Pular para o conteúdo principal

Não haveria sentido morrer, se não existisse vida eterna.

A MORTE FECHA-SE O CICLO DA VIDA CORPÓREO E INICIA UM NOVO CICLO, O DA VIDA ESPIRITUAL E ETERNA.

Para haver vida eterna é necessário a ressurreição 

A morte completa o ciclo da vida corpórea, mas para quem crer na vida eterna é o inicio de um a vida nova sem fim. Eu creio nesta verdade divina. Nós estamos vivendo neste mundo, simplesmente num breve espaço de tempo.
O que vale mesmo é ter uma vida que não morre mais. Ter um corpo, novo, sem dor, sem choro. Sem sofrimento, totalmente incorruptível, por isso a morte necessariamente faz parte da vida. Tudo isso acontece por quer ressuscitaremos como Cristo ressuscitou em sua ressurreição gloriosa. Foi à vitória da vida sobre a morte. Muitas pessoas não crer nisso, respeito à fé e o pensar de todos. Contudo, exijo que respeitem também a minha fé e o meu pensar.
Muitos pensam que a vida terá seu fim após a morte corpórea, tudo termina aí mesmo no tumulo. Desta forma nem haveria graça morrer! Viveríamos um tempo curtíssimo para absolutamente nada! Simplesmente para transformar-nos em cinza, adubo ou alimento para os vermes e nada mais, além disso? Seria ser muitíssimo simplório pensar ou crer desta maneira em relação a uma vida tão perfeita anatomicamente. Criada por Deus que é a perfeição em si mesmo. Se assim fosse não haveria perfeição divina, se a vida não tivesse uma continuidade após a morte. E onde ficaria a nossa alma?   Não teria graça nenhuma nisso, não teria sentido nenhum nascer e morrer por nada.  Mesmo que qualquer humano morresse com mais de cem anos é pouquíssimo tempo comparado à eternidade. Somente tem sentido morrer para nascer novamente; para viver eternamente adorando o nosso Deus que nos criou a sua imagem e semelhança.

A dor da morte existe e um dia todos passarão por esta realidade inevitável. Alguns reagem de maneiras diversas, mas na real devemos está preparados para esta realidade amarga a qualquer momento. Todos nós uma vez ou outra, já sétimos a tristeza e a consternação que surge. Quando alguém conhecido é extraído de nós. Algumas mortes são mais fáceis de suportar do que aquelas repentinas ou outras em situações adversas. Contudo, todas elas nas mais diversas situações, jamais é simples para assimilar instantaneamente. Muitos levam um longo tempo para aceitar e se conformar com uma perda de um ente querido. Há casos que pessoas precisam de ajuda de profissionais especializados nesta área para fazer a pessoa entender uma perda. Faz parte da natureza humana ninguém quer morrer ou quer que alguém da família ou conhecido morra; principalmente em ocasiões precoces. Sobretudo, a vida, mas esta vida tem um caminho que um dia tem um ponto final e chegado este momento não há o que fazer. Por isso devemos está sempre preparados, pois a qualquer momento, o Senhor o dono da nossa vida nos chamará a uma prestação de contas; do que fizemos ou deixamos de fazer, seja de bem ou de mau.

É na cruz de Cristo onde nasce a Salvação do  homem pecador

Portanto, é neste momento doloroso, acreditando ou não na eternidade, que começam a brotar vários questionamentos no nosso coração. Principalmente quando pensamos na perda de um familiar ou pessoa querida.  As reações nesta ocasião são inúmeras. Infelizmente tem pessoas que tem a ousadia de culpar a Deus. Talvez pela falta de conhecimento ou de não aceitar que está vida corpórea um dia terá um fim para completar seu ciclo terreno e partir para a vida eterna gloriosa. Muitos permanecem amedrontados enquanto outras apenas se abatem.
Quem acredita plenamente na vida eterna e tem a certeza da salvação em Cristo Jesus estas pessoas sabem e tem a tranquilidade de como saber lidar com esta realidade a morte.  De modo feliz Deus quer ser para nós, a nossa fonte de força e consolação em ocasiões como estas. Procure neste momento ouvir a voz de Deus que vem em sua direção; quando estiver lidando com um coração despedaçado. Somente Ele poderá soprar uma brisa serena e tirará toda a dor do nosso íntimo e nos dará a paz interior que tanto necessitamos.

Postagens mais visitadas deste blog

O abc da mãe e suas qualidades.

As mães e suas qualidades no seu abc. As mães quantas qualidades elas possuem, desenvolvem e as colocam em prática, diariamente, vinte e quatro horas; durante uma vida inteira em prol dos seus filhos. Entretanto, dificilmente os filhos percebem e reconhece está árdua luta das mães e são gratos a elas.  Observem neste singelo texto, quanto as progenitoras fazem para seus filhos.
Estes dons surgem desde quando ela engravida pela primeira vez dão à luz seus filhos (as). Elas no cotidiano colocam em prática através de sua consciência maternal todas suas qualidades de mães para a proteção, provisão e educação dos filhos. O mais estranho e ingrato é que poucos filhos reconhecem a importância da sua mãe enquanto estão juntos. Muitos somente irão reconhecer e se lamentarem a sua real importância quando elas morrem.

Indiferença é este sentimento negativo presente nas relações humanas.

Este sentimento ruim, a indiferença está presente na vida e setores sociais. A indiferença é um dos sentimentos humanos extremamente impresumível inerte em sua índole humana. Todavia, quando é despertada provoca indignação à pessoa alvejada. Este sentimento negativo pode estar infiltrado em inúmeras circunstancias da vida. O mais preocupante é a insensibilidade neste mundo individualista; mesmo diante de muitas amizades virtuais vazias e geladas de sentimentos. Podem-se perceber nas relações familiares em gerais e entre amigos. 
No plano social, há muitas situações onde as pessoas reagem plenamente indiferentes, em relação aos semelhantes nas situações de fragilidade e incapacidade. São característicos dos homens reagirem indiferentemente frente aos problemas de outrem. No âmbito governamental, o sentimento de indiferença é visível e constante por parte das autoridades que se comportam em total indiferença frente aos problemas sociais do povo. Também este sentimento é muito presente ent…

A quinta sinfonia de Beethoven.

Beethoven e a quinta sinfonia.Beethoven compôs suas obras musicais eruditas na liberdade quebrando velhos paradigmas. O grande gênio da música clássica erudita Ludwig van Beethoven alemão nascido na cidade de Bonn em 1770 e faleceu em 1827 aos 56 em Viena. Um dos grandes compositores do estilo musical erudito, onde no conjunto de sua obra impera a liberdade, ele escrevia suas composições, suas obras quebrando velhos paradigmas da música clássica abrindo novos horizontes para a música erudita.