Pular para o conteúdo principal

Vem aí a semana da criança.

A semana da criança é momento de relembrar os brinquedos de outrora e  hoje.

Pião um dos brinquedos da infância de outrora. 
Durante a semana dedicada as crianças é quase impossível não voltar aos tempos da infância. Na época da nossa geração era totalmente diferente da atualidade em relação aos brinquedos. Nascemos no período onde não existia conforto e comodidade como na era da tecnologia da informação ou digital. Porém, existia uma vida em serenidade, sem estreses e sem medo da violência. Além do contato direto com a natureza que proporcionava mais saúde e consequentemente qualidade de vida.
A situação financeira ruim obrigávamos construir todos os brinquedos. Porém, nestas produções   havia criatividade. Não era muito simples fabricar todos os brinquedos, mas certamente, vivíamos em serenidade e em contato direto com a natureza.
Entretanto, posso afirmar sem sombras de dúvidas, vivíamos realmente numa áurea época da criatividade. E o melhor sem estresse, obviamente os nossos brinquedos eram de fato rústicos, mas nós mesmos fazíamos um a um com muita dedicação e alegria. Geralmente, se utilizava as coisas mais singelas como madeira, lata, pregos, sandálias velhas, martelo e serrote para fabricar os divertidos brinquedos.

Os brinquedos da geração sem tecnologia.

Além da bola de futebol que fazíamos de meias usadas e enchíamos aquelas meias de panos velhos, amarrávamos nas duas extremidades e produzia uma bola pesada para jogar com os amigos nos campos de futebol, sem gramado, mas cheio de areia e buracos, mas mesmo assim, a bola de pano rolava e fazíamos a festa diariamente. Tudo ao nosso modo, com grandes partidas de futebol e muitos goool!

Lembro de outros brinquedos como os carrinhos de rolimãs que fazíamos era muito trabalhoso, mas no final muitas existiam muitas diversões nos morros em declives.  Ocorriam muitas quedas, risadas e machucados, mas no fim do dia todos cansados repousava cedo. Durante o belo sono sonhava com o próximo brinquedo a ser construído. Muitos carrinhos de madeira e pneus feitos das sandálias que se estragavam de tanto uso, os restos fazíamos a rodas ou também de madeira. Lembro que todos duravam muito tempo. 

Outro brinquedo que fazíamos com muita frequência eram o pião. Este a princípio parecia facílimo, mas não era tão fácil como muitos imaginam que fosse. Se utiliza um pedaço de madeira geralmente roliço e sem nó para facilitar o trabalho e para a peça ficar bonita no final. Também um prego grande e com o martelo pregava ao meio de uma das extremidades da madeira. Esta era escolhida com todos os cuidados para não ser danificada, como rachar, quebrar e etc. 
A partir de então, se pegava uma faca de preferência bem afiada e se não era bem afiada, usava o que tinha. E iniciava o trabalho de fabricação do pião que muitas vezes se levava dias para terminar. A última etapa era lixar para ficar bem liso e quem podia até colocava tintas de diversas cores. Mas geralmente apenas se lixava com bombril.
Como era uma competição cada um queria se apresentar com seu pião diferente, bem caprichado, como se fosse o mais lindo de todos, um grande troféu inigualável.

As mulheres também confeccionavam as suas mais belas bonecas de pano que eram uma linda peça artesanal. Tudo elaborado com muita criatividade e a sensibilidade feminina. Não só as bonecas, mas todos os tipos de brinquedos típicos delas eram produzidos com muito amor e carinho para se divertirem à vontade durante muitas e muitas horas.

Com todo este trabalho se transformava no final uma peça linda de artesanato, mesmo, por que todos usavam da criatividade para fazer o melhor. Era brincado que se desenvolvia a criatividade sem perceber. E o melhor de tudo era o contato direto com a natureza, ninguém ficava em casa sentado, como as crianças de hoje; que vivem estressadas em suas casas jogando diariamente, sem nenhum contato direto com a natureza.  O único brinquedo que os nossos pais compravam, eram as famosas bolinhas de gude e com elas se fazia grandes competições para ver quem era o melhor e como era um jogo havia uma series de regras para se cumprir. Entre os amigos se faziam trocas para formar coleções ou ter bolinhas diferentes.

As crianças antes tinham mais contato com a natureza, mas as de hoje são impedidas; dessa vivência a natureza.  

