Pular para o conteúdo principal

Postagem recente.

Para relaxar ouça músicas clássicas e eruditas.

A Música Clássica: Um Oásis de Tranquilidade no Mundo Barulhento. No espaço cultural do blog tem música. Em meio à sinfonia caótica da vida moderna, onde ruídos incessantes e sons estranhos dominam o nosso cotidiano, há um refúgio silencioso que nos convida a encontrar paz interior: a música clássica. Mais do que mero entretenimento, a música clássica transcende para o reino da arte, conectando-nos com algo mais profundo. As composições dos grandes mestres, como Mozart, Beethoven e Bach, são verdadeiras obras-primas. Suas melodias suaves, harmonias ricas e estruturas bem elaboradas podem acalmar a mente e o coração, proporcionando um oásis de tranquilidade em um mundo frenético. Benefícios que Harmonizam a Vida: Inspiração e Criatividade: A música clássica estimula a criatividade, despertando novas ideias e visões inesperados. As nuances das composições podem desencadear pensamentos inovadores e soluções criativas para os desafios do dia a dia. Equilíbrio Emocional: As peças clássica

O Negacionismo e a Extrema Direita: Uma ameaça à População Mundial.

O negacionismo histórico e a direita: seus efeitos prejudiciais para o Brasil e o mundo.

Nesta imagem, o ponto de interrogação para representar a dúvida, a negação ou o fechamento dos olhos diante da realidade histórica.

Nesta imagem, o ponto de interrogação  para representar a dúvida, a negação ou o fechamento dos olhos diante da realidade histórica. 




A ideologia negacionista, especialmente quando aliado a políticas de extrema-direita, representa uma séria ameaça à população mundial em diversas áreas sociais.

áreas sociais.

O negacionismo histórico é uma ameaça ao mundo.


O negacionismo histórico, quando associado à extrema direita, emerge como um instrumento político com implicações profundas. Especificamente no contexto brasileiro, o negacionismo da ditadura civil-militar e a negação do Holocausto são temas que merecem reflexão. Essas narrativas distorcem o passado, visando minar a legitimidade dos direitos humanos e dos movimentos sociais. 


O governo do Inelegível, por exemplo, utilizava o negacionismo como parte de seu projeto de poder, reconfigurando a memória coletiva e promovendo uma visão autoritária e anticomunista. 

A atual conjuntura política e social no Brasil amplifica essas discussões, tornando-as mais relevantes e controversas.


Episódios como as comemorações oficiais do governo durante o aniversário do início da ditadura militar evidenciam o uso político do passado recente. 


Como pesquisadores apontam, é fundamental manter o debate ancorado em reflexões acadêmicas, buscando contribuir para a compreensão pública e a preservação da memória histórica.


1. A Ascensão do Negacionismo:


O negacionismo, caracterizado pela recusa de aceitar fatos científicos consensuais, cresce em todo o mundo, muitas vezes impulsionado por ideologias de extrema-direita. Essa negação da realidade pode ter consequências devastadoras para a sociedade.


2. Negação da Ciência e da Razão:

Um dos principais perigos do negacionismo é a negação da ciência e da razão. Negar o consenso científico sobre questões como mudanças climáticas, vacinação e saúde pública coloca em risco a saúde e o bem-estar da população.


3. Políticas Retrógradas e Prejudiciais:

Políticos de extrema-direita frequentemente se baseiam no negacionismo para promover políticas retrógradas e prejudiciais. Isso pode incluir medidas que limitam o acesso à saúde, educação e outros serviços essenciais, além de discriminar minorias e grupos marginalizados.


4. Impactos Negativos em Diversas Áreas Sociais:

Os impactos negativos do negacionismo e das políticas de extrema-direita se manifestam em diversas áreas sociais:

Saúde Pública: Negar a ciência sobre doenças como HIV/AIDS,COVID-19, tuberculose e malária pode atrasar o diagnóstico e tratamento, aumentando o número de mortes e sofrimento.

Meio Ambiente: Negar as mudanças climáticas impede a tomada de medidas urgentes para combater o aquecimento global e seus impactos devastadores.

Educação: Negar a importância da educação científica e promover ideologias discriminatórias prejudica o desenvolvimento intelectual e social das crianças e jovens.

Direitos Humanos: Negar a igualdade de direitos e promover discursos de ódio contra minorias viola os princípios básicos da justiça e da dignidade humana.


5. Combate ao Negacionismo e à Extrema Direita:

Combater o negacionismo e a extrema-direita exige um esforço multifacetado:

Educação Científica: É crucial investir na educação científica para as pessoas poderem compreender e analisar criticamente informações.

Promoção do Pensamento Crítico: É fundamental estimular o pensamento crítico e a capacidade de questionar crenças e ideologias dogmáticas.

Combate à Desinformação: É necessário combater a disseminação de desinformação e notícias falsas mediante campanhas de conscientização e verificação de fatos.

Fortalecimento da Democracia: É crucial defender os valores democráticos, como a liberdade de expressão, o pluralismo e a tolerância, para garantir um debate público aberto e honesto.



