Pular para o conteúdo principal

Postagem recente.

Atenção! Preparem o bolso vazio, para pagar a luz.

Enquanto ninguém tem reajuste salarial, mas a energia encarece. A foto mostra o poste de transmissão de energia elétrica  O último índice médio de preços das tarifas da luz elétrica será de 7,32%. A antiga (antiga porque será privatizada em breve ) CEEE-D  abastece 1,716 milhão de unidades consumidoras. O setor Que se compreende as residências, comércio, área rural e iluminação pública, terá alta de 8,32. O setor industrial que está em rede de alta tensão terá aumento de 5,24%, Tudo sob  as bênçãos da (ANEEl) Agência Nacional de Energia Elétrica. É incrível! parece piada, mas é a realidade, antes fosse. A partir do  próximo domingo 22/20 os consumidores da CEEE pagarão mais caro a energia elétrica, será um reajuste de 7,32%. Porém enquanto isso ninguém tem reajuste salarial há muitos anos e especialmente agora, nesta crise econômica e turbinada com a força da pandemia da covid-19. 

Na era digital conversar entre família é arte.

Dialogar atualmente entre família é um tremendo desafio, a internet roubou a cena.

A convivência humana real e virtual na  world, wide e web.
A convivência humana real e virtual na  world, wide e web.
Hoje existe entre as famílias que não determinam regras claras, sobre o uso moderado da internet, há um grande desafio para conversar tranquilamente em relação a assuntos familiares. É um verdadeiro problema entre as pessoas atualmente parar alguns minutos para simplesmente conversar e ouvir os familiares, amigos etc.  Essa atitude ruim, está se configurando sintomas patológicos, é uma tarefa, uma    competição dificílima, com as redes sociais. A força da internet é tremenda e roubou aquela cena familiar das longas e boas horas de conversas saudáveis.


Num lar desregrado quem conseguir esta proeza de abrir espaço para o diálogo é herói, pois consegue a arte de anular durante alguns minutos a força das redes sociais.  Atualmente, as pessoas vivem extremamente na agitação da conexão rápida com o mundo inteiro. Isto sem sair do quarto da casa ou até no expediente de trabalho.

Todos   estão conectados a muitos amigos, notícias instantâneas, atualizações constantes de tudo o que vem da web. Por outro lado, a maioria vive totalmente desconectado na vida dos amigos reais e principalmente dos familiares que lhes são os caros e próximos.
Existe uma neurose nessa era digital, todos vivem conectados com o mundo, mas desconectados com a família.
Muitos indivíduos presentemente   vivem agitadas, estressadas e desequilibradas, são efeitos negativos da era digital, a situação está atingindo níveis doentios e preocupantes.
Há aqueles entes que não pode permanecer um segundo sem o telefone, tablet e todos os dispositivos móveis ligados a internet. Pense bem! Tem indivíduos que fazem suas escolhas, entre não passear   com os familiares, mas preferem permanecer em casa; navegando no mundo virtual.

Neste frenesi as pessoas se enclausuram do âmbito familiar e partem para amplidão do mundo sem fronteiras da web conversando, trabalhando, no carro, ônibus, trem onde estiverem e não se desligam das redes sociais.
Em contrapartida não querem nem ouvir a voz dos amigos e familiares, que estão ao seu redor porque, poderá perder uma mera postagem sem sentido.
Antes do advento da internet quando alguém se visitava havia os abraços e cumprimentos de boas-vindas ou ir até ao restaurante se pedia o cardápio.
Hoje em dia tanto nas visitas quanto nos restaurantes, bares, livrarias etc. A primeira pergunta que todos fazem, qual é a senha do wi-fi?  Geralmente o estabelecimento comercial que não fornece o wi-fi grátis perde fregueses e poderá ir a até a falência.
É a era do contato virtual com o mundo, mas uma frieza preocupante com os mais próximos e pessoas reais. Todos conectados vinte e quatro horas com estranhos do mundo nas redes sociais, mas em contrapartida, totalmente desligados dos membros familiares. Quase ninguém conversa mais, seja em casa ou fora, as famílias permanecem desconectadas (caladas) uma das outras, é a frieza digital assombrosa e perigosa para a manutenção dos relacionamentos familiares.

Ninguém próximo tem mais paciência de ouvir um ao outro é preferível os estranhos da internet.


Há uma enorme dificuldade das pessoas para aprenderem a ouvir com paciência os mais próximos. Atualmente todas as pessoas, têm uma grande necessidade de desabafar sobre qualquer circunstância da vida, mas não tem ninguém com calma para só escutar.
É uma realidade cruel! Não obstante, não se encontra nenhuma pessoa nem de casa e nem da rua para conversar.  Numa dessas meras coincidências, quando aparece alguém conhecido, este já de longe   grita em tom e alto som.  Não tenho tempo, não posso, estou atrasado, em outro momento conversaremos e assim ninguém ouve, escuta, e jamais dará a atenção necessária a quem os humanos poderiam dispensar uns aos outros.
Nem se quer durante o confinamento dessa pandemia da covid-19 poucos dialogam, tudo é tedioso, sufocante até ouvir a voz do outro, cada qual se confina nos seus aplicativos móveis de última geração e pronto. São verdadeiras múmias vivas, esperando o tempo passar.

É a humanidade vivendo na solidão da casa ou na multidão da rua. 

