Pular para o conteúdo principal

O cenário histórico da Reforma Protestante.

A REFORMA PROTESTANTE E SUAS CONSEQUÊNCIAS NO MUNDO CONTEMPORÂNEO. 

A Reforma Protestante foi uma legitima revolução histórica de embasamento religioso que implodiu as velhas estruturas doutrinárias de dominação católica sobre os povos da Idade Média. Este fato histórico ganhou notabilidade no mundo durante séculos, no campo religioso.  Um acontecimento grandioso que já foi e continua sendo amplamente discutido por inúmeros: pensadores, teólogos e historiadores durante estes últimos quase quinhentos anos de história da igreja.O legado da Reforma transcende a barreira do tempo se  adaptando a realidade inovadora de dos povos do mundo inteiro.
Martinho Lutero o referencial histórico da reforma protestante 

A Reforma Protestante foi uma legitima revolução histórica de embasamento religioso que implodiu as velhas estruturas doutrinárias de dominação católica sobre os povos da Idade Média. Este fato histórico ganhou notabilidade no mundo durante séculos, no campo religioso.  Um acontecimento grandioso que já foi e continua sendo amplamente discutido por inúmeros: pensadores, teólogos e historiadores durante estes últimos quase quinhentos anos de história da igreja.O legado da Reforma transcende a barreira do tempo se  adaptando a realidade inovadora de dos povos do mundo inteiro.

 Muitas teses já foram escritas e defendidas cada uma traçando e expondo as ideias dos pensadores interessados em defenderem seus pontos de vistas ideológicos religiosos. Os livros que analisam este fato rumoroso não fazem diferentes. Todos eles trazem em sua envergadura uma defesa destemida, nas entrelinhas, deste ou daquele pensamento religioso. Isto somente vem a demostrar como foi controvertido este fato histórico que estremeceu e ainda mexe com o pensar do povo do mundo inteiro. Praticamente tudo o que tenha sido escrito até agora e os próximos escritos que têm o intuito de reescrever esta história que mudou o pensar teleológico, certamente não serão distintos. Não haverá quem consiga discorrer uma tese puramente excetua de qualquer linha eclesiástica. Nunca terá a mesma isenção ideológica e religiosa. É um assunto histórico muito suscetível para: falar ou escrever a respeito deste episodio que polarizou o mundo cristão na primeira fase em isenção absoluta. Sem que no amago da questão não se haja uma mínima tendência, para um lado ou outro.

Nesta matéria irei tentar fazer uma análise deste grandioso acontecimento histórico procurando fixar o máximo na isenção deste marco religioso. Contudo serei passivo de nem perceber, está incorrendo no mesmo erro dos demais pensadores ao escrever este artigo, pois não sou perfeito. Quem ler perceberá com mais facilidade onde fui tendencioso para um lado ou outro. 
Analisar o panorama histórico que fez explodir esta reforma religiosa de grande imponência teológica, necessariamente é obrigado a retroceder ao contexto histórico da época para uma compreensão das sequencias dos fatos. Imperativo que os leitores ampliem minuciosamente esta época. Fazer isto aqui se tornaria muito extenso o texto.  As consequências desta inevitável Reforma continuam ecoando até os dias atuais; sem previsão de um ponto final.  O contexto e os fatos históricos que contribuíram para que eclodisse a reforma protestante eram bastante perceptíveis e favoráveis para a qualquer momento acontecesse à divisão religiosa da igreja católica em força máxima. O ambiente de descontentamento no meio eclesiástico criou um clima e um solo fértil propício na época, para serem lançadas as sementes, bem antes da conhecida pré-reforma. Iniciada por Pedro Valdo, de maneira individual, por ter mandando traduzir a Bíblia do original para uma linguagem simples, provavelmente o francês, uma iniciativa que tomou forma coletiva nos anos seguintes por pensadores relevantes que combatiam os desmandos do catolicismo. Entre tantos podemos citar     John Wycliffe e outros que juntamente com seus seguidores se empenharam em acelerá-la a Reforma Protestante que mudaria e dividiria o mundo cristão.

