Janeiro mês de fazer planejamento econômico pessoal e doméstico.

MÊS DE FÉRIAS É TAMBÉM DE PLANEJAR AS CONTAS DO ANO:  O QUE TEM A RECEBER, QUITAR E GASTAR.

http://www.analiseagora.com/
Planejar o ano para não ter problemas financeiros
O ano de 2016 já mostrou sua cara e não é boa em relação a economia. Tudo indica que o país passará por momentos difíceis. Contudo, mesmo que seja agora o período de férias e descanso merecido, é fundamental parar alguns instantes para planejar o ano de 2016. Focar principalmente no orçamento familiar e particular para evitar problemas financeiros. Tudo se vislumbra para um ano de sérias dificuldades na área econômica tanto a nível de Brasil, quanto vida pessoal e doméstica.

Não adianta “tapar o sol com a peneira” por que a crise econômica brasileira existe sim. As autoridades da área do governo federal não medem esforços para estancar a crise econômica nacional. É louvável todo o trabalho do governo, até agora feito, para eliminar esta realidade ruim que atinge todos os brasileiros, mas infelizmente pouco tem surtido efeito para eliminar esta situação que vem aumentando dia a dia, mês a mês e não tem data para terminar.
Para quem não é economista se tornar quase impossível identificar os vários fatores que fazem gerar uma crise econômica de envergadura insuportável. Nós leigos simplesmente arcamos com os efeitos da crise econômica. Para observar in loco está péssima realidade, basta ir diariamente as compras de alimentos no supermercado ou contrair dívidas de alguns de bens duráveis e não duráveis, para sentir no bolso o peso da crise econômica brasileira.

Portanto, neste período de férias é imprescindível todos pegarem o lápis e papel e colocar quanto tem a receber e o que tem a quitar mensalmente, para não ter problemas financeiros durante este   ano de 2016.  Quem tem dificuldades em fazer orçamento é importante procurar um profissional em finanças para ajudar a construir planilhas orçamentárias e seguir corretamente como se fosse um GPS econômico.


Todavia, é necessário todos sentarem e fazer o seu orçamento para evitar compras desnecessárias e fora do poder de aquisitivo. Procurar também manter o emprego para garantir a base econômica do orçamento pessoal e doméstico. Se por infortúnio alguém ficar desempregado é necessário imediatamente procurar alternativas de trabalhos para suprir a lacuna do trabalho fixo. Uma das alternativas praticas faz surgir rendas rápidas, são as vendas diretas aos consumidores, a importante venda porta a porta. Exemplo: a venda de cosméticos, perfumes e tantos outros produtos que existem no mercado e que faz gerar rendas para quem está desempregado.