A trilogia: o tempo, a tecnologia e o homem.

http://www.analiseagora.com/
 O homem tem o controle da tecnologia,menos do tempo.
O tempo supera a tecnologia ou a tecnologia supera o tempo! Você parou algum momento da sua vida e fez uma espécie de retrospectiva da linha do seu tempo e percebeu quanto à tecnologia não consegue acompanhar a velocidade do tempo. Não precisamos voltar muito na história para percebermos quantas transformações e avanços tecnológicos foram realizados. Analise as coisas que temos em casa, seja das simples as mais complexas que usamos no cotidiano, tudo sucedendo dentro da serenidade do tempo, gerando um homem consumista insaciável. Faça um teste, apenas retroceda quatro décadas para verificar o que usávamos de mais sofisticados. Atualmente é peça histórica de museu. Há quatro décadas o que usávamos era o novo, mas passou a ser desatualizado, velho e sem serventia para o nosso tempo atual. O aparelho de hoje que é considerada de última geração a manhã está obsoleto. Assim, nesse ritmo nunca o homem consegue acompanhar o avanço tecnológico e vice-versa.
O que temos hoje e que usaremos daqui a adiante tais como os objetos gerais, os sistemas de comunicações, construções, os eletrônicos, informática, medicações, roupas, calçado, alimentação e máquinas, etc. tudo na mais acurada sofisticação tecnológica, mas o tempo é implacável supera tudo.

Apenas um exemplo prático, para ilustrar em termos de tecnologia.   Quando compramos um aparelho seja da área dos eletrônicos ou informática de último lançamento, o fabricante enche o pulmão e exclama dizendo: este é lançamento de última geração e imbatível! Esta afirmação não vai muito longe e logo tem que repensar refazer e inovar tudo.
No máximo três meses aparece uma estrondosa campanha publicitária de uma nova marca famosa para promover um novo aparelho revolucionário que nenhum outro fabricante terá capacidade de pensar em um novo protótipo para superar este novo produto. 
Neste constante dilema entre o tempo e a tecnologia entra o homem em cena um terceiro fator responsável por esta ação e superação. O homem como ser pensante é quem faz a diferença. A tecnologia somente poderá evoluir para acompanhar a velocidade do tempo, se houver a presença imperativa do homem pensante que faz tudo acontecer ou deixar de acontecer é o homem de fato domina a tecnologia, mas é refém do tempo.

O cérebro humano é o motor, a força, o demiurgo (grego, δημιουργός, demiurgos de platônico) quem pensa e faz criar uma tecnologia apropriada para fazer brotar um objeto, uma máquina, etc. E na sequência de uso é natural que o tempo deixe este invento obsoleto. Todavia a tendência correspondente é sempre pelo melhoramento para adaptar as exigências do tempo e das necessidades humanas. Tendo como meta caminhar em buscar orientação ao aperfeiçoamento na rapidez do consumo da sociedade. Isto significa dizer que jamais o homem o protagonista da dicotomia entre tempo e tecnologia, irá construir uma máquina perfeita. O próprio homem é imperfeito.  Contudo, um criador imperfeito nunca terá capacidade de gerar uma criação prefeita.
Porquanto, diante da impossibilidade do homem, mesmo que fosse um gênio, não consegue construir uma máquina ou um sistema perfeito. Ele ultrapassa seus limites e constrói alguma coisa limitada a tal ponto que se adapte as exigências do homem dentro de seu tempo existencial. Satisfazendo suas necessidades e comodidades como resultado de uma produção tecnológica eficiente, capaz de auxiliar nas tarefas simples e complexas que o homem moderno precisa. Sendo assim, exige: eficiência, habilidade, praticidade e combinação competente entre tempo custos e benefícios.

video
A vida é uma engrenagem perfeita em continuo movimento.

Concluindo, podemos afirmar categoricamente que nesta trilogia: homem pensante, tecnologia e tempo, o único perfeito nesta história é o tempo. O tempo age com perfeição em sua velocidade serena, tudo se encaixa perfeitamente ou o tempo o faz encaixar tudo sem faltar e nem sobrar uns milésimos de segundos desperdiçados. As coisas em si mesmas do tempo habitam no tempo, o tempo não é falho e jamais falhará. O homem ser dotado de inteligência: falha, fracassa, surpreende seus semelhantes seja nas construções e em todas as áreas do conhecimento. Ainda assim, sendo um exímio conhecedor de um setor do conhecimento é falho no outro, pode construir: supermáquinas, sistemas complexos, programas habilidosos, aplicativos facilitadores da vida. Contudo, está sempre na busca de algo novo. É um dos atributos humanos inovar sempre em tecnologias em benefício da vida. Todavia tem aqueles que infelizmente pensam e criam inventos contra a vida.


O que se constrói hoje como sendo sua obra prima invencível, amanhã sempre será surpreendido por outra invenção que a superou sua obra espetacular e nesta dinâmica insaciável na busca da superação do que já existe, o homem em sua imperfeição está sempre inovando, criando necessidades, superando desafios e mais desafios sem nunca chegar um fim. É a permanente busca pelo novo, o desconhecido, o surpreendente o homem pensante é sempre e será dinâmico.