A vida de antes tinha contato direto com a natureza.
Naquela época além de morar no interior vivíamos brincando nos campos verdes e respirando ar puro. Pouco alguém sofria de doenças respiratórias graves e alergias em geral. Era uma vida pacata, mas em segurança, saudável e sobretudo com qualidade de vida. Hoje existe comodidade, rapidez em tudo, mas em contrapartida, se tem uma geração de crianças estafadas, estressadas e irritadas por que não tem mais aquele contato direto e saudável com a natureza.
Há uma series de fatores que as impedem de ter este contato com o verde da natureza. Entre tantos fatores se vive na era da poluição, existem pouquíssimos espaços para o verde. As praças e parques das grandes cidades do país são perigosas, há muita violência e não é seguro mandar ou levar as crianças até lá por que tem muitos marginais e usuários de drogas que causam terror as famílias que vão passear com seus filhos nos locais públicos. O que era uma vez florestas se transformou em colossais selvas de pedras, ferro, cimento e asfalto. 
Todos respiram um ar poluído com grandes quantidades de dióxido de carbono e outros poluentes que prejudicam a saúde no geral. Muitas crianças de hoje em dia, nascem e crescem e praticamente vivem a vida inteira nos apartamentos e desconhecem o que é natureza.
Atualmente as crianças não fazem mais seus brinquedos. Todos ganham dos seus pais. Eles vão as lojas e shoppings e elas próprias escolhem aqueles brinquedos que viram passar nos insistentes anúncios da TV ou na internet. Além de serem caros, são descartáveis e em poucas horas as crianças perdem o encanto e os jogam lá no depósito dos brinquedos e retornam aos jogos online. 

A cada comercial de brinquedos as crianças obrigam seus pais a levarem as lojas ou comprar pela internet, mas depois que chega as suas mãos em pouco tempo de uso, aquele brinquedo tanto cobiçado se transforma num tédio. 
E assim, nada mais os servem, nada mais tem encanto e graça é algo totalmente alheio a suas aptidões. No fim do mês vem as faturas pesadas dos cartões de créditos para os pais quitarem.
Tudo isso, por que a criança não o construiu, não colocou sua criatividade para criar algo novo e simples de materiais também simples. Todavia, se elas as construíssem, seriam agradáveis, certamente haveria durabilidade e atrativo duradouro.

É bom recordar, mas sobretudo, proteger e brincar em segurança com as crianças; uma missão para os pais.

 Trazer filhos  aos parques faz bem a saúde.
Portanto, a semana da criança servirá para a geração adulta relembrar como era os brinquedos do seu tempo. Também, contar, comentar e se possível   mostrar para esta nova geração de crianças, como eram os antigos brinquedos. Certamente, algumas mostrarão interesses para ver como seus pais e avos brincavam e vão comparar como elas se divertem hoje. Infelizmente, quem viveu aquela antiga realidade, apenas permanecerá na lembrança de um tempo bom, saudável e de paz.

Hoje todos têm o dever de proteger seus filhos e até mesmo onde com quem vão brincar. Principalmente, reforçar todos os cuidados com os famosos jogos online que muitos deles há perigos invisíveis. Todavia, viver o momento da era digital com naturalidade, mas cercados de todas as precauções possíveis, para deixar as crianças fora de quaisquer tipos de perigos que venham embutidos nos jogos e todos os outros tipos brinquedos digitais. É sem dúvida uma grande missão dos progenitores zelarem pela integridade física e mental de suas proles.

Também, tem muitos meios hoje dos pais tirarem seus filhos da frente da internet e levarem para os parques da cidade sempre acompanhados. E obviamente em horários seguros onde possa ter muito público para evitar qualquer perigo. Andar de bicicletas, praticar esportes e fazer pequenas caminhadas nas ciclovias e em vota das praças públicas, esses tantos outros tipos de atividades, que podem se fazer continuamente para não deixar as crianças crescerem angustiadas e estressadas, apenas jogando virtualmente. 

Todavia, os pais da era digital têm uma grande responsabilidade de promover uma vida serena aos seus filhos sejam eles crianças, jovens e adolescentes. É fundamental todos terem a consciência que enfrentarão uma concorrência desleal com o mundo virtual, quando se refere a formação e educação dos filhos. Os pais devem fazer prevalecer com amor e carinho e mostrarem que suas orientações são as mais adequadas e sábias para seus filhos.👪

Comentários

Marina Seischi disse…
Excelenteeeeeee
Os tempos mudaram .
Sem saudosismo ,o passado era melhor para educar as crianças

Postagens mais visitadas deste blog

A queima de fogos na virada do ano.