A Humanidade está vivendo a era da solidão dentro do lar e da grande massa humana anônima, provocada pelas relações virtuais das redes sociais, que está se transformando em alguns casos nítidos de patologia, que precisa de atenção especial de profissionais da área da medicina. 
É por isso que a internet invade a casa com pessoas estranhas virtuais, que muitas das vezes se apresentam como se fossem os melhores amigos, mas na realidade são legítimos inimigos perigosos. Porque quem está do outro lado da tela, jamais se conhecerá sua face real e sua verdadeira índole.

Assim sendo, esta busca desenfreada pelo estranho é porque em alguns lares terminou o diálogo, entre os membros familiares. Todos se emudeceram e ninguém mais tem paciência para criar o hábito de sentar-se, fazer as refeições juntos. Ter o tempo especial para a família se desligar de tudo. Agora tudo depende de quem administra a casa para delimitar o uso sensato da internet. Tudo nesta vida deve ter limites e quando não se tem limites as coisas pendem para o descontrole com imagináveis consequências.


Quando porventura a família saírem por exemplo para um restaurante até se fazem suas refeições, porém todos estão com uma mão no prato e a outra mão digitando mensagens e-mails, olhando vídeos etc.
Neste instante, finalmente o diálogo entre a família que seria o objetivo central não ocorreu. Se alguém for audacioso e fazer uma tentativa de conversar é xingado e muitas vezes se encerra tudo sem que houvesse nem fizesse a refeição com prazer e integração e confraternização entre os membros familiares. Agora, continua a conversar com estranhos a longo tempo, mas escutar atenciosamente uns aos outros já mais!

Na era digital ou da tecnologia as famílias emudeceram.

Portanto conversar com alguém e procurar ouvir suas preocupações e as alegrias é uma grande arte nesta sociedade frenética movida a tecnologia da informação. Queira ou não o uso abusivo das redes sociais rouba o calor humano familiar e não dar espaço para o diálogo entre pais e filhos, parentes próximos ou distantes   e nem com os amigos de infância. As pessoas precisam aprender a desligar os aparelhos e dispositivos móveis em momentos nobres e dar mais atenção para os familiares e amigos. É imperioso que esta arte de saber ouvir e olhar olho no olho, das pessoas pelas quais estão dialogando seja de fato resgatada urgentemente.  Todavia se corre o perigo de tudo se transformar numa sociedade virtual doentia com sérios transtornos mentais sem volta.  
Ninguém é contra as facilidades da era digital, o que se opõe é o uso abusivo, onde todos os casais e a família em geral e amigos próximos, não há interesses em conversar, mas os estranhos têm mais atenção do que as pessoas presentes do ciclo familiar e de amigos.
A pandemia do novo Coronavírus, a responsável da covid-19 mostrou a importância dessa ferramenta, para a comunicação, os negócios online e tudo começou a ser resolvido na nova maneira de trabalhar no formato home office ou escritório em casa.
Até aqui está ótimo, mas o que nunca poderá deixar acontecer é morrer o diálogo sadio entre as famílias, ninguém poderá deixar a internet abortar o convívio familiar, se isso vier ocorrer ao longo dos próximos anos a humanidade está em total decadência.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O abc da mãe e suas qualidades.

As mães e suas qualidades no seu abc. O abc da mãe e seus significado s As mães quantas qualidades elas possuem, desenvolvem e as colocam em prática, diariamente, vinte e quatro horas; durante uma vida inteira em prol dos seus filhos. Entretanto, dificilmente os filhos percebem e reconhece está árdua luta das mães e são gratos a elas.  Observem neste singelo texto, quanto as progenitoras fazem para seus filhos. Estes dons surgem desde quando ela engravida pela primeira vez dão à luz seus filhos (as). Elas no cotidiano colocam em prática através de sua consciência maternal todas suas qualidades de mães para a proteção, provisão e educação dos filhos. O mais estranho e ingrato é que poucos filhos reconhecem a importância da sua mãe enquanto estão juntos. Muitos somente irão reconhecer e se lamentaram a sua real importância quando elas morrem. Os filhos deveriam observar e valorizar as qualidades da mãe. Neste simples abc da mãe todos os filhos deveriam sempre observar as qualidade

Você já rotulou alguém de burro?

É uma atitude preconceituosa para ferir o sentimento de outrem e ruim para o convívio social. A expressão burro comprava o preconceito entre as pessoas.  Quando alguém utiliza este vocábulo burro para qualificar outrem, somente vem comprovar como muitas pessoas têm uma mentalidade maldosa, preconceituosa e intolerante em relação aos seus semelhantes. É inaceitável como é usado no Brasil o termo “burro” entre as pessoas. Muitos usam de maneira intencional para ofender covardemente os seus semelhantes.  Alguns humanos a utilizam de maneira maldosa, preconceituosa e ofensiva. Isso vem ocorrendo desde o início da colonização até os dias atuais.

Candeeiro ou lamparina antiga, mas muito usado no Brasil.

O candeeiro fez parte da vida do povo nos tempos remotos e na atualidade. Sem luz se usa o candeeiro. Candeeiro é a lamparina , artefato antiquíssimo composta sobre duas partes simples. A sua base é feita de lata comum. Um desenho simplório num formato de uma pirâmide. No topo desta pirâmide usa-se pavio de fabricado de algodão. Ele é umedecido com querosene, que é colocado na parte de baixo, como podemos observar tem uma forma redonda, mas como base piramidal. Este utensílio domestica há muitos anos foram usados no país inteiro até chegar às primeiras transmissões de energia elétrica nas capitais e aos poucos foram se disseminado para o restante do país.