Nesta época a Europa estava em efervescência: politica, social, cultural, econômica e principalmente no campo religioso. Toda esta ebulição era movida por descontentamento e uma avidez por mudanças urgentes em todos estes campos das necessidades humanas.  O terreno estava pronto para que alguém corajoso tomasse a iniciativa e pudesse dar o primeiro impulso para as mudanças ocorressem irreversivelmente.   O protagonista deste marco histórico da Reforma Protestante foi teólogo, alemão Martin Luther em português Martinho Lutero. Lutero foi  um dos grandes pensadores da área teológica, considerado um grande revolucionário que sacudiu as bases do poder religioso da Europa do século XVI. Todos sabem dos pontos nevrálgicos que eram as grandiosas divergências de Lutero contra o poder central religioso romano; que não aceitava o modo de pensar e agir da Igreja Católica da época. Foi quando em 31/10/ 1517, ele pregou na porta da igreja no famoso castelo de Württemberg as 95 teses que propunha uma profunda reforma no catolicismo. A partir de então foi lançado em definitivo à Reforma Protestante.
 
Foi quando em 31/10/ 1517, ele pregou na porta da igreja no famoso castelo de Württemberg as 95 teses que propunha uma profunda reforma no catolicismo. A partir de então foi lançado em definitivo à Reforma Protestante.
Imagem das 95 tesses de Lutero
Antes havia um cenário de uma religião única repleta de erros inaceitáveis aos olhos dos teólogos e da população esclarecida. No olho do furacão estava Lutero o estadista que fez a igreja tomar novos rumos, novas divisões e subdivisões.   Lutero recebeu um massivo apoio das igrejas e dos governantes europeus. Juntamente com o apoio de religiosos como: João Calvino e Ulrico Zuínglio.  Os desdobramentos desta ação corajosa foram enormes desde aquela época aos dias contemporâneos.
Neste período convoca o Concilio de Trento que resultou em medidas praticas e violentas como: a conhecida Contra Reforma, um movimento truculento para evitar a expansão das ideias dos reformadores pela a Europa e outras nações. Foi criado o tribunal da inquisição liderado pelos jesuítas para aturem de forma drástica ao crescimento protestantismo pelo mundo. Nesta época os censores andavam soltos e muitos pensadores e gente simples, mas que pensavam diferentes foram jugados e condenados a fogueira. Vários massacres ocorreram pelo mundo afora. O mais conhecido e violento foi o massacre da noite de São Bartolomeu. Além das inúmeras,  grandes  e cruéis perseguições que vitimou muita gente adeptas a Reforma Protestante. 

Outro cenário que surgiu após esta turbulenta reforma foi à criação de uma nova igreja oposicionista aos poderes da igreja de Roma uma das consequências óbvia e natural. Também muitas outras igrejas nasceram por divergências doutrinárias e muitas e muitas outras ramificações brotaram no decorrer destes cinco séculos e certamente muitas outras hão de nascer cada qual criando sua própria doutrina. Muitas tendo profundos e acurados conhecimentos de bases teológicas, mas outras vazias de embasamentos doutrinários e principalmente em conhecimento da Teologia.  Infelizmente são igrejas que pregam uma doutrina fora dos fundamentos das sagradas escrituras e matem multidões de seguidores sobre o condicionamento da: pressão, intimidação e do medo. Além do mais algumas ramificações transformam seus templos em verdadeiros comércios utilizando até máquinas de cartões de créditos para recolher o dizimo e outras coisas que são comercializadas nos templos religiosos extorquindo escandalosamente seus seguidores. O mais grave que pastores destas igrejas fazem uso da Santa Palavra de Deus para tentar fundamentar está prática enriquecedora, mas abominável, aos seus seguidores. 
  