Queimar fogos de artifícios na acolhida do novo ano é linda, mas causa graves acidentes.As explosões dos fogos coloridos de artifícios no último dia e minutos do ano que está para ser encerrado tem seu auge exatamente as 23:59, quando der início a contagem regressiva para a chegada do novo ano.  É uma tradição que marca o advento do novo ano; ela é colorida, bonita e perigosa ao mesmo tempo, quando manipulada por imperícia, provoca sérios acidentes.  Ao longo dos anos vem aumentando o índice de acidentes graves durante a queima de fogos, geralmente por pessoas que não seguem as regras de segurança indicadas pelos fabricantes.

Você já rotulou alguém de burro?

Esta atitude é preconceituosa, machuca o sentimento de outrem, pare com isso.
Quando alguém utiliza este vocábulo burro para qualificar outrem, somente vem comprovar como muitas pessoas tem uma mentalidade maldosa, preconceituosa e intolerante em relação aos seus semelhantes. É inaceitável como é usado no Brasil o termo “burro” entre as pessoas. Muitos usam de maneira intencional para ofender covardemente os seus semelhantes.  Alguns humanos a utilizam de maneira maldosa, preconceituosa e ofensiva. Isso vem ocorrendo desde o início da colonização até os dias atuais.  Esta expressão preconceituosa já feriu e continua ferindo o sentimento de muita gente. Atualmente o preconceito vem sendo praticado de maneira escancarada, e com muito mais força, do que em outras épocas. A hostilidade entre as pessoas sempre existiu de forma velada no país, mas agora está passando dos limites nas redes sociais. Provavelmente em certos momentos da vida, alguém já o chamou de “burro”, na pura intenção de ofe…

O alcoolismo é uma enfermidade destruidora do ser humano.

Os alcoólatras não surgem da noite para o dia, mas a partir dos contínuos goles das bebidas alcoolizadas.  Os pacientes alcoólatras necessariamente precisam reconhecerem que o alcoolismo é uma doença. Porém, esse é o primeiro passo para todos os alcoolistas sofredores, iniciarem uma longa caminhada rumo a sanar esta enfermidade; que atormentam as suas vidas. Todos os seres humanos padecedores, através do uso compulsivo do álcool, não se geram da noite para o dia, mas começam a se desenvolverem a partir de um processo embrionário lento. E comumente muito cedo na vida, especialmente, as fases da adolescência e   juventude que atravessam a maioridade; até o fim da vida.

Sorte não existe o que existe é oportunidade e competência.

Todos devem saber construir a sua história com competência.A vida é uma permanente construção, saber administrar as oportunidades que surgem para fazer uma construção sólida é uma questão de competência e não de sorte. Nenhuma pessoa pode deixar que as coisas possam acontecer através da sorte; algo simplesmente ilusório e inexistente. Ninguém jamais poderá prever o futuro, mas com absoluta certeza precisa planejar com antecedência e perfeição os próximos dias, meses e anos. Fazer esta árdua tarefa sempre; enquanto permanecer respirando fôlego de vida neste mundo. Principalmente numa comunidade de gente submergida em status social avarenta e egoísta. Para viver dignamente nesta sociedade materialista, consumista e competitiva é imprescindível que cada pessoa, seja agente provedor de sua própria história, construtor de seu futuro.

A família Barros no Brasil e no mundo.

APELO DESAFIADOR.
Após vários apelos de familiares, amigos, descendentes da Família Barros que pediram para pesquisar e escrever um artigo sobre as nossas raízes. Agora tomei coragem e assumi esta responsabilidade de fazer este trabalho. Uma missão desafiadora e ao mesmo tempo, muito interessante conhecer as nossas raízes. Em psicologia podemos entender esta busca do homem por sua identidade familiar. Faz parte do ser humano acalentar esta curiosidade de saber onde somos e de onde viemos e que estirpes saíram. Uma tarefa dificílima, mas aos poucos fui construindo esta trajetória histórica. Quero adiantar que é um trabalho de análise histórica genérica e não uma genealogia de uma única família específica. Por isso, considero incompleto este singelo trabalho, devido à grandiosidade desta família espalhada pelo o Brasil e o mundo, mas que pode ser aperfeiçoado através da colaboração dos leitores.

O homem e seus vícios que os conduzem a humilhação.

