Pular para o conteúdo principal

Onde está a fábrica da verdade?

http://www.analiseagora.com/
A imagem diz: a verdade sempre. Hoje a humanidade vive na mentira.
A verdade valor preciso e raro de encontrar numa sociedade contemporânea e contaminada pela mentira. Você já imaginou existir um lugar onde houvesse uma fábrica onde produzisse somente a verdade e pudéssemos comprar ao menos uma fagulha ou sentir o aroma deste valor incalculável?  Certamente do inventor desse valor subjetivo seria a pessoa mais rica do mundo.  Não somente em dinheiro, mas, sobretudo em retidão, sabedoria, de valores abstratos e caráter que nenhuma moeda vil poderia comprar.
O dono desta inédita invenção talvez, pelo seu valor magnífico, pudesse ter a sabedoria de orientar os sedentos em buscar uma gota da verdade para serem verdadeiros desde seu nascimento a sua finitude.

Se houvesse esta indústria real onde se pudesse todos sentir apenas fragrância da verdade o mundo seria melhor. As pessoas seriam verdadeiras ao falar, trabalhar, comprar, gerir os bens públicos e particulares. As famílias seriam equilibradas e consequentemente haveria uma sociedade onde se reinaria a verdade, honestidade e a paz.

O artífice desta fábrica inédita não poderia vender a verdade, simplesmente pelo fato de que a verdade é um valor imaterial. Logo, não haveria como vender um grama de verdade, a não ser que o inventor exigisse que todos sedentos de confiança passassem alguns dias, ou quem sabe algumas horas para ver e seguir seu exemplo concreto, como ser uma   pessoa verdadeira. Apenas poderia ensinar as pessoas serem verdadeiras e se comportarem e viverem na simplesmente na verdade absoluta. Algo impossível para os humanos que carregam em seu íntimo à imperfeição de uma essência pecaminosa que os impedem atingir a perfeição neste mundo.  Entretanto, quem fosse à busca da verdade, se conseguisse assimilar este valor pagaria ao autor da fábrica um valor simbólico e começaria a divulgar está boa nova em todos os lugares onde fosse e consequentemente multidões começariam a organizarem em peregrinações para buscar a verdade absoluta. E nesta sequência imaginária, haveria multidões e mais multidões procurando este valor raro e se reportar como verdadeiro.

Nesta continuação o inventor da indústria da verdade se tornaria bilionário e transbordava sabedoria do seu ser visível em seu próprio semblante. Simplesmente nem receberia simbólico de gratidão. Somente em função de ter descoberto o caminho verdadeiro e ter compartilhado aos semelhantes a viver de maneira honesta. E assim todos poderiam encontrar a verdade e viver na verdade até seu último suspiro de vida neste mundo.
Mas, você sabe o que é a verdade? Até o próprio Cristo foi questionado sobre a verdade, mas Ele é Deus e a própria verdade e não necessitaria responder sobre esta inquirição de um mero mortal. Pois, Ele mesmo é verdade, bastasse olhar e crer para se contentar da verdade absoluta.  Que pergunta dificílima de responder. Do ponto de vista humano até o momento ninguém realmente sabe precisamente o que é a verdade em absoluto. A polêmica é sem fim entre os pensadores e os detentores do conhecimento das ciências humanas. As divergências são grandes entre ambas e cada qual define a verdade do seu ponto de vista cientifico, filosófico e religioso que atua. 

O mais espantoso é que a mentira sempre procurou sobrepor à verdade. Contudo, a verdade é fato real; existe em qualquer circunstância da vida e o melhor ela vence a mentira e liberta o homem. Enquanto que também a mentira é fato, mas escraviza e condena o homem.  Mas, vamos ver a origem etimológica do vocábulo verdade. Segundo vários linguistas a palavra verdade vem do latim: "veritas" = verdade. Porém, até quanto à origem etimológica há divergências alguns afirmam que sua origem também vem do grego: "etymon" + "alethéia" = a verdade. É prudente deixar esta polêmica para os peritos dos idiomas antigos.

http://www.analiseagora.com/
A imagem está escrito: a verdade liberta e a mentira condena.

Portanto, infelizmente vivemos em uma sociedade onde as pessoas estão mergulhadas na mentira e vivem dia e noite na mentira. Quando a senhora verdade lhes bate à porta recebe um tremendo justo. Quando a máscara começa a cair tudo que torpe é revelado. Vem à tona o lamaçal de falcatruas, corrupções e muitas e muitas sujeiras que os envergonham ao seu meio em que tais pessoas pousavam de honestas e até moralistas para os outros.

Dificilmente se pode dar credibilidade quando as pessoas influentes de nosso mundo falam sobre retidão. Vivemos numa época do ceticismo humano. Mentiram tanto, que a desconfiança tomou o lugar da confiança. Neste ritmo a caminha da humanidade em procurar a fábrica da verdade é uma ilusão pois os mentirosos não suportam a verdade, ela foge deles nunca a encontra a não ser que as pessoas se envergonhem da mentira e possam trilhar na vereda de justiça e de uma vida correta. Quem mente sempre, cada vez mais a verdade se distancia dos homens mentirosos. Todos os homens deveriam se esforçar viverem retidão. Quem vive assim, desde a formação do lar, tem em si princípios inabaláveis que os tornam honesto e feliz. Pois a verdade corta a carne e queima a consciência de quem praticar a mentira. Estes se distanciam da verdade, habita no medo de ser atingido pelo poder e rigor da verdade. Um dia as duas realidades opostas se encontraram e está promovido o embate. A verdade será sempre a vencedora; doa a quem doer.


Em meio às tantas desconfianças ainda existe fagulhas de verdades entre algumas pessoas que fazem disseminar a confiança entre os humanos. Estes não precisam de fábricas da verdade, eles têm suas fábricas que trouxeram das orientações dos seus pais e procuram conservar e repassar este valor para seus filhos. Agora que perdeu este valor incomensurável deseja que existisse uma nova fábrica para tentar comprar a qualquer preço à verdade, mas a verdade não se pode comprar, todos tem uma centelha basta conservar para nunca faltar. 

Postagens mais visitadas deste blog

O abc da mãe e suas qualidades.

As mães e suas qualidades no seu abc. As mães quantas qualidades elas possuem, desenvolvem e as colocam em prática, diariamente, vinte e quatro horas; durante uma vida inteira em prol dos seus filhos. Entretanto, dificilmente os filhos percebem e reconhece está árdua luta das mães e são gratos a elas.  Observem neste singelo texto, quanto as progenitoras fazem para seus filhos.
Estes dons surgem desde quando ela engravida pela primeira vez dão à luz seus filhos (as). Elas no cotidiano colocam em prática através de sua consciência maternal todas suas qualidades de mães para a proteção, provisão e educação dos filhos. O mais estranho e ingrato é que poucos filhos reconhecem a importância da sua mãe enquanto estão juntos. Muitos somente irão reconhecer e se lamentarem a sua real importância quando elas morrem.

Você já rotulou alguém de burro?

É uma atitude preconceituosa para ferir o sentimento de outrem e ruim para o convívio social. Quando alguém utiliza este vocábulo burro para qualificar outrem, somente vem comprovar como muitas pessoas tem uma mentalidade maldosa, preconceituosa e intolerante em relação aos seus semelhantes. É inaceitável como é usado no Brasil o termo “burro” entre as pessoas. Muitos usam de maneira intencional para ofender covardemente os seus semelhantes.  Alguns humanos a utilizam de maneira maldosa, preconceituosa e ofensiva. Isso vem ocorrendo desde o início da colonização até os dias atuais.

Candeeiro ou lamparina antiga, mas muito usado no Brasil.

O candeeiro fez parte da vida do povo nos tempos remotos e na atualidade. Candeeiro é a lamparina, artefato antiquíssimo composta sobre duas partes simples. A sua base é feita de lata comum. Um desenho simplório num formato de uma pirâmide. No topo desta pirâmide usa-se pavio de fabricado de algodão. Ele é umedecido com querosene, que é colocado na parte de baixo, como podemos observar tem uma forma redonda, mas como base piramidal.
Este utensílio domestica há muitos anos foram usados no país inteiro até chegar às primeiras transmissões de energia elétrica nas capitais e aos poucos foram se disseminado para o restante do país.