A noite é misteriosa e acontece fatos estranhos.

http://www.analiseagora.com/
A imagem mostra a luz da noite,seus mistérios  tudo é estanho.  

A insônia me conduz a varanda da casa...
Observo a noite e seus mistérios ...
A minha frente o poste da rua a meia luz.
Carros estacionados, abandonados, donos dormindo!
O silencio total é predominante, mistérios!
Os cães  sem donos, na rua meia escura latem sem parar.
Avisando algo estranho, misterioso pode acontecer;
Então, precaução!

Repentinamente, surge o único transeunte;
Desfigura a paz noturna!
Seu andar cabisbaixo transmite mensagens de;
Medo, solidão, decepção, coisas do coração;
Agonia do amor!
Anda sem direção ...
Passa uma vez, observa tudo;
Quão grandemente, procurasse alguém;
Para falar, desabafar ...
Amou, brigou, separou, mas sentiu   solidão!
Volta pela mesma rua desta vez, deprimido;
Coração, sangrando de dor e amor!
A passos acelerados, agitados;
Seus gestos falam por si mesmos;
Desencantos, ciúmes, desilusões e traições.
Sumiu como que para reconquistar seu amor.

Pausa infinita; silencio total;
A luz do poste atrai múltiplos insetos;
Quão bailarinos;
Fazem, balé fantástico em volta da luz.
Tempo não passa, sono não chega, permaneço sentado.
Levanto!  Olho o universo, sem luar, apenas estrelas a brilhar.
A noite tem sons misteriosos, silencio surreal!
A noite espanta o medo, gera coragem estranha.

Tudo é transformado com a volta do transeunte;
Agitado, gritos, choros, transtornado e surtado de paixão.
Perdi meu amor!
Gritou forte!  Te amo! Te amo! Te amo!
Caminhando e gritando sem parar!
A penumbra não permite definir a face do transeunte;
Usava trajes de gala; demonstrava ser romântico.
Segurava algo parecido como flores;
A escuridão da noite não permitia nitidez;
Flores, jogada pétalas por pétalas ao chão;
Balbuciava palavras, as vezes frases, incompreensíveis;
A única palavra de pronúncia clara;
Te amo! Te amo! Te amo!
Completava, perdi meu amor!
Nesta agonia o transeunte quebrou o encanto da noite;
Sumiu e não mais voltou...

O silêncio da noite voltou a ser dominante;
A luz do poste a brilhar, os insetos a dançar, aquecerem-se,
A madrugada gelada, quase escura, silêncio total;
Sono não voltava, nada mais acontecia, além do ruído dos insetos.
Nem algo estranho brotava, nem ninguém;
Nunca mais o transeunte louco de amor voltou.

Voltei a contemplar;
Estrelas; planetas e galáxias, para o tempo passar.
O silêncio noturno;
Longo e misterioso.
A dança dos insetos em volta da luz do poste não parava;
Comecei a pensar o que é o amor?
Sem respostas convincentes, reais;
Tudo é subjetivo e relativo no mundo do amor!
 O sono chegou; quão anestesiado na poltrona fiquei;
Não vi a noite misteriosa a terminar!
Despertei sob a luz do sol aos olhos;


Eis aí o poder incomensurável do amor!

Comentários

  1. muito linda a crônica "A NOITE É MISTERIOSA"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite Marques seja bem vido ao blog analiseagora.
      Esta crônica ou poesia nasceu mesmo de fatos reais, a insônia,observação do transeunte e seus lamentos amarosos,e a dança dos insetos em volta da luz do poste.Tudo isso fez nascer esta crônica. Fico feliz que você gostou. Volte sempre ao blog analiseagora,abraço.

      Excluir
  2. Respostas
    1. Boa tarde minha amiga Lia Araujo. Seja bem vinda querida ao nosso blog analiseagora. Muito obrigado pelo elogio ao singelo poema "A NOITE É MISTERIOSA". Volte sempre é uma grande alegria manter este belo contato sempre ativo.Beijos em seu coração.

      Excluir

Postar um comentário

Por gentileza deixe seu comentário é muito importante.