Pular para o conteúdo principal

Momento dos estudantes garantir uma vaga no ensino superior

A ANSIEDADE DOS ALUNOS BRASILEIROS PARA CONSEGUIREM VAGA NO ENSINO SUPERIOR E PODER PAGAR.

Após os estudantes brasileiros prestarem o Enem e o vestibular começa uma nova maratona nervosa, de todos os alunos que almejam uma vaga em algum curso superior: nas universidades publicas ou particulares. Como é muito caro estudar em nosso Brasil, desde as séries iniciais aos cursos superiores esta situação se complica ainda mais quando os estudantes chegam ao ensino superior. E na hora de fazer a matricula no curso preferido surge primeiro e grande problema desanimador, é o peço do curso escolhido
Universidade Federal do RS vai reservar vagas para o Enem  em 30% até 2015.
Após os estudantes brasileiros prestarem o Enem e o vestibular começa uma nova maratona nervosa, de todos os alunos que almejam uma vaga em algum curso superior: nas universidades publicas ou particulares. Como é muito caro estudar em nosso Brasil, desde as séries iniciais aos cursos superiores esta situação se complica ainda mais quando os estudantes chegam ao ensino superior. E na hora de fazer a matricula no curso preferido surge primeiro e grande problema desanimador, é o peço do curso escolhido. Para os alunos que tem um padrão econômico elevado, isso não é problema. Os pais fazem a matricula na universidade e quitam o curso completamente em parcela única.
Os alunos que não dispõe de um padrão econômico que venha possibilitar o ingresso nas faculdades ou nas universidades brasileiras fazem uma verdadeira via cruxis, para se encaixar em um programa de cotas ou em outros que possibilitem darem continuidade aos seus estudos em nível superior. Os pais sofrem muito junto aos seus filhos por não poderem proporcionar algo quão precioso quanto à educação.

A única alternativa é se inscrever para concorrer aos programas de financiamentos do governo federal, que oferece bolsas de estudos integrais e parciais nas universidades públicas. Isto ocorre após uma seleção rigorosa feita pelo ministério da educação, que possibilita alguns alunos a ingressarem numa instituição superior de ensino em nosso país. Durante o período da inscrição e a espera do resultado a ser analisada pelos técnicos do MEC faz aumentar a angustia que toma conta de toda a família; para ver o nome da filha ou filho a ser ou não selecionado (a)s. Esta agonia é gerais entre tantos concorrentes, a uma das vagas oferecidas pelo governo federal, através de seus programas educacionais superiores. Para a nossa realidade estes programas financiamentos educacionais são muitos limitados em relação ao universo de jovens que anseiam um dia cruzar as portas das universidades e faculdades deste país. Terem a oportunidade de sentarem nos bancos destas instituições de ensino superiores e concluírem sua graduação sonhada. A vida de estudante no Brasil não é coisa fácil temos um ensino caríssimo e poucas pessoas têm o privilegio de ser persistente em trabalhar e estudar ao mesmo tempo. As mensalidades são pesadas e totalmente fora dos padrões financeiros da maioria dos brasileiros. Fator preponderante para muitos discentes brasileiros pararem no meio do curso escolhido ou até mesmo nem iniciar uma faculdade ou universidade.
Dependendo do curso de graduação que o aluno escolhe e se fosse estudar normalmente; como é estruturado em sua grade curricular, levaria em média de 4 a 6 anos, fora o estágio. Como todos os cursos de graduação são caros, se torna impossível de pagar e geralmente se triplica os anos de duração e muitos estudantes terminam desistindo do sonho de uma graduação.

Portanto, estudar em nosso país é muito complexo, devido seus altos custos nas universidades particulares e também nas públicas. Todos os estudantes carentes dependem destes programas que oferecem bolsas  integrais  e parciais e o restante financiados pelos pais. E dependendo do curso de graduação escolhida poder ter um custo altíssimo e impossível para a maioria dos nossos jovens estudantes e demais cidadãos pagarem um curso completo nos estabelecimentos de ensino superiores. Todos os jovens e os cidadãos discentes não têm como se manterem estudando nestas universidades e faculdades particulares. Resta a esperança de se enquadrarem em algum programa de financiamento da educação do governo federal. Não conseguindo sobra a alternativa que é simplesmente fazer um mero curso técnico. Esta é a meta como querem todos os mentores teóricos da educação brasileira.  Formar apenas trabalhadores e não cidadãos pensantes. Mais uma vez fica claro que a educação no Brasil não tem importância para os nossos governantes. É uma realidade histórica que está ainda muito distante para ser resolvida. Não há vontade politica para isto ser definitivamente resolvida.

O problema da educação brasileira é crônico para sanar é necessário investir pesado desde as séries iniciais a ao ensino superior. Este investimento deve ser universal para possibilitar o ingresso de todos os alunos nos cursos superiores e gerar condições essenciais para os estudarem e os professores terem condições para trabalharem. Começando com a valorização do professor pagando um salário digno a sua formação. Para isso acontecer é fundamental revolucionar toda a estrutura do sistema educacional brasileiro. Se os nossos governantes não abraçarem a educação como meta prioritária permaneceremos no atraso sem volta.