querer ter o mundo sobre o seu controle através do poder econômico ou político. A sua razão é ofuscada através da força da ganancia impiedosa do ter mais e mais sem escrúpulos. O homem ganancioso é um sujeito movido pelo poder e pela insanidade do ter tudo por vias que extrapola e ofusca o brilho da razão. Seu pensar canaliza todas as energias focando a qualquer preço ter a multiplicação de seus parcos bens, em patrimônios bilionários, através do sacrifício da sociedade.

Quem vive maquinado corrupções, não pode ser feliz.

A ganância geradora de todas as corrupções.
Portanto, um sujeito que vive agindo ocultamente de diversas maneiras, mais nojentas imagináveis, não tem como ser feliz, mesmo tendo e podendo comprar tudo, seu ser permanece mergulhado na angustia sem fim. Pois a qualquer momento tudo pode vir à tona, cair a máscara da honestidade e ser jogado na vala podre da desonestidade. Não existe “crime perfeito”, também não existe um ato ganancioso arquitetado pela corrupção perfeita, onde o autor não deixe um simples deslize para iniciar toda uma investigação. E mostrar para a sociedade como as maracutaias; são confeccionadas para mascararem os enriquecimentos gananciosos e ilícitos.

O sono tranquilo é o dos justos mesmo com fome.

O sono mais gostoso, perfeito e reparador das nossas energias é o sono dos justos, ou seja, possuir a consciência tranquila e inocente, ter a certeza de não ter lesado alguém. Mesmo que vá dormir com o estômago ardendo de fome, a consciência da honestidade acalentará a dor do estômago vazio. É mais tranquilo e humano ir deitar para descansar apenas ter ingerido um copo de água para saciar a fome, mas ter a certeza de que essa água é paga com o próprio parco salário, do que ir dormir depois de um banquete milionário pago com o dinheiro roubado do semelhante. Isso é ser desumano, desonesto e ganancioso, doente e expor a vida dos outros em perigo em prol de uma riqueza rapinada. % %§?

Postagens mais visitadas deste blog

O abc da mãe e suas qualidades.

As mães e suas qualidades no seu abc. As mães quantas qualidades elas possuem, desenvolvem e as colocam em prática, diariamente, vinte e quatro horas; durante uma vida inteira em prol dos seus filhos. Entretanto, dificilmente os filhos percebem e reconhece está árdua luta das mães e são gratos a elas.  Observem neste singelo texto, quanto as progenitoras fazem para seus filhos.
Estes dons surgem desde quando ela engravida pela primeira vez dão à luz seus filhos (as). Elas no cotidiano colocam em prática através de sua consciência maternal todas suas qualidades de mães para a proteção, provisão e educação dos filhos. O mais estranho e ingrato é que poucos filhos reconhecem a importância da sua mãe enquanto estão juntos. Muitos somente irão reconhecer e se lamentarem a sua real importância quando elas morrem.

A quinta sinfonia de Beethoven.

Beethoven e a quinta sinfonia.Beethoven compôs suas obras musicais eruditas na liberdade quebrando velhos paradigmas. O grande gênio da música clássica erudita Ludwig van Beethoven alemão nascido na cidade de Bonn em 1770 e faleceu em 1827 aos 56 em Viena. Um dos grandes compositores do estilo musical erudito, onde no conjunto de sua obra impera a liberdade, ele escrevia suas composições, suas obras quebrando velhos paradigmas da música clássica abrindo novos horizontes para a música erudita.

Você já rotulou alguém de burro?

Esta atitude é preconceituosa, machuca o sentimento de outrem, pare com isso.
Quando alguém utiliza este vocábulo burro para qualificar outrem, somente vem comprovar como muitas pessoas tem uma mentalidade maldosa, preconceituosa e intolerante em relação aos seus semelhantes. É inaceitável como é usado no Brasil o termo “burro” entre as pessoas. Muitos usam de maneira intencional para ofender covardemente os seus semelhantes.  Alguns humanos a utilizam de maneira maldosa, preconceituosa e ofensiva. Isso vem ocorrendo desde o início da colonização até os dias atuais.  Esta expressão preconceituosa já feriu e continua ferindo o sentimento de muita gente. Atualmente o preconceito vem sendo praticado de maneira escancarada, e com muito mais força, do que em outras épocas. A hostilidade entre as pessoas sempre existiu de forma velada no país, mas agora está passando dos limites nas redes sociais. Provavelmente em certos momentos da vida, alguém já o chamou de “burro”, na pura intenção de ofe…