Pular para o conteúdo principal

Terminou a folia e o rei momo fugiu.

Os governantes entregam as chaves dos poderes aos reis momos, mas é a hora de recolher.

Terminou a folia e o rei momo fugiu sem prestar contas.
Ao chegar o fim de mais um reinado de momo no Brasil eles entregam as chaves e fogem. Agora os administradores de todos os recantos deste país continental devem recolherem as chaves dos poderes que estavam nas mãos dos reis momos de cada localidade municipal brasileira. Este personagem carnavalesco debochado, se enquadra perfeitamente bem, aos atuais políticos da direita formada pela elite golpista, que são cínicos e corruptos e dominam o país em todas as entranhas dos poderes. Todos os administradores têm agora a obrigação de exigirem um relatório minucioso do reinado de momo, durante o período de folia. Mas, afinal quem é este ilustre tão arrazoado rei momo? Ele recebeu os poderes simbólicos dos governantes; começando com os mais simples aos poderosos chefes golpistas da nação brasileira.
Para responder esta questão perturbadora se precisa de socorro de fonte segura. “O Rei Momo é considerado o dono do Carnaval, é quem comanda a folia. Possui uma personalidade zombeteira, delirante e sarcástica”. Procedente da mitologia grega, ele é filho do sono e da noite, e acabou expulso do Olímpio morada dos deuses porque tinha como diversão ridicularizar as outras divindades.

O rei momo no Brasil é semelhante aos atuais governantes golpistas.

Hoje existe concurso para a escolha do rei momo em vários municípios e estados do país. Para participação do certame é preciso ser muito simpático e esbanjar alegria, além de pesar no mínimo 120 quilos. Esta última exigência vem sendo abandonada nos últimos anos, considerando-se os problemas de saúde causados pela obesidade.
As características do rei momo em especial o peso, representam a fartura da "terça feira gorda" que antecede a quarta-feira de cinzas.” (Wikipédia)
“A importância do rei momo para a cidade do Rio de Janeiro, pode ser atestada pelo fato de vários prefeitos, nos primeiros dias do carnaval, e entregar as chaves da cidade ao rei momo, como se, a partir deste momento, quem governasse a cidade não fosse mais o prefeito, mas o rei momo”. (Wikipédia)

Momento para a prestação das contas da festa da folia.

Enfim todos os reis momos devem prestar contas do que fez ou deixou de fazer para quem os confiou tamanha responsabilidades. Com certeza será o grande momento para apresentação do relatório muito extenso da festa da folia. Pense bem, quantas obras para serem inauguradas neste período, lugar melhor não existe do que as passarelas do samba. Em meio à multidão acalorada e regada com todos os ingredientes típicos desta festa popular, bebidas alcoólicas e drogas ilícitas de todos os tipos.   Todos em estado alucinatório ouvem um insofismável grito do chefe maior declarando: que através dos poderes a ele conferidos, determinou que tudo se cumprisse pela força do seu reinado.  A partir de agora estaria inaugurado uma nova era para a sociedade mesmo ilusoriamente, a era da folia e alucinações.
As banais deliberações do rei momo.
A partir deste instante, chegaria ao fim dos sofrimentos do povo. É um novo tempo para a nação, mas em razão da enorme   ressaca, somente conseguiu forças para citar alguns deboches e citou as áreas da saúde, segurança, habitação, educação, controle dos gastos públicos, fim da corrupção, um gordo aumento salarial para todos os trabalhadores e frisou bem os aposentados. Toda infraestrutura referente às olimpíadas e a copa do mundo. Logo em seguida voltou ao seu camarote real era hora do lanche imperial, devorou as guloseimas fartamente, descansou, depois embarcou outra vez na folia. Oferecendo prosseguimento ao seu reinado disse: voltarei!  Retornando do trono abriu uma sessão especial porque a pauta estava lotada e o tempo voava e os projetos relevantes foram votados e aprovados sem ressalvas ao longo das passarelas, diante do público extasiado com as fantasias e os enredos fantásticos das escolas de samba, ao som estridente das baterias.

Em meio a alucinação rei momo fugiu sem deixar rastros.

Para completar resolveu desfilar majestosamente, em outro ponto do país e deparou-se a uma aglomeração enfurecida implorando por mudanças, todos catando e dançando ao som das músicas carnavalescas, machinhas típicas, dos memoráveis carnavais. O rei diante da grande pressão dos alucinados, os atendeu inconsequentemente todas as reivindicações da multidão embriagada. No alvoroço dos incontáveis blocos de nomes exóticos, o rei simplesmente, acenou ao povo num momento de devaneio. Em seguida todos os projetos foram assinados e aprovados em milésimo de segundos sem vetos. Logo em seguida fugiu sem deixar rastros e só voltara no próximo ano para reinar na nova folia carnavalesca e de deboche da nação.

A festa de momo não passou de sonhos e alucinações.

E assim no embalo dos encantos carnavalescos o rei transformou o país num verdadeiro festival de sonhos coloridos. Sonhos que transcenderam a cruel realidade de milhões foliões. Porém num piscar de olhos todos despertaram da irrealidade decretada pelo momo e perceberam que voltaram a pisar no solo, espinhoso da vida real. A brincadeira terminou sobraram à ressaca e o mau humor, para encarar a situação da vida real. Parece que todos voltaram de outra nação, pois a situação decretada pelo rei não existia. Será que era pura fantasia ou simplesmente uma brincadeira de péssimo gosto, ele não fez nada! As coisas continuavam na mesma situação. A caixa do correio abarrotada de contas de todas as espécies e valores para quitar, imposto disso e daquilo, transportes coletivos com gente exprimida até o teto, alguns saindo pelas janelas. Nem precisa falar das outras coisas é óbvio. A situação social não mudou em nada, desemprego, fome, endividamentos, e o mais decadente os direitos sociais foram roubados pelos golpistas. A democracia do país em frangalhos, a festa e o rei sem sombras de dúvidas eram pura ilusão, puro deboche do povo totalmente alucinado e manipulado.

A vergonha e as ilusões obrigaram o rei fugir para não apresentar seu trágico relatório da folia.

Como tudo era ilusão mesmo assim a folia do rei momo provocou efeitos colaterais dramáticos em alguns foliões, esses efeitos atingiram pessoas inocentes. Consequências fatais para alguns e sequelas irreversíveis para outros. Mas o rei nem se quer teve a decência de devolver a chave dos poderes a quem os de fato pertence. Num ato de covardia total fugiu, deixou a chave com o porteiro do condomínio do poder. O rei fugiu com medo ou vergonha de prestar seu relatório trágico ao seu verdadeiro chefe. Portanto, seu chefe também determinou que o rei momo, já tivesse uma data reservada para a próxima zombaria carnavalesca.  Assim, desilusão, decepção e ilusão, de escárnio e deboche, sobrevivem. Agora o povo sóbrio, mas envergonhado, corre contra o tempo em busca de recuperar a dignidade humana, sem perder de vista a esperança de uma sociedade e vida melhor.

Postagens mais visitadas deste blog

O abc da mãe e suas qualidades.

As mães e suas qualidades no seu abc. As mães quantas qualidades elas possuem, desenvolvem e as colocam em prática, diariamente, vinte e quatro horas; durante uma vida inteira em prol dos seus filhos. Entretanto, dificilmente os filhos percebem e reconhece está árdua luta das mães e são gratos a elas.  Observem neste singelo texto, quanto as progenitoras fazem para seus filhos.
Estes dons surgem desde quando ela engravida pela primeira vez dão à luz seus filhos (as). Elas no cotidiano colocam em prática através de sua consciência maternal todas suas qualidades de mães para a proteção, provisão e educação dos filhos. O mais estranho e ingrato é que poucos filhos reconhecem a importância da sua mãe enquanto estão juntos. Muitos somente irão reconhecer e se lamentarem a sua real importância quando elas morrem.

Você já rotulou alguém de burro?

É uma atitude preconceituosa para ferir o sentimento de outrem e ruim para o convívio social.Quando alguém utiliza este vocábulo burro para qualificar outrem, somente vem comprovar como muitas pessoas tem uma mentalidade maldosa, preconceituosa e intolerante em relação aos seus semelhantes. É inaceitável como é usado no Brasil o termo “burro” entre as pessoas. Muitos usam de maneira intencional para ofender covardemente os seus semelhantes.  Alguns humanos a utilizam de maneira maldosa, preconceituosa e ofensiva. Isso vem ocorrendo desde o início da colonização até os dias atuais.

Indiferença é este sentimento negativo presente nas relações humanas.

Este sentimento ruim, a indiferença está presente na vida e setores sociais. A indiferença é um dos sentimentos humanos extremamente impresumível inerte em sua índole humana. Todavia, quando é despertada provoca indignação à pessoa alvejada. Este sentimento negativo pode estar infiltrado em inúmeras circunstancias da vida. O mais preocupante é a insensibilidade neste mundo individualista; mesmo diante de muitas amizades virtuais vazias e geladas de sentimentos. Podem-se perceber nas relações familiares em gerais e entre amigos. 
No plano social, há muitas situações onde as pessoas reagem plenamente indiferentes, em relação aos semelhantes nas situações de fragilidade e incapacidade. São característicos dos homens reagirem indiferentemente frente aos problemas de outrem. No âmbito governamental, o sentimento de indiferença é visível e constante por parte das autoridades que se comportam em total indiferença frente aos problemas sociais do povo. Também este sentimento é muito presente ent…