A internet fez as famílias emudecerem, mas dialogam-se com os estranhos virtuais.

Novos tempos novas e relações virtuais geladas.
A internet cria meios de conversação com estranhos, mas    congela o diálogo entre as famílias, fatalmente abrem-se precedentes para consequências arruinadoras, em âmbito familiar e social.  
Em todas as épocas da história da humanidade o normal das pessoas a noite é procurar segurança. Entretanto, todos acautelar-se fazendo o ritual de fecharem as portas do lar para permanecerem confortavelmente à vontade juntos para o jantar, conversar, contar as novidades do dia, avaliar como foi o desempenho no trabalho, na escola, faculdade ou da universidade. Fazer uma programação familiar     até o horário habitual do repouso.
Este panorama terminou na maioria dos lares tudo isso após o advento da era digital ou tecnologia da informação. O avanço da web nas vidas e nas relações pessoais são devastadoras e sem limites. Hoje em plena contemporaneidade as famílias emudeceram, congelaram-se os bons diálogos, geralmente quando ocorre alguma conversa entre os membros das famílias são verdadeiras brigas sem consenso e muitas vezes com desfechos trágicos.  A internet criou outro ritual, o do isolamento entre si, transformando tudo em silencio puramente estranho e doentio.


Cada família tem sua maneira ordenada de viver; algumas incluem os horários pré-estabelecidos democraticamente para tudo, entretanto, outras praticamente não estabelece horários organizados para nada por várias causas. Geralmente a maioria vive quase todo tempo conectada ao mundo virtual e desconectada ao mundo real e familiar. Nasce aqui um silencio sepulcral, apenas ouve-se uma vez ou outra, risadas amarelas, sussurros, xingamentos, até mesmo princípios de discussões entre desconhecidos de outros continentes, países e região. Eles foram adicionados à lista de amigos virtuais. Em meio a tantos, amigos, muitos são fake perigosos. Sãos os criminosos do oceano virtual, que navegam simplesmente para praticarem crimes nas redes sociais.

As relações familiares estão sendo congeladas, pouquíssimas palavras são proferidas entre casais e entre os irmãos. O diálogo sumiu e entrou o diálogo das teclas dos aparelhos de conexões com estranhos.  Contudo, abrem as portas da casa para o mundo através dos dispositivos moveis ou fixos conectados as redes sociais. Óbvio que nem todas as famílias agem assim, muitas têm seu estilo de viver de maneira onde se prevaleça e conserva a convivência saudável entre os membros da casa.
Porquanto, a sociedade é o resultado do que é cultivado nas células familiares. Elas são as menores partes, mas imprescindíveis, fundamentos da sociedade. Se as células estão sadias consequentemente o restante do corpo estará salutar e se estão doentes; o corpo ou partes permanecerão enfermos. Assim funcionam a nossa sociedade as famílias necessariamente devem estar sadias para educar e gerar cidadãos equilibrados. Somente assim, se constrói também uma sociedade equilibrada centrada nos valores éticos e morais que são pilares da paz social. 

A web fez terminar o diálogo familiar e abriu  as portas para o mundo virtual desconhecido. 

Portanto, este novo comportamento pode resultar em futuras consequências imagináveis para a família e para comunidade. Ao mesmo tempo, já vem gerando uma sociedade moderna desequilibrada, violenta, estressada e com perdas de valores. Estão nascendo ao curto, médio e longo prazo, contra valores, destruidores do convívio familiar e social. Esta reviravolta no convívio familiar e social tem menos de trinta anos e já provocou mudanças profundas entre as pessoas. Apenas está se iniciando as transformações nos lares promovidas através do nascimento da web. Agora imagine quantas mudanças virão acontecer ao longo das próximas décadas e séculos nos lares e nesta aldeia globalizada!

Está na hora de se pensar seriamente em formas de separar o que for bom desta ferramenta maravilhosa da atualidade, para ser aplicada a serviço da humanidade, de maneira segura. Criar meios para que a internet não venha a prejudicar a boa convivência no lar. Que se amplie ainda mais o seu uso para auxiliar outras áreas do conhecimento humano a serviço da paz. E que venha ser de fato um instrumento para ajudar a melhorar a vida entre as pessoas do mundo. E criar mecanismos que possam eliminar tudo aquilo que atrapalha, arruína a vida em família e em sociedade. Uma tarefa desafiadora para os grandes provedores, e os gigantes que domina ou tem o controle de tudo o que é postado na web.🔎

Comentários