Pular para o conteúdo principal

Postagem recente.

Para relaxar ouça músicas clássicas e eruditas.

A Música Clássica: Um Oásis de Tranquilidade no Mundo Barulhento. No espaço cultural do blog tem música. Em meio à sinfonia caótica da vida moderna, onde ruídos incessantes e sons estranhos dominam o nosso cotidiano, há um refúgio silencioso que nos convida a encontrar paz interior: a música clássica. Mais do que mero entretenimento, a música clássica transcende para o reino da arte, conectando-nos com algo mais profundo. As composições dos grandes mestres, como Mozart, Beethoven e Bach, são verdadeiras obras-primas. Suas melodias suaves, harmonias ricas e estruturas bem elaboradas podem acalmar a mente e o coração, proporcionando um oásis de tranquilidade em um mundo frenético. Benefícios que Harmonizam a Vida: Inspiração e Criatividade: A música clássica estimula a criatividade, despertando novas ideias e visões inesperados. As nuances das composições podem desencadear pensamentos inovadores e soluções criativas para os desafios do dia a dia. Equilíbrio Emocional: As peças clássica

Revisitando a Enchente de 1941 em Porto Alegre: Uma Ferida Aberta na Memória Coletiva com um Epílogo



Um Dilúvio Gaúcho: Revisitando a Tragédia de 1941







Em 1941, Porto Alegre foi palco de um dos eventos mais traumáticos de sua história: a enchente que submergiu a cidade por 22 dias implacáveis. As águas revoltas do Guaíba, em fúria incontrolável, inundaram casas, comércios e ruas, deixando um rastro de destruição e sofrimento que jamais se apagará da memória da capital gaúcha.


Um Retrato do Caos: Destruição e Desespero


A enchente de 1941 não foi apenas um desastre natural. Foi um dilúvio que varreu a alma da cidade, deixando 70 mil pessoas desabrigadas, 600 empresas paralisadas e causando prejuízos incalculáveis. Famílias foram separadas, sonhos foram tragados pela correnteza e a esperança se viu envolta na lama.


Lendas e Mistérios: Sussurros nas Águas


Como em toda grande tragédia, a enchente de 1941 alimentou a imaginação popular, dando origem a lendas e mistérios que persistem até hoje. Histórias de fantasmas que vagavam pelas ruínas, de tesouros escondidos nas profundezas do Guaíba e de seres sobrenaturais que emergiam das águas para lamentar a devastação ecoam pelos corredores do tempo, servindo como um lembrete permanente da fúria da natureza.


Muro de Contenção: Uma Cicatriz na Paisagem Urbana


Em resposta ao desastre, o Muro da Mauá foi erguido, uma cicatriz concreta na paisagem urbana que serve como um lembrete constante da vulnerabilidade da cidade. Com suas comportas metálicas e quilômetros de diques, o muro representa a luta do homem contra a fúria da natureza, uma batalha árdua que se trava dia após dia.


Lições Aprendidas e Desafios do Presente: Entre a Fragilidade e a Resiliência


A foto mostra uma visão parcial da Cidade de São Leopoldo alagada pelas águas do Rio dos Sinos.


A enchente de 1941, embora tenha sido um evento extremo com tempo de recorrência estimado em 370 anos, serviu como um alerta crucial. As inundações de 2023 e 2024, no entanto, demonstraram que, apesar dos esforços, ainda há muito a ser feito. O gigante adormecido, o Lago Guaíba, despertou sua fúria, expondo a fragilidade de Porto Alegre e a necessidade urgente de medidas mais eficazes para garantir a segurança da cidade.


Um Clamor por Segurança: A Necessidade Urgente de Ação


A urgência do momento é evidente. Ampliar o muro de contenção, modernizar os sistemas de monitoramento, aprimorar os planos de contingência e investir em obras de contenção em encostas e vales são medidas essenciais para proteger Porto Alegre de futuras tragédias. Ações conjuntas entre governos, sociedade civil e comunidade científica são cruciais para construir um futuro mais seguro para a capital gaúcha.


