Pular para o conteúdo principal

O homem traz em sua essência uma tristeza latente

TRISTEZA É UMA DOR DA ALMA SOMENTE ENTENDE QUE SOFRE.

a tristeza é a dor da alma humana

A palavra tristeza vem do latim “tristia” aflição, uma emoção humana negativa e em si mesma é cruel. Pense e imagine viver momentos de tristezas sem saber de onde procede, o que é realmente e nem saber, o momento exato quando ela vai deixar a vida e ceder lugar para a alegria. Nesta circunstancia a alma sente uma dor incomensurável e inexplicável. Ninguém que não tem ou nunca apresentou este sentimento, não tem autoridade para descrever como dói. Nem mesmo os profissionais da psiquiatria e psicologia que nunca sentiram esta emoção na alma, suas teorias são inócuas, pois somente vale para o paciente triste e não para eles que riem de qualquer coisa, até da tristeza alheia.

A tristeza é uma marca registrada, muito pesada que todos os humanos possuíssem em seu ser desde que nascem. A impressão é que ela está bem guardada em algum arquivo apropriado bem secreto do cérebro e, de repente este é aberto igual ‘a caixa de pandora’, trazendo uma força avassaladora pior do que um tufão. Todos atingidos são obrigados a suportar as consequências do conteúdo estranho deste arquivo desconhecido, que tem o proposito de machucar a essência da vida. E não sabe se os humanos tem força ou não para suportar os estragos psíquicos promovidos por este arquivo da vida. Contudo, o ser humano triste é condenado sem opções a carregar sem cessar seus desdobramentos impiedosos ao longo da existência de cada humano, que sofre de tristeza.
Ninguém sabe explicar como ela chega à vida ou de onde vem. O mais doloroso é não saber por quanto tempo pode permanecer em nossa alma. A vida simplesmente em frações de segundos perde seu brilho, colorido e a alegria, e nada mais tem sentido. Tudo poderia terminar neste exato momento que não faria falta. Pode-se ter tudo, mas quando a tristeza bate a porta do coração tudo perde seu encanto, seu valor. E a vida entra num estranho caminho de sofrimento sem fim. Um caminho de dor, uma dor que não é física, mas dor do sentimento, sem dimensões de tamanho. A dor sentimental é mais doida que a dor física. A dor física todos sabe o que é como veio e quando pode ir embora. Agora a dor sentimental é a dor da alma não parece não  ter explicação a pessoa chora  sensivelmente  e este procedimento alivia o sufoco do coração.

a pessoa  triste chora  e faz bem para o coração

O que fere mais é quando há incompreensões você que é triste pode desabafar com a pessoa mais próxima ou o amigo que imaginava que fosse o melhor amigo, este não o compreende, em vez de permanecer no silencio, que seria prudente se não tem nada a dizer. Este amigo mesmo assim sempre esbraveja palavras fúteis de incompreensões. O desabafo não valeu para nada, ajudou mais aumentar o sofrimento, quando não há compreensão. A situação que já era complicada para a pessoa que se encontra em momentos de tristeza profunda, ela cai um degrau a mais em sua autoestima. E a tristeza se acelera de maneira mais forte e dolorida. É como ela renovasse o seu contrato de hospedagem no coração cortando suas veias que fazem transportar sangue e oxigênio para as nossas células. O coração começa sangrar internamente de dor. Uma dor invisível para as pessoas próximas e amigos. Mas infelizmente ninguém percebe ver e sente etc. Muitos chegam ao cúmulo de cometer grandes deboches em relação à tristeza de uma pessoa. Quem faz isso parece que perdeu a sensibilidade de humanidade ao fazer criticas sem dó e piedade a pessoa que está sofrendo. Nunca alguém vai entender a tristeza do outro, geralmente muitos faz aumentar ainda mais a dor e o sofrimento invisível do outro.

A sensibilidade aumenta numa velocidade incrível contribuindo para o aumento da angústia. Neste estágio de tristeza qualquer palavra dita por outra pessoa, a um ser humano triste fere seu sentimento mais do que uma espada afiadíssima. Tudo o que é falado e exigido se transforma em dor para os humanos tristes. Há uma incompatibilidade extrema: entre quem sente tristeza e quem não vive este sentimento avassalador. A tendência da pessoa triste é viver no esconderijo como se fosse um caramujo, que se encolhe em sua casa e não quer ver ninguém. Hoje no mundo moderno a incomodação da comunicação virtual e em alta velocidade é um grande transtorno para quem sofrem de tristeza, elas não querem se expor o mais natural é o isolamento, sem barulho de qualquer espécie de som. Se as pessoas que vivem na alegria soubessem o pouco do sofrimento do tristonho, jamais pensaria em manter contato, respeitaria este sofrimento humano.


uma profunda tristeza pode se transformar em depressão  


Portanto, a tristeza é uma realidade na vida de muitas pessoas nesta sociedade contemporânea, quando a tristeza é demais se transforma em depressão, aí situação complica muito mais. E sabemos que há muita gente depressiva que sofre até o fim da vida. A tristeza se não cuidar pode chegar ao estágio da depressão, e pensando melhor a pessoa triste já tem esta pré-disposição para uma futura depressão se não procurar orientações com profissionais da área psíquica. Hoje vivemos conectados a milhares de amigos pelo mundo todo e se não cuidarmos poderemos cair no isolamento e partir para a dor da tristeza. Não sou especialista na área da psiquiatria, quem tem algum sintoma aconselho procurar especialistas desta área. Esta matéria surgiu a pedido de amigos que sugeriram que redigisse um texto  sobre a tristeza. É conteúdo é apenas um pensar leigo a partir de  muitas histórias e  conversas entre amigos e pessoas sobre este tema.Inclusive muitos deles  que sofrem com este sentimento de tristeza, não tem absolutamente nada de cientifico, digo isto para deixar claro para os meus leitores. Agora se servir para ajudar alguma pessoa a procurar ajuda aos profissionais deste campo a postagem estará sendo muitíssimo útil.       

Postagens mais visitadas deste blog

O abc da mãe e suas qualidades.

As mães e suas qualidades no seu abc. As mães quantas qualidades elas possuem, desenvolvem e as colocam em prática, diariamente, vinte e quatro horas; durante uma vida inteira em prol dos seus filhos. Entretanto, dificilmente os filhos percebem e reconhece está árdua luta das mães e são gratos a elas.  Observem neste singelo texto, quanto as progenitoras fazem para seus filhos.
Estes dons surgem desde quando ela engravida pela primeira vez dão à luz seus filhos (as). Elas no cotidiano colocam em prática através de sua consciência maternal todas suas qualidades de mães para a proteção, provisão e educação dos filhos. O mais estranho e ingrato é que poucos filhos reconhecem a importância da sua mãe enquanto estão juntos. Muitos somente irão reconhecer e se lamentarem a sua real importância quando elas morrem.

Indiferença é este sentimento negativo presente nas relações humanas.

Este sentimento ruim, a indiferença está presente na vida e setores sociais. A indiferença é um dos sentimentos humanos extremamente impresumível inerte em sua índole humana. Todavia, quando é despertada provoca indignação à pessoa alvejada. Este sentimento negativo pode estar infiltrado em inúmeras circunstancias da vida. O mais preocupante é a insensibilidade neste mundo individualista; mesmo diante de muitas amizades virtuais vazias e geladas de sentimentos. Podem-se perceber nas relações familiares em gerais e entre amigos. 
No plano social, há muitas situações onde as pessoas reagem plenamente indiferentes, em relação aos semelhantes nas situações de fragilidade e incapacidade. São característicos dos homens reagirem indiferentemente frente aos problemas de outrem. No âmbito governamental, o sentimento de indiferença é visível e constante por parte das autoridades que se comportam em total indiferença frente aos problemas sociais do povo. Também este sentimento é muito presente ent…

A quinta sinfonia de Beethoven.

Beethoven e a quinta sinfonia.Beethoven compôs suas obras musicais eruditas na liberdade quebrando velhos paradigmas. O grande gênio da música clássica erudita Ludwig van Beethoven alemão nascido na cidade de Bonn em 1770 e faleceu em 1827 aos 56 em Viena. Um dos grandes compositores do estilo musical erudito, onde no conjunto de sua obra impera a liberdade, ele escrevia suas composições, suas obras quebrando velhos paradigmas da música clássica abrindo novos horizontes para a música erudita.