Chopin criou uma obra que revela o desespero de sua finitude.

A MÚSICA CLÁSSICA É IMORTAL E TRADUZ TRAÇOS EXISTENCIAIS DO COMPOSITOR.

A música arte  revela a vida do compositor

A música no blog abre espaço mais uma vez para o gênero clássico e vamos conhecer e fazer  uma rápida analise da composição melancólica de Chopim, uma peça sombria, mas repleta de uma  musica arte inigualável. Para quem gosta deste estilo artístico da música clássica pode se deleitar ouvindo cada movimento  desta peça que revela o comportamento existencial  do grande compositor desta obra imortal que transcende o tempo e as gerações.
Esta obra conhecida como "Op.28" de Frédéric Chopin.  Foi composta para um objetivo bem especifico para ser executada no dia do seu funeral juntamente mais o Réquiem de Mozart, outro mestre da música clássica.

O Prelude Op. 28, No. 4 por Frédéric Chopin é um dos 24 prelúdios de Chopin . Por solicitação de Chopin, esta peça foi tocada em seu próprio funeral, juntamente com o Réquiem de Mozart. Este prelúdio também é conhecido no mundo da musica arte clássica como de sufocação. Os movimentos demonstra a sensação de desesperança em relação à continuidade da vida e prevendo a sua finitude. Revela certa depressão do compositor que não ver mais esperança de viver.

Portanto, esta obra deixa um legado cultural amplo e requintado que influenciou muitos cineastas a incluir em trilhas sonoras de filmes famosos. Exemplos o filme o pianista, o notebook, foi usada esta obra de Chopin em trilhas sonora e vários outros filmes e peças teatrais. É de fato, uma composição imortal que inspira muitos outros compositores a criar novas obras tendo como referencia o grande mestre Chopin um expoente da música clássica deste estilo. O blog analiseagora deseja a todos um momento especial para ouvir com muito entusiasmo esta obra prima.

                                                     Frédéric Chopin - Préludes op. 28 - Edith Fischer - 1-4 + 6-15