Pular para o conteúdo principal

Araucária planta brasileira em extinção e produz o pinhão rico em vitaminas, e sais minerais.

A imagem mostra uma bela araucária ainda tenra 
A araucária árvore do Brasil quase em extinção ela produz uma semente onde contém uma gostosa amêndoa conhecida como pinhão. Ela é rica   em vitaminas A, E, K e sais minerais principalmente ferro, zinco, cobre e manganês; fibras; gorduras e alto teor de antioxidantes; proteínas e amido. A semente da araucária rica em fibras vitaminas e minerais. Mas está diminuindo a cada ano sua produção devido as condições climáticas e a má exploração dos consumidores.

Os turistas que passam as margens das rodovias que dão acesso às cidades turísticas da Serra gaúcha como Gramado, Canela, Nova Petrópolis, São Francisco de Paula e tantas outras.

Depara-se a muitos quiosques especializados na preparação e venda desta semente deliciosa e nutritiva. Rico em fibras e sais minerais como: potássio ferro, zinco, cálcio e etc. Existem Também nestas regiões as famosas festas do pinhão onde são apresentadas diversas receitas culinárias típicas e seus saborosos pratos derivados do pinhão

Nos dias das festas muitos cantores populares do Brasil se apresentam para alegrar e animar o público e degustar o pinhão de diversos gostos e jeitos.
A natureza brindou os habitantes do Sul e Sudeste brasileiro através de uma imponente árvore à Araucária que embeleza estas regiões. Uma planta encontrada na mata atlântica, mas encontra-se em perigo de extinção. É protegida por leis federais como o código florestal brasileiro. Esta majestosa árvore pertence cientificamente à família das “araucariáceas”, diz respeito à espécie “angustifólia”, provavelmente do período jurássico que equivale a 200 milhões de anos.  Ela é muito fácil de identificação na floresta devido a sua superioridade de aproximadamente 50 metros de altura e medindo um diâmetro de 2,5 m superando assim as demais árvores. Ela é como se fosse a chefe em altura onde as demais não podem ofuscar sua beleza e esplendor na minguada e sobeja mata atlântica brasileira.

  A imagem mostra uma araucária ainda tenra e linda. 
A ciência faz a classificação genérica das sementes em várias espécies de “pinaceaes” e “araucariácea”, plantas “gimnospérmicas”. Entretanto, os brasileiros que moram nestas regiões onde existe a Araucária nativa “angustifólia” nomeiam popularmente esta semente de pinhão. Importante ressaltar o valor cultural, culinária, econômico e ambiental para estas regiões brasileiras.
Já houve épocas que a produção desta semente era volumosa e atualmente vem partindo para uma ligeira escassez. Certamente os fatores climáticos desequilibrados destas últimas décadas vêm interferindo direto no declínio da produção. Além das pessoas colherem os frutos provavelmente desordenadamente. Os efeitos negativos começam a surgir fortemente a cada safra.


Portanto, os povos da Região Sul e Sudeste do Brasil nesta época do ano entre o outono e o inverno tem na mesa mais um ingrediente especial provindo da natureza o delicioso pinhão a semente da árvore Araucária. Este alimento além de ser bom para a saúde é um grande agente que tem uma função de congregar e unir as famílias e amigos para comer pinhão, geralmente acompanhado ao chimarrão.


Todavia, o que se percebe é que a cada ano está planta nativa a araucária própria do Sul e Sudeste do Brasil vem diminuindo aceleradamente a sua produção de sementes de pinhão e consequentemente o preço desta saborosa iguaria alimentar da natureza vem sendo majorada de acordo a demanda dos consumidores. Todos devem respeitar o período estabelecido em lei e não exagerar na colheita, colher obviamente os frutos maduros.

A imagem mostra sementes comestíveis de aurarias 

A imagem mostra o fruto da araucária de onde se retira as sementes comestíveis. 

Devem acatar o processo natural de amadurecimento dos frutos que consequentemente pode também intervir numa baixa produção dos anos subsequentes. É uma questão de conscientização ambiental e pela preservação da espécie por todos os habitantes destas regiões brasileiras. Presenteadas por esta espécie que são sinônimos de beleza natural, costumes culinários, um fator econômico importante, as festas, e, sobretudo a preservação desta espécie linda do que resta neste nicho ecológico brasileiro.