Portanto, a Reforma Protestante derrubou os pilares do poder católico da época que estava corrompido e fez nascer um novo pensar religioso formatado já em divisões através dos grupos reformistas. E estas divisões continuam em processo continuo de mais divisões e subdivisões religiosas na contemporaneidade. Através das criações de novas igrejas de denominações cristãs mais conhecidas como evangélicas. Uma grande maioria levam a sério os ensinamentos a partir da Bíblia e seus dirigentes ou pastores tem uma eximia formação teológica para ministrarem e procederem ao anúncio da palavra de Deus a todos os povos.

Todavia tem outras igrejas que simplesmente não levam a seriedade dos ensinamentos sagrados, fazem de qualquer jeito. Muitos pastores não são habilitados em Teologia. O Mais grave é que existem muitos pastores que não dispõem de formação superior. E mesmo assim, faz homilia sobre a palavra de Deus, algo que exige seriedade, respeito e conhecimento teológico absoluta com as coisas Sagradas. Outros pastores fazem das igrejas um vergonhoso comercio que escandalizam quem está de fora e passa por perto e resolve fazer uma simples visita.  E cada dia se prolifera com muita força este tipo de igrejas, principalmente nas periferias das regiões metropolitanas de todo o país. 


Confira anexo das religiões cristãs espalhados pelo mundo.





Lista das religiões de denominações cristãs no mundo

Catolicismo

Igreja Católica Apostólica Romana
Rito latino
Igreja Católica de Rito Latino
Ritos orientais
Igreja Católica Bizantina Albanesa
Igreja Católica Ítalo-Albanesa
Igreja Católica Bizantina Bielorrussa
Igreja Católica Búlgara
Igreja Católica Bizantina Eslovaca
Igreja Católica Bizantina Georgiana
Igreja Católica Bizantina Grega
Igreja Católica Bizantina Húngara
Igreja Greco-Católica Melquita
Igreja Greco-Católica Romena unida com Roma
Igreja Católica Bizantina Russa
Igreja Católica Bizantina Rutena
Igreja Católica Bizantina Sérvia
Igreja Greco-Católica Ucraniana
Igreja Maronita
Igreja Católica Siro-Malancar
Igreja Católica Síria
Igreja Caldeia
Igreja Católica Siro-Malabar
Igreja Católica Armênia
Igreja Católica Copta
Igreja Católica Etíope
Catolicismo Independente
Antiga Igreja Católica
Igreja Católica Apostólica Brasileira
Igreja Católica Liberal
Igreja do Oriente
Igreja Assíria do Oriente
Cristão Mar Toma
Igrejas não-Calcedonianas
Igreja Apostólica Armênia
Igreja Ortodoxa Copta
Igreja Ortodoxa Síria
Igreja Ortodoxa Tewahido da Etiópia
Igreja Ortodoxa Tewahido da Eritreia
Igreja Ortodoxa Indiana
Protestantismo

Pré-Reforma
Valdenses
Hussitas
Irmãos Morávios
Protestantismo histórico:
Luteranos
Anglicanos
Reformados
Zwinglianos
Calvinistas
Presbiterianismo
Congregacionalismo
Puritanos
Anabaptistas
Mennonitas
Amish
Desdobramento do Protestantismo
Batistas
Pietismo
Metodistas
Restauracionismo
Igrejas de Cristo
Discípulos de Cristo
Adventistas
Igreja Cristã do Advento
Pentecostalismo
Pentecostais
Congregação Cristã no Brasil
Assembleias de Deus
Deuteropentecostais
Igreja Pentecostal Deus é Amor
Neo pentecostais
Igreja Universal do Reino de Deus
Mórmons
Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias
Comunidade de Cristo
Antitrinitarismo
Cristadelfianos
Pentecostais do Nome de Jesus
Testemunhas de Jeová
Unitarianos
Arianistas
Modalistas
Monarquianistas
Patripassianistas
Servetistas
Socianistas
Cristianismo Esotérico
Gnosticismo
Rosacrucianismo
Igreja Católica Liberal
Molokans
Sociedade Religiosa dos Amigos
Mensagem de William Branham
Fonte (Wikipédia)




Comentários