Assim sendo, o negacionismo e a extrema-direita representam uma séria ameaça à população mundial. É fundamental que a sociedade civil, os governos e as instituições internacionais se unam para combater essas ideologias e defender a ciência, a razão, os direitos humanos e o bem-estar de todos.


Lembre-se: A luta contra o negacionismo e a extrema-direita é uma luta pela verdade, pela justiça e por um futuro melhor para todos.


___________________

Notas e Referências:



1. Negação da Ciência: Uma Ameaça à Saúde Global pela Organização Mundial da Saúde (OMS):

   - Durante a 77ª Assembleia Mundial da Saúde, a OMS reconheceu as mudanças climáticas como uma ameaça à saúde global. A resolução aprovada destaca a urgência de medidas para mitigar os efeitos da crise climática.

   - Além disso, um relatório da Organização Internacional do Trabalho (OIT) revelou que mais de 70% dos trabalhadores em todo o mundo estão expostos a condições graves de saúde devido à crise climática.


2. Mudanças Climáticas: A Ciência e os Riscos pelo Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC):

   - O IPCC é uma organização que fornece avaliações científicas regulares sobre a mudança do clima, suas implicações e possíveis riscos. Seus relatórios são fundamentais para as negociações internacionais sobre o tema⁴.

   - O Sexto Relatório de Avaliação do IPCC (2022) alertou que as mudanças climáticas induzidas pelo ser humano estão causando perturbações perigosas e generalizadas na natureza, afetando bilhões de pessoas em todo o mundo⁵.


3. Negação da Ciência e da Realidade: As Raízes do Negacionismo Climático e da Extrema Direita por Michael Mann (2021):

   - Este livro explora as raízes do negacionismo climático e sua relação com a extrema direita. O negacionismo climático é uma estratégia política que busca minar a ciência e ações relacionadas às mudanças climáticas.


4. O Negacionismo como Estratégia Política: A Extrema Direita e a Guerra à Verdade por Yasmin M. Silva (2020):

   - Este trabalho analisa como o negacionismo histórico, incluindo a negação da ditadura civil-militar, é usado como instrumento político pela extrema direita no Brasil. Ele busca compreender como essa negação está relacionada à tentativa de esvaziar a legitimidade dos direitos humanos e dos movimentos sociais.


5. Populismo, Negacionismo e Pós-Verdade: Desafios à Democracia na Era Digital por Renata Fonteles e Fabio Malini (2019):

   - Este livro aborda os desafios enfrentados pela democracia na era digital, incluindo questões relacionadas ao populismo, negacionismo e pós-verdade.


Essas referências oferecem insights valiosos sobre a interseção entre saúde global, mudanças climáticas e negacionismo. Lembre-se de verificar as fontes originais para obter informações detalhadas.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Candeeiro ou lamparina antiga, mas muito usado no Brasil.

O candeeiro fez parte da vida do povo nos tempos remotos e na atualidade.   Sem luz se usa o candeeiro. Candeeiro é a lamparina, artefato antiquíssimo, composta por duas partes simples. A sua base é feita de lata comum. Pode-se observar que é um desenho simplório, num formato de uma pirâmide. No topo desta pirâmide usa-se pavio de fabricado de algodão. Ele é umedecido com querosene, que é colocado na parte de baixo, como podemos observar tem uma forma redonda, mas como base piramidal.

O abc da mãe, para expressar, as suas qualidades.

As mães possuem suas qualidades no abc da vida.   A imagem diz o  abc da mãe  As mães, quantas qualidades elas possuem, desenvolvem e as colocam em prática, diariamente, vinte e quatro horas; durante uma vida inteira em prol dos seus filhos. Entretanto, dificilmente os filhos percebem e reconhecem esta árdua luta das mães e são gratos a elas. Observem neste singelo texto, quanto as progenitoras fazem para seus filhos.   Estes dons surgem desde quando ela engravida pela primeira vez dando à luz seus filhos (as). Elas no cotidiano colocam em prática através de sua consciência maternal todas suas qualidades de mães para a proteção, provisão e educação dos filhos. O mais estranho e ingrato é que poucos filhos reconhecem a importância da sua mãe enquanto estão juntos. Muitos somente irão reconhecer e lamentar a sua real importância quando elas morrem. Os filhos deveriam observar e valorizar as qualidades da mãe.   Neste simples abc da mãe, todos os filhos deveriam sempre obser

Você já rotulou alguém de burro?

Essa atitude é preconceituosa, ela  ferirá o sentimento de outrem e ruim para o convívio social. A expressão Burro comprova o preconceito  entre as pessoas.  Quando alguém utiliza este vocábulo burro para qualificar outrem, somente vem comprovar como muitas pessoas têm uma mentalidade maldosa, preconceituosa e intolerante em relação aos seus semelhantes. É inaceitável como é usado no Brasil o termo “burro” entre as pessoas. Muitos usam de maneira intencional para ofender covardemente os seus semelhantes. Alguns humanos a utilizam de maneira maldosa, preconceituosa e ofensiva. Isso vem ocorrendo desde o início da colonização até os dias atuais.