Abstenções nas eleições 2014 do segundo turno foram alarmantes.

AS ELEIÇÕES DE 2014 PARA GOVERNADORES E PRESIDENTE REGISTROU UM PERCENTUAL ELEVADO DE ELEITORES QUE ABDICARAM DE VOTAR.    
   

muitos brasileiros não votaram 

Os cidadãos brasileiros concluíram definitivamente o processo das eleições de 2014 neste último dia 26/10. No momento em que o TSE declarou reeleita Dilma Rousseff, como a nova Presidente da República. Esta eleição foi a mais conturbada da história recente e marcada por episódios de tentativas de golpe midiáticos, denuncias na reta final da campanha.

E o mais grave foi o ódio e preconceito que se instalou entre o nosso povo acontecimento nunca visto em eleições realizadas para a presidência da República. Mas, nesta matéria vou me fixar em alguns números da eleição como o das abstenções que merecem uma acurada reflexão.
Os eleitores aptos a votarem no segundo turno para escolher o novo Presidente da República somavam um total de 152 milhões de votantes em todo o território nacional.  Entretanto, os eleitores que votaram legitimamente somaram um total de: 105.542,273 (93,66%). E o restante dos votos foi desperdiçado pelos os brasileiros, distribuídos entre: brancos num total de 1. 921,8119 (1,71%), nulos 5.219787(4,83) e abstenções: 30. 137.479 (21,10%) milhões de votos. Este desperdício de votos revela que existem muitos eleitores que não valorizam a importância do voto e também muitos jogam seu voto na lata do lixo como forma de protestos, indignação com os políticos.

Um dado que me chamaram a atenção nestas eleições foi o alto índice de abstenções que demonstra uma grande preocupação em relação à politização dos nossos eleitores. Observe que passou dos 30 milhões de eleitores que abicaram de votar. Estes perpetraram o uso do direto de não quererem se expressar não comparecendo as urnas. Todo eleitor sabe que o voto no Brasil é obrigatório, mas mesmos assim, se abstiveram de votar. Eles irão pagar uma multa, além de fazer uma justificativa convincente de sua ausência para regularizar a situação perante a justiça eleitoral.  E quem sabe nas próximas eleições municipais de já de 2016, já possam votar em escolher seus vereadores e prefeitos.


os números totalizados das eleições 2014 no Brasil

Contudo, analisando esta ampla ausência dos eleitores na eleição do último dia 26/10, eles querem transmitir uma séria mensagem aos nossos governantes. Muitos afirmam que é uma grande maneira de protesto do eleitor inconformado com a classe politica que governa o Brasil. Até certo ponto vejo como protesto, mas é um protesto, individual e isolado que se transforma em nada é inócuo. Os números sem dúvida são chamativos, contudo não produz aquele efeito desejado pelos eleitores revoltados com os políticos, por quer é uma ação muito pessoal alastrada em todos os lugares, sem organização dos insatisfeitos em relação à situação que se encontra a sociedade brasileira. Seja qual for de corrupção ou de descaso para com os cidadãos nas áreas sociais mais sensíveis e necessitadas. Deixar de votar seja qual for o motivo não é a melhor solução. Podem ter a absoluta certeza que não vai fazer nenhuma diferença na situação em que se encontra a nação. Estes que deixaram de comparecer as urnas para exercer seu direito e dever de votar, ingenuamente podem até pensar que estão protestando correto e que irá resolver as circunstâncias ruins em que os administradores públicos deixaram o país.

Todavia, esta maneira de indignação não contribui em nada para fortalecer a democracia e muito menos eliminar com as coisas erradas que estão no Brasil. Somente através do voto consciente é que se pode resolver o que está errado. Não existe outra possibilidade em uma democracia participativa, onde o eleitor tem o poder em suas mãos de retirar os maus governantes a cada eleição; não ser votando. Quem se abstém de votar colabora na permanência dos maus governantes. E vai ser governado pela vontade dos outros e não pela sua própria vontade. Não tiro a razão da revolta dos cidadãos com os péssimos políticos que são muitos e permanecem no poder muitas vezes pela a diferença de um voto. O voto que o cidadão embravecido deixou de votar poderia tirar políticos ficha sujo do poder.

Dilma reeleita com  51,64% =  54.5001.118  votos.

Portanto, que fique bem claro deixar de votar, não é a melhor solução, não resolve nada, além do mais, tornam-se cúmplices diretos, por quer ao deixar de votar colaborou pela perpetuação destes corruptos no poder. Pois diante de uma decisão importante para a nação que evolve vários candidatos. Quando somos obrigados escolher um para administrar o estado ou o país, o eleitor revoltado foge diante da situação. E parte para a solução rápida, errada e sem efeito “lavando as mãos”, não tomando uma posição, deixando que outros resolvam e permanece assistindo de camarote. Estes que agem desta maneira também não tem moral para reclamar de nada.  Dos novos eleitos seja para seu estado onde reside ou da Presidente da Republica. Quem tem direito a cobrar um estado ou um país melhor, justo, sem corrupção e qualidade de vida; são todos os cidadãos que votaram, mesmo que o seu candidato tenha sido eleito ou não. Quando os cidadãos votam e perdem se transformam em oposição. E estes tem todo o direito de protestar e cobrar melhorias em tudo o que foi prometido em campanha. Esta cobrança se estende a todos os eleitores que votaram, unidos numa mesma correte e exigindo o cumprimento das promessas de um país equitativo em todas as áreas administrativas do Brasil. Quem se absteve de votar renunciou e perdeu também o direito de protestar para reivindicar melhorias para seu estado ou país. Estes delegaram essa ação aos que votaram legalmente nas eleições para definir os chefes do executivo estaduais e federais.