Pular para o conteúdo principal

Não haveria sentido morrer, se não existisse vida eterna.

A MORTE FECHA-SE O CICLO DA VIDA CORPÓREO E INICIA UM NOVO CICLO, O DA VIDA ESPIRITUAL E ETERNA.

Para haver vida eterna é necessário a ressurreição 

A morte completa o ciclo da vida corpórea, mas para quem crer na vida eterna é o inicio de um a vida nova sem fim. Eu creio nesta verdade divina. Nós estamos vivendo neste mundo, simplesmente num breve espaço de tempo.
O que vale mesmo é ter uma vida que não morre mais. Ter um corpo, novo, sem dor, sem choro. Sem sofrimento, totalmente incorruptível, por isso a morte necessariamente faz parte da vida. Tudo isso acontece por quer ressuscitaremos como Cristo ressuscitou em sua ressurreição gloriosa. Foi à vitória da vida sobre a morte. Muitas pessoas não crer nisso, respeito à fé e o pensar de todos. Contudo, exijo que respeitem também a minha fé e o meu pensar.
Muitos pensam que a vida terá seu fim após a morte corpórea, tudo termina aí mesmo no tumulo. Desta forma nem haveria graça morrer! Viveríamos um tempo curtíssimo para absolutamente nada! Simplesmente para transformar-nos em cinza, adubo ou alimento para os vermes e nada mais, além disso? Seria ser muitíssimo simplório pensar ou crer desta maneira em relação a uma vida tão perfeita anatomicamente. Criada por Deus que é a perfeição em si mesmo. Se assim fosse não haveria perfeição divina, se a vida não tivesse uma continuidade após a morte. E onde ficaria a nossa alma?   Não teria graça nenhuma nisso, não teria sentido nenhum nascer e morrer por nada.  Mesmo que qualquer humano morresse com mais de cem anos é pouquíssimo tempo comparado à eternidade. Somente tem sentido morrer para nascer novamente; para viver eternamente adorando o nosso Deus que nos criou a sua imagem e semelhança.

A dor da morte existe e um dia todos passarão por esta realidade inevitável. Alguns reagem de maneiras diversas, mas na real devemos está preparados para esta realidade amarga a qualquer momento. Todos nós uma vez ou outra, já sétimos a tristeza e a consternação que surge. Quando alguém conhecido é extraído de nós. Algumas mortes são mais fáceis de suportar do que aquelas repentinas ou outras em situações adversas. Contudo, todas elas nas mais diversas situações, jamais é simples para assimilar instantaneamente. Muitos levam um longo tempo para aceitar e se conformar com uma perda de um ente querido. Há casos que pessoas precisam de ajuda de profissionais especializados nesta área para fazer a pessoa entender uma perda. Faz parte da natureza humana ninguém quer morrer ou quer que alguém da família ou conhecido morra; principalmente em ocasiões precoces. Sobretudo, a vida, mas esta vida tem um caminho que um dia tem um ponto final e chegado este momento não há o que fazer. Por isso devemos está sempre preparados, pois a qualquer momento, o Senhor o dono da nossa vida nos chamará a uma prestação de contas; do que fizemos ou deixamos de fazer, seja de bem ou de mau.

É na cruz de Cristo onde nasce a Salvação do  homem pecador

Portanto, é neste momento doloroso, acreditando ou não na eternidade, que começam a brotar vários questionamentos no nosso coração. Principalmente quando pensamos na perda de um familiar ou pessoa querida.  As reações nesta ocasião são inúmeras. Infelizmente tem pessoas que tem a ousadia de culpar a Deus. Talvez pela falta de conhecimento ou de não aceitar que está vida corpórea um dia terá um fim para completar seu ciclo terreno e partir para a vida eterna gloriosa. Muitos permanecem amedrontados enquanto outras apenas se abatem.
Quem acredita plenamente na vida eterna e tem a certeza da salvação em Cristo Jesus estas pessoas sabem e tem a tranquilidade de como saber lidar com esta realidade a morte.  De modo feliz Deus quer ser para nós, a nossa fonte de força e consolação em ocasiões como estas. Procure neste momento ouvir a voz de Deus que vem em sua direção; quando estiver lidando com um coração despedaçado. Somente Ele poderá soprar uma brisa serena e tirará toda a dor do nosso íntimo e nos dará a paz interior que tanto necessitamos.