Pular para o conteúdo principal

O calor está torrando a paciência dos gaúchos.

Mais um dia de verão escaldante.
O verão escaldante de queimar a paciência tem as contribuições diretas dos humanos ao longo do tempo, diante de um furioso contexto para causar a ruína da natureza em nome do lucro sem limites.
Geralmente os verões são quentes é fato normal e inquestionável e suportável. O preocupante é quando ocorrem eventos meteorológicos incomuns para a Região Sul do Brasil, especificamente no RS, onde a população convive a uma temperatura amena mesmo no verão.
E não está acostumada a lidar a um calor tórrido que fazem todos perderem a paciência. Este verão iniciou muito forte que faz: os humanos seres racionais, os seres irracionais e os vegetais sofrerem como nunca; uma temperatura fora dos padrões normais para esta região brasileira nesta estação do ano.


Certamente em outros anos este calor deva já ter ocorrido em décadas remotas que não me recordo. Mas os nossos nobres especialistas em meteorologia, devem ter todos os históricos dos eventos climáticos rigorosos da nossa região. Uma tarefa para os nossos peritos das variações bruscas do tempo, demonstrarem em números e procurarem através de seus conhecimentos, mais a ajuda da tecnologia encontrar respostas plausíveis para esta situação desconfortante que está passando a população da nossa região sulina brasileira, em relação ao calor fora do suportável.
Não sou especialista deste campo do conhecimento meteorológico, mas é uma área de estudo superinteressante para se pesquisar, pois afeta a todos de uma maneira geral.  Apenas estou emitido uma opinião leiga sobre este tema que atinge quem é e quem não é meteorologista. Além de todo ecossistema, afinal habitamos o mesmo planeta.

Esta realidade de desequilíbrio climático certamente tem uma enorme colaboração direta da usura econômica humana. Sua fúria destruidora da natureza em nome da ganancia econômica predatória sem limites, para alcançar lucros a qualquer preço sem respeitar o ecossistema do planeta. Geram resultados ruins para si mesmos, são os frutos negativos de suas ações destruidoras da natureza em longo prazo.   Os gananciosos desaprenderam a conviver harmoniosamente a natureza já há muito tempo e podem muito bem provocar estes contínuos desequilíbrios naturais imagináveis.

Podemos perceber claramente na prática um evidente aceleramento do aquecimento global. As consequências são inúmeras. Aqui no Brasil a chuva tem períodos irregulares, descontroladas e severas que superam os níveis normais de um dia. Exemplo: chove tudo em uma hora o que era para chover em um dia e chove tudo em um dia o que era para chover em um mês. No Nordeste do Brasil existe a seca permanente e histórica e os políticos a utilizam como moeda de manipulação entre a população.  Tem outros lugares do país que o calor mesmo no verão alcança níveis insuportáveis configurando eventos incomuns.

As respostas e prováveis soluções para estes problemas de ordem naturais que atinge todos nós e ao meio ambiente. Todas elas são tarefas de incumbências para os cientistas de o clima responder e apontarem alguma saída segura. Sabemos que nesta aérea congregam muitos interesses: econômicos e políticos. Logo, há grandes contestações entre os cientistas.  Todos defendem suas teses de acordo do seu ponto de vista e muitos são movidos por pressões ideológicas. Porém há aqueles que defendem suas teses de forma independente de acordo aos princípios éticos de um verdadeiro cientista da meteorologia.

Nesta confusão há uma grande discussão em torno do fator climático. Alguns defendem teses de que não há aquecimento global, tem alguns que dizem que está havendo um equilíbrio natural e o planeta está resfriando. Tem alguns que afirmam em suas teses nos congressos de autoridades internais que tudo não passa de alarmismo. Contudo, tem outros que afirmam em suas teses que o planeta está passando por acelerados desgastes e um superaquecimento.
A poluição e contaminação do ar, água e terra e o desmatamento do que resta de floresta em algumas regiões da terra está sem controle. Queimadas criminosas aumentam diariamente destruindo o que sobrou da fúria lucrativa dos humanos.


O por do sol é lindo de mais um dia  escaldante. 
Portanto, meu leitor está vivendo uma época de desequilíbrios naturais, a ritmo avassalador através da usura econômica dos humanos avarentos, para progredirem rapidamente. Sem respeitar a natureza. O dinheiro fala mais alto, os poderosos são mais destruidores que os cupins quando devoram as vigas de madeira que sustentam o telhado das casas dos predares humanos. Uma guerra entre predadores racionais vezes predadores insetos irracionais. Os cupins têm plena razão em invadirem as moradias dos seres racionais. Ora! Os cupins foram desalojados do seu habitat natural pelo homem devastador, agora eles vêm para as próprias habitações se alimentarem do que restou para sua alimentação.

A natureza é sábia e age lentamente e dar uma resposta à altura à ganância dos humanos que simplesmente pensam em lucrar e multiplicar sem controles seus lucros destruindo a estrutura do ecossistema, que faz garantir a vida na terra, mas consequentemente temos a reação da própria natureza para dizer para os humanos gananciosos que a respeite e a use sobriamente.


O que temos hoje: verões tórridos, temporais severos, enchentes, tempestades de neves nos países do hemisfério norte, secas, furacões, tornados, tsunamis, etc. As consequências são graves para a população entre mortes e perdas matérias, será que tudo isso não quer dizer absolutamente nada? Ou é simplesmente alarmismo?  Está na hora de todos pensarem, no por quer, de a natureza está respondendo a brutalidade dos humanos que só enxergam cifras, de maneira violenta e desequilibrada, mas ao mesmo tempo sábia?  

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O abc da mãe e suas qualidades.

As mães e suas qualidades no seu abc. As mães quantas qualidades elas possuem, desenvolvem e as colocam em prática, diariamente, vinte e quatro horas; durante uma vida inteira em prol dos seus filhos. Entretanto, dificilmente os filhos percebem e reconhece está árdua luta das mães e são gratos a elas.  Observem neste singelo texto, quanto as progenitoras fazem para seus filhos.
Estes dons surgem desde quando ela engravida pela primeira vez dão à luz seus filhos (as). Elas no cotidiano colocam em prática através de sua consciência maternal todas suas qualidades de mães para a proteção, provisão e educação dos filhos. O mais estranho e ingrato é que poucos filhos reconhecem a importância da sua mãe enquanto estão juntos. Muitos somente irão reconhecer e se lamentarem a sua real importância quando elas morrem.

Indiferença é este sentimento negativo presente nas relações humanas.

Este sentimento ruim, a indiferença está presente na vida e setores sociais. A indiferença é um dos sentimentos humanos extremamente impresumível inerte em sua índole humana. Todavia, quando é despertada provoca indignação à pessoa alvejada. Este sentimento negativo pode estar infiltrado em inúmeras circunstancias da vida. O mais preocupante é a insensibilidade neste mundo individualista; mesmo diante de muitas amizades virtuais vazias e geladas de sentimentos. Podem-se perceber nas relações familiares em gerais e entre amigos. 
No plano social, há muitas situações onde as pessoas reagem plenamente indiferentes, em relação aos semelhantes nas situações de fragilidade e incapacidade. São característicos dos homens reagirem indiferentemente frente aos problemas de outrem. No âmbito governamental, o sentimento de indiferença é visível e constante por parte das autoridades que se comportam em total indiferença frente aos problemas sociais do povo. Também este sentimento é muito presente ent…

A quinta sinfonia de Beethoven.

Beethoven e a quinta sinfonia.Beethoven compôs suas obras musicais eruditas na liberdade quebrando velhos paradigmas. O grande gênio da música clássica erudita Ludwig van Beethoven alemão nascido na cidade de Bonn em 1770 e faleceu em 1827 aos 56 em Viena. Um dos grandes compositores do estilo musical erudito, onde no conjunto de sua obra impera a liberdade, ele escrevia suas composições, suas obras quebrando velhos paradigmas da música clássica abrindo novos horizontes para a música erudita.