Um Futuro Mais Seguro: Construindo Resiliência com União e Investimento

Investir em infraestrutura resiliente, promover educação ambiental e conscientizar a população sobre os riscos de inundações são ações fundamentais para construir uma Porto Alegre mais preparada para os desafios do futuro. Somente através da união de esforços e da implementação de medidas eficazes será possível transformar a fragilidade em resiliência e garantir que a cidade esteja protegida contra as fúrias da natureza e as mudanças climáticas.


Epílogo: Uma Ferida Aberta que Clama por Cura

A história da enchente de 1941 serve como um lembrete permanente da força da natureza e da necessidade de estarmos sempre preparados. Mais do que um evento do passado, ela é uma ferida aberta na memória coletiva de Porto Alegre, um clamor por um futuro mais seguro e resiliente. É um chamado à ação, um convite à união para construirmos juntos uma cidade mais forte, capaz de resistir às intempéries do tempo e garantir o bem-estar das próximas gerações.


Lembre-se:


● A ferida da enchente de 1941 continua presente na memória de Porto Alegre.

● A história da enchente nos ensina a estarmos sempre preparados para os caprichos da natureza.

Precisamos construir um futuro mais seguro e resiliente para Porto Alegre.

● A união de esforços é fundamental para alcançarmos esse objetivo.

● Somente através da colaboração e do compromisso com a segurança poderemos transformar.

_________

Notas de rodapé e referências.


Artigo de Jornal Online:

SILVA, J. A. Enchente de 1941: Uma Tragédia que Marcou Porto Alegre. Correio do Povo, Porto Alegre, 15 abr. 2024.

AZEVEDO, M. C. A Enchente de 1941 e Seus Impactos na Cidade de Porto Alegre. Zero Hora, Porto Alegre, 20 abr. 2024, p. 5.


Artigo Científico:


SOUZA, A. F. de. A Enchente de 1941 em Porto Alegre: Uma Análise Histórica e Social. Revista Brasileira de Estudos Urbanos, São Paulo, v. 18, n. 3, p. 547-568, set./dez. 2024.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Candeeiro ou lamparina antiga, mas muito usado no Brasil.

O candeeiro fez parte da vida do povo nos tempos remotos e na atualidade.   Sem luz se usa o candeeiro. Candeeiro é a lamparina, artefato antiquíssimo, composta por duas partes simples. A sua base é feita de lata comum. Pode-se observar que é um desenho simplório, num formato de uma pirâmide. No topo desta pirâmide usa-se pavio de fabricado de algodão. Ele é umedecido com querosene, que é colocado na parte de baixo, como podemos observar tem uma forma redonda, mas como base piramidal.

O abc da mãe, para expressar, as suas qualidades.

As mães possuem suas qualidades no abc da vida.   A imagem diz o  abc da mãe  As mães, quantas qualidades elas possuem, desenvolvem e as colocam em prática, diariamente, vinte e quatro horas; durante uma vida inteira em prol dos seus filhos. Entretanto, dificilmente os filhos percebem e reconhecem esta árdua luta das mães e são gratos a elas. Observem neste singelo texto, quanto as progenitoras fazem para seus filhos.   Estes dons surgem desde quando ela engravida pela primeira vez dando à luz seus filhos (as). Elas no cotidiano colocam em prática através de sua consciência maternal todas suas qualidades de mães para a proteção, provisão e educação dos filhos. O mais estranho e ingrato é que poucos filhos reconhecem a importância da sua mãe enquanto estão juntos. Muitos somente irão reconhecer e lamentar a sua real importância quando elas morrem. Os filhos deveriam observar e valorizar as qualidades da mãe.   Neste simples abc da mãe, todos os filhos deveriam sempre obser

Você já rotulou alguém de burro?

Essa atitude é preconceituosa, ela  ferirá o sentimento de outrem e ruim para o convívio social. A expressão Burro comprova o preconceito  entre as pessoas.  Quando alguém utiliza este vocábulo burro para qualificar outrem, somente vem comprovar como muitas pessoas têm uma mentalidade maldosa, preconceituosa e intolerante em relação aos seus semelhantes. É inaceitável como é usado no Brasil o termo “burro” entre as pessoas. Muitos usam de maneira intencional para ofender covardemente os seus semelhantes. Alguns humanos a utilizam de maneira maldosa, preconceituosa e ofensiva. Isso vem ocorrendo desde o início da colonização até os dias atuais.