A música do Brasil no Blog analiseagora.

ESTE ESPAÇO CULTURAL É IMPORTANTE  PARA VALORIZAR A NOSSA MÚSICA ARTE.

http://www.analiseagora.com/https://1.bp.blogspot.com/-Xqg84dSvkTM/Vlz3DQfre7I/AAAAAAAAXFw/7hIFecGG-3g/s320/MPB.498754.png
MPB Música Popular Brasileira

O blog analiseagora reserva este espaço cultural para a música do Brasil. Neste post irei enfatizar uma única canção do nosso estimado e exímio compositor e cantor Chico Buarque de Holanda. Abro os microfones para ouvir e analisar está linda composição “mulheres de Atenas”. Composta em 1976 por Chico Buarque e Augusto Boal para a peça de teatro Lisa, a Mulher Libertadora.
 Esta música como tantas outras do “grande chico” já gerou grandes polêmicas principalmente entre aquelas pessoas que não souberam ler e interpretar a letra deste tema riquíssimo em metáforas.
Nesta bela obra ele condena o sofrimento das mulheres do mundo inteiro, provocados pelos homens cruéis que vivem no sono da ignorância, machismo, prepotência, pré-conceito, condições ruins provocadoras da violência e a subserviência visíveis, reais nas convivências familiares e na sociedade em geral contra as mulheres.

Interessante este paralelo traçado na letra a partir do ponto de referência e o contexto histórico e social pelas quais viviam aquelas mulheres da antiga Atenas para trazer para os dias atuais. Chamar a atenção para situação de violência da década de setenta e que infelizmente atualmente, ainda vivem muitas mulheres brasileiras. Mesmo que existe em nosso país a lei Maria da Penha, que protegem as mulheres contra a violência dos homens brutais, mas são verdadeiros covardes, e se aproveitam da delicadeza feminina para expor sua foça ignorante, contra a beleza feminina.

Portanto, este poema de fundo político social, dos compositores Chico Buarque e Augusto Boal gerou polemicas e foram acusados de fazer apologia à submissão as mulheres. Mais uma vez se comprova a falta de compreensão do que muitas pessoas leem. É   uma realidade de muitos brasileiros que não conseguem compreender o que leem.  Todavia, eles leem, porém, não entendem absolutamente nada. Sem dúvidas são os reflexos do péssimo ensino das nossas escolas brasileiras, entram no ritmo do "faz de conta" isto é, alguns mestres fazem de conta que ensina e alguns  alunos fazem de conta que aprendem. É a educação desvalorizada em nosso país, pois,  nunca foi e nunca será valorizada pelos nossos governantes.  Ler e não entender o que estar escrito resulta em interpretações errôneas em relação a quem pensa e escreve com propriedade o tema em debate. Foi o que ocorreu com esta linda música as mulheres de Atenas”. Muitas pessoas não entenderam o pensar dos compositores e já os acusaram de incitar a submissão feminina.


Infelizmente o sofrimento das mulheres no nosso país e no mundo não mudou muito desde 1976, quando foi composto este hino em defesa das mulheres. Muitas delas são vítimas dos maridos e companheiros violentos (covardes, frouxos) além de todos os tipos de assédios que sofrem na sociedade e especificamente no trabalho. Muitas delas por medo, chantagens, e ameaças permanecem sofrendo silenciosamente.   Então, agora  vamos ouvir e ler esta obra excelente de Chico Buarque de Holanda e Augusto Boal e pensar em nossas lindas mulheres que merecem todo o respeito e carinho.


Mulheres de Atenas, Chico Buarque-YouTube.





LETRA DA MÚSICA  MULHERES DE ATENAS!


Mirem-se no exemplo daquelas mulheres de Atenas
Vivem pros seus maridos, orgulho e raça de Atenas
Quando amadas, se perfumam
Se banham com leite, se arrumam
Suas melenas
Quando fustigadas não choram
Se ajoelham, pedem, imploram
Mais duras penas
Cadenas
Mirem-se no exemplo daquelas mulheres de Atenas
Sofrem pros seus maridos, poder e força de Atenas
Quando eles embarcam, soldados
Elas tecem longos bordados
Mil quarentenas
E quando eles voltam sedentos
Querem arrancar violentos
Carícias plenas
Obscenas

Mirem-se no exemplo daquelas mulheres de Atenas
Despem-se pros maridos, bravos guerreiros de Atenas
Quando eles se entopem de vinho
Costumam buscar o carinho
De outras falenas
Mas no fim da noite, aos pedaços
Quase sempre voltam pros braços
De suas pequenas
Helenas

Mirem-se no exemplo daquelas mulheres de Atenas
Geram pros seus maridos os novos filhos de Atenas
Elas não têm gosto ou vontade
Nem defeito nem qualidade
Têm medo apenas
Não têm sonhos, só têm presságios
O seu homem, mares, naufrágios
Lindas sirenas
Morenas

Mirem-se no exemplo daquelas mulheres de Atenas
Temem por seus maridos, heróis e amantes de Atenas
As jovens viúvas marcadas
E as gestantes abandonadas
Não fazem cenas
Vestem-se de negro, se encolhem
Se conformam e se recolhem
Às suas novenas
Serenas

Mirem-se no exemplo daquelas mulheres de Atenas
Secam por seus maridos, orgulho e raça de Atenas