Pular para o conteúdo principal

A conta de energia elétrica vai ficar cara a partir de janeiro de 2015.

AS CONCESSIONÁRIAS DE ENERGIA ELÉTRICA EM 2015 VÃO  QUEIMAR  SEU BOLSO.

http://www.analiseagora.com/
Rede de transsmissão de energia elétrica.
Geralmente o inicio do ano aqui no Brasil é sinônimo de contas e mais contas a serem quitadas. Quem não pensar e fazer um bom planejamento econômico familiar corre sério risco de o saldo bancário permanecer vermelho de janeiro a dezembro. Este é o mês que mais chegam às casas os diversos boletos de impostos obrigatórios a serem quitados em parcela única ou parcelados. Em 2015 não será diferente começará queimando o bolso do consumidor, com mais um aumento feroz na conta de energia elétrica.

A ANEEL vai adotar o sistema de convenção das cores do semáforo de trânsito para reajustar as contas de luz.  Uma forma pedagógica para não assustar o consumidor. Até dizem que é uma maneira de fazer usar a energia conscientemente e pagar menos. Serão adotadas nas contas de luz as mesmas cores verde, amarelo e vermelho, mas com outro nome de ‘bandeira tarifaria’. Estas cores indicarão o reajuste a ser aplicado sobre o gasto de energia de cada usuário. A bandeira verde significa "custos baixos" para gerar a energia e nenhum acréscimo na tarifa. A bandeira amarela, por sua vez, indica um sinal de atenção, pois os custos de geração estão aumentando e a tarifa sofre acréscimo de R$ 1,50 para cada 100 quilowatt-hora (kWh) consumidos. A bandeira vermelha, custos altos na produção de energia e a tarifa sofre o maior acréscimo iniciando com um reajuste de R$ 3,00 para cada 100 kWh consumidos. Nesta bandeirada vermelha as contas irão receber um aumento de 8,3%. Quanto maior forem os gastos de energia também será o aumento na fatura mensal.  Observe as convenções das bandeiras.


uma vergonha para a AES SUL 
O consumidor pode desligar o contador ficar no escuro, passar calor, tomar água quente e banho frio, desligar tudo o que possuir de eletrodoméstico de primeira necessidade, deligar a televisão, o computador. Ficar sem internet, que a tal bandeira verde nunca chegar a casa.   A energia elétrica é a maior fonte lucrativa que as concessionarias ganharam a preço de banana na era das privatizações tucanas. Ninguém sabe quantos bilhões elas arrecadam mensalmente da nação brasileira em troca é recebem infamas melhorias na produção e distribuição de energia elétrica.  

No Rio Grande do Sul é uma vergonha, este concessionário pouco investe as redes de distribuições de energia, é um verdadeiro estado de calamidade. A maioria dos postes é de madeira que ainda foram colocados pela antiga estatal CEEE (Companhia Estadual de Energia Elétrica). Todos os postes de madeira estão podres. Muitos são escorados, legitimas gambiarras perigosas para transportar energia para os lares.   Basta qualquer evento de tempestade de pequeno ou grande porte para o estrago está pronto em poucos segundos. E não precisa ser vento forte que os postes vãos ao chão deixando milhares de usuários sem luz durante muitas horas, e dias. Os postes estão tão podres que basta uma brisa para derruba-los. Imaginem um forte temporal nesta época é habitual acontecer frequentemente.  Os prejuízos são incalculáveis para os consumidores e simplesmente fica por isso mesmo, ninguém faz absolutamente nada.

http://www.analiseagora.com/
Poste de concreto  imais seguro em momento de tempestdes.

Portanto, preparem os bolsos reservem uma boa quantia para quitar a conta da luz que será de bandeira vermelha. Olha a ironia as multinacionais odeiam bandeira vermelha, mas aqui no Brasil bandeira vermelha é sinônima de lucro em seus cofres. O governo brasileiro deve ficar atento a esta nova realidade de reajuste feroz das concessionarias de energia elétrica. Deve existir uma rigorosa e permanente fiscalização neste novo método de reajuste das contas de luz. Fique atento e observe a partir de agora quanto tempo chegará uma bandeira verde na conta de luz nas residências. Enquanto isso, as concessionárias vão enriquecendo sem investir um centavo em melhorias na produção e distribuição da energia para as casas, indústria comercia e todos os setores que necessitam de energia para funcionar e alavancar o progresso deste Brasil. Esta tarefa as operadoras e concessionárias repassam para o governo federal, que por sua vez repassa a conta aos usuários.