Todos os homens carregam em sua essência o peso da desobediência com o Criador. O homem carrega em sua essência a natureza pecaminosa herdada desde a criação dos primeiros humanos Adão e Eva. Eles foram gerados, a imagem semelhança de Deus perfeitíssimo, mas infelizmente pecaram. Porém se travou na história humana uma luta feroz e constante contra o pecado. Através do pecado a história da humanidade mudou e desde aquela época até hoje, todos sofrem com as consequências da desobediência dos primeiros homens para com Seu Criador. Os humanos adquiriram vários vícios que os oprimem e os deixam em situações de humilhações e escravidões diante da família, amigos e a sociedade.   Tem muitos casos sem volta, outros, no entanto existem soluções quando os próprios viciados se conscientizarem dos seus estados doentios, mas   de livre e espontânea vontade procuram ajuda.

Favicon do blog analiseagora.

Todo blog necessita de uma identificação na web para melhor o público encontrar com facilidade. Esta é a favicon do blog analiseagora. Podem perceber que o título do mesmo, contém quatro letras repetidas [a] então resolvi personalizar como ícone do blog. Essa letra está na fonte Georgia na cor branca com o fundo azul escuro. Como o blog ainda está na sua fase inicial tudo é realizado às pressas e também de maneira simples, mas certamente o blog será reconhecido com muita facilidade pelos leitores quando realizarem suas buscas na internet.
Ainda que seja simples, mas foi criado com muito esmero e carinho a partir do meu conhecimento em design. Posso garantir ao meu público que me esforçarei para a curto prazo, criar uma outra favicon. Tudo terá novo visual, e seguramente deverá ser equivalente ou superior a altura do padrão de qualidade do blog analiseagora. Tudo para agradar a todos aqueles que aqui chegarem, e possam despertar seu interesse de permanecer por muito tempo pesquisando n…

O chorinho é a música arte refinada e popular do Brasil.

Chorinho a música arte e popular do Brasil.A música é uma das alas da arte mais refinada que traduz fielmente a cultura, os costumes, os sentimentos e principalmente a história de todos os povos. Ela dispõe de uma lâmina afiadíssima para romper barreiras intransponíveis de outras culturas e interagir com facilidade junto as outras nacionalidades.  Alguns gêneros musicais que nascem em uma determinada nação, em época definida, se espalham por toda a parte contagiando a todos de uma forma unanime, sem precedentes de gerações para gerações, isso sim; é de fato arte em forma de música. A música que nasceu   e se constitui em expressão cultural de certos povos, não morre no tempo e no espaço por que tem conteúdo artístico e é imortal. Contudo, a música arte, representa a vida das pessoas. Ela em todos os momentos se rejuvenesce diariamente.

Natal focalizado no consumismo e distante do real sentido cristão.

O período natalino é especial para a reflexão e descobrir o verdadeiro sentido cristão.
O natal momento de reflexão ou simplesmente de consumoimpulsivo? O nascimento de Jesus é o maior mistério teológico da humanidade! Deus Soberano se fez humano e gerou-se no ventre de uma mulher Maria. Tudo para em breve nascer, derramar seu sangue santo em uma bruta cruz, morrer e ressuscitar gloriosamente, para salvar a humanidade da morte eterna; provocada através do pecado. Neste mistério está o legitimo sentido do natal para a humanidade cristã. E não no consumo descontrolado da sociedade contemporânea na época natalina. Mais uma vez o natal chegou sobre os sons das badaladas dos sinos do papai Noel. Anunciando mais uma celebração cristã que vem se perdendo seu legitimo sentido para o comércio e o consumo impetuoso todos os anos numa acelerada intensidade.

Finalmente 2018! E agora?

O ano recém chegou, mas é necessário traçar metas e planejamentos. Após tantas crises econômicas, financeiras, e morais do país. Além dos aumentos de preços em tudo finalmente chegou o novo ano. Foram muitas as badalações, euforias, estresses e ansiedade do ano que se findou, a festa e a decepção da mega sena da virada para quem sonhou e errou. Aqueles que acertaram os números das probabilidades maravilha e quem não acertou tem que continuar a sonhar durante o ano até chegar a próxima mega da virada do fim do ano. Porém, finalmente chegou mais um ano novo o de 2018. Agora é o momento de todos organizarem seus objetivos a serem desenvolvidos no decorrer desse novo clico do calendário que guiará todos os negócios das pessoas e toda a engrenagem do funcionamento da sociedade, durante esses 365 dias. Muitos acontecimentos sejam eles bons ou ruins estão por vir durante esse novo ciclo e marcará para sempre a história da humanidade.