Pular para o conteúdo principal

O Natal cristão está desfigurado.

A mudança do Natal Cristão se dá através dos exageros comerciais e dos grandes lucros.

A foto  mostra  a cena do presépio o lugar onde  Jesus o Redentor nasceu numa noite mais iluminada da humanidade.
A foto mostra a cena do presépio o lugar onde  Jesus nasceu.

O Natal é uma das datas religiosas mais conhecidas da cristandade, onde celebramos o nascimento de Cristo numa estrebaria em uma manjedoura. A palavra natal deriva do latim: “nātālis” que traduzindo literalmente para o português significa nascimento, mas hoje é conhecido como natividade.

O nascimento do menino Jesus, que segundo o cristianismo Deus se fez homem para nos salvar do pecado e da morte eterna. Jesus nasceu criança em uma manjedoura, cresceu e viveu como todos os homens.

 

Experimentou de todos os sentimentos e dores que os homens sofreram, porém, com um atributo diferente de todos os pecadores; nasceu sem pecado e jamais o conheceu. Viveu exclusivamente para colocar em prática o plano de salvação de Deus a toda humanidade. Nasceu e viveu pobre, foi perseguido, devido ao santo plano de seu Pai e foi assassinado humilhantemente numa das mais horríveis mortes da época, por crucificação em amor a cada um de nós.

O verdadeiro sentido do Natal é a celebração do nascimento do Salvador.
 

Natal é nascimento, vida nova, salvação através de Jesus. Deus tomou a forma humana, é o menino Jesus. Ele nasceu, viveu presente entre nós e morreu humanamente, mas ressuscitou resplandecente, cheio de glória. A sua ressurreição é vitória, é sinal de vidaeterna e a derrota do pecado da humanidade, para todos a ele crer. Este é de fato o que define o grande sentido do Natal para a cristandade, quem crer que a nossa vida neste mundo é apenas um breve período, tendo em vista uma existência eterna através da salvação em Cristo. O Natal deve ser este tempo de reflexão, de perdão, de alegria por ter nascido, Messias, o redentor. Agora é tempo de mudança pessoal, de confraternização, de boas notícias da salvação para o homem.

 

Infelizmente este sentido natalino vem sendo descaracterizado a cada ano, a cada geração.



É lamentável, mas  muitas pessoas desconhecem o verdadeiro porquê da celebração do Natal. Muitos nem sabem o verdadeiro sentido do Natal e confundem com presentes, festas, banquetes típicos, regados a bebidas alcoólicas.

A maioria transforma o Natal em verdadeiro comércio. Em um momento de grande estresse para muitos devido à correria para os “shoppings”, lojas e supermercados para garantir o melhor presente e a ceia natalina como manda a tradição.

situações de violência no trânsito por motivos fúteis, uns querem chegar primeiro e fazem do carro um avião e assim acontecem os acidentes fatais. O próprio comércio instiga há todos os segundos, com anúncios em todos os meios de comunicação, fazendo um profundo apelo ao consumismo natalino.

Compre isso, aquilo, use e abusem de seus cartões de créditos. Parcele em prestações a perder de vista, mesmo que as pessoas estejam naufragadas em dívidas, elas compram o que não podem pagar, simplesmente para atender as solicitações consumistas nesta época do ano. O Natal no Brasil é uma das datas mais esperadas pelos lojistas, e eles projetam enormes percentuais de lucros em relação às festas natalinas do ano passado.



Geralmente o verdadeiro sentido natalino que é a boa nova de salvação, um momento especial, para pensar e refletir sobre a espiritualidade do belíssimo plano de Deus para resgatar a humanidade da morte eterna do pecado, é totalmente esvaziado com a ganância avarenta dos comerciantes. Contudo, esta celebração da cristandade vem se perdendo e confundindo-se, com lindas decorações, dando destaque para o comércio e personagens lendários do Natal, como se fosse uma verdadeira festa vazia, desta consciência cristã de salvação.

Para muitas pessoas, natal é sinônimo de pequenas e grandes compras.
 

Por tanto, o Natal dos últimos tempos está sendo uma festa comercial, cheia de luzes e lindas fachadas decorativas e recheadas de divulgação, com forte apelo onde reina o lucro desenfreado.

Esta data que possui um sentido cristão grandioso nunca deveria ser celebrada focalizada nas compras, afogado na hipocrisia das compras e vendas de maneira desenfreada, mas deveria sim, ser celebrado. Essa festa da humanidade, sobretudo, vai muito além das compras e lucros. Evidente, que durante este período é importante comprar, contudo, jamais se poderá resumir essa celebração em luzes, decorações, perus, chestes e presentes.

Todavia, a  espiritualidade cristã, é totalmente abdicada por outros atrativos que não tem nada a ver com a proposta de salvação. Então está na hora de pensar se pessoalmente se está transformado, para esta celebração cristã. Todavia, é bom lembrar agora é momento de crescimento espiritual, não banalize comercialmente e só faça glamorosas festas e trocas de presentes que atendem os apelos consumistas e zero em humanização e conscientização de mudar o espírito, neste período de mudanças de vida. Em meio a toda a descaracterização natalina, desejo a todas as pessoas; feliz e abençoado NATAL.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O abc da mãe, para expressar, as suas qualidades.

As mães possuem suas qualidades no abc da vida.   A imagem diz o  abc da mãe  As mães, quantas qualidades elas possuem, desenvolvem e as colocam em prática, diariamente, vinte e quatro horas; durante uma vida inteira em prol dos seus filhos. Entretanto, dificilmente os filhos percebem e reconhecem esta árdua luta das mães e são gratos a elas. Observem neste singelo texto, quanto as progenitoras fazem para seus filhos.   Estes dons surgem desde quando ela engravida pela primeira vez dando à luz seus filhos (as). Elas no cotidiano colocam em prática através de sua consciência maternal todas suas qualidades de mães para a proteção, provisão e educação dos filhos. O mais estranho e ingrato é que poucos filhos reconhecem a importância da sua mãe enquanto estão juntos. Muitos somente irão reconhecer e lamentar a sua real importância quando elas morrem. Os filhos deveriam observar e valorizar as qualidades da mãe.   Neste simples abc da mãe, todos os filhos deveriam sempre obser

Você já rotulou alguém de burro?

Essa atitude é preconceituosa, ela  ferirá o sentimento de outrem e ruim para o convívio social. A expressão Burro comprova o preconceito  entre as pessoas.  Quando alguém utiliza este vocábulo burro para qualificar outrem, somente vem comprovar como muitas pessoas têm uma mentalidade maldosa, preconceituosa e intolerante em relação aos seus semelhantes. É inaceitável como é usado no Brasil o termo “burro” entre as pessoas. Muitos usam de maneira intencional para ofender covardemente os seus semelhantes. Alguns humanos a utilizam de maneira maldosa, preconceituosa e ofensiva. Isso vem ocorrendo desde o início da colonização até os dias atuais.

Candeeiro ou lamparina antiga, mas muito usado no Brasil.

O candeeiro fez parte da vida do povo nos tempos remotos e na atualidade.   Sem luz se usa o candeeiro. Candeeiro é a lamparina, artefato antiquíssimo, composta por duas partes simples. A sua base é feita de lata comum. Pode-se observar que é um desenho simplório, num formato de uma pirâmide. No topo desta pirâmide usa-se pavio de fabricado de algodão. Ele é umedecido com querosene, que é colocado na parte de baixo, como podemos observar tem uma forma redonda, mas como base piramidal.