Pular para o conteúdo principal

O dia 24 de maio de 2017, Brasília conheceu a força do povo.

Congresso Nacional ao amanhecer em 24/05/2017 
O ato denominado de Ocupa Brasília, foi realizado, no dia vinte e quatro de maio de dois e dezessete, com a presença de 150 mil trabalhadores procedentes de todos os estados do território brasileiro. Esta manifestação do povo já entrou para as páginas da história como dia em que Brasília, a capital do Brasil, conheceu na realidade a força e a união do povo organizado. Eles exigiram a renúncia do governo golpista, ilegal e o fim de suas reformas perversas. Infelizmente o ato Ocupa Brasília terminou com muita violência com 7 pessoas presas e 49 feridas gravemente fica bem claro o uso excessivo e desnecessário da Polícia do Distrito Federal sobre os trabalhadores. Caberia uma seria investigação dos fatos e punir os responsáveis pelo abuso da força contra as pessoas.

O país está sob o comando deste governo golpista, ilegítimo e sob fortes denúncias de corrupções e crimes de improbidades administrativas, com 17 pedidos de impeachment, está   prestes a cair. E mesmo nestas condições teima a permanecer no poder para fazer suas reformas de maldades contra a nação e que retiram os direitos dos trabalhadores.

Entretanto, a nação exige sua renúncia o mais urgente possível. E diante desta insatisfação nacional muitas manifestações ocorrem contra este governo filho do golpe. Porém, para dar continuidade aos protestos, as centrais sindicais reuniram 150 mil trabalhadores e cidadãos brasileiros no Distrito Federal, onde fica Brasília a Capital do Brasil.  Especificamente para fazerem a caminhada em frente as esplanadas dos ministérios até a praça dos três poderes, para realizar uma manifestação pacifica contra as reformas e exigir a renúncia do governo golpista e ilegítimo.

A manifestação começou pacifica como deveria ser, mas repentinamente, grupo de mascarados de maneira orquestrada pularam as barreiras de contenção organizada pela polícia do DF e começaram a de maneira descontrolada   a praticarem atos de vandalismos aos prédios públicos de alguns ministérios federais.   Tudo ocorreu exatamente aos moldes das manifestações de 2013, quando os trabalhadores se organizavam para protestarem pacificamente, mas os grupos de mascarados infiltrados praticavam desordens e grande atos de violência e vandalismos, destruíam tudo que viam a sua frente, e desfiguravam os objetivos das manifestações histórias daquele ano.

Foi o que ocorreu no dia 24 de maio de 2017 em Brasília, os mascarados certamente foram a mandos dos golpistas para estragarem a manifestação dos trabalhadores ordeiros. Esta manifestação foi organizada com todas as centrais sindicais e tinham seus objetivos claros. Já especificados acima e repetirei, exigir a renúncia do presidente golpista e ilegal, exigir eleições diretas já, o fim das reformas trabalhistas e previdenciárias. 

Brasília a capital federal onde concentra os três poderes sentiu naquele dia a força que tem o povo organizado. Pense bem!  Foram apenas 150 mil pessoas que representou o restante dos demais trabalhadores e cidadãos do país. Agora já imaginaram se os mais de duzentos milhões vão as ruas contra este governo ele renuncia nas primeiras horas das manifestações.
Esta manifestação do dia 24 de maio de 2017 mostrou para o governo que a população tem força e poder. Principalmente, quando reunidos e bem organizados.  

Os mascarados os conhecidos “Black Bloc” não são manifestantes, mas são covardes que não mostram o rosto e fazem todos os atos de violência e vandalismos imagináveis. Eles se infiltraram na manifestação a mando de alguém contrário e agiram de maneira covarde   quebrando tudo e ateando fogo nos prédios das esplanadas dos ministérios em Brasília. Os trabalhadores sempre fizeram e fazem as grandes manifestações de rostos limpos e nunca se escondem detrás de uma máscara, mas fazem questão de se manifestar e aparecer para a sociedade, sem medo de lutar. Naquele dia a capital federal, parecia uma praça de guerra, soldados atirando covardemente contra o povo e helicópteros jogando bombas de efeito moral (gás lacrimogênio) sobre os manifestantes provocando desespero entre as pessoas de todas as idades, um absurdo  violento. Exige-se uma séria  explicação  de de  quem estava no comando das tropas  naquele dia.   

Os mascarados orquestraram tudo e quem via pela internet dava para notar claramente que estes elementos estavam ali simplesmente para tumultuar a manifestação dos trabalhadores e cidadãos brasileiros.






Isto ficou óbvio que o presidente ilegítimo se viu sitiado e num ato de desespero convocou as forças armadas para conter os trabalhadores desarmados. No decreto autorizava que o exército pudesse utilizar força e truculência e táticas de guerra para controlar os manifestantes trabalhadores desarmados que corria de um lado para outro, não para depredar o patrimônio   público, mas para se defenderem da brutalidade da polícia do DF que agiu descontroladamente contra o povo.  

O exército somente foi convocado para atuar em manifestações populares, somente nos sangrentos anos de chumbo quando, os contrários a ditadura militar eram brutalmente massacrados pela covardia dos sanguinários militares. Neste dia 24 de maio de 2017, o governo em fim de mandato se utilizou de um banal pretexto as manifestações na Capital Federal para trazer à tona o fantasma cruel da ditadura militar. E  num ato de fraqueza convocou o exército num decreto que instituía outra vez a ditadura militar no país, iniciando com o DF e certamente poderia estender a truculência em todo o país. No entanto, graças a pressão que sofreu da sociedade e dos parlamentares que estavam no plenário da câmara federal que suspenderam os trabalhos o governo golpista revogou em menos de vinte e quatro horas o decreto da violência. Esta ação de desespero, seria os primeiros sinais do grande objetivo dele; implantar uma ditadura militar no país sem data para terminar.

A imagem mostra a Catedral de Brasília a noite em plena normalidade..

Portanto, o dia 24 de maio de 2017 nunca mais sairá da mente dos brasileiros e principalmente dos heróis trabalhadores, que estavam presentes no fogo cruzado numa guerra produzida pelos mascarados e agravada pela violência descontrolada da polícia do DF, contra os trabalhadores que caminhavam e gritavam fora temer.

Estas manifestações não vão parar enquanto este governo ilegítimo renunciar e o TSE organizar eleições diretas já para outubro de 2017. É assim que se manda a Constituição de 1988 em seu artigo 81 onde está escrito: Vagando os cargos de Presidente e Vice-Presidente da República, far-se-á eleição noventa dias depois de aberta a última vaga.
Então, é pelo cumprimento deste artigo que todos os brasileiros devem rejeitar quais quer manobras para fazer eleição indireta e cobrar a eleição direta para escolher o novo Presidente da República que deve emanar da vontade popular. Como diz o artigo 1° parágrafo 1° Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição.  


Todavia, a luta continua o início foi em Brasília neste histórico 24 de maio. As lideranças sindicais e setores organizados da sociedade brasileira deverão continuar em todo o país. É fundamental que os organizadores das próximas manifestações tenham mais cuidados para evitar infiltração de mascarados. Chamar a autoridades para impedir que estes não participem das manifestações por quer eles somente têm o objetivo de tumultuar e praticar atos de vandalismos nas cidades. Fazer as manifestações do fora temer e diretas já somente os cidadãos de face limpas, para evitar a baderna e a violência policial. Se precaver de todos os cuidados e não deixar os mascarados participarem. 

                             Observem algumas imagens de Brasilia no dia 24 de maio de 2017.
Foto do Cpers/sindicato.
Foto do blog da Presidenta  Dilma Rousseff

Foto do Cpers/sindicato


Foto do blog da Presidenta  Dilma Rousseff
Foto do Cpers/sindicato

Foto do Cpers/sindicato

Foto do Cpers/sindicato

Foto do blog da Presidenta  Dilma Rousseff

Foto do blog da Presidenta  Dilma Rousseff


Foto do Cpers/sindicato


Foto de Ronaldo Barroso


Foto do Cpers/sindicato


Foto do blog da Presidenta  Dilma Rousseff



Foto do blog da Presidenta  Dilma Rousseff

Foto do blog da Presidenta  Dilma Rousseff


Foto do blog da Presidenta  Dilma Rousseff

Foto do blog da Presidenta  Dilma Rousseff

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O abc da mãe e suas qualidades.

As mães e suas qualidades no seu abc. As mães quantas qualidades elas possuem, desenvolvem e as colocam em prática, diariamente, vinte e quatro horas; durante uma vida inteira em prol dos seus filhos. Entretanto, dificilmente os filhos percebem e reconhece está árdua luta das mães e são gratos a elas.  Observem neste singelo texto, quanto as progenitoras fazem para seus filhos.
Estes dons surgem desde quando ela engravida pela primeira vez dão à luz seus filhos (as). Elas no cotidiano colocam em prática através de sua consciência maternal todas suas qualidades de mães para a proteção, provisão e educação dos filhos. O mais estranho e ingrato é que poucos filhos reconhecem a importância da sua mãe enquanto estão juntos. Muitos somente irão reconhecer e se lamentarem a sua real importância quando elas morrem.

Indiferença é este sentimento negativo presente nas relações humanas.

Este sentimento ruim, a indiferença está presente na vida e setores sociais. A indiferença é um dos sentimentos humanos extremamente impresumível inerte em sua índole humana. Todavia, quando é despertada provoca indignação à pessoa alvejada. Este sentimento negativo pode estar infiltrado em inúmeras circunstancias da vida. O mais preocupante é a insensibilidade neste mundo individualista; mesmo diante de muitas amizades virtuais vazias e geladas de sentimentos. Podem-se perceber nas relações familiares em gerais e entre amigos. 
No plano social, há muitas situações onde as pessoas reagem plenamente indiferentes, em relação aos semelhantes nas situações de fragilidade e incapacidade. São característicos dos homens reagirem indiferentemente frente aos problemas de outrem. No âmbito governamental, o sentimento de indiferença é visível e constante por parte das autoridades que se comportam em total indiferença frente aos problemas sociais do povo. Também este sentimento é muito presente ent…

Quando a ganância vem ofuscar a razão.

Quando a razão é ofuscada pela ganância do ter, o homem caminha para autodestruição do ser.A ganância um dos sentimentos inatos dos homens carregados de muitas perversidades próprias de sua natureza pecaminosa e insaciável para querer tudo que os sentidos percebem. Averiguada, desde o início da humanidade até os dias de hoje, tem causado muitas dores e sofrimentos ao ganancioso e a sociedade. Na atualidade surge com mais intensidade e métodos extremamente nefandos para conseguir os desejos materiais impossíveis, muito dinheiro e poder sem limites. O brilho das moedas recebidas de maneira fraudulenta vem ofuscar a razão deixando a entorpecida para qualquer tentativa de chamar a reflexão, a sanidade humana, fundamentada nos valores éticos e morais.