Pular para o conteúdo principal

Postagens mais visitadas deste blog

Você já rotulou alguém de burro?

É uma atitude preconceituosa para ferir o sentimento de outrem e ruim para o convívio social. Quando alguém utiliza este vocábulo burro para qualificar outrem, somente vem comprovar como muitas pessoas tem uma mentalidade maldosa, preconceituosa e intolerante em relação aos seus semelhantes. É inaceitável como é usado no Brasil o termo “burro” entre as pessoas. Muitos usam de maneira intencional para ofender covardemente os seus semelhantes.  Alguns humanos a utilizam de maneira maldosa, preconceituosa e ofensiva. Isso vem ocorrendo desde o início da colonização até os dias atuais.

O abc da mãe e suas qualidades.

As mães e suas qualidades no seu abc. As mães quantas qualidades elas possuem, desenvolvem e as colocam em prática, diariamente, vinte e quatro horas; durante uma vida inteira em prol dos seus filhos. Entretanto, dificilmente os filhos percebem e reconhece está árdua luta das mães e são gratos a elas.  Observem neste singelo texto, quanto as progenitoras fazem para seus filhos.
Estes dons surgem desde quando ela engravida pela primeira vez dão à luz seus filhos (as). Elas no cotidiano colocam em prática através de sua consciência maternal todas suas qualidades de mães para a proteção, provisão e educação dos filhos. O mais estranho e ingrato é que poucos filhos reconhecem a importância da sua mãe enquanto estão juntos. Muitos somente irão reconhecer e se lamentarem a sua real importância quando elas morrem.

Candeeiro ou lamparina antiga, mas muito usado no Brasil.

O candeeiro fez parte da vida do povo nos tempos remotos e na atualidade. Candeeiro é a lamparina, artefato antiquíssimo composta sobre duas partes simples. A sua base é feita de lata comum. Um desenho simplório num formato de uma pirâmide. No topo desta pirâmide usa-se pavio de fabricado de algodão. Ele é umedecido com querosene, que é colocado na parte de baixo, como podemos observar tem uma forma redonda, mas como base piramidal.
Este utensílio domestica há muitos anos foram usados no país inteiro até chegar às primeiras transmissões de energia elétrica nas capitais e aos poucos foram se disseminado para o restante do país. 

O que que pensar dos políticos.

OS POLÍTICOS AO LONGO DA HISTÓRIA CONSTRUÍRAM SUA PRÓPRIA IMAGEM E UM LEGADO NEGATIVO.


os políticos ao longo da história construíram sua imagem  

Os políticos de tanto praticarem a corrupção desde as fases de administração politica do Brasil colônia, império e todos os períodos da republica até os dias atuais. Que criaram um perfil negativo deixando um legado ruim para as atuais e próximas gerações. Todos: gestaram, criaram uma mentalidade péssima e caíram no desprestígio popular histórico.
Eles fizeram por merecer aos longos destes anos e construiu um arquétipo que tipificaram na mentalidade dos cidadãos que quase todos os políticos são corruptos. Geralmente estão envolvidos em algumas espécies de falcatruas e maracutaias. E sempre encontram um jeitinho para roubarem o nosso dinheiro que pagamos através dos pesados impostos para ostentação dos políticos, etc. Eles construíram ao longo do tempo esta imagem de desconfiança e hoje são alvo de: deboche, chacota, piadas, descréditos, matéria prima para os humoristas e alvo também de muitas criticas. No imaginário popular os políticos são as sanguessugas reais que usam táticas ilícitas e modernas para explorar o cidadão honesto que pagam o luxo da classe politica. Esta gente exploradora forma a classe mais desonesta que existem no Brasil. Obviamente que nem todos se incluem neste mar de lama fétido, ainda existem uns poucos que não se deixaram se corromper e submergir na lama abjeta da corrupção, mas é raridade.

Mesmo diante deste quadro de decadência dos nossos políticos ninguém pode viver em uma democracia sem esta gente desonesta e inconveniente. Eles são os nossos representantes nas casas legislativas e nas demais administrações de grande envergadura do nosso estado democrático brasileiro.  É o preço que pagamos para viver ainda no melhor regime politico do mundo que é a democracia. Através do voto passamos uma procuração pública para que eles nos representem e nos defendam nos fóruns democráticos. Somos obrigados escolher neste mar de gente corrupta aqueles que se apresentam em épocas de campanha eleitoral, como sendo: honestos e que tem como meta exterminar a corrupção no país, mas que é uma verdadeira ilusão que eles passam para o eleitor.

Portanto, não é culpa de o povo pensar desta maneira negativa dos políticos brasileiros, eles mesmos arquitetaram este conceito e mentalidade que poderão levar um milênio para o povo criar uma nova forma de pensar e ver os políticos. Isso se durante este longo período eles zelarem pela classe e trabalharem para destruírem esta imagem, legado e conceito negativo que está muito presente e atuante na classe politica e principalmente na mente popular. Muitos entram na politica não como um funcionário publico para zelar pelo patrimônio da comunidade e lutar para promover politicas públicas honestas que venham beneficiar a população nas áreas sociais. Tem aqueles que entram na classe politica com a carapuça de honesto contra a corrupção, mas depois que é eleito se transforma e porta como sendo um profissional da corrupção.

Esta realidade um dia poderá mudar quando o povo, o cidadão brasileiro que ainda é obrigado a votar, começar a pensar melhor na hora de fazer suas escolhas, conhecer melhor o histórico de que pretende dar o seu voto. Quando a ação de votar que atualmente é obrigatória deixar de ser obrigatória e o cidadão poderá conscientemente votar não pela força da lei, mas pela leveza e clareza de sua consciência. Hoje se alguém deixar de votar por não concordar com a sujeira da corrupção que está em nossa em volta e votar em qualquer candidato sofrerão as consequências da lei eleitoral. Esta situação deverá mudar com a reforma politica que está emperrada por muitos anos e por interesses exclusos. Esta relação ruim entre os políticos e povo somente vai se transformar de maneira gradual ao longo dos anos sobre